Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Uma experiência falhada no Secret Cinema

Secret Cinema é uma das noites populares que já decorre em Londres há vários anos e que combina ver um filme com a experiência teatral em volta desse filme. Ao início, lembro-me que as pessoas não sabiam que filme iam ver até ao momento do evento. Os bilhetes já era um pouco caros nessa altura a cerca de £40. Hoje em dia os bilhetes já são mais que £70. Ao longo dos anos o conceito tem mudado e hoje em dia, todo o espectáculo de teatro em volta do filme está maior e melhor, mas os filmes já não são um mistério. O filme em questão é altamente publicitado e os organizadores criam imenso interesse e expectação antes do lançamento de um novo filme. 

 

Praticamente toda as pessoas que conheço por cá já foram pelo menos a um Secret Cinema, mas eu ainda nunca tinha ido. Tentei pela primeira vez no ano passado quando estavam a apresentar o filme Moulin Rouge. Uma amiga tinha conseguido bilhetes super descontados a £20 cada para um dos últimos shows, por isso marcámos. Em cada filme, os espectadores fazem parte do ambiente do cenário do filme, por isso, a cada espectador é dada informação sobre o personagem que têm que representar no dia, e são dadas indicações sobre o que devem vestir, acessórios a trazer e informação que ofereça de guia inicial para o que os espectadores podem esperar do seu envolvimento com o teatro. Nessa altura quando tive os bilhetes para o Moulin Rouge, a personagem que eu ia ter que representar ia ser a de um criminoso corcunda com uma cicatriz na cara  Eu lá estava disposta e curiosa por representar a minha personagem, mas apesar de toda a expectação, nesse dia fiquei doente de cama, por isso não houve qualquer hipótese para eu conseguir ir.

 

As minhas amigas foram e tomaram parte na parte inicial do teatro, mas a certo ponto, houve um corte de luz, por isso o evento teve que ser cancelado antes de poderem começar o filme. Assim sendo, deram-nos bilhetes para outro Secret Cinema em compensação. Isso foi bom para mim, porque ao menos o preço que paguei pelo bilhete não tinha sido em vão. Deixámos passar o Blade Runner (não porque não queríamos ver esse filme, mas apenas porque não calhou com as datas). Tentámos marcar para ver o Romeu e Julieta, mas umas semanas antes da data que tínhamos marcado, uma das nossas amigas diz que ia ter que viajar com o trabalho nessa data, por isso tivemos que mudar para outra data. Acontece, que nessa data em que tínhamos marcado o Romeu e Julieta inicialmente, choveu torrencialmente, e tiveram que cancelar o filme, por isso, até que calhou bem termos mudado. A nova data foi agora nesta sexta-feira que passou. O meu personagem desta vez era uma das raparigas da família dos Montague's (a família de Romeu). Foi engraçado preparar-me para o evento, aprender a coreografia dos Montague's e umas frases que tinha a dizer para fazer as pazes com os Capulents.

 

Quando chegámos, ainda era cedo, por isso decidimos ir comer antes de nos envolvermos com a peça. Foi fila para a comida, fila para o bar, e quando finalmente estávamos prestes a envolver-nos com a peça, já todos tinham entrado no recinto e, como tal, não haviam os artistas iniciais a guiar os grupos de pessoas, logo, não sabíamos muito bem por onde começar. Juntámos-nos a um grupo, mas eles estavam a acabar aquilo que tinham dito. Como o recinto do Romeu e Julieta decorreu ao ar-livre com ar de festival, todos os grupos estavam muit separados. Segundo o que ouvi dizer, geralmente não acontece assim, e é mais fácil de seguir o grupo devido à estrutura habitual dos shows, mas este, sendo verão, tinha todo o espaço ao ar-livre e era muito maior do que é normal. 

 

Enquanto tentámos descobrir por onde devemos ir, começa a chover. Vamos esconder-nos dentro de um dos bares, onde nos envolvemos com um pequeno sketch de teatro numa zona do bar. Entretanto como a chuva continua com força, grande parte dos espectadores também decide vir resguardar-se no bar. Ou seja, ali estávamos, bem apertadas, enquanto esperávamos pela chuva passar. Até pensámos que fossem cancelar o show, mas não cancelaram. Quando a chuva começou a passar, vimos que o filme estava a começar, mas já não nos podíamos sentar no chão que, a nossa manta estava encharcada e o chão, cheio de lama. 

 

Resultado, com imensa chuva e frio, nem nós, nem a maioria das pessoas que ali estava, lhes apeteceu ficar a ver o filme ali em pé, por isso saímos e fomos para o pub. 

 

Não temos sido lá muito sortudas com o Secret Cinema. Com isto tudo, mal cheguei a ter a experiência. A questão é, se tento voltar a ir outra vez mais tarde, ou se simplesmente desisto da ideia? Dicas que posso aconselhar sabendo da minha experiência é, tentarem verificar se o Secret Cinema vai decorrer ao ar-livre ou se não. caso vá, convém levarem mais resguardo, pelo sim pelo não. E evitem pagar o bilhete com o preço total, porque existem sempre locais a oferecer descontos. É só uma questão de pesquisar um pouco por ofertas e competições onde possam ganhar bilhetes. 

 

romeu-juliet2.PNG

Imagem retirada: O2 Priority 

Participar na festa do Great Gatsby

Para quem segue o Instagram do @TugaemLondres, terá reparado no Instagram Stories que esta semana que passou, vesti-me a rigor à anos 20, e fui para a festa do Great Gatsby. É uma festa de teatro imersivo que já está em Londres há vários meses e, juntamente com outras amigas, achámos que seria um bom presente para o aniversário recente de uma amiga. 

 

A peça está planeada decorrer até ao fim de Jullho e, descobri que, para além dos shows normais, também organizam festas especiais, dedicadas só a empresas ou festas de solteiros, etc. 

great-gatsby-drinks.JPG

Já fui a algumas peças de teatro imersivo e gosto bastante. Quanto mais iteração tiver, melhor. Já antes falei aqui sobre teatro imersivo, e o último a que tinha ido fazia parte da Chamber of Flavours, o Juniper Manor (combinava teatro com provas de gin), e antes disso tinha ido a outro evento do Chamber of Flavours mais focado em comida. Também fui ao Alice Underground que leva os espectadores pelo mundo da Alice no País das Maravilhas; fui ver Absent, onde o objectivo era descobrir a vida misteriosa de uma mulher num hotel enquanto percorriamos vários quartos na cave do Shoreditch Town Hall; o You Me Bum Bum Train onde participei como figurante, em vez de espectadora; o Heartbreak Hotel que continua a ser uma das minhas experiências de teatro imersivo favoritas; o Drowned Man de Punch Drunk, também uma das minhas favoritas; e a minha primeira experiência de teatro imersivo foi organizado pela colectiva do Shunt, na sua primeira produção depois do 'Shunt Lounge' que se localizava debaixo da estação de London Bridge, ter encerrado. Já não me lembro do nome da peça, mas sei que se localizava num armazém em Bermondsey e sei que, talvez por ter sido a minha primeira experiência de teatro imersivo, foi também a que considero a melhor. 

 

Portanto, talvez por ter ido a várias destas peças, sou muito crítica da qualidade e experiência de cada uma. Gostei de no Great Gatsby de que a maioria do público se vestiu apropriadamente à época. Também gostei de ter algumas experiências que senti serem semi-privadas, mas mesmo assim, não cheguei a entrar em todas as zonas, e isso deve-se porque é necessário que os espectadores estejam localizados em pé junto aos cantos da sala principal, para terem a oportunidade de ser chamados para os diferentes quartos. Fica a dica de que, se lá decidirem ir, se localizem estrategicamente nos diferentes cantos da sala em cada novo acto. 

 

Sem pensar bem nisso, já tenho, entretanto marcada a minha ida a uma próxima peça de teatro imersivo. Desta vez vai ser uma que vai contar com tecnologia, principalmente realidade virtual e inteligência artificial. Basicamente isso, e o facto da peça se chamar SOMNAI, é tudo o que sei até já. Depois digo se vale a pena.

Noites que já não são como eram

Na outra noite estava a dirigir-me para Camden Town para ir ter com uns amigos e eles dizem para ir ter com eles à Camden Assembly. - Camden Assembly? Hmm, nunca ouvi falar neste sítio. 

 

Quando lá chego e, ao ver que fica num canto oposto a um restaurante Brasileiro - Espera lá! Mas este é o edifício do bar Fly! O barfly já não existe!! - É o momento de surpresa quando não se espera nada ver um estabelecimento, que é considerado uma instituição dos bares de Camden Town, e dos bares de música indie de Londres de forma geral, que já não existe. Inúmeras bandas de qualidade passaram pelo barfly e não é de surpreender que as bandas Indie Rock que hoje são conhecidas, à uns anos atrás tenham tocado no barfly - desde os Stereophonics aos Coldplay, Muse, Doves, Blur, Oasis, etc, etc. 

 

O barfly não deixa de ser um pequeno bar, um estabelecimento de música que todos ou quase todos os dias, contava com concertos íntimos no primeiro andar, onde maioritariamente podiam esperar ver bandas de qualidade, mesmo que fossem bandas desconhecidas. No andar de baixo, era um bar normal, com bom ambiente, onde se podia contar com uns passos de dança ao som dos Fratellis, The Libertines, etc. etc. aos fins-de-semana. 

 

Por qualquer razão, o bar foi vendido no ano passado ao Columbo Group, que também gere outros estabelecimentos tais como XOYO em old Street, The Old Queen's Head em Angel, The Nest em Dalston, e vários outros. Depois de algumas obras a partir de Junho de 2016, o estabelecimento reabriu no final do ano como a Camden Assembly. Ainda continua a ser um estabelecimento de música ao vivo, mas deixou de ser dedicada ao Indie Rock e hoje em dia conta com uma maior mistura também com DJs de música electrónica. E devo dizer que não tenho nada contra música electrónica, pelo contrário, mas gosto de ir a estabelecimentos com um caractér específico e o barfly era cheio dele. OK, não é que eu fosse uma cliente muito regular hoje em dia, já que me demorou uns quantos meses a realizar que o barfly já não está lá, mas de qualquer forma, tenho pena que já não exista. Foi um daqueles estabelecimentos que marcou 16 anos de uma geração, e onde quase todas as pessoas que conheço com idades semelhantes à minha, tenham passado boas noites pelo barfly. 

 

O barfly é só um exemplo de uma dos muitos estabelecimentos de música que Londres tem visto desaparecer nos últimos anos. Se bem que os estabececimentos começam e acabam todos os dias e, se para mim tenho a impressão de que um local tal como a Camden Assembly, seja de qualidade inferior ao que lá estava anteriormente, possívelmente, a geração anterior à minha, achou o mesmo quando o barfly abriu no lugar do pub The Monarch, que era o nome do estabelecimento que existia antes do barfly, e que também existiu como um estabelecimento de música ao vivo desde os anos 80. 

 

Outros bares que tive pena de terminarem incluiram:

  • Round Midnight em Angel era um Blues e Jazz bar que oferecia concertos gratuitos todas as noites. Parecia incrível como um estabelecimento no centro de Londres com artistas de tanta qualidade oferecesse entrada gratuita. O ambiente era também extremamente simpático, e muito sociável. Ao que parece os gerentes simplesmente fartaram-se de fazer a gestão do bar. Existiu durante 5 anos e encerrou em 2014.
  • 12 Bar em Denmark Street que hoje em dia, já nem existe nem o bar nem a rua onde o bar vivia devido às obras do Crossrail em Tottenham Court Road. Existiu durante 19 anos e encerrou em 2015 nessa morada.
  • Passing Clouds em Haggerston. Este não tive só pena de ter fechado. Por este chorei, manifestei-me, assinei abaixo assinados, de nada resultou. Passei 5 anos da minha vida onde quase todas as quartas-feiras ía ao Passing Clouds. Era o meu bar local, onde conheci imensos dos amigos que tenho hoje. O Passing Clouds era governado por um gupo de hippies que mantinham o local com uma decoração alegre e positiva, comfortável como se estivessemos numa sala de estar, com um pequeno palco onde músicos de jazz tocavam para nós todas as Quartas, enquanto que dançavamos ao som da melodia. Foi encerrado pela empresa que comprou o edifício para construir um edifício de habitação (possivelmente de luxo, como não poderia deixar de ser). Por lei ainda não poderam fazer nada com o edifício ao cerca de um ano depois de ter encerrado porque este está licenciado como um espaço de comunidade e não pode ter outra função durante alguns anos. E por isso os proprietários preferiram deixar o estabelecimento fechado e vazio, como que abandonado, porque não podem fazer nada com ele senão esperar que o tempo necessário para que essa lei deixe de ter efeito, passe. É muito triste. Existiu durante 10 anos e fechou em 2016.

passing-clouds.jpg

Fonte: The Independent

O que fazer em Londres em Outubro 2017

fazer-outubro-2017.jpg

Já estamos a meados do mês de Outubro, o que se torna um pouco tarde para o post com actividades em Londres para o mês, mas ao mesmo tempo, quando geralmente faço esta pesquisa no início do mês, só consigo descobrir os maiores eventos para o fim do mês, visto que os mais pequenos nem sempre estão publicitados com a antecedência que gostaria. Como tal, aqui fica o foco nos eventos mais interessantes que encontrei para o resto do mês. 

 

Other Rooms - O que é? Esta é uma exibição cheia de cor e dimensão pela artista Nathalie du Pasquier. Quando? Até 14 de Janeiro. Quanto? Gratuita. Onde? Camden Arts Centre, Camden

 

London Literature Festival O que é? Este festival de literatura explora temas de prosa e poesia, conta com a apresentação de literatura em variados temas tais como a imigração, e palestras por reconhecidas personalidades tais como Hillary Clinton. Quando? Até 1 de Novembro. Quanto? Preços variados dependendo do evento. Onde? Southbank Centre

 

Poster Girls O que é? Exposição de posters do metro de Londres criados por artistas femininas durante os últimos 100 anos. Quando? Até 1 de Janeiro de 2018. Quanto? £17.50. Onde? London Transport Museum, Convent Garden

 

11hours Cuban Carnival O que é? Contem com 11 horas de dança salsa cubana non-stop, com comida e bebida tradicionais do país, no novo bar e workspace de Brick Lane, Juju. Quando? 15 de Outubro. Quanto? Pelo que me apercebo do site, a entrada é gratuita. Onde? Juju's Bar & Stage, Hanbury Street

 

Bloomsbury Festival O que é? Festival de música e artes na zona de Bloomsbury que, passo a falar em particular no concerto de piano de Belle Chen que, faz uma interpretação de piano do significado da palavra 'Saudade'. Achei curioso, no entanto, que na descrição do concerto não há qualquer referência ao facto desta ser uma palavra Portuguesa e, aliás, a forma como o evento está descrito parece referir-se a que 'saudade' seja uma palavra Francesa. Quando? 18 a 22 de Outubro (com este concerto de piano no dia 18). Quanto? Variam, mas no caso do concerto de piano os bilhetes ficam a £8 Onde? Senate House, Russell Square.

 

Soul of a Nation Closing Party O que é? O fim-de-semana final da exposição da história de soul e hip-hop nos EUA, e conta com Hip-Hop karaoke, cerveja e comida tipicamente Americana para animar a festa. Quando? 20 e 21 de Outubro. Quanto? De £7 a £28.50 dependendo da combinação de bilhetes que pretenderem. Onde? Tate Modern

 

Wandsworth Common Halloween Beer Festival O que é? Este é um festival anual em Wandsworth Common, ideal para os apreciadores de cerveja porque conta com mais de 100 tipos de cerveja e 25 tipos de cidra disponíveis a experimentar. Também tem a temática do Halloween e conta com música ao vivo na sexta e sábado. Quando?  De 25 a 28 de Outubro. Quanto? £25 se marcarem online ou £35 na porta e o bilhete inclui a cerveja e cidra ilimitada que quiserem beber. Onde? Wandsworth Common

 

Halloween Friday Late com Handel & Hendrix O que é? A casa de museu de Handel & Hendrix, onde o compositor de ópera, Handel, morreu, e onde o músico de rock Jimi Hendrix viveu, celebra as vidas destes dois músicos e da sua estadia em Londres. O evento em si conta com música dos artistas e experiências interactivas com os visitantes durante a noite. Quando? 27 de Outubro. Quanto? £20 Onde? 25 Brook Street, Mayfair

 

Halloween: Carnival of Carnage O que é? Festa de Halloween num clube privado em Hackney (mas podem entrar sem ser membros desde que tenham bilhetes para eventos lá realizados como este). Já fui a este clube e é sem dúvida um local muito interessante. Por fora parece um pub abandonado. Por dentro é um espaço que parece do outro mundo cheio de animais empalhados inclusive um urso panda enorme. Vistam-se no vosso ar Halloween ao tema da noite 'clowns in cravats, dandy devils, tailcoated terrors and monocled mummies' (acho que é mais fácil perceberem bem o tema escrito em inglês do que se fôr traduzido) e divirtam-se. Quando? 28 de Outubro. Quanto? £15 Onde? Kings Head Members Club, Haggerston

O que fazer em Londres em Maio 2017

fazer-maio-2017.jpg

Já entrámos no mês de Maio com o verão aqui à porta (esperemos nós, mas ainda não há grandes sinais dele). No entanto, os planos da cidade decorrem a contar com a vinda de um tempo bom com o início das várias actividades ao ar-livre - festivais, teatro ao ar-livre e afins. Eventos a destacar este mês, na minha opinião, são o Peckham Rye Music Festival e o Festival de Museus à Noite. 

 

Peckham Rye Music Festival O que é? Festival de música durante 3 dias em vários locais em Peckham. Quando? 12 a 15 de Maio. Quanto? A partir de £15 por dia Onde? Peckham

 

Museums at Night Festival O que é? Festival onde a maioria dos museus de Londres estão abertos à noite com vários eventos especiais. Muitos deles até contam com música e comida, experiências interactivas, apresentações ou outros eventos para os mais variados interesses. Quando? De 17 a 20 de Maio. Quanto? A maioria das entradas nos museus são gratuitas mas convém verificar com o museu de interesse antes da visita. Onde? Por Londres inteira

 

Regent's Park Open Air Theatre O que é? Peças de teatro apresentadas ao ar-livre no Regent's Park. Este ano as peças apresentadas vão ser 'On the Town', 'A Tale of Two Cities' e 'Oliver Twist' Quando? De 19 de Maio a 16 de Setembro. Quanto? A partir de £23 Onde? Regent's Park

 

Chelsea Flower Show O que é? Todos os anos, os melhores floristas, e jardins do Reino Unido, apresentação as suas criações de flores e plantas neste evento que exibem os seus melhores arranjos de jardins, etc. É um evento essencial para todos os amantes de floricultura Quando? 23 a 27 de Maio. Quanto? £25 a £70. Onde? Chelsea

 

Brixton Rooftop Beach O que é? A praia de Brixton volta pela segundo ano, num terraço de brixton, a contar com stands de street food, música e animação. O primeiro fim-de-semana de abertura conta com eventos especiais que requerem bilhetes. Quando? A partir de 26 de Maio até ao final do verão. Quanto? Bilhetes do fim-de-semana de abertura estão a £10. Onde? Brixton Rooftop

 

Gala Brockwell Park O que é? Festival de música disco, funk e soul no domingo do fim-de-semana prolongado de final de Maio. Quando? 28 de Maio. Quanto? £25 Onde? Brockwell Park

O que fazer em Londres em Abril 2017

fazer-abril-2017.jpg

 

Este mês, o post vem um pouco tardio, mas não queria deixar de escrevê-lo já que ando a pesquisar actividades interessantes a fazer para o resto do mês. Aqui ficam algumas sugestões:

 

Jurassic kingdom O que é? Exposição de dinosauros em tamanho real no Osterley Park. Apresenta o passeio ideal para famílias. Quando? Até 17 de Abril. Quanto? £15 Onde? Osterley Park, Isleworth

 

Regatta Londres a Quebec O que é? Regatta de barcos altos vai partir de Londres no próximo Domingo com direcção ao Quebec, e até lá, podem ver os barcos na zona de Greenwich. Quando? De 13 a 16 de Abril. Quanto? Gratuito. Onde? De greenwich a Woolwich.

 

Troca de línguas O que é? Para quem se encontra em Londres no fim-de-semana de Páscoa e procura algo para fazer mesmo que esteja sozinhho, uma boa ideia será ir ao Soho a um encontro de troca de línguas. Ali vão se encontrar pessoas que falam diferentes línguas e praticam falar com aqueles cuja língua é do vosso interesse. Línguas em questão são Françês, Alemão, Espanhol, Português, Italiano, Japonês, Mandarim, e Inglês. Quando? 15 de Abril das 16h às 22h. Quanto? Gratuito Onde? Gem Bar, Soho

 

Festa na Rotunda O que é? Festa gratuita com muita música, comida e bebida no centro da rotunda de Old Street no Domingo de Páscoa. Quando? 16 de Abril. Quanto? Gratuito. Onde? Rotunda de Old Street. Entrada através do metro.

 

Open Garden Squares Weekend O que é? A oportunidade de visitarem mais de uma centena de jardins privados que geralmente não estão abertos ao público. Quando? 17 a 18 de Abril. Quanto? £13 por pessoa, mas a TimeOut está de momento a oferecer um desconto de 50% no link indicado. Onde? Por Londres inteira.

 

Maratona de Londres O que é? Maratona anual de Londres Quando? 23 de Abril. Quanto? Já não vão a tempo de participar, mas os corredores precisam de apoio ao longo da corrida.

 

Encontro feminino no Lean In Circles

Uma colega disse-me que tinha ido ao Lean In Supper Club, um grupo do Lean In Circles dedicado a encontros de mulheres profissionais. Gostou da experiência e sugeriu que eu fosse também no mês seguinte. E fui.

 

 

Cada mês os encontros são em locais diferentes de Londres, mas o conceito é semelhante - uma oportunidade de trocar experiências de carreira com outras mulheres e receber inspiração pela história da convidada especial, que geralmente partilha como conseguiu alcançar sucesso, o que quer que esse sucesso signifique, visto que o seu conceito pode ser muito diferente para diferentes pessoas, dependendo do que é importante para cada uma. 

 

O encontro a que fui realizou-se num restaurante em Marylebone. Quando cheguei já lá estavam algumas pessoas, a fazer um bocadinho de networking, antes de nos sentarmos nos respectivos lugares. Depois falou a convidada especial que, desta vez, foi a Tracy Lewis, uma mulher cuja carreira desenvolveu através da indústria Retalhista na Next e Marks & Spencer, até ser empreendedora de uma empresa de lingerie que eventualmente vendeu lucrativamente a uma empresa Japonesa e falou-nos sobre o desafio de continuar a trabalhar nessa empresa que, na sua maioria era dominada por homens. Hoje em dia é uma Directora não executiva de duas empresas que oferecem suporte para startups. Depois seguiu o jantar que se estendeu até cerca das 23h. 

 

Acabou por ser uma noite muito interessante. Estive sentada ao lado de uma mulher que tem um mestrado de aeronáutica espacial, trabalhou para a Nasa, e hoje em dia trabalha num projecto de tecnologia inovador para a Amazon, e que nos contou sobre as dificuldades de ser a única mulher na sua equipa, estando rodeada de homens pouco sociais, alguns dos quais, parecem não querer ter uma mulher como a sua chefe. Também conheci outra mulher que parou de trabalhar à 6 anos atrás quando ficou grávida da filha e que, agora que decidiu querer voltar ao trabalho, está a achar extremamente difícil conseguir entrar novamente no mercado apesar de ser qualificada e ter larga experiência na área financeira. Contou-me no entanto, que recentemente várias grandes empresas aderiram a um programa de reinserção de mulheres no trabalho após terem tido uma pausa (geralmente devido a crianças), que as ajuda com novos conhecimentos que possam ter perdido durante os anos em que não trabalharam e, com o apoio de habilidades interpessoais para as ajudar a voltar a ter a auto-confiança na área do trabalho que possam ter perdido. Ela disse que estava no processo de entrevista para conseguir o lugar num desses programas, por isso espero que o consiga visto que ela estava mesmo com muitas esperanças de conseguir voltar a entrar no trabalho dessa forma. 

 

Entre essas e outras conversas, saí dali com a sensação de que aprendi algumas coisas nesse encontro e gostei muito da oportunidade de jantar com mulheres que têm passado por uma enorme variedade de experiências diferentes ao longo das suas vidas profissionais. Se algumas leitoras do blog estiverem interessadas em experimentar ir a um destes jantares, podem-se inscrever no grupo aqui.

 

leaninsupperclub.jpg

Fonte da imagem: Lean In Supper Club Instagram 

E fica mais uma recomendação de restaurante Português

Depois de ter escrito o post sobre Restaurantes Portugueses em Londres que dá gosto visitar, um dos leitores fez referência ao Bar Douro em London Bridge, que me deixou muito curiosa. Ora não foi tarde, nem foi cedo. fui logo lá hoje à noite. Gostei bastante. Com ambiente simpático, que combina o tradicional e o moderno, o Bar Douro, é um óptimo local para ir tomar uma bebida e comer uns petiscos depois do trabalho. Localizado numa das arcadas debaixo da linha do comboio e, junto à Flat Iron Square, onde aos fins-de-semana, se enche de carrinhas de Street Food, e pessoas que ali vão almoçar ou jantar com amigos. 

 

Partilhei com uma amiga uns croquetes de Alheira que tinham aquele sabor da Alheira mesmo intenso e delicioso; uns rolinhos de borrego; um pratinho de Bacalhau à Brás e Gambas com Alho. No final, ainda experimentei a minha sobremesa e a das minhas amigas, e tanto o Bolo de Laranja com marmelada e requeijão, o pastel de nata com gelado de canela, e a Baba de Camelo, estavam óptimos!

 

Com isso tudo, e ao partilhar pão e uma garrafa de vinho entre 4, a conta final ficou em £30 o que não foi mau. 

Recomendado!

Image-1.jpg

 

Sofar - Uma noite de música diferente

Já há alguns anos que estou inscrita para receber informações sobre os concertos do Sofar Sounds, mas ainda nunca tinha ido a um, até esta passada semana. 

 

O Sofar Sounds, oferece um conceito diferente para concertos. Iniciado por um Britânico que teve a ideia de convidar uma banda a vir tocar na sala da casa dele, e chamou uns amigos para apreciarem o concerto intimo. Gostaram tanto da experiência, que decidiram fazer concertos em casa dele e de outras pessoas mais regularmente, e eventualmente, abriram o Sofar para todos. Qualquer pessoa pode oferecer o seu espaço privado para estes concertos - geralmente grandes espaços, tipo estúdios, garagens, armazéns, na casa de alguém, ou espaços de bares nos dias em que o bar costuma estar fechado ao público. E os artistas também podem apresentar interesse em tocar numa noite Sofar. Sendo que os concertos são em espaços privados, significa que o espaço é informal, as pessoas sentam-se no chão ou numa almofada com tragam, podem trazer álcool e comida, enquanto apreciam os 3 concertos da noite. 

FullSizeRender (2).jpg

No meu caso, o concerto a que fui esta semana passada, foi localizado num bar em Brick Lane (que sendo uma segunda-feira, era suposto estar fechado nessa noite). Já lá estavam mantas e almofadas no chão e também haviam alguns bancos de lado por isso o espaço estava muito confortável. Os concertos são sempre surpresa, portanto, eu tinha marcado e pago as £10 do bilhete do concerto sem saber o que ía ouvir. A primeira artista foi a singer songwriter Louise Golbey. A sua voz era razoável e gostei da letra das músicas e da sua presença em palco; mas foi o segundo artista, Doug Sure que achei mesmo espectacular! Ainda não tem muita música lançada online, mas vou tentando ir acompanhá-lo para ver o que continua a lançar. Desde a voz, à forma como toca a guitarra, as diferenças em entoação em cada música, a genuinidade, mesmo muito bom. A terceira banda, sinceramente não me lembro do nome porque não gostei muito deles. 

FullSizeRender (3).jpg

Doug Sure

 

Para os interessados, o Sofar Sounds está disponível num grande número de cidades pelo mundo, incluindo Lisboa e Porto. Basta subscreverem aos alertas de concertos por email, e uma vez que encontrem uma data que vos agrada, têm que indicar o vosso interesse. Geralmente os bilhetes são alocados aleatoriamente, por isso se não conseguirem à primeira, tentam numa próxima vez. 

Restaurantes Portugueses em Londres que dá gosto visitar

Já alguma vez pensaram que gostariam de levar estrangeiros a provar a culinária Portuguesa, mas não encontram nenhum restaurante Português em Londres onde dê gosto levá-los? Eu já passei por isso mutas vezes. Claro que já levei pessoas a conhecer os restaurantes de Stockwell e Vauxhall, mas sinceramente, não são propriamente restaurantes com ambiente agradável para qualquer ocasião. Ou está a dar o futebol, ou estão lá grandes grupos de Portugueses em festa. Nada contra a comida ou os preços porque, em muitos desses sítios, são bons. Mas por vezes simplesmente gostaria de poder levar pessoas a um restaurante numa zona central, de fácil acesso e com um ambiente apelativo e boa comida, tal como facilmente vou a restaurantes Italianos, Espanhóis, Franceses, Indianos, etc, etc. 

canela-cafe.jpg

Existem alguns mas são poucos. Tenho as minhas dúvidas se fornecem todos boas representações da nossa culinária, mas fica a minha opinião. São eles:

Canela Café: Só lá fui duas vezes há vários anos atrás quando abriu. Na altura ofereciam uma fusão de culinária Portuguesa com Brasileira. Hoje em dia apenas servem comida Portuguesa e, o menú tem bom aspecto pelo que terei que lá voltar para experimentar. O Canela Café está aberto todo o dia e serve tanto como restaurante como café. Preço: Razoável. Prato principal ronda as £11. Localização: Convent Garden.

 

Taberna do Mercado: Fundado por dois reconhecidos chefes Portugueses - Nuno Mendes e António Galapito, este restaurante é mais 'upmarket'. Os pratos são pequenos, tipo petiscos, e apesar de inspirados pela cozinha Portuguesa, são mais elaborados e modernos. O espaço do restaurante é pequeno pelo que convém reservar mesa ou podem contar a ficar numa fila à espera. Preço: Médio/alto. Os pratos de petiscos rondam as £8 e convém pedir cerca de 3 petiscos por pessoa. Localização: Spitafields Market. 

 

Eyre Brothers: Fundado por dois irmãos que cresceram em Moçambique, Eyre Brothers oferece uma fusão de comida Portuguesa com Espanhola. Também é um bocadinho 'upmarket' e, apesar do ambiente ser agradável na zona do bar, na parte do restaurante acho que podiam melhorar significativamente a decoração. Mas os empregos foram simpáticos e a 'Carne de Porco à Alentejana' servida ali é muito boa! Preço: Médio/alto. Prato principal rondam as £17. Localização: Shoreditch

 

E são só estes de que me consigo lembrar agora. Acho que existe portanto, um grande nicho no mercado para um restaurante de boa comida Portuguess, centralmente localizado e que ofereça preços razoáveis. Estou mesmo surpreendida por ainda não terem havido imensos Portugueses a viver cá que iniciassem esse tipo de estabelecimento 

 

Como ponto de curiosidade, neste fim-de-semana, tinha ido sair a Clapton e entrei neste bar que tinha sido recomendado pelo empregado do restaurante onde tinhamos estado antes. Assim que entrámos, reparamos que os bartenders estavam a cantar, a beber shots com os clientes, etc. Sem dúvida um bar muito animado. Quando nos vieram servir, um dos fundadores do bar esteve-nos a contar um pouco do conceito do bar, e descobi que foi criado por um Português do Estoril e um Mexicano. O bar em si - Del74 - tinha uma temática Mexicada, servindo margaritas de tudo o que é sabor. Portanto, de Português só tinha mesmo o fundador, mas o conceito do bar é tão interessante e divertido, que achei por bem, comunicar. 

 

Se entretanto conhecerem outros bares ou restaurantes que vos relembrem de Portugal e achem que são boas representações da nossa culinária, por favor indiquem nos comentários.