Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Festas virtuais durante a quarentena

Durante estes últimos meses, com a falta da interacção social cara-a-cara, restou-nos a muitos, a oportunidade de fazermos festas virtuais com amigos. Claro que não é o mesmo que estar numa festa em casa de alguém ou num bar. A interacção nunca é a mesma, até porque enquanto numa festa pessoal, várias conversas podem acontecer em simultâneo, no caso de uma festa virtual isso torna-se mais complicado, mas não deixou de ser uma boa alternativa. Já aqui tinha falado antes no tipo de jogos que muitas pessoas têm estado a fazer em video-conferências, mas desta vez queria antes falar das festas com live streams de música, que também têm sido muito populares. 

 

Nem todos os live stream serão associados a uma 'festa', mas podem sê-lo quando, ou têm um dos vossos amigos a tocar música para vós ou combinam ouvir o mesmo live stream enquanto estão a falar no zoom. Fui a duas festas virtuais desse género. Na primeira, um amigo estava a tocar directamente a partir do zoom, o que não foi ideal, porque o som era transmitido apenas a partir do som do computador, e como tal não se ouvia a música claramente. Mas da segunda vez, outro amigo fez uma sessão de DJ transmitida através de um live stream no Twitch, a partir do qual conseguiu que o som passasse directamente do sistema de DJ para o software do Twitch, e como tal, a qualidade estava perfeita. É necessário alguma preparação para fazer um live stream por ser necessário ter certo equipamento como um 'encoder', e a música tocada não poder infringir os direitos de copyright dos autores da música, mas existem vários tutoriais online que explicam como fazer um live stream a partir do Twitch, Facebook ou Youtube. 

 

De qualquer forma, sintonizarem com amigos ao mesmo livestream também pode ser uma boa ideia para poderem fazer a vossa própria festa virtual sem terem que lidar com a organização de um live stream. 

 

Tal como numa festa presencial, a virtual também começou com conversa em que íamos mandando mensagens uns aos outros no zoom (visto que tinhamos que manter os nossos microfones em silêncio para conseguir ouvir a música), mas depois de algum tempo e algumas bebidas, as pessoas começam a levantar-se e dançar nas suas respectivas casas, como se tivessemos a dançar numa festa no mesmo espaço. É um pouco estranho ao início, mas passado pouco tempo estava tudo habituado à ideia e a dançar ao som da música nas respectivas salas. 

 

Quanto aos live streams, encontram de todo o género de música. Basta irem à secção 'Live' no Facebook ou Youtube e pesquisarem entre os variados live streams que estejam a haver no momento por aqueles que mais gostarem. Ou organizações como o Sofar Sounds também estão a fazer live streams de artistas menos conhecidos espalhados pelo mundo todos os dias. 

 

Empresas também têm organizado festas de zoom com acesso a centenas de pessoas e encontrei esta gravação de uma delas no youtube:

 

Uma celebração de aniversário diferente

Como tinha escrito aqui antes, tinha inicialmente planeado celebrar o aniversário atrasado do meu Inglês com uma festa surpresa num pub aqui da zona. Face aos últimos acontecimentos, tivemos que cancelar o pub, mas não queria deixar de celebrar com os amigos de alguma forma, por isso fizemos antes uma surpresa virtual. 

 

Fiz um bolo de aniversário e, na hora combinada com os amigos mais próximos, eles ligaram-se a uma vídeo-conferência online (utilizamos o Zoom) e começaram todos a cantar os parabéns. Depois ainda oferecemos um cartão de aniversário em que eu tinha escrito as mensagens enviadas pelos vários amigos, e passámos o resto da noite em conversa virtual animada a jogar charadas e afins. Como música de background até tivemos DJs ao vivo a tocar quase toda a noite no YouTube através de um festival virtual lançado pelos Defected Records o que até ajudou a tornar o ambiente mais de festa. OK, claro que não é bem a mesma coisa, mas face às circunstâncias, não estivemos mesmo nada mal com esta festa alternativa. 

1wmE2kx7QaepnmQ7%IN75A.jpg

O bolo de aniversário foi o Bolo Tiramisú e ficou delicioso! Fica a receita

As festas em Dezembro estão ao rubro

Estamos naquela época do ano em que há festa e animação constante nas ruas, no trabalho, entre os grupos de amigos. Isto é tudo muito bom e sabe bem de forma geral, mas estas festas não vêm sem as suas desvantagens, que achei por bem deixar aqui porque acho que muitos de nós pensamos sobre elas mas não falamos muito sobre o assunto:

  • A falta de tempo para nós próprios - basicamente não se tem tempo para mais nada.
  • Os excessos - cada festa vem com muita bebida e muita comida - os níveis de álcool, açúcar e gordura estão ao seu nível mais alto do ano inteiro, pelo que não é por acaso que muitos escolhem o mês de Janeiro para entrar em grandes dietas para tentar compensar o mal que fizeram ao corpo durante Dezembro;
  • A pressão social dessas festas - Nem todos gostamos de ir a este tipo de festas mas existe uma certa pressão social para se estar presente pelo menos nas três ou quatro festas mais importantes do mês:
    • A festa de Natal do trabalho - quer se goste dos colegas ou não, parece mal aos gerentes e aos colegas quem não estiver envolvido, e é melhor terem uma desculpa muito boa se não poderem comparecer;
    • A festa dos amigos antigos - é habitual que num ou noutro ano os antigos amigos de trabalho, escola ou faculdade se queiram encontrar. Mas com esses encontros existe aquela expectativa de falar sobre como as respectivas vidas têm progredido desde a última vez que se viram - cada um quer falar das últimas viagens entusiasmastes; dos novos namorado(a)s, casamentos ou crianças; das promoções de trabalho e afins; mas e quem não tem coisas novas e entusiasmastes para contar, que de forma geral até que somos muitos de nós? Ou quem simplesmente não quer estar a responder a todas as questões sobre a vida? Torna-se um tipo de encontro muito pouco desejado, mas se não forem ao tal encontro também se sentem postos de parte;
    • A festa de família - nem todos os Natais em família são cheios de boa comida e gargalhadas como se vê nos filmes, e nem sempre apetece estar a passar um, dois ou mais dias com o tio que tem valores fundamentais muito diferentes dos vossos, ou com os pais com quem se chatearam por causa de dinheiro; ou com os avós que não vos param de perguntar quando vão ter filhos; ou com o primo que está sempre a fazer piadas de mau gosto,… mas o Natal é o ‘dia da família' e como tal querem fazer o esforço para estar presentes, mesmo que tudo o que desejassem nesse dia era estar calmos em casa sozinhos a ver um filme e beber um bom vinho;
    • A passagem de Ano Novo - já perdi a conta da quantidade de pessoas que me disseram este ano que não gostam nada do Ano Novo. E não gostam basicamente pela pressão que vem com o Ano Novo - a pressão de estar numa festa bombástica com um grande grupo de amigos. As expectativas da festa dessa noite são sempre tão grandes, que muitas vezes passam meses a organizar a festa, e no final acaba por ser uma noite desapontante simplesmente porque o nível de expectativa era muito mais alta do que realmente foi a festa que decorreu.

christmas-tree.jpeg

 

Pensando bem nisto tudo, não é de admirar por haver tantas pessoas a não apreciar muito esta época Natalícia, mas acho que o melhor será mesmo lidar com cada evento um de cada vez.

É preciso ir a todas as festas para que são convidados? - não.

É preciso stressar por não se aceitar ir a uma festa? - não.

Há que lidar com esta altura do ano, como vos sabe melhor. Nunca é porque a maioria parece fazer isto ou aquilo que todos temos que sentir que é necessário fazer o mesmo. Simplesmente aproveitem aquilo que, desta época vos sabe bem, e o que não souber bem, ignorem. 

O que quer que decidam fazer durante os próximos dias e como quer que prefiram lidar com o mês de Dezembro, tomem as decisões que vos fazem mais felizes. Feliz mês de Dezembro para todos!

O assassino misterioso

Ou como lhe chamamos em Inglês - 'Murder Mistery' - foi um dos jogos que fiz com alguns amigos durante a nossa escapadela no campo este fim-de-semana que passou. Gostámos tanto que achei por bem deixar aqui a experiência, visto que geralmente nesta altura do ano há sempre imenso pessoal a fazer jantaradas e um jogo como este pode ser uma boa adição. 

Para quem não conhece, este é um tipo de jogo ideal para animar os jantares de adultos ou de adultos com crianças. O conceito da história é simples - um certo número de pessoas encontra-se na mesma casa para um evento, e de repente um detective é chamado ao local porque uma pessoa é encontrada morta. O detective é a pessoa que orienta as partes do jogo, todas as restantes pessoas são suspeitas de serem o assassino e cada qual vai relevando diferentes pistas da sua relação com a pessoa assassinada que os podem incriminar ao longo do jogo. No final cada qual diz quem acha ser o assassino mas será o detective a revelar o culpado. 

Passado a primeira ronda já todos percebiam como o jogo funcionava e tornou-se hilariante, principalmente quando o pessoal se dedicou aos sotaques e a encarar bem a personalidade dos seus personagens. Fomos também para a temática de uma festa durante os anos 20, por isso todos estávamos vestidos apropriadamente. 

Fiz o download do jogo no site do Red Herring Games, mas existem imensos sites que oferecem esse tipo de jogos. E depois há imensos temas à escolha também. Fica a ideia para as vossas festas de Natal, Ano Novo e afins.

OEs6uGUPSaCLvmhFNndMAA.jpg

 

A despedida de solteira!!

É oficial - eu tenho as melhores Damas-de-Honor do mundo! 

 

O fim-de-semana que prepararam foi incrivelmente bem organizado e pensado ao pormenor. Como tinha indicado no último post, eu ainda não fazia ideia do que me esperava o fim-de-semana. Eu sabia que íamos passar o fim-de-semana fora, mas era mesmo só isso. 

 

A surpresa começou logo quando uma das Damas-de-Honor (passo a referir-me a elas como Damas para ser mais curto) me veio buscar a casa com um grande balão amarelo que eu tinha que preservar durante todo o fim-de-semana. Apanhámos o comboio na estação de Paddington onde algumas outras amigas também já lá estavam. 

 

Durante a viagem elas deram-me 3 presentes que serviam como pista para o que estava a acontecer. O primeiro foi um desinfetante para as mãos. Fiquei um bocado confusa com esse presente. O segundo presente foi um 'shewee' que são os instrumentos para as mulheres poderem urinar de pé. E o terceiro foi um rolo de papel higiénico. E com esses presentes cheguei à conclusão - vamos para um festival! Elas sabem que eu gosto de festivais mas não estava mesmo nada à espera de ir para um festival nesse fim-de-semana. Mas entretanto ao chegarmos à estação achei muito estranho não haver ali mais ninguém com ar de quem ía para um festival por isso comecei a suspeitar novamente. Eventualmente chegámos a uma quinta. Uma das Damas levou-me pela casa separadamente, e no momento em que passei para o jardim, estava lá todo o ambiente de um festival preparado para mim e estavam lá as minhas outras amigas também - chamaram-lhe o Ana Fest! 

 

1c0b7a61-e886-49c0-8a96-502c1a9ee097.jpg

 

E o que estava no Ana Fest - havia uma tenda chamada 'Palácio de Sintra' onde estavam a fazer pinturas de cara e trancinhas; havia uma zona de jogos 'patrocinado' pela Rapha porque o Inglês é ciclista e adora essa marca; havia a zona das Bridesmaids Kitchen intitulada de Street Feast que estava ao controlo de uma das Damas que é uma cozinheira daquelas de mão cheia; havia a zona da 'Auntie Filipa's Tea House' onde tomámos chá e comemos Pastéis de Nata à hora do lanche; havia uma zona de coktails, o meu quarto tinha o nome de 'glamping'; havia a zona da lareira para cantarmos canções ao final da noite; e uma das Damas que tem um set de DJ foi a nossa DJ da noite. Foi tão, tão giro, nem sem bem explicar o quanto gostei de tudo. 

 

IMG_0093.JPG

 

Quanto à parte dos jogos fizemos vários que nos entreteram durante um bom bocado - as Damas dividiram-nos em dois grupos, cada grupo fazia os jogos e no final as Damas votaram no grupo vencedor. Um dos jogos envolvia tirarmos uma série de fotos, como se tivessemos a criar fotos para promover o #Anafest no Instagram Stories; outro jogo envolvia encontrar-mos bonecos escondidos nos arbustos; outro envolvia fazermos um vídeo com uma música apropriada para casamento em que dançassemos swing dancing e breakdance; outro era escrever o nome do festival Ana Fest no chão com o que tivessem disponível; outro ainda em que o grupo tinha que criar um vestido de noiva para um elemento de cada grupo e correr de volta para a casa o mais rapidamente possível. Muito divertidos, principalmente o das fotos para o Instagram e o do vídeo que foram de chorar a rir.

16726830-ef65-477b-b69b-0cd51bd80637.jpg

 

Ao voltarmos para casa, foi a hora do chá onde tinha lá uma série de presentes ou objectos que representavam alguma lembrança que cada uma das minhas amigas tinha de mim e eu tinha que adivinhar quem tinha dado cada presente baseada no presente dado. Acho que consegui identificar a maioria, mas alguns presentes poderiam ter sido oferecidos por mais que uma delas por isso alguns casos foram complicados. 

 

cdf55a14-a689-456a-828c-3c03d054022a.jpg

 

Depois seguiu a hora dos cocktails de prosecco que estavam deliciosos, seguidos de jantar que foram Tacos e seguiu-se o jogo do Mr. & Ms. que envolveu três partes - primeiro fizeram-me perguntas que já tinham feito ao noivo sobre ele, depois fizeram outras questões sobre mim e ele em que eu tinha que responder da forma que eu achava que ele iria responder e não a minha opinião. Depois mostraram um vídeo que filmaram com ele a dar as respostas que estava hilariante. Finalmente fizeram-me responder a questões também sobre ele em que tinha escolha dupla e tinha que responder imediatamente. Acho que acertei cerca de 65-70% por isso não está mau. 

 

IMG_0214.JPG

 

O final da noite terminou com dança e como as Damas pensaram em tudo, tinham também tinta florescente para a cara. 

 

IMG_0243.JPG

 

Foi simplesmente um dia muito, muito giro e nem sei bem como agradever às Damas por todo o trabalho e esforço que tiveram para criar este dia e noite tão bons para mim e para todas as minhas amigas que vieram à despedida. Mas para quem também venha a organizar uma despedida de solteira, posso dizer que aconselho altamente as ideias e jogos que descrevi aqui. 

 

a2c08a6c-0625-42f9-bc64-619aa83c61b2.jpg

Despedida de Solteira em Bath

Não, não é a minha, que não tenho quaisquer planos de casamento. Mas estamos em época de casamentos, e como tal, as despedidas de solteiras também não falham. Só neste fim-de-semana, conheço 3 outras raparigas que também foram a outras despedidas de solteiras. O meu Instagram não parou com imagens das mesmas. Aquela a que fui, decorreu em Bath. Bath é uma das cidades mais populares para festas de despedida por causa dos muitos locais de Banhos/Spa abertos à comunidade desde os finais do século XIX. No entanto, nós só para contrariar, não fomos ao Spa. Devo dizer que eu própria fiquei surpreendida, visto pensar que essa fosse a principal razão por irmos passar o fim-de-semana por lá, mas as damas de honor decidiram-se por outra opção que também foi agradável e divertido de qualquer forma. 

steph-hen (7).JPG

Ao chegarmos à casa no sábado de manhã, já estava tudo preparado em termos de decoração  - pensem em tudo aquilo que constitui uma típica festa de solteira, desde pilinhas insufláveis a outros acessórios de teor semelhante.  Tínhamos também um bom pequeno-almoço à nossa espera e até um 'goody bag'. Depois da inicial animação da chegada e de nos termos apresentado a quem ainda não conhecíamos, lá seguimos para a cidade, para começar a tarde numa classe de cocktails. Aprendi umas coisas úteis, até porque recebi recentemente um kit para fazer cocktails, por isso esta aula veio mesmo dar jeito. 

 

A segunda parte da tarde foi passada na 'praia de Bath'. Está entre aspas porque Bath não fica ao pé do mar, portanto o conceito de praia é um bocado relativo. Basicamente, é o primeiro ano em que o concelho da localidade aceitou transformar uma pequena parte do parque da cidade em zona de areia, com cabanas de praia, decoração tiki, e zona de jogos tipo mini-golf, voleybol de praia e ping pong. Ficámos por lá entretidas durante umas horas, até perto da hora de jantar. 

 

O jantar foi em casa, onde tínhamos um chef (por sinal o mesmo chef que vai cozinhar para o casamento) que cozinhou o nosso jantar. Eu nem fazia ideia que este é um grande negócio, mas aparentemente, ele faz a maior parte do seu dinheiro através deste tipo de festas privadas de despedidas de solteiras e semelhantes). Devo dizer que o jantar estava absolutamente delicioso. Fica o exemplo da entrada e sobremesa nas fotos em baixo. 

 

Depois o resto da noite foi passada em casa, a fazer jogos, seguidos de uma noite de Silent Disco. Estava um pouco incerta sobre a idea da Silent Disco, porque geralmente a vantagem de uma Silent Disco, é que as pessoas podem escolher a playlist que ouvem, e dançam de uma forma completamente diferente umas das outras. Neste caso, apenas havia a opção para ouvir de uma playlist, mas devo dizer que foi suficiente. Uma vez que tínhamos a música junto dos ouvidos, não dá para conversar. Assim sendo, só nos resta dançar, e foi o que fizemos o resto da noite. Inclusive, como estava uma noite tão quente e visto a Silent Disco não fazer barulho nenhum para quem não tenha os auscultadores, fomos para a rua dançar. Quem passava pela rua ficava a olhar para nós com ar suspeito. Acho que a maioria percebia que estávamos numa Silent Disco. Uma rapariga até se quis juntar ao grupo e ficou a dançar connosco ali no meio daquela rua em Bath pelas 2h da manhã.

 

Foi muito giro. Agora estou é curiosa pelo casamento porque vai ser a primeira vez que vou a um casamento com tradições Judaicas.  

 

steph-hen (6).JPG

steph-hen (4).JPG

steph-hen (3).JPG

steph-hen (2).JPG

O que fazer em Londres em Maio 2018

O que fazer em Londres 2018.png

 

O mês de Maio começa com um fim-de-semana prolongado destinado a ser solarengo, e o ambiente por cá está no auge. Sem dúvida há muitas formas disponíveis para aproveitar este, o fim-de-semana prolongado ao final do mês, e o resto do mês pelo meio também. Ora aqui fica:

 

Cinco de Mayo Pop Brixton - O que é? O Pop Brixton, celebra o dia de festividade Mexicano, Cinco de Mayo, com uma festa apropriada que vai contar com Mariachis, dança tradicional e DJs mexicanos. Quando? 5 de Maio. Quanto? Gratuito Onde? Pop Brixton, Brixton

 

Queen's Yard Summer Party O que é? Os estabelecimentos de Hackney Wick - bares, cafés e cervejarias, vão abrir as portas a um festival de música, comida e dança, a partir da tarde para se aproveitar o sol junto ao canal, até à manhã de Domingo. Quando? 5 de Maio. Quanto? £20. Onde? Hackney Wick.

 

Festival de Cinema de New Cross & Deptford  O que é? Festival gratuito de cinema que conta com a apresentação de vários filmes em locais diferentes. Quando?  Até 6 de Maio. Quanto? Gratuito. Onde? Vários locais

 

Canalway Cavalcade O que é? Procissão de barcos do canal, que também conta com animação ao longo do canal incluíndo bandas e comes e bebes. Quando? 5 a 7 de Maio. Quanto? Gratuito.  Onde? Little Venice.

 

The Magic Terrace Party O que é? Se querem aproveitar o sol de domingo em festa, a magic Roundabout conta com música a partir das 14h, barbeque e animação ao ar-livre mesmo no centro da rotunda de Old Street até às 23h (não se preocupem, que uma vez lá dentro, nem se apercebem que há carros a andar ali à volta de vocês. Quem costuma acompanhar as Stories do Instagram do Tuga em Londres, terá visto que estive lá no dia de abertura deste verão e posso confirmar que o ambiente é bom. Quando? 5 de Maio. Quanto? £7

 

Windmill Beer and Bread Festival. O que é? O moinho de Brixton vai celebrar um festival de pão e cerveja que conta com a presença de várias bandas. Será um bom evento para toda a família. Quando? 7 de Maio. Quanto? Gratuito.  Onde? Brixton

 

Carnaby Style Weekender O que é?  4 dias que contam com descontos e eventos especiais nas 50 lojas participantes de Csrnaby Street.  Quando? De 10 a 13 de Maio. Quanto?  Gratuito. Onde?  Canaby Street, Soho

 

Celebrações do Royal Wedding O que é? O princípe Harry está prestes a casar com a actriz Americana Megan Markle. A maior parte de nós não fomos convidados para o casamento, mas os pubs vão ser permitidos de servir bebidas até à 1h da manhã, 2 horas mais tarde do que é habitual, em celebração. Igualmente, existem inúmeros locais que, ou vão transmitir o casamento, ou o vão celebrar de alguma forma. O Londonist criou uma lista bastante exaustiva de opções, que indico no título. Quando? 19 de Maio. 

 

Up close with Marilyn O que é? Exposição de fotografia da vida de Marilyn. Quando? De 11 a 24 de Maio. Quanto? Gratuito

 

This is Gala O que é? Festa durante todo o dia no último fim-de-semana prolongado do mês. A decorrer na zona de Peckham Rye. Quando? 27 de Maio. Quanto? £40

Participar na festa do Great Gatsby

Para quem segue o Instagram do @TugaemLondres, terá reparado no Instagram Stories que esta semana que passou, vesti-me a rigor à anos 20, e fui para a festa do Great Gatsby. É uma festa de teatro imersivo que já está em Londres há vários meses e, juntamente com outras amigas, achámos que seria um bom presente para o aniversário recente de uma amiga. 

 

A peça está planeada decorrer até ao fim de Jullho e, descobri que, para além dos shows normais, também organizam festas especiais, dedicadas só a empresas ou festas de solteiros, etc. 

great-gatsby-drinks.JPG

Já fui a algumas peças de teatro imersivo e gosto bastante. Quanto mais iteração tiver, melhor. Já antes falei aqui sobre teatro imersivo, e o último a que tinha ido fazia parte da Chamber of Flavours, o Juniper Manor (combinava teatro com provas de gin), e antes disso tinha ido a outro evento do Chamber of Flavours mais focado em comida. Também fui ao Alice Underground que leva os espectadores pelo mundo da Alice no País das Maravilhas; fui ver Absent, onde o objectivo era descobrir a vida misteriosa de uma mulher num hotel enquanto percorriamos vários quartos na cave do Shoreditch Town Hall; o You Me Bum Bum Train onde participei como figurante, em vez de espectadora; o Heartbreak Hotel que continua a ser uma das minhas experiências de teatro imersivo favoritas; o Drowned Man de Punch Drunk, também uma das minhas favoritas; e a minha primeira experiência de teatro imersivo foi organizado pela colectiva do Shunt, na sua primeira produção depois do 'Shunt Lounge' que se localizava debaixo da estação de London Bridge, ter encerrado. Já não me lembro do nome da peça, mas sei que se localizava num armazém em Bermondsey e sei que, talvez por ter sido a minha primeira experiência de teatro imersivo, foi também a que considero a melhor. 

 

Portanto, talvez por ter ido a várias destas peças, sou muito crítica da qualidade e experiência de cada uma. Gostei de no Great Gatsby de que a maioria do público se vestiu apropriadamente à época. Também gostei de ter algumas experiências que senti serem semi-privadas, mas mesmo assim, não cheguei a entrar em todas as zonas, e isso deve-se porque é necessário que os espectadores estejam localizados em pé junto aos cantos da sala principal, para terem a oportunidade de ser chamados para os diferentes quartos. Fica a dica de que, se lá decidirem ir, se localizem estrategicamente nos diferentes cantos da sala em cada novo acto. 

 

Sem pensar bem nisso, já tenho, entretanto marcada a minha ida a uma próxima peça de teatro imersivo. Desta vez vai ser uma que vai contar com tecnologia, principalmente realidade virtual e inteligência artificial. Basicamente isso, e o facto da peça se chamar SOMNAI, é tudo o que sei até já. Depois digo se vale a pena.

Celebrações de Ano Novo

Todos os anos penso que gostaria de ir ver a marcha de Ano Novo de Londres, e todos os anos não me consigo levantar a tempo/ estou de ressaca e não quero sair de casa/ mal consigo mexer as pernas fora do sofá/ [insere aqui outra opção relacionada com a noitada da noite anterior] - este ano não foi excepção  

 

Mas a sério, colocam a parada a começar ao meio-dia em Green Park. Para a maioria das pessoas que mora em Londres, demora pelo menos meia-hora para chegar a Green Park do local de residência. Convém chegar lá com alguma antecedência para encontrar um bom lugar, portanto é necessário estar lá o mais tardar pelas 11:30h, o que significa que se tem que sair de casa o mais tardar pelas 11:00h. Ou seja, contando com duche, arranjar, limpar a porcaria em que está a casa da 'after ou pre-party' da noite anterior, e tomar o pequeno-almoço, é necessário acordar o mais tardar às 9h para conseguir sair de casa a tempo. Contando que a festa da noite anterior só começa à séria após a meia-noite e nunca termina antes das 3h da matina, quem é que vai conseguir acordar às 9h da manhã para ir a tempo de ver a marcha de Ano Novo de Londres? 

 

De acordo com os jornais vão cerca de 500,000 espectadores. Não faço ideia de como é que conseguem, mas lá há-de haver uma mistura entre o pessoal 'hard core' que gosta mesmo de ver uma marcha, e os familiares das 8,000 pessoas que fazem parte da marcha  

 

Isto tudo só para justificar que não, ainda não foi desta que consegui vir aqui escrever sobre a marcha. Acho que ainda vai demorar alguns anos até eu ser capaz de lá ir, se isso eventualmente chegar a acontecer. 

 

Este ano passei o Ano Novo pela primeira vez num pub. A escolha foi o The Prince em Wood Green porque alguns amigos vivem na zona, adoram este pub pela sua selecção de cervejas, e tinham combinado com um grupo passar lá a noite já que fazia uma festa até às 3h. Geralmente, festas em casa são as minhas preferidas, mas é a chatisse de já se estar na casa dos 30 em que a maioria das pessoas tem a sua própria casa e não querem que o pessoal parta tudo numa festa. Assim, levamos a festa para fora, que é sempre melhor partir copos num pub do que em casa.

 

Efectivamente não tinha grandes expectativas de uma passagem de Ano Novo num pub, e ao princípio duvidei, quando lá cheguei e vi que não haviam muitas pessoas no pub, mas ao aproximar da meia-noite, as pessoas vieram, o ambiente era de festa, os vários grupos de pessoas que lá estavam interagiram uns com os outros, dançou-se pela noite a dentro e resultou numa boa forma de entrar no Ano Novo. 

 

Entretanto esta manhã aproveitei para fazer o mesmo que se está a ver na maioria do Instagram hoje - a puxar as minhas #2017bestnine que representam as fotos que tiveram mais gostos do instagram do @tugaemlondres. Abri a conta de Instagram em Maio deste ano e ainda estou a encontrar o melhor tom fotográfico para a conta, mas aqui ficam as fotos mais gostadas do ano:

 

 

Aproveito para desejar um ano de 2018 fantástico para todos os leitores do Tuga em Londres.  

Os primeiros feriados do ano

Estes últimos fins-de-semana têm sido bem ocupados por isso fico mais que contente por ter reservado o dia do feríado de hoje apenas para mim. Ao fim de contas, é tudo muito bom ter planos, e fazer coisas interessantes com os nossos fins-de.semana, mas eu já não paro no trabalho (na semana passado o mais cedo que consegui acabar o trabalho foi às 21h), por isso ter sempre planos atrás de planos, por melhor que soem, simplesmente não me deixam descansar. 

 

Com o feríado prolongado da Páscoa que decorreu à duas semanas atrás fui visitar Copenhaga. Esteve frio e chuva durante uma parte do fim-de-semana, mas deu para conhecer as partes principais da cidade durante os 3.5 dias em que lá estive. Depois no fim-de-semana passado fui a Madrid para a festa de despedida de solteira de uma amiga. Ficámos lá também 3.5 dias. Muito divertido, mas ao chegar a casa por volta das 22h da noite de domingo e ter uma semana com tanto a fazer no trabalho, como tive, não ajudou. 

 

Agora com este fim-de-semana prolongado queria mesmo ficar por Londres. Tinha algumas coisas combinadas, mas certifiquei-me que ao menos hoje, no último dia deste fim-de-semana prolongado, eu não marcava nada com mais ninguém para além de comigo própria. Mas estou satisfeita como este fim-de-semana tem decorrido - relaxado e com alguma diversão pelo meio - a fórmula necessária para voltar ao trabalho amanhã com mais energia. 

 

No sábado tinha planeado ir visitar a nova casa que um casal amigo comprou recentemente no campo. A casa é muito bonita, com imenso potencial (vão ter que renovar a casa por dentro), e tem um espaço exterior enorme com um grande jardim, horta, e zona florestal. É mesmo muito grande, mas enquanto estava sentada naquela sala a falar com eles sobre como as suas vidas tinham mudado, não me conseguia imaginar morar em local semelhante. Não há um café ou restaurante perto da casa e têm que conduzir para chegar à aldeia e pub mais próximos. Para chegar à casa deles vindos da estação, tivemos que passar por uma zona de mato semi-serrado. Perguntei como fazem para vir para casa à noite. Disseram que têm sempre uma lanterna na mala.

Eles viviam no centro de Londres em Islington e, de repente estão no meio do campo, semi-isolados, com o seu jardim e cuidar da filha como as principais actividades que os mantêm ocupados. Lá está, são opções de vida que muitos casais Londrinos tendem a tomar quando começam a ter família. Por mais agradável que possa ser estar a viver no meio de árvores, sentir o ar puro, e ter imenso espaço, mesmo assim, não me sinto interessada em qualquer dia viver no campo. Nunca se sabe se um dia não mudo de ideias, mas para já, imagino que me sentiria totalmente aborrecida na situação em que eles estão. Prefiro ter amigos que vivam no campo e ir visitá-los de vez em quando ou fazer as escapadas de fim-de-semana ocasionais quando sinto necessidade de estar no ambiente calmo e bonito do campo. 

countryhouse.JPG

Sábado no Campo

 

No Domingo uma amiga foi correr a meia-maratona de Hackney por isso andei de bicicleta ao longo do percurso para conseguir dar-lhe apoio durante várias partes do percurso. Quando estava quase a chegar a Hackney Marshes onde terminava a corrida, passei por uma parte do Rio Lee onde ainda nunca tinha estado e fiquei positivamente surpreendida por descobrir uma zona cheia de cafés, restaurantes e bares em frente ao canal que tinham óptimo aspecto e, acabámos por ir almoçar lá com ela depois da maratona. Essa zona faz parte do Queen Elizabeth Park e a morada é Here East, East Bay Lane, Canalside. 

Mais tarde no domingo, o festival de Londres Field Day deu uma festa no Dinerama, o mercado de Street Food em Great Eastern Street/Shoreditch, então passei a noite de sábado por lá com os amigos. 

hackneyhalf.JPG

Achei hilariante este cartaz de apoio a um dos corredores "We love you Paul. Do it for Prosecco!"

east-here-canalside.JPG

East Here, Canalside

dinerama-fieldday-2.JPG

Field Day Party @Dinerama

 

Hoje, bem hoje aqui estou - segunda-feir de feriado relaxada