Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Aquela sensação de nos aproximarmos dos 40

A minha vez ainda não é este ano mas, principalmente durante os últimos dois anos, os meus amigos começaram com as suas grandes festas de aniversário para celebrar a entrada na sua nova década de vida, e quantos mais aniversários celebro mais me faz lembrar que a minha vez se aproxima também!  

 

40! Ou 'the big Four Oh'! 

 

What!? Como?! 'As pessoas velhas é que têm 40 anos' sempre pensei eu. E eu não sou velha, portanto como é que eu estou a preparar-me para entrar nessa década. Meia-idade, oquê?! FU*K!!!! 

 

A idade mais nova que eu me lembro da minha mãe ter é 41 porque lembro-me de me terem perguntado na escola primária a idade dela e saber responder. E agora,... daqui a poucos anos estou lá eu (bem espero que esteja, porque é um bom sinal se estiver). 

 

Este conceito de entrar numa nova década das nossas vidas tem imenso peso na sociedade, e porquê? É só um número associado ao tempo que estamos neste mundo, e estar mais tempo é sem dúvida positivo, mas existe aquela noção de que ao atingires certa idade tens que te comportar de uma certa forma, e tens que deixar de fazer certas coisas e começar a fazer outras - "tens que deixar de festas e saídas à noite, ficar mais em casa a tratar do jardim e dos filhos, ter atingido uma boa posição na carreira e sem dúvida tens que ter tudo bem definido sobre o que queres atingir a nível do trabalho, ou simplesmente deixares o trabalho e dedicares-te às crianças porque elas têm prioridade. Deves começar a fazer bolinhos para levar para a festa da escola local e deixares-te de noitadas e festas com os teus amigos solteiros porque eles não te percebem e não têm as responsabilidades que tu tens. Nada como ir deitar cedo para fazer bem à pele porque estás a ficar velho e bem que precisas de cuidar da pele que essas rugas já estão visíveis,..."

 

E se não fizeres tudo como é suposto e aceite pela sociedade és um falhado, estranho, louco, e sabe-se lá mais o quê. E sabem o que digo à sociedade que pensa assim? FU*K O*F!! 

 

Eu tenho todos os planos de continuar a viver de forma semelhante ao que tenho feito durante a década dos 30, não planeio nem quero ter filhos, e definitivamente ainda não tenho alcançado tudo o que queria alcançar a nível profissional e ainda quero experimentar novas coisas que nunca fiz a esse nível. Sinceramente, em termos de um local que aceite bem pessoas que não se querem deixar cair na norma da sociedade, esse local é Londres, por isso não podia estar num melhor local para entrar na nova década. 

 

Mas então, se vivo num local que não segue necessariamente as regras da sociedade e que aceita bem as diferenças, e se não quero saber do que as outras pessoas pensam sobre o que eu faço ou deixo de fazer com as decisões da minha vida, porque é que estou chocada/ansiosa da aproximação a esta nova década? Não sei. 

 

Adorava ter a razão bem identificada, mas não tenho essa resposta. Sem dúvida não está relacionado com opiniões ou expectativas do que deveria ter atingido ou deixado de atingir. Todos nós entramos nessa década mais cedo ou mais tarde, faz parte da vida e quero vivê-la ao máximo e passar por todas as fases que ela pode trazer. Mas quanto mais penso nisso, a única razão que encontro é essa imagem que eu própria tenho do que os 40 representam. Não é a sociedade que tenho que culpar, sou eu! Sempre vi os 40 como uma idade em que se leva as coisas a sério, é definitivamente uma idade adulta, e é essa associação que me faz ficar a pensar na importância da entrada nessa nova década. Mas eu sei que tenho que aceitar e abrir os braços para essa nova fase em vez de rejeitar essa ideia. É algo inevitável portanto será bem melhor se, na altura em que lá chegar, eu já estiver totalmente mentalizada e preparada para receber esta nova década de vida. Por isso também quis escrever este post sobre o assunto. Faz bem colocar as nossas ideas em escrita porque ajuda a ter uma nova perspectiva e organizar a confusão que por vezes temos em mente. Também adorava saber como outros possam ter recebido a entrada nos 40 ou como é a sua percepção para a futura entrada caso também se estejam a aproximar da data. 

 

Entretanto eu vou também querer começar a pensar em como vou celebrar esse aniversário. Para já alguns amigos já fizeram celebrações em grande, desde alugar um cocktail bar só para a festa deles, ou organizar um fim-de-semana fora com amigos. Ainda não sei como vou querer celebrar o meu, mas sei que quero que seja uma festa em grande, ou, melhor ainda, uma sucessão de várias festas 

 

tiff-pool.JPG

Celebrações de uma festa de 40 recente

 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Tuga em Londres 19.06.2022

    Eu escrevi um post sobre o assunto na altura em que também ainda estava indecisa se devia ou não ter filhos. Vê aqui: https://tugaemlondres.blogs.sapo.pt/o-misterio-da-maternidade-300073
    Mas sim, acho que está na altura de escrever abertamente sobre o assunto, porque as pessoas que tomam a decisão de não ter filhos são muitas vezes olhadas de lado como se estivessem a ir contra uma necessidade e dever social, e nunca se ouve falar muito sobre o assunto associado ao estigma da sociedade com essa decisão. Está na lista para um dos próximos posts.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.