Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A frustração de não se conseguir fazer o que se quer

O mês de Abril e Maio é sempre um corropio de fins-de-semana prolongados que sabem tão bem. Mas ao mesmo tempo, tendo-os tão próximos também faz com que haja aquela necessidade de tentar usufruí-los da melhor forma com viagens, passeios, festas, tempo para os hobbies, tempo para os amigos, fazer desporto, aprender coisas novas, ler aquele livro, ir para o parque, ir àquela exibição de arte, etc., etc. Mas a realidade é geralmente crua e dura e nunca parece haver tempo para se fazer todas as coisas que queremos. Eu pelo menos tive essa sensação este fim-de-semana. É o problema quando temos uma grande lista de coisas que queremos fazer, e quando de repente se chega a meio do dia e ainda não conseguimos fazer metade daquilo que queríamos, começa o sentimento de culpa. 

 

O resto do fim-de-semana passei ou com amigos ou a descansar, por isso tinha deixado o dia de hoje para ser o meu dia eficiente. O plano era o seguinte - ir correr para o parque, fazer algumas limpezas em casa, ir às compras de roupa para o trabalho, na volta fazer compras de supermercado, passar por casa para deixar as compras, pegar no meu portátil, ir à exibição 'Is this Tomorrow' na Whitechapel Gallery e depois encontrar um café agradável na zona e ir para lá escrever um post para o blog e tratar de alguma organização para o casamento. E o que aconteceu - fui fazendo as coisas mas ao chegar à parte de voltar a casa das compras já eram quase 17h e estava estafada, por isso não havia forma de ainda ir a uma exibição e os cafés estavam a fechar.

 

fullsizeoutput_329a.jpeg

 

Eu até que me levantei cedo e estava no Coals Drop Yard por volta das 11h. Como as lojas dessa zona são poucas, pensei que pelas 13h estava despachada. Mas não. Sinceramente gosto cada vez menos de ir às compras porque fico com aquela sensação de uma imensa perda de tempo quando demoro muito a encontrar o que pretendo, o que é a maioria das vezes. Mas tinha que ser feito, e não tinha mais dias em que podia ir às compras para o que queria. Voltei a casa um bocado frustrada com a minha incapacidade de não ter conseguido fazer tudo o que queria. Mas depois coloquei por escrito todas as minhas actividades do dia, e sinceramente isso fez-me sentir melhor. OK, posso não ter conseguido que o dia se tornasse naquilo que tinha em mente, mas até que consegui completar várias coisas. E afinal, talvez eu tivesse sido demasiado ambiciosa no número de coisas que queria fazer. Foi por isso mesmo que até decidi escrever este post sobre o assunto.

 

Eu, e concerteza muitas pessoas, por vezes podem sentir que não estão a utilizar o seu tempo da melhor forma, mas por vezes podemos estar a ser demasiado duros connosco próprios. Parar um pouco para pensar no que efectivamente conseguimos fazer, ajuda a colocar as coisas em perspectiva, e é OK se não conseguimos fazer tudo o que queremos num mesmo dia. Também é OK os dias em que não nos apetece fazer nada e passamos a tarde em frente à TV. Há que manter um bom balanço e há que respeitar o nosso próprio tempo e a nossa capacidade para fazermos as coisas que queremos. Senão, simplesmente andamos constantemente cansados e chateados por não alcançarmos tudo o que queremos, quer isso seja uma lista de pequenas coisas a fazer num fim-de-semana, a fazer no trabalho ou na vida de forma geral. 

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 18.05.2019 13:10

    Acho que esse é mais aquele sinal de que te sabe melhor estar calmo a descansar. Descanso sabe muito bem também :-)
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.