Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Cantor Português a actuar no Jazz Cafe

Vocês conhecem o Moycano? Para ser sincera, nunca tinha ouvido falar antes, mas chamou-me à atenção quando vi que este, aparentemente conhecido cantor Português, vai actuar no Jazz Café em Camden este sábado, dia 5 de Março para o lançamento do seu albúm "Dawn". O Jazz Café é muito conhecido e geralmente só boas bandas/cantores lá vão actuar. Daí fiquei curiosa em pesquisar um pouco sobre o Moycano. Sem dúvida gostei do tipo e ritmo da música. Ainda tenho as minhas dúvidas quanto à voz, mas também só estou a basear a minha opinião em 2 vídeos dele do youtube por isso não posso ainda bem julgar. 

 

Achei piada foi à frase que associou a tudo o que é comunicação sobre ele "The Portuguese Pop star is taking over the world". Ligeiramente exagerado...

 

Aqui está o seu vídeo promocional:

 

 

Os bilhetes estão à venda por £17.50 no site do Jazz Café

 

Entretanto já estou em dívida com o post sobre o que fazer em londres em Março mas como esse post demora sempre mais que 1 hora a escrever e agora tenho que me dedicar à procura de casa, vou ter que adiar para escrevê-lo no fim-de-semana quando tenho mais tempo disponível. Desculpas ao atraso para aqueles que já me tinham pedido.

The Walkmen

Ontem foi noite de concerto. Mais precisamente fui ver os The Walkmen no Sheperd's Bush Empire.

Para quem não conhece os The Walkmen são uma banda Norte Americana de música Indie Rock que no ano passado lançaram um albm intitulado Lisbon, onde está incluída uma música com o mesmo nome.

Segundo os The Walkmen, decidiram dar o nome da capital Portuguesa ao seu álbum exactamente porque quando estiveram em Lisboa não só adoraram a cidade mas também no seu concerto, o público foi tão caloroso e puxou tanto por eles, que dizem que aquele foi, efectivamente, o melhor concerto que alguma vez deram.

Talvez o público que estava ontem no Shepderd's Bush ontem não tenha sido tão caloroso quanto o Português mas sem dúvida que deram um grande concerto que valeu mesmo muito a pena.

 

Fica a música Lisbon, cantada ao vivo quando estiveram no Coliseu de Lisboa:

 

Glastonbury 2010

O festival de música de Glastonbury foi liberante e excepcional!

 

A não esquecer (sem nenhuma ordem de importância):

  • Gorillaz
  • Pista com DJ ao ar-livre durante todo o dia (uma em particular)
  • As pequenas salas e áreas escondidas de Shangri La
  • Arena Drum&Bass da Arcadia com a estrutura cospe-fogo
  • Descobrir a "Toca do Coelho"
  • Dizzee Rascal
  • Muse
  • Hulla hoops, fitas e diablos
  • A "magia" do Stone Circle
  • A manhã no topo do "Park"
  • Stevie Wonder
  • A discoteca silenciosa
  • As conversas aleatórias com pessoas aleatórias
  • O amanhecer à volta da fogueira
  • O pôr do sol visto do "The Other" stage
  • As conversas com os Ingleses que apoiavam Portugal e com alguns dos poucos Tugas que encontrei ao ver o jogo Portugal-Brasil
  • Shakira
  • A banda hippie com tons de beat box na pequena tenda de Croissant Neuf
  • Snoop Dog
  • O vibrar da multidão
  • As idas à casa de banho (digamos que esta lembrança não será tanto pela positiva)
  • ...

 

 

A relaxar em Croissant Neuf

 

Pôr do sol no

 

Dizzee Rascal no palco

 

Só se avista o festival no horizonte

 

Pyramid Stage

Contagem decrescente - 5 dias para Glastonbury!!!

Já está quase. Nem acredito! Glastonbury está quase aí!! Entre os artistas que não vou querer perder vão estar Gorillaz, Dizzee Rascal, Snoop Dog, Shakira, Norah Jones, La Roux, Kate Nash, Groove Armada, Ash, Fatboy Slim, os Drunken Balordi (banda de amigos ainda pouco conhecidos e que acabaram de ser convidados para lá actuar no domingo do festival) entre muitooos outros. Aqui está o line-up completo.

 

Agora vou é já aproveitar que começaram os saldos e também o facto de não ter muito mais tempo e vou comprar as minhas galochas (sim, porque ninguém consegue ir para o Glastonbury sem as famosas wellies. Como o festival fica num vale, está sempre enlameado).

 

Estou tãaao entusiasmada1 Mal posso esperar!

Rage Against the Machine vs vencedor do X Factor

Antes de vir para Lisboa de férias, no Reino Unido andava uma grande campanha para que a música a chegar ao topo dos charts como a música número 1 de Natal este ano não fosse a já habitual música cantada pelo vencedor do programa X Factor (versão Inglesa do programa Ídolos em Portugal), mas sim uma música que representasse o oposto às músicas Pop comerciais - Rage Against the Machine com "Killing in the name".

 

A campanha foi lançada por um fã de música Rock, Jon Morter de 35 anos, especialista em logística por profissão e DJ de Rock em part-time que, em meados do mês de Novembro iniciou um grupo no Facebook intitulada "Rage Against the Machine for Christmas no.1". A notícia espalhou-se e em poucos dias o número de seguidores do grupo no Facebook e no Twitter ultrapassou um milhão, a notícia espalhou-se pela imprensa e restante comunicação social e até os próprios Rage Against the Machine ficaram surpreendidos quando foram informados que a tal campanha estava a decorrer no Reino Unido para que a sua música datada já de 1992 competisse com a cover da Miley Cyrus, "The Climb" cantada pelo vencedor do X Factor de 2009 Joe McElderry.

 

Os RATM, ao saberem da tal inesperada campanha até afirmaram que se ganhassem a campanha dariam todos os lucros da venda da música enquanto estivesse no número 1 a uma instituição de caridade e proposeram ao Simon Cowell, que é o responsável pelo programa X Factor e agente do vencedor do concurso, que fizesse a mesma oferta caso o Joe McElderry chegasse ao número 1. Que eu saiba, o Simon Cowell não respondeu a essa proposta.

 

A lista dos singles a chegar aos charts é baseada não só nas vendas dos singles mas também no de downloads das músicas, e a lista que chegou ao topo este Natal foi lançada no dia 20 de Dezembro, com os Rage Against the Machine efectivamente a alcançarem o número 1 do Reino Unido e com Joe McElderry no número 2. Incrivel o que se pode conseguir através da Internet hoje em dia.

Aqui fica a lista do top 10 do Natal de 2009 no Reino Unido:

 

1 - Rage Against the Machine: Killing in the Name

2 - Joe Mcelderry: The Climb

3 - Lady Gaga: Bad Romance

4 - Peter Kay's Animated All Star: The Official BBC Children in Need Medley

5 - 3oh!3 Ft. Katy Perry: Starstrukk

6 - Robbie Williams: You Know Me

7 - Cheryl Cole: 3 Words

8 - Rihanna: Russian Roulette

9 - Journey: Don't Stop Believin'

10 - Black Eyed Peas: Meet me Halfway

 

E para finalizar, como não podia deixar de ser, aqui fica um dos vídeos criados para esta campanha com a grande música, e inesperada vencedora do Top 10 de Natal 2009 do Reino Unido, "Killing in the Name" dos Rage Against the Machine:

 

 

Preciso doutro fim-de-semana prolongado para recuperar deste

Ora e com o dia de hoje acabam os 4 dias de mini-férias da Páscoa que souberam tão bem, fora da rotina habitual. Como tinha dito no post anterior tive visitas cá neste fim-de-semana - um amigo dos meus tempos do secundário, que era o meu colega de carteira das aulas de Inglês, com o qual trocava papelinhos quando não apetecia ter atenção na aula e com quem estava sempre em competição pelas melhores notas a Inglês, mas com quem sempre me dei muito bem, e um ex-colega de faculdade dele que ainda só conhecia de vista.

Era suposto terem chegado à estação de metro mais próxima de minha casa por volta das 22h, e eu estava num pub com amigos à espera que chegassem, mas afinal tiveram voo atrasado e acabei por ir para casa antes que eles chegassem, mas mal estava a agarrar nas chaves para abrir a porta de casa, mandaram-me mensagem a dizer que já estavam a chegar. Ora bolas, lá tive que voltar logo a correr para a estação para os ir buscar. Chegaram cheios de fome, e logo depararam com a dura verdade que dificilmente encontram algum sítio a servir comida às 23:30h onde se possam sentar, a não ser o McDonald's, claro, que acabou mesmo por ter que ser o local escolhido para terem a sua primeira refeição em Londres.

 

 

Na sexta-feira leveio-os fazer o passeio típico do centro de Londres para que vissem todos os monumentos essenciais em qualquer visita a Londres que foi, portanto, um passeio idêntico ao do dia 2 que já descrevi aqui quando tive cá amigas de visita. As únicas diferenças entre o passeio delas e o deles é que desta vez paramos para almoçar mais cedo em St. Christopher's Place que é uma ruela onde existe uma grande variedade de restaurantes, pubs e cafés quase oposta à entrada da estação de metro de Bond Street, que se entra a partir de uma rua mínima mesmo ao lado esquerdo da loja da H&M. Sem dúvida um bom local onde outros visitantes de Londres podem ir almoçar ou jantar. Uma outra diferença no passeio deles é que em vez de visitarmos a National Gallery fomos antes para o British Museum, mas infelizmente não tivemos oportunidade para ver mais que umas 3-4 salas visto que fecharam as portas às 17:30h. Saídos do British Museum continuamos a caminhar na direcção do Soho onde eles ficaram a ter uma ideia geral sobre o ambiente mais artista, gay e alternativo tão característico do Soho e onde, inclusívie descobrimos uma loja que achei um espectáculo e na qual ainda nunca tinha estado - Vintage Magazine Shop. Muito boa a loja e fiquei com imensa pena de não a ter descoberto antes já que me teria feito imenso jeito quando andava à procura de posters para a sala. Com o Soho visitado apanhamos então o metro na direcção de Old Street onde fomos jantar ao Hoxton Bar & Kitchen de que gosto bastante e seguimos depois para o Cargo. O Cargo não só é um óptimo bar com uma grande zona exterior, zona de sofás no interior, zona onde servem comida e zona de pista de dança, mas também é um dos locais mais conhecidos para se irem ver bandas ao vivo a tocar. Nessa noite estava lá um artista de beat boxing muito bom que actuou em conjunção com outros artistas que usaram também vídeo num ecrã gigante, DJ, houve uma parte da noite que teve Drum&Bass que geralmente não é um estilo de música de que goste muito mas que nessa noite adorei, e havia uma interacção com o público excelente. Estava mesmo ao rubro, e sem dúvida foi uma noite muito boa. Considero o Cargo um local altamente aconselhado para quem procura locais onde sair à noite em Londres que sejam um pouco mais alternativos, fora do género de música mais comercial e com ambiente muito "London".

 

No sábado fizemos o percurso a que também tinha levado as minhas amigas no dia 3, com a diferença que após o nosso passeio em Regents Park seguimos para casa já que estes meninos demoraram-se mais nas compras em Camden Town do que essas minhas amigas, e ao sairmos de Regents Park já eram quase 18h e eu ainda tinha o jantar para preparar para nós e para mais uma amiga nessa noite. Depois do jantar e de nos encontrarmos com mais outros amigos seguimos para o Ministry of Sound. Tenho que ser sincera que, quando eles me tinham enviado um e-mail antes da viagem a dizer que queriam ir ao Ministry of Sound ouvir David Guetta, não fiquei lá muito impressionada com a ideia já que, afinal, o Ministry é uma discoteca "à séria" daquelas com uma dose forte de house music com o nível de décibeis muito acentuado e onde quem lá está ou são adolescentes cheios de energia ou é pessoal pastilhado para conseguir aguentar com o ritmo da coisa. Como não me enquadro em nenhum dos perfis não tinha bem a certeza se ía gostar. Mas nesse mesmo dia em que eles tinham mostrado interesse em ir ao Ministry of Sound recebo uma mensagem de uma amiga a dizer que "temos que ir ao Ministry no sábado porque vai lá estar o David Guetta e vai ser brutal". Foi nesta altura que me dei por convencida. Eu nunca tinha ouvido falar no David Guetta, mas duas pessoas totalmente diferentes a insistirem no assunto não podiam estar erradas. Aparentemente ele é um famoso DJ Francês. Então lá fomos. A música foi melhor do que estava à espera e de forma geral gostei da noite e da experiência. Apesar de house music não ser o que prefiro para ouvir a noite toda, talvez por já estar mentalizada de que esse ía ser o som da noite aguentei-me muito bem, principalmente porque uma vez que estavamos no meio da multidão não havia mesmo grande hipótese de sair dali porque se saísse dificilmente ía voltar a conseguir encontrar os meus amigos, por isso achei melhor ficar onde estava mesmo. E de tal forma fiquei que comecei a dançar por volta da 1:30h e só às 4:30h é que cheguei à conclusão de que os meus pés não aguentavam muito mais e decidi fazer uma pausa.

 

No domigo levei-os então a fazer o passeio ao longo da Southbank começando em Waterloo junto ao London Eye e terminando na Tower Bridge: Após atravessar a ponte dirigimo-nos depois para Convent Garden onde jantamos um típico Sunday Roast num pub e seguimos depois para Camden Town onde fomos assistir a bandas "indie" tocar no Bar Fly que também já aqui tinha mencionado em posts anteriores.

 

Hoje, acordei-os de manhãzinha como queriam para ir fazer o seu passeio no London Eye antes de voltarem para Lisboa, mas deixei-os ir sozinhos desta vez que a minha cama ainda chamava por mim e ir ficar numa fila cheia de turistas para ir passear para o London Eye depois dum fim-de-semana destes não é propriamente a minha ideia de diversão.

 

Como tive que aproveitar o feriado de hoje para fazer tudo aquilo que ainda não tinha oportunidade de fazer durante o fim-de-semana tipo limpezas da casa, idas ao supermercado, etc., acabo por ainda estar esausta e a ideia de ter que acordar amanhã às 6:45h para ir para o trabalho não é a mais apelativa neste momento 

 

Fim-de-semana prolongado terminado, devo dizer que gostei bastante apesar do cansaço. Diverti-me imenso com as minhas visitas por cá e relativamente ao blog recebi também duas boas notícias este fim-de-semana com as quais fiquei contente. É que publicaram um excerto deste meu post recente no jornal Público no dia 8 de Abril e também durante a semana passada o "Tuga em Londres" foi o blog destacado pelo programa de rádio Janela Indiscreta da Antena 1

 

Ter "housemates" não é como se vê na série "Friends" - Parte 2

Qual é a coisa pior do que ter o vosso "housemate" do quarto ao lado com a música em altos berros o dia todo? Que o vosso "housemate" do quarto ao lado tenha a música em altos berros de noite! Arghhh, como é que é possível! Epá sim, claro que gosto de música, e sim, claro que também tenho a música alta de vez em quando, mas nunca durante a noite! Tipo, quero dormir!

Este meu housemate, um Austríaco (não sobre o qual tinha falado no primeiro post com o mesmo nome. este é digamos o Austriaco no.2) até é talvez o mais atencioso deles todos e que está sempre preocupado se não está a incomodar ninguém, sempre muito prestável, enfim, o housemate ideal se não fosse o facto que não gosta muito de andar em limpezas, mas enfim, não se pode ter tudo. Agora se é assim tão atenciosa porque raio é que anda a tocar música a altas horas da noite? Pois não sei. Também fiquei muito espantada a primeira vez que ele fez isso. Acho que nessa noite tinha chegado bêbado. Nessa primeira noite não lhe disse nada, mas disse-lhe a minha "housemate" Irlandesa. Lá ele parou. Umas noites mais tarde voltou a fazer o mesmo, lá ela veiu pedir-lhe para baixar o som outra vez. À terceira e quarta vez que ele o fez já fui lá eu, mas da última vez tipo tive que lá ir umas duas ou três vezes e ele não baixava o som. Então rapaz, que se passa? Depressão? Problemas com o namorado (sim, ele é gay)? Estás a fazer alguma coisa que envolve muito barulho e metes a música alta para disfarçar? Bem não sei, se calhar também é melhor não saber, mas pá não metas a música alta que o resto do pessoal quer dormir. Mas dessa vez lá disse isto em bom alto som (eram para aí 1h da manhã) que ele não só baixou o som como nunca mais se ouviu desde então,...até hoje! Bem, já não me posso queixar sinceramente porque neste momento ele já parou com o som e ainda são só 23h por isso nem tá mau, se bem que agora tá a ver televisão e também isso consigo ouvir alto. Aii que paredes tão finas. Bem, mas ao menos a televisão é bem suportável e vou conseguir adormecer à mesma. Com a música em alto som é que não dava mesmo.

Quanto ao facto dele ser gay, isso lembra-me daquela teoria de que os gays são sempre os melhores, mais giros, vestem-se bem, simpáticos, educados... Check, check, check, check, check, confirmadíssimo! Bem pelo menos no que se refere ao Austríaco no.2, o rapaz é lindo! Olhos azuis, cabelinho muito lourinho, alto, com um corpo muito bem feito (aquilo são muitas horas de ginásio). Representa mesmo aquele tipo de rapaz  que se costuma dizer: "que desperdício". Pior, o único namorado dele que conheci era outro assim mesmo de cair para o lado com olhos verdes e cabelo castanho. Muito giro mesmo. E o Austriaco no. 2 é o rapaz que se veste melhor aqui na casa e veste-se mesmo muito bem. Sabe combinar bem as cores, roupa moderna, de qualidade. Mas por outro lado quem não sabe que ele é gay também não seria capaz de desconfiar.

Ah e entretanto ele também já parou com a televisão.Ok, aquela altura em que andava com música alta às tantas deve ter sido mesmo uma má fase. Mas felizmente já passou.