Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Onde ir fazer as compras de Natal de Londres

Faltam 2 semanas para o natal e lembrei-me de que ainda não tinha comprado quaisquer presentes para a família. Então ontem decidi entreter-me a fazer isso mesmo. A zona escolhida desta vez foi Convent Garden por ter uma grande variedade de lojas e ser uma zona mais agradável para passear do que um centro comercial. Uma amiga tinha-me dito que ía passar também o dia nas compras, mas no Centro Comercial Westfield em Stratford. Não consegui imaginar um pior local onde ir às compras para o Natal. É que, apesar da conveniência da quantidade de lojas em imediata proximidade, o centro fica sempre tão cheio por alturas do Natal que é uma luta só para se conseguir caminhar alguns metros para chegar à outra loja de interesse. Claro que Convent Garden também estava bem cheio de pessoas ás compras e turistas a visitar a zona, mas penso que mesmo assim, sendo ao ar-livre e tendo mais ruas e mais espaço nessas ruas, faz com que a experiência seja mais confortável e não me sinta assim tão claustrfóbica como num local como o Centro Comercial de Westfield. 

xmas-tree.jpg

Convent Garden piazza

convent_garden..JPG

Convent Garden Market

 

Para quem ainda não foi às compras de Natal e ainda não saiba bem onde ir, ficam umas dicas de alguns dos locais que acho que tem melhor potencial para se encontrar bons presentes:

  • Box Park e Spitafields: O Box Park é perfeito para quem quer oferecer roupa, malas e acessórios de um pequeno designer cujas colecções sejam jovens e modernas. E um pouco mais a sul chegam ao Spitafields Market, onde encontram também roupa, acessórios, produtos de pele, mas também acessórios para a casa, casas de ciclismo, casas especialistas em chocolate e várias outras.
  • Oxford Street e Regent Street: à semelhança de Convent Garden, também tem uma grande variedade de lojas, só que esta variedade é ainda maior em termos de marcas e também com a presença de várias lojas de departamento como a John Lewis e o Selfridges.
  • Angel e Upper Street: Muito mais calmo que qualquer uma das 4 zonas acima mencionadas, mas também com uma variedade de lojas mais reduzidas. A zona de Angel conta com uma pequena galeria comercial onde encontram lojas de roupa como a H&M, Gap, Oasis e Joy, também conta com lojas de productos de beleza como a L'Occitane, assim como outras de lingerie e acessórios. Ao longo da Upper Street em direcção à estação de Highbury & Islington, depois de passarem pelos muitos restaurantes, apresentam-se várias outras lojinhas, geralmente com produtos de preço acima da média, mas cujos produtos tendem a ser de qualidade. Ali também encontram mais oferta de roupa, acessórios para a casa, mobílias, lojas vintage, outras de designers modernos. 
  • High Street Kensington e Kings Road: Aqui a variedade de lojas é maior que em Angel, principalmente porque conta com a loja de departamento Harvey Nichols, mas terá menos variedade que Convent Garden. Ainda têm que andar cerca de 20min entre High Street Kensington e Kings Road em Chelsea, mas em ambas as ruas podem encontrar várias lojas exclusivas ou com produtos de luxo, principalmente em Kings Road. 
  • Westfield Shepperds Bush: Há semelhança do centro de Straford, este centro comercial também tem uma enorme variedade de lojas e produtos desde os mais baratos aos mais caros, mas também traz a desvantagem que, nesta altura do ano, vai estar mais que cheio. De qualquer forma por ser uma opção conveniente para quem vive na zona. 

São estas algumas ideias de potenciais locais que considero como boas opções quando se pretende fazer uma série de compras de Natal de uma vez só. Se conhecerem outros bons locais onde se fazer compras de Natal, por favor indiquem nos comentários. 

Open House 2016

Este fim-de-semana fui pela segunda vez visitar algumas casas da 'Open House London', o evento anual que permite a entrada de qualquer pessoa a muitos do esdifícios de Londres que geralmente estão fechados ao público incluíndo casas residenciais. Tal como no ano passado, decidi ficar-me pela visita de edifícios localizados na freguesia de Hackney. No ano passado fui visitar 2 que ficavam junto ao Regents Canal e este ano optei pelos seguintes:

 

  • Hoxton Docks: localizado em Laburnum Street, o edíficio das Hoxton Docks é utilizado como um estúdio de artistas e, este ano, decidiram utilizar o espaço que tinham no terraço para fazer 3 pequenas construções temporárias, desenhadas por empresas de arquitectura que pretendiam experimentar a construção com materiais renováveis. Os três edifícios estão planeados para estar em uso durante o próximo ano apenas para uso de artísticas que queiram explorar o espaço para diferentes instalações.

hoxtondocks.JPG

 

  • Broadway Market Mews: Localizado num entrada perpendicular ao reconhecido Broadway Market, fica este edifício residencial onde, num espaço relativamente pequeno, os arquitectos transformaram num apartamento de dois quartos com arrumação inteligente, tectos altos e muita luz através de várias janelas e clarabóias espalhadas pela casa. Adicionado ao facto de que todo o apartamento está decorado de forma muito moderna e incluíndo um grande terraço, sem dúvida que é um apartamento que deixou muitos com desejo de viver lá. 
  • Makers House: No norte de Victoria Park, há esta conversão de uma casa Victoriana que está a ser construída há alguns anos, contendo 4 quartos e amplos espaços altamente modernos, com alguns detalhes interessantes na construção. O edifício ainda não está totalmente completo, mas já está em fase quase inicial onde só faltam alguns detalhes para a sua conclusão. 

makershouse_bathroom.JPG

 

Uma óptima idea esta da organização que gere a 'Open House'. Sem dúvida muito interessante descobrir estes edifícios e ouvir um pouco sobre a sua história. 

Contrato da casa está feito

Depois de voltas e revoltas com a situação do novo apartamento, finalmente o contrato está assinado por ambas as partes, o que significa que, em princípio, o apartamento vai ser meu 

 

É super entusiasmante, mas agora a parte chata é que ainda não sei quando me vou poder mudar e, aliás, apenas o vou saber 10 dias antes da data da troca de chaves. Isso significa que vou ter 10 dias para encontrar alguém que me substitue na casa actual, fazer as malas e tudo mais. A data estimada será por volta de Julho ou Agosto, o que também significa que vai ser complicado planear férias de verão por Portugal porque tenho receio de ir e calhar exatamente na semana em que eu recebo a notificação da mudança. 

 

Idealmente iria encontrar alguém para ficar com o meu quarto atual que tenha a flexibilidade de mudar com uma notificação de 10 dias, mas bem sei que é complicado. De qualquer forma, aqui fica o alerta de que vou ter o meu quarto para alugar, caso alguém tenha planos de mudar-se para uma zona sossegada e residencial de Hackney a alguns minutos do overground na zona 2. O quarto é médio/grande, a casa é muito gira e é partilhada com mais duas pessoas - um Português e um Holandês, ambos com uma idade média de 33 anos e bem sei que preferiam alguém com idade semelhante, homem ou mulher. São ambos extremamente simpáticos e respeitadores, damo-nos todos bem e a casa tem uma grande sala, cozinha separada, 1 casa de banho partilhada pelos três e um jardim espaçoso ideal para BBQs. A casa é alugada por uma agência que requer referências dos anteriores senhorios dos últimos 3 anos (no Reino Unido) e do trabalho, por isso será necessário que a pessoa que me vá substituir possa apresentar essas referências. A rua também é super agradável e fica uma foto em baixo. Se alguém estiver interessado, tiver flexibilidade na data de mudança e corresponder ao critério indicado em cima - idade e referências - por favor enviem-me um email e eu mando mais informações. 

 

IMG_1981.JPG

 

O que fazer em Londres em Março 2016 (o que resta dele)

fazer-03-16.jpg

 

OK, este mês tenho andado mais preocupada com a história da casa do que qualquer outra coisa, mas isso não afecta as centenas de coisas interessantes que há para fazer em Londres este mês. O post vem atrasado este mês, mas ainda vale a pena pesquisar sobre o que fazer nas restantes semanas de Março. Fica uma selecção do que achei interessante:

 

Eventos que celebram a História da Mulher O que é? Uma organização cultural em Tower Hamlets no Este de Londres está a realizar vários eventos ao longo de todo o mês de Março, desde palestras, a exposições de arte e comédias relacionadas com a história da Mulher. Quando? Até 31 de Março. Quanto? Alguns eventos pagos outros gratuitos. Ver programa. Onde? Vários locais em Tower Hamlets. Ver site para detalhes. 

 

Mariza em Londres O que é? A famosa fadista Portuguesa, Mariza, volta a cantar em Londres. Quando? 15 de Março. Quanto? £45.Onde? Barbican. Estação? Barbican.

 

Strange and Familiar - Exposição de fotografia O que é? Exposição de fotógrafos internacionais que capta a sua persectiva de aspectos da vida no Reino Unido. Quando? De 16 Março a 19 de Junho. Quanto? £12.  Onde? Barbican. Estação? Barbican.

 

St. Patrick's Day O que é? O dia de São Patrício, o Santo Padroeiro da Irlanda, celebra-se a dia 17 de Março, e tudo o que é pub e bar Irlandês vai celebrar o dia em força. Aconselho a lista seleccionada pela Time Out de locais onde celebrar essa noite. Quando? 17 de Março. Onde? Vários locais por Londres inteira.

 

Mercado de Primavera Filandês O que é? Mercado onde se vende artesanato, comes e bebes, incluíndo um BBQ à moda Filandesa. Quando? De 18-20 de Março. Quanto? Entrada gratuita. Onde? Finish Church.  Estação? Rotherhite.

 

Corrida dos Barcos - Oxford vs Cambridge O que é? Todos os anos estudantes das universidades de Oxford e Cambridge entram em competição numa corrida de barcos a remo no Tamisa. Tipicamente, os espectadores passam a tarde nos pubs solarengos junto do Tamisa enquanto esperam ver os barcos passar. Quando? 27 de Março. Quanto? Não se paga para ser espectador. Onde? Zona de Putney.  Estação? Putney ou Hammersmith.

 

O apartamento volta a ser uma possibilidade

E no último post tinha dito que o tal apartamento não me tinha sido alocado, mas entretanto recebi um e-mail a informar que o apartamento já estava novamente disponível porque a pessoa a quem tinha sido alocado mudou de ideias. Como tal, o apartamento é meu se eu quiser!! 

 

Mas com essa notícia, também surge a dúvida - será que quero mesmo este apartamento? Será que esta é a melhor opção? Será que eu devia esperar mais algum tempo para ver se encontro um apartamento que possa comprar por inteiro em vez de shared ownership? E se fôr, será que o apartamento e o bloco de apartamentos tem todas as coisas que preciso - por exemplo parque seguro para a minha bicicleta (não quero ter que andar a acartar com ela para cima e para baixo todos os dias)?; A rua junto ao edifício vai ser cortada para não haver passagem de carros?; Vem com seguro de construção?;... fiz uma grande lista de questões que já enviei ao agente. Dependendo das respostas que ele der, eu logo vejo se vou em frente com o apartamento ou se não. Ao mesmo tempo, tenho andado numa euforia a olhar para tudo quanto é site de propriedades para ver o que mais está por aí à venda. Quero poder comparar preços, qualidade, localização, espaço, etc., para verificar se esta será a melhor decisão. Mas estou entusiasmada!

excited_emoji.PNG

 

Segurança em Londres

O facto da porta da minha casa ter sido arrombada é sem dúvida muito desconcertante, e não só não foi a primeira vez que me tentaram assaltar a casa como conheço várias pessoas que já tiveram situações semelhantes ou piores. Os piores casos foram:

  • Entraram pela janela da casa da minha amiga que vivia em Muswell Hill durante o dia e roubaram tudo, tudo, tudo que fosse de valor. Desde portáteis a máquinas fotográficas, roupa, dinheiro, etc. - exactamente a mesma situação aconteceu com um amigo que vivia em Putney (não sei como entraram no apartamento dele). 
  • Numa casa ao lado da minha quando morava em Camberwell, viviam lá 5 raparigas. 4 delas tinham ido sair à noite e a outra ficou em casa a dormir. Como uma delas tinha ficado em casa, as outras decidiram fechar a porta apenas no trinco. Os ladrões facilmente abriram a porta com um cartão ou algo semelhante que fez a porta abrir sem estragos ou barulho. Roubaram também tudo da casa expecto as coisas que estavam no quarto da 5ª rapariga que tinha ficado a dormir. Obviamente eles devem ter entrado no quarto, viram que estava a dormir e deixaram-na ficar. 'Sorte' a dela ter estado a dormir porque nunca se sabe o que fariam caso ela não estivesse. 
  • A pior de todas foi mesmo o assalto ao apartamento do amigo de um amigo que acordou a meio da noite no seu quarto, com um ladrão com uma arma apontada para ele enquanto o outro roubava o portátil.  -  Horrível mesmo!

 

Apesar de todas essas situações, quando me perguntam se Londres é uma cidade perigosa, eu respondo que não é propriamente perigosa. Sendo uma cidade grande, claro que vão haver pessoas mal intencionadas, mas de forma geral, é uma cidade onde se pode andar à noite sozinho sem problemas nas zonas movimentadas. Claro que se voltarem sozinhos para casa a meio da noite é sempre mais seguro apanhar um táxi, mas não é do tipo de cidades em que a probabilidade de que algo aconteça seja alta. Nestes 10 anos em Londres tenho voltado para casa sozinha à noite muitas vezes e fui assaltada uma vez. Além disso, se eu pensar nas minhas amigas próximas que estão em Londres há tanto ou mais tempo que eu, nunca sofreram nenhum assalto. 

 

Portanto, de forma geral, sim é preciso ter cuidado, tanto em casa como na rua com possíveis ladrões, mas de forma geral Londres não é uma cidade onde tenham que estar constantemente preocupados com a segurança. Ficam algumas sugestões de precaução:

 

Em casa:

  • Fechar sempre a porta de casa à fechadura mesmo quando estão em casa
  • Fechar as janelas quando não estão em casa para não dar oportunidades aos ladrões de entrarem nem de verem o que se encontra dentro da casa
  • Se forem de férias, vale a pena comprarem uma das luzes que se acendem automaticamente a certas horas do dia para parecer que a casa está ocupada

 

Na rua:

  • Não andar a falar com telemóveis na rua à noite
  • Cobrir sempre bem o PIN quando estão numa caixa multibanco e não utilizem a caixa se estiver alguém com ar suspeito ali próximo
  • Não andar com câmaras ao pescoço ou outro equipamento de alto valor que possa atrair as atenções
  • pelo sim, pelo não é aconselhável que apanhem um taxi para casa se voltarem sozinhos depois da meia-noite
  • Se tiverem uma bicicleta, certifiquem-se de que a prendem a um local apropriado sempre com pelos menos duas trancas, uma para cada roda, sendo que uma delas deve também trancar a estrutura da bicicleta

 

Para quem vive em Londres, se tiverem outras dicas que achem úteis na precaução de possíveis assaltantes, por favor indiquem nos comentários.

 

safety_first.jpg

 

 

Festival das luzes - Lumiere Festival em Londres

Este fim-de-semana decorreu o Lumiére Festival, que contava com instalações de arte e projeções de luz por várias zonas da cidade. Fui ver as luzes de Trafalgar Square e Kings Cross e este foi o resultado:

 

IMG_0436.JPG

 Trafalgar Square - Centre Point representado 

 

IMG_0433.JPG

Trafalgar Square - iluminação de garrafas plásticas na água

 

IMG_0444.JPG

Kings Cross - As palavras ditadas pelas pessoas apresentavam-se escritas no painel luminoso

 

IMG_0449.JPG

Kings Cross - Vestido luminoso com aparência de criatura monstruosa?

 

IMG_0450.JPG

Kings Cross - Show de luzes projectado no edifício da Universidade Central Saint Martin's em Granary Square (também em baixo em vídeo)

 

 

 

IMG_0452.JPG

 Kings Cross - Instalação de ar satélite espacial em Granary Square

 

 

 

O que fazer em Londres em Novembro 2015

fazer_londres_novembro15.jpg

Desde a noite de dia 31 até à manhã de dia 2 que a cidade de Londres tem esteve imersa em nevoeiro. Este ambiente traz um ar de mistério às ruas e é uma boa forma de introduzir a ideia de que estamos na estação Outonal. O Outono em Londres não é necessariamente sinónimo de dias e noites passados entre quatro paredes e isso vai-se verificar principalmente nos próximos dias em que os Londrinos vão passar várias noites nas ruas para ver os fogos de artifício relacionados com a 'bonfire night'. 

 

Bonfire Night O que é? A noite que celebra o final da tentativa de Guy Fawkes de explodir as Torres do Parlamento sem sucesso. A TimeOut criou uma boa listagens dos diferentes fogos de artifício a decorrer de quinta a sábado um pouco por toda a cidade. para alguns dos shows de fogos de artifício precisam de marcar bilhete com antecedência por isso vejam os detalhes antes de irem. Quando? Noite oficial a 5 de Novembro. Quanto? Maioria gratuitos mas alguns pagos. Onde? Em parques de toda a cidade. 

 

Luzes de Natal de Londres O que é? Sempre que as principais ruas de Londres iniciam o seu período de luminosidade, é razão para uma festa de abertura. Na maioria dos casos celebridades são convidadas para a ocasião, bandas ou poderão até ouvir alguns discursos relacionados com o evento (ou com os patrocinadores). O Londonist criou uma lista com as datas dos diferentes eventos do acender das luzes de Natal.

 

25º Aniversário Le Pain Quotidien O que é? Este não é tipicamente o tipo de evento que coloco aqui, mas o Le Pain Quotidien vai vender cafés a 25p todo o dia durante o dia 6 em celebração do seu aniversário por isso achei que valia a pena dar-vos a conhecer também. Quando? Sexta-feira, 6 de Novembro. Quanto? Cafés para take-away a 25p. Onde? Em todas as lojas Le Pain au Quotidien. 

 

London Jazz Festival O que é? Mais de 2000 artistas de jazz vão deliciar os seus ouvintes em mais de 50 locais espalhados pela cidade durante 10 dias de muita música. Quando? 13 a 22 de Novembro. Quanto? Variados preços e alguns concertos gratuitos. Onde? Por toda a cidade. 

 

Lord Mayor's Show O que é? Todos os anos, em celebração do Lord Mayor de Londres decorre uma grande procissão pelas ruas de Londres com muita pompa e circunstância tal como nos tempos antigos. A procissão começa às 11h. Pelas 15h os membros do público podem-se juntar aos vários passeios guiados gratuitos pela cidade de Londres onde podem ouvir um pouco da história da cidade, especialmente organizados para este dia. Depois às 17h decorrem os fogos de artifício no Tamisa e a melhor zona para vê-los é localizada entre Waterloo Bridge e Blackfriars Bridge. Quando? 14 de Novembro. Quanto? Gratuito. Onde? City e Bankside

 

Winter Wonderland O que é? A grande feira de Natal temática Alemã decorre novamente em Hyde Park este inverno. Quer seja para irem lá em casais, com os amigos ou a família, o Winter Wonderland é altamente aconselhável de visitar. Visito todos os anos e há sempre algo de diferente. Quando? De 20 de Novembro a 3 de Janeiro. Quanto? Gratuito. Onde? Hyde Park.

 

O que fazer em Londres em Setembro 2015

fazer_londres_setembro15.jpg

 

Adoro Setembro. Porquê? Porque é o mês do meu aniversário. Se bem que não gosto da ideia de ficar mais velha, gosto da ideia de celebrar o aniversário. Isso também é a parte positiva que contrabalança o lado menos positivo deste mês relacionado com a redução dos dias e das temperaturas. Mas lá porque é o fim do verão não significa que tenhamos que dizer adeus aos eventos ao ar-livre. Nada como ter uma escolha de actividades ao ar-livre e entre quatro paredes, só para o caso do tempo não se aguentar. Aqui fica a minha escolha para este mês:

 

Totally Thames Festival O que é? Eventos variados, desde arte a shows the barcos, música, passeios de barco e outros em celebração ao rio Tamisa. Quando? Durante o mês de Setembro. Quanto? Maioria gratuitos mas alguns pagos. Onde? Varios locais ao longo do Tamisa.  

 

Spiegeltent at Canary Wharf O que é? Numa grande tenda vão encontrar eventos de comédia, cabaret, circo, música, dança e eventos para crianças durante 10 dias. Quando? De 10 a 20 de Setembro. Quanto? Preços variados dependendo do evento. Onde? Canary Wharf.

 

OnBlackheat O que é? Festival de música agradável para adultos e crianças que conta com a presença dos Elbow, Manic Street Preachers, Kelis e muitos outros. Quando? 12 e 13 de Setembro. Quanto? A partir de £45 para adultos e £25 para adolescentes. Crianças têm entrada gratuita. Onde? Blackheat. Estação? Lewisham ou Blackheat.

 

St. John Hill Festival O que é? Um evento para a comunidade de Clapham com venda de artesanato, comes e bebes. Quando? 13 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Clapham Junction. 

 

Rugby World Cup O que é? O Mundial de Rugby vai decorrer este ano em Inglaterra e, como tal, vão poder contar com muita animação relacionada com os jogos durante o decorrer do campeonato. Quando? de 18 de Setembro a 31 de Outubro. Quanto? Podem comprar bilhetes a preços variados para os jogos aqui mas também podem juntar-se aos muitos fãs que vão ver os jogos gratuitamente nos grandes ecrãs em pubs e bares ou nos ecrãns gigantes destinados às fanzones. Em Londres vão haver ecrãs em Wembley Park, no Queen Elizabeth Park, em Richmond e em Trafalgar Square. 

 

Open House London O que é? Londres abre as portas ao público aos edifícios mais icónicos ou arquitectonicamente espectaculares de Londres durante um fim-de-semana. Quando? 19 e 20 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Por Londres inteira. Provavelmente têm alguns desses edifícios bem perto da vossa casa.

 

Apple Music Festival O que é? Em anos anteriores conhecido com o itunes festival, este conta com 10 dias de actos de artistas reconhecidos, cujos bilhetes são gratuitos mas conseguem-se apenas por sorteio. Quando? De 19 a 28 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Roundhouse. Estação? Chalk Farm. 

 

The London Tattoo Convention O que é? Para quem gosta de tatuagens, este é um evento a não perder, que conta com a presença de alguns dos profissionais mais conceituados assim como apresentação/show de tatuagens de corpo inteiro. Quando? 25-27 de Setembro. Quanto? A partir de £20. Onde? Tobacco Dock. Estação? Shadwell. 

Emigrante Portuguesa em Londres: 10 anos em revista

Neste sábado que passou fez 10 anos que me mudei permanentemente para Londres. Já cá tinha vivido durante 5 meses como estudante Erasmus no ano anterior, mas foi a 5 de Setembro de 2005 que, depois de uma primeira semana de treino em Munique para o meu primeiro emprego, me mudei permanentemente para Londres. Na altura não sabia que a estadia se ía prolongar tanto, mas também não tinha qualquer intenção de que fosse uma estadia curta. Como tenho dito ao longo destes 10 anos, cada vez que me perguntam se vou ficar - "para já é aqui que quero viver. No futuro logo se vê se pretendo viver noutro local."

 

Penso no passado muito pouco, mas, provavelmente devido à ocasião, este fim-de-semana, acabei por lembrar-me bastante dos diferentes acontecimentos que foram decorrendo ao longo destes 10 anos - os altos e baixos, os amigos que fiz, as viagens e passeios, os diferentes empregos que tive, os amores que não ficaram, as zonas de Londres por onde vivi, a forma como evolui e me transformei numa pessoa diferente daquela jovem tímida que vivia nos arredores de Lisboa à mais de 10 anos atrás.

 

10anosemlondres.jpg

 

AS CASAS

10 anos, 8 casas, 7 localizações

  • Vivi as minhas primeiras semanas em Tower Hill em casa de um amigo de Erasmus. Como o seu contrato estava a acabar, decidimos procurar casa juntos com mais uma Austriaca e vivi com eles na minha primeira residência permanente em Camberwell durante 1 ano até o senhorio vender o apartamento.
  • Mudei-me depois uns metros à frente, mais próximo da estação de Oval, para uma casa com 5 quartos onde vivi por cerca de ano e meio. Ali fizemos muitas e boas festas, até que as coisas começaram a correr mal com o tal amigo Austriaco de Erasmus e quiz procurar nova casa para morar.
  • Lá consegui encontrar quarto num apartamento em Clapham Common mas estava a viver com uma Inglesa com quem era extremamente difícil de viver e, apenas fiquei por lá 3 meses porque não queria estar a viver em condições tão desconfortáveis.
  • Conheci o meu flatmate Português, com quem vivo até hoje quando me mudei para o novo apartamento em Brixton. Vivemos ali cerca de 2 anos até que o senhorio vendeu.
  • Ao contrário do que eu queria e esperava ao fim de mais de 5 anos a viver no sul de Londres, encontrámos novo apartamento no Norte de Londres, em Stoke Newington. Foi uma das melhores mudanças que fiz porque essa mudança também trouxe um novo grupo de amigos que adoro.
  • Ao fim de ano e meio a senhoria decide vender o apartamento e lá temos que mudar outra vez. Essa procura foi muito difícil mas lá encontrámos um apartamento em Dalston à última da hora. Não gostámos do novo apartamento e só lá ficámos 3 meses.
  • Tivemos a oportunidade de ir morar para uma casa um pouco mais a sul onde duas amigas moravam e íam sair. Já passaram 2 anos e 2 meses e por lá continuo. Agora espero que só saia daqui quando fôr para comprar o meu apartamento. Já estou farta de tanta mudança.

Ao contrário do que pensei algumas vezes, o local onde vivo é mesmo importante para o meu bem-estar geral, por isso sou apologista de não entrarem em contratos de arrendamento de longo prazo sem uma claúsula de "escape" porque só mesmo quando lá se vive é que se sabe se se vão sentir bem.

 

O EMPREGO

10 anos, 8 empregos, 6 títulos

  • Comecei num "international graduates scheme" para uma grande empresa, mas o programa deles não incluía experiência em marketing. Não gostei e senti que não estava a fazer um bom trabalho. Saí.
  • Mudei para vendas porque tinham o trabalho anunciado como "field marketing". De marketing não tinha nada. Passei o inverno a andar kilómetros todos os dias a vender de porta em porta linhas telefónicas baratas para as lojas. Um dia não aguentei mais e despedi-me. 
  • A meu envio incessante de CVs resultou numa entrevista para uma agência de marketing. O candidato que fizesse o melhor plano de marketing para um dos seus serviços, ficava com o emprego - consegui e tive o meu primeiro emprego como 'Marketing Assistant'.
  • Essa empresa foi comprada por um grupo de empresas e mudei-me para a sua empresa de construção como 'Marketing Executive'.
  • Passados 2 anos mudei para outra empresa do grupo de processamento de pagamentos, novamente como 'Marketing Executive'.
  • Passados mais 2 anos, chegou a fase da crise, essa empresa foi à falência e fiquei desempregada durante umas 2 semanas.
  • Encontrei novo emprego como 'Marketing Manager - EMEA & APAC' para uma empresa de tecnologia e por lá fiquei durante 4 anos, até ter a infelicidade de ter que lidar com uma chefe péssima.
  • Mudei então para outra empresa de tecnologia como 'Marketing Manager - EMEA' até ter sido despedida devido a cortes de custos. 
  • Ao fim destes 10 anos sou agora 'Senior Marketing Manager - EMEA' para uma empresa de tecnologia que, ao fim dos primeiros 2 meses no novo emprego, estou a gostar bastante.

Nunca é fácil encontrar novo emprego, principalmente no início quando não se tem experiência e todos os anúncios pedem por ela. Demorei 8 meses a encontrar o emprego certo que me lançou na carreira de marketing que pretendia, mas o importante é que não desisti. Sabia o que queria, e tentei não perder muito tempo nos trabalhos "errados" por isso insisti, insisti, insisti, até dar.

Através da experiência ao longo destes anos algumas das lições importantes que aprendi foi para nunca desistir dos meus objectivos; a ser confiante mesmo quando tudo parece estar contra nós; a nunca julgar alguém pelo seu emprego; e a não tratar ninguém de forma diferente independentemente do cargo que ocupam do executivo ao empregado das limpezas.

 

OS AMIGOS

Vieram e foram ao longo dos anos. Uma das situações comuns entre pessoas que são novas numa cidade ou país é que tendem a fazer amizade com outras pessoas que também estão nessa cidade há pouco tempo. São essas as pessoas que procuram estabilizar-se e fazer novos amigos, mas também são eles que mais rapidamente vão mudar de opinião acerca da nova cidade e ou voltar para o país de origem ou procurar outra localidade. Assim foi com os meus amigos também. Do primeiro grupo de amigos próximo que fiz, a grande maioria já não vive em Londres. Cada vez que os mais próximos se vão embora ficava com aquela sensação de vazio. - "E agora, quem é que vou poder convidar para ir sair expontaneamente?" - Tive que recomeçar amizades de raiz várias vezes, mas com o passar dos anos, aquelas pessoas que são estrangeiras e que também ficam por cá, já passaram a fase da dúvida, e são mais prováveis a manterem-se por cá. Com os anos também se começam a criar amizades mais facilmente com outros que sejam ou originários de cá ou que já cá criaram raízes.

Ao fim das primeiras vezes que "perdi" amigos locais devido a mudanças, aprendi a não parar de tentar conhecer pessoas novas. Assim, fui criando uma rede de diferentes grupos de amigos e, hoje em dia, se alguns tomarem a decisão de irem, já não me vou sentir sozinha. 

 

OS AMORES

Nunca desejei a vida convencional - estudar, trabalhar, casar, ter filhos - e a minha mudança para Londres  fez exactamente com que não tivesse essa vida e que aproveitasse com uma variedade de experiências pelas quais, em Lisboa não teria sido possível passar. Mas no que se trata de amor, Londres torna-se um bocado vingativa, porque o facto de haver tantas pessoas nesta cidade, também faz com que todos sejam muito mais selectivos ou muito mais interessados em experimentar estar com diferentes personalidades para perceberem bem o que gostam e não gostam antes de optarem por aquela que é mesmo ideal.

Queixo-me mas não me posso queixar porque também caí na mesma armadilha de pensar assim. Quebrei corações assim como mo quebraram a mim. Alguns marcaram mais que outros mas o facto é que entre aqueles que me marcaram nos últimos 10 anos - 4 namorados (o Britânico de origem Cipriota e Polaca, o Inglês, o Irlandês e o outro Irlandês) e outros que nunca o chegaram a ser - por uma razão ou outra não foram a pessoa ideal. 

 

#

 

Olhando para estes 10 anos, considero que o balanço foi sem dúvida positivo. Posso ainda não ter o cargo, a casa e o namorado que imaginava que teria ao fim de 10 anos, mas tive muitas experiências e coisas boas que valeram muito a pena e compensaram eventuais pontos menos positivos.

Se vou ficar por cá mais 10 anos? O que penso que vai acontecer? - Não sei. - Passem aqui pelo blog em inícios de Setembro de 2025. Se eu ainda estiver por Londres, eu digo o que aconteceu por cá.