Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

De volta a Londres e a 100 à hora

Uff, finalmente tenho oportunidade de fazer um update no TugaemLondres. Bem sei que tenho vários e-mails por responder e, irei chegar a todos nos próximos dias. As férias Italianas acabaram no domingo à noite e, a partir do momento que cheguei, ainda não tive tempo para parar. Só tinha dormido umas 3 horas no sábado, e no domingo também tive pouco mais de 5 horas para dormir porque tinha que me levantar cedo para a primeiro entrevista que ía ter nesse dia, para a qual ainda não me tinha preparado. No total, tinha umas 10 entrevistas marcadas para esta semana. Como tal tem sido um corropiu entre entrevistas, levando o portátil comigo para poder fazer uma revisão nos cafés para a entrevista seguinte no tempo que ía tendo entre cada uma.

 

Já chegámos a quinta-feira e mal vi a semana a passar. Acho que provavelmente pela falta de sono e cansaço geral o meu corpo começou a fraquejar e hoje tive que passar o dia em casa, com tosse, dor-de-cabeça, corpo dorido e actualmente encontro-me sentada no sofá rodeada por um mar de lenços de papel usados. Felizmente já tinha desmarcado as 3 entrevistas que ía supostamente ter hoje, já que não seria mesmo capaz de sair de casa. Em vez disso, passei o dia a trabalhar para uma apresentação para outra entrevista que tenho amanhã. A empresa parece ser interessante, cheia de 'geeks' já que é uma consultoria de informática, mas gosto muito do conceito que tem e estou curiosa para lá ir conhecer as pessoas e os escritórios. Esta vai ser a segunda entrevista com eles visto que a primeira foi feita por telefone. Esta posição será para a única pessoa de marketing na empresa, mas tem potencial para crescer em termos de equipa. Acho que seria uma oportunidade um pouco  diferente daquilo que tenho feito até aqui, mas também será mais desafiante que outros empregos que tenho em consideração. E uma coisa interessante é que estes tratam os empregados MUITO bem. Para terem uma ideia, para a festa de verão deles, eles vão alugar uma ilha privada onde todos vão festejar com parceiros, crianças, etc. Yep, uma ilha privada!! 

 

Com isto posso dizer que a procura de emprego está a correr positivamente. Quando estiver tudo finalizado irei escrever um post sobre como procedi à pesquisa durante este período e os altos e baixos por que tenho passado, para que possívelmente vos possa  ajudar também numa próxima que estiverem a procurar por novo emprego. 

 

Entretanto, as minhas férias em Itália já parecem um sonho distante. Foram mesmo relaxantes e animadas. Adorei! Ficam fotos que tirei na segunda parte das férias quando estava em Como:

view_flat.jpg

Vista do apartamento

 

swing_square.jpg

 Swing dancing on the square @SwingCrash

 

O início da pesquisa de novo emprego

Já me candidatei a cerca de 10 empregos, dedicando todo o tempo necessário para cada um deles de forma a fazer as candidaturas o mais personalisadas possível. Também já coloquei o update do meu CV no LinkedIn, no Monster.co.uk, no Simplymarketingjobs.co.uk. Mas ainda me faltam uns sites importantes tais como o CV-Library e o Jobsite.co.uk.

 

É interessante que, agora que fiz o upgrade da minha conta LinkedIn para a Premium porque oferece algumas vantagens para quem está à procura de emprego, vejo também a concorrência que tenho para cada emprego. A conta Premium indica, não só o número total de aplicantes, mas também qual a universidade que a maioria frequentou, e identifica quais os perfils que estão mais adequados a certas ofertas de emprego. Assim sendo, mesmo antes de enviar candidatura consigo ver logo se estou no topo 10% ou no topo 50% dos candidatos, por exemplo. Consigo ver se a concorrência é pouca ou muita e isso ajuda um pouco para me ajudar a decidir se vale a pena dedicar muito tempo a certa candidatura ou se não. Ontem por exemplo candidatei-me a um que indicava as seguintes como as universidades de alguns dos outros candidatos. Afinal o ISCTE está quase ao nível, certo? Só talvez não seja assim tão conhecido por aqui 

linkedin_univs.PNG

 

Dia D

Hoje é que vou saber se fico ou se vou mais cedo para casa. Existe algum nervosismo que claro que a decisão desta reunião que vou ter por volta do meio-dia vai definir se posso aproveitar este fim-de-semana prolongado tal como queria ou se me devo dedicar às cartas de apresentação e pic-nics (pic-nics porque não posso gastar dinheiro, mas também não quero colocar a minha vida social de lado) 

 

Qualquer que seja o resultado, hoje está sol e sinto-me com energia por isso a positividade irá manter-se.

 

DIA D.png

 

 

Fim-de-semana surpresa em Portugal

Relativamente à situação no emprego, não há grandes novidades. Decidiram adiar a decisão por mais uma semana  No entanto, houve uma colega minha que entretanto encontrou um novo emprego através dos contactos dela e já tinha entregue a carta de demissão (fiquei a saber na sexta-feira). Talvez a redução desse salário seja suficiente? Não sei. O facto é que decidiram adiar a decisão na base de novos contratos que foram fechados desde que eles enviaram o aviso. Não estão relacionados, mas houve um certo factor sorte pelos contratos terem fechado nessa semana. De qualquer forma, não concordo com esta ideia de adiar a decisão. Ficamos mais uma semana na dúvida. Ou querem despedir, ou não querem despedir - decidam-se! Caso esses novos contratos fossem suficientes para manter o pessoal já deviam ter tomado essa decisão. 

 

Trabalho à parte, na sexta-feira à tarde parti para Lisboa. O meu irmão foi ter comigo ao aeroporto que era o único que sabia que eu ía lá este fim-de-semana já que tinha como objectivo fazer uma surpresa à minha avó para o seu 87º aniversário que decorreu este domingo. No entanto, a reação que a família teve ao ver-me não foi exactamente a que eu esperava:

Quando a minha mãe chegou a casa e me viu disse - "A minha filha?!" E depois ficou notavelmente nervosa e perguntou assustada "Mas o que é que aconteceu?"

Quando a minha avó me viu disse (ela já não vê muito bem) - "Mas quem és tu?" 

 

OK, foram reações um bocadinho diferentes daquilo que imaginei, mas pareceu-me que quando passou o estado de choque elas ficaram contentes com a visita. 

 

O sábado foi passado na Praia Grande (e que bom que estava com os seus altos 20ºC!) e o domingo foi passado na aldeia da minha avó em festejos com a família. Voltei a Londres hoje de manhã recebida por 10ºC e chuva. Oh, enfim, ao menos passei um fim-de-semana muito solarengo. Eis a vista de sábado para a vista de hoje. Descubram as diferenças 

praia_londonbridge_horizontal.jpg

 

A reunião com os Recursos Humanos

Ontem tive a reunião com os Recursos Humanos sobre a minha eventual redundância. Basicamente ela não me deu qualquer formato e simplesmente pediu-me para justificar as razões pelas quais o meu trabalho é importante para a empresa. Até que preferi essa falta de formato na reunião porque assim eu pude dizer tudo aquilo que queria. Quando terminei ela disse-me que tinha anotado o máximo que conseguiu daquilo que eu disse, mas que talvez não tivesse apanhado tudo, por isso, se eu quizesse, que lhe enviasse algumas notas em resumo.

 

 

Então decidi que, em vez de lhe enviar um email a ela, devia enviar um email directamente a todo o conselho executivo já que são eles que vão tomar a decisão final - o CEO, o CRO (Chief Revenue Officer), o VP de Finanças e a VP do departamento Legal fazendo cópia para a gestora de Recursos Humanos  e os meus dois chefes - o Director Regional e o VP de Marketing. Estruturei o meu email muito bem, tal como o tinha feito na reunião com os Recursos Humanos, começando por indicar os objectivos da empresa no momento em que decidiram contratar-me e indicando quais os resultados da minha função face a cada um dos objectivos. Indiquei os resultados para 2014 baseados em factos e números provando que o meu trabalho trouxe mais de 300% de retorno sobre o investimento para a empresa nesse ano. Depois passei por explicar os meus objectivos para este ano, os resultados apresentados até agora e o trabalho que tenho feito e planeado para os próximos meses. Terminei a indicar que actualmente já tenho um valor significativo investido em actividades de marketing que estão por decorrer e uma quantidade de acordos com parceiros influenciantes na nossa indústria e, dado que me preocupo com o que vai acontecer com todas essas actividades caso eu saía subitamente da empresa, perguntei quais os seus planos para levar essas actividades adiante sem mim. A pergunta era retórica mas só a quis deixar no ar para eles pensarem sobre o assunto. 

boardmeeting.jpg

Enviar um email directamente ao conselho executivo nāo é propriamente algo que eu deveria ter feito sendo que o CEO, quando nos enviou o email de notificação na semana passada, indicou que devíamos comunicar com os Recursos Humanos sobre o assunto. Imagino que a Gestora de Recursos Humanos também não deve ter achado muita piada a eu ter eliminado o seu intermediário, mas queria ter a certeza que a minha mensagem era passada tal como eu queria. Fiquei nervosa no momento em que carreguei no botão Enviar, mas fiquei satisfeita ao mesmo tempo por tê-lo feito. Acho que demonstra interesse, atitude, perseverança, para além de justificar a importância do meu trabalho. Acho que qualquer gestor de um negócio iria querer manter-me na empresa depois de ler um email daqueles a não ser que efectivamente não tenha o dinheiro para me manter. E se por outro lado, eles acharem que o meu email foi intrusivo e desrespeitador, qual é a pior coisa que me podem fazer? Despedir-me?

 

O Dia D aproxima-se

Cada vez que digo a alguém sobre o que sucedeu na empresa olham para mim como se fosse uma coitada e dão-me imensas dicas sobre o que eu devo fazer etc. Esquecem-se de me perguntar primeiro como é que eu me sinto com a situação antes de assumirem que estou aqui para morrer. Claro que não é ideal, mas sinceramente não precisam de olhar para mim como se fosse uma coitada. As pessoas fazem-me sentir como se eu devesse estar muito preocupada com o assunto, mas efectivamente, não estou. Se for despedida não será pelo meu mau desempenho porque eu tenho imensos resultados que provam que tenho feito um bom trabalho para a empresa. Eu sei que as coisas se irão resolver mais cedo ou mais tarde caso seja despedida no dia D, que será esta próxima sexta-feira. É preciso manter uma mentalidade positiva nestas situações porque, é quando as pessoas se deixam ir abaixo que se torna mais difícil continuar em frente porque o medo e o stress serão evidentes em potenciais entrevistas, o que não conta nada a favor do entrevistado. De qualquer forma, até saber o resultado final continuarei a fazer o meu trabalho como normal, enquanto me candidato para novos empregos nas horas vagas, pelo sim, pelo não.

 

everything_will_be_OK.jpg

Imagem retirada: LeadStrategic.com

 

Já nem me lembrava bem do tempo que cada uma destas aplicações demora - no domingo queria ter enviado candidaturas a pelo menos umas 3 empresas, mas o processo de candidatura da primeira empresa a que me candidatei foi tão longo e minucioso que só consegui mesmo candidatar-me a essa. Uff! Demora tempo, mas acho importante dedicar esse tempo para ter a certeza que se envia uma aplicação o melhor possível. 

 

Acho interessante ver a reacção de alguns colegas perante esta situação, principalmente o Vendedor Júnior que passava o tempo antes a querer que chegassem as 18h para poder ir para casa e evitava ao máximo possível fazer telefonemas (que é o trabalho dele), mas desde que houve o aviso de despedimento, passa o tempo todo ao telefone. Pois, quando se vê assim perante a pressão de perder o emprego, lembra-se logo que quer fazer um bom trabalho. Se calhar é tarde demais, não? 

 

Hoje um colega meu faz 1 ano de aniversário na empresa. Cada vez que há um aniversário da empresa, o empregado recebe um pequeno presente simbólico (tipo um fio com o logotipo da empresa). Cada vez que se dá esse presente também se escreve um cartão a agradecer por todo o trabalho que essa pessoa tem feito na empresa. Desta vez era a minha vez de escrever no cartão. Eu escrevi algo como "Feliz aniversário de um ano na empresa. Desculpa, mas não me parece correcto escrever o resto da mensagem habitual. Espero que gostes do teu fio". Ele achou muita piada à mensagem. Ao menos valeu para o colocar bem disposto. 

 

A minha reunião com os Recursos Humanos vai ser amanhã. Eu sei o que vou dizer, mas sei que a reunião não vai significar para nada. Irão despedir a quantidade de pessoas que precisarem de cortar em salários por isso nada que eu diga vai fazer uma grande diferença, mas a ver vamos. Eu irei preparada de qualquer forma, e depois logo se vê.

Aviso de despedimento

pc425-youre-fired-alan-sugar.jpgOntem à tarde todos no meu escritório recebemos um email do CEO, com o título "Redundancy Notification". O meu coração parou quando li a primeira frase em que basicamente dizia que devido aos resultados do primeiro trimestre do ano não terem sido alcançados, e numa tentativa de reduzir custos na empresa, vão ser obrigados a fazer cortes no pessoal do nosso escritório.

 

Durante a próxima semana, cada um de nós vai ter uma reunião com o Director regional e com os Recursos Humanos para tentar provar que somos indispensáveis à empresa e porque é que deviamos ficar. A decisão final de quem vai sair será tomada na sexta-feira da próxima semana. 

                                                                                                                        Imagem retirada: The Lander Consultancy Blog

 

Devo dizer que tanto eu, como os meus colegas ficámos um bocado chocados com aquele email por não estarmos nada à espera de que tal fosse acontecer. Mas o facto é que já houveram outras duas rondas de despedimentos antes desta pela mesma razão, mas das outras vezes os despedimentos aconteceram nos EUA onde a empresa conta com mais de 200 pessoas. Agora decidiram passar os cortes para a Europa. Devido ao tom do email, dá para perceber que o número de cortes vai ser significativo. Como nós somos só 7 pessoas no escritório de Londres visto que umas saíram recentemente (sorte deles que sairam a tempo), isso significa que no mínimo 2 a 3 pessoas vão perder o seu emprego. Olhando para a situação de uma forma lógica, eu tenho plena consciência de que a decisão de eu ficar ou não na empresa, vai depender do número de salários que eles tiverem que cortar e, se efectivamente precisarem de despedir 3 pessoas eu tenho quase a certeza que irei ser uma delas. Isto da reunião é apenas um passo burocrático, mas o facto é que, a meu ver, existe uma ordem lógica de cargos que serão mais essenciais que outros para manter o escritório a funcionar. Portanto, penso que esta será a ordem de despedimentos:

 

  • 7˚ - o Director: alguém tem que gerir o escritório, portanto este será o último a sair;
  • 6˚ - a Gestora de Conta Senior: alguém tem que se assegurar que os nossos actuais clientes se mantêm satisfeitos e continuam a renovar o contrato. Será a penúltima a sair;
  • 5˚ - o Vendedor Senior: se o que precisam é de mais dinheiro, vão precisar de alguém para continuar a vender;
  • 4˚ - o Técnico de Implementação: estabelece a implementação da tecnologia no sistema de novos clientes, efectua treino e trata de eventuais problemas técnicos. Este trabalho poderia ser feito a partir dos EUA mas os custos associados a ter apoio dos EUA serão grandes, daí penso que ele só irá sair se precisarem de cortar no salário de 4 pessoas;
  • 3˚ - a Gestora de Marketing: Eu. Através do meu trabalho a empresa tem recebido muito reconhecimento no Reino Unido, principalmente através de artigos de impressa, parcerias, eventos e a geração de potenciais clientes para o vendedor júnior contactar. No entanto, a equipa de marketing dos EUA poderá manter pelo menos a geração de potenciais clientes, se bem que em números mais reduzidos, através de envio de conteúdo de marketing tipo whitepapers e ebooks para a nossa base de dados e através de SEO e PPC. Portanto eu serei a terceira a sair;
  • 2˚ - a Gestora de Conta Júnior: ela entrou à pouco tempo e, se necessário, a Gestora de Conta Senior poderá tomar conta dos clientes dela, embora vá ser complicado devido ao volume de trabalho.
  • 1˚ - o Vendedor Júnior: ele é a pessoa que está ao telefone o dia inteiro a tentar marcar reuniões entre potenciais clientes e o Vendedor Senior ou o Director. No entanto ele, não só está na empresa há poucos meses, como não tem tido uma boa performance, por isso ele irá ser o primeiro a sair.

 

Depois de termos recebido aquele email ontem, tivemos uma conversa com o Director sobre o assunto, parámos o trabalho e fomos todos para o pub. Afinal, ninguém estava com capacidade para pensar em dedicar as últimas duas horas do dia a trabalhar para uma empresa que acabou de nos informar que nos está a querer despedir. O próprio Director está mais que dissatisfeito com esta decisão e, quando o conselho executivo o informou que precisavam de cortar nos custos do nosso escritório ele deu sugestões alternativas, tais como mudar de escritório, visto que o nosso é caríssimo! Mas aparentemente a empresa está de mãos atadas relativamente ao contrato deste escritório e os custos de sair do contrato não compensariam, portanto essa proposta foi rejeitada e, em vez disso, acharam melhor cortar nos salários.

 

Uma coisa é certa, quer fique, quer não fique, vou começar a colocar em prática o que escrevi nos posts sobre 'como fazer um bom CV', 'procurar emprego em Londres', e 'como preparar para uma entrevista'. Vejo esta situação como um sinal e incentivo de que devo mudar e procurar algo melhor. Até lá, a minha procura de casa para comprar claro que vai ficar em standby. Nem pensar em custos elevados enquanto não estiver novamente numa situação estável com o emprego. 

Como fazer um bom CV para conseguir entrevistas em Londres

Cada vez mais me contactam a falar em mudarem-se para Londres e procurar emprego por cá. Alguns de vós até já me enviaram o CV para eu dar uma olhada. Não posso dar feedback a todos, e não pretendo incentivar isso, mas uma coisa notei na grande maioria dos CVs que já me enviaram e, não querendo ofender ninguém, devo dizer que o que encontrei neles em comum é que ou estão mal escritos, mal apresentados ou simplesmente não são bons o suficiente! 

 

Não tens experiência suficiente? Nunca trabalhaste no estrangeiro? Queres mudar de ramo? Isso não tem problema nenhum! Existem empregos para todos os níveis de experiência profissional e um bom CV consegue ultrapassar todas essas fraquezas e leva-vos à fase da entrevista. Fica aqui então um post que pretende dar-vos as regras importantes para poderem escrever um bom CV que os empregadores não ponham de lado por estar mal escrito, formatado ou apresentado. 

 

O template

Primeiro ficam duas notas importantes para erros persistentes:

  • Esqueçam os templates de CVs Europeus. O Reino Unido não se sente parte da Europa e, como tal, por cá não se utilizam templates da União Europeia. 
  • Para a grande maioria de empregos (excepções em moda, etc.) NUNCA coloquem foto no CV. Por cá é considerado descriminação entrevistar uma pessoa com base na sua aparência, e não é bem visto quando os candidatos pensam que isso é adequado. 

 

Template aconselhado: Criei este template que passo a partilhar com vocês. Coloquei notas e comentários em Português e alguns exemplos que podem escrever no CV apresentados em Inglês. Cada um de vocês terá uma experiência completamente diferente do outro por isso achei que seria mais útil apresentar o template desta forma. 

 

cv_template.PNG

 

O conteúdo

Os recrutadores em Londres recebem centenas de aplicações para um anúncio de emprego portanto não vão ter tempo para ler tudo ao detalhe. Como tal, não pensem que, lá porque têm certa experiência relevante escrita pelo meio do CV, os recrutadores vão chegar a ver isso, se não tiver expressamente indicado no topo do CV.

O recrutador olha primeiro para o aspecto do CV em forma geral e lê brevemente em diagonal tentando identificar palavras-chave da experiência que procura. Se ele(a) não conseguir identificar essas palavras-chave nos primeiros segundos, vai fechar a página do vosso CV e passar para o próximo. 

Por isso mesmo, terem o vosso perfil, bem escrito no topo do CV indicando resumidamente a vossa experiência, aquilo em que são bons e o que os distingue como bons profissionais é essencial. Igualmente, adicionarem a secção das "areas of expertise" vai ajudar o recrutador a identificar as palavras-chave de que está à procura. 

Caso se candidatem a empregos um pouco diferentes, convém irem fazendo alterações às palavras chave e perfil do vosso CV consoante os empregos a que se candidatam para colocarem ênfase na experiência ou conhecimentos que tenham que sejam beneficentes para esse emprego. 

 

Dicas:

  • Escrevam o vosso CV de forma sintética mas com o suporte de experiência ou resultados de sucesso que conseguiram alcançar.
  • Verifiquem que a gramática está correcta e que as expressões são utilizadas no Reino Unido. 
  • Em caso de dúvida, escrevam frases mais curtas e mais simples. É preferível terem palavras e frases simples do que arriscarem colocar palavras "caras" ou frases longas que não fazem muito sentido ou não se costumam utilizar no Reino Unido.
  • Se vocês não souberem escrever bem em Inglês é preferível recorrerem aos serviços de escrita de CV por uma agência especializada, tal como o The CV Centre.
  • Mesmo que tenham um bom nível de inglês escrito, aconselho a pedirem uma segunda opinião com amigos, antigos professores de inglês ou outros profissionais que estejam habituados a escrever em inglês para vos darem a sua opinião, antes de enviarem o CV para empregadores. 
  • Não sabem a melhor forma para expressar a vossa experiência? Pesquisem na Internet exemplos deCVs de pessoas Britânicas que têm a vossa experiência profissional e utilizem as mesmas frases e expressões que se apliquem à vossa experiência. Passo a colocar alguns exemplos deCVs que encontrei na Internet. Notem que indico estesCVs para retirarem ideias de conteúdo, mas continuo a aconselhar utilizarem otemplate indicado em cima:

 

 Aconselho também que pesquisem por ideias de mais de um template para terem uma maior diversidade de expressões para escolherem de forma a que estas representem melhor a vossa experiência pessoal. 

 

Uma vez que tiverem o vosso CV completo podem começar por coloca-lo online nos websites de procura de emprego mais conhecidos tais como o CV-Library.co.uk para que os empregadores vos encontrem ao pesquisar por palavras-chave que tenham indicadas no vosso CV.

 

Para informação sobre a procura de emprego, vejam o post "Como encontrar emprego em Londres" e para se prepararem para entrevistas vejam o post "Como ter sucesso numa entrevista de emprego em Londres". 

 

Estás confortável na tua secretária em pé?

No outro dia um dos meus colegas decide optar por fazer umas mudanças na secretária dele. - "I'm doing my standing desk" - diz ele. Fiquei sem perceber muito bem o que é que ele queria dizer com aquilo, até ao momento em que ele terminou as suas mudanças e continuou a trabalhar. Foi este o resultado:

 

Standing desk
Pois, tal como o nome indicava, ele criou uma secretária onde pode estar a trabalhar de pé. O objectivo? Razões de saúde e fitness, diz ele. Aparentemente esta é a nova moda dos escritórios pelo mundo que surgiu como forma de evitar a vida sedentária que tantos levamos. De acordo com o website Smithsonian, os benefícios de utilizar uma secretária de pé são os seguintes:
  • Reduzir o risco de obesidade
  • Reduzir a possibilidade de terem diabetes tipo II e outros problemas de metabolismo
  • Reduzir o risco de doenças cardiovasculares
  • Reduzir o risco de cancro
  • Aumentar a esperança média de vida

OK, essas podem ser todas boas razões, e claro que todos sabemos que nāo é positivo levarmos uma vida sedentária, mas daí a passar o dia a trabalhar levantado? Então eu que tenho que escrever imenso durante o meu trabalho, estar para ali a teclar de pé? E depois não estás bem de pé de um lado, e tens que passar o peso para a outra perna. Essa coisa de passar todo o peso do corpo para uma das pernas durante horas também não pode ser bom. É como estar a pedir para que apareçam varizes nas pernas. Que tal, comer-se comida saudável, fazer corridas, ir ao ginásio, trocar o carro por transportes e caminhadas? Não? Bem, cada um com a sua, mas a mim é que não me apanham numa secretária de pé como situação permanente. 

A primeira semana no novo emprego

Comecei o novo emprego na terça-feira e devo dizer que, para já estou muito contente com este meu novo emprego. Claro que tinha aquelas dúvidas iniciais:

  • Será que vou gostar do emprego?
  • Será que me vou dar bem com os colegas?
  • Será que vou ter o tipo de responsabilidade que quero?
  • Será que não me vou arrepender?
  • ...

Claro que estas dúvidas ainda não estão completamente de parte já que só lá passei 4 dias, mas para já, estou satisfeita com o que tenho encontrado. 

 

Em termos da função em si comecei a planear as actividades para o ano em antecedência a conhecer o resto da equipa de marketing daqui a 2 semanas quando fôr à nossa sede. Por isso, em termos de trabalho, para já está a ser muito interessante já que tenha a oportunidade de moldar os meus próximos 11 meses da forma que eu considero que vá trazer melhores resultados para a empresa.

  

Em termos dos colegas, eles são todos muito simpáticos. Logo no primeiro dia fomos juntos tomar um copo ao pub após o trabalho para nos conhecermos melhor, e durante a semana deu para perceber que eles são todos super entusiasmados, o que transmite um bom ambiente de trabalho onde as coisas se fazem mais rápida e eficientemente.

 

Em termos do escritório em si, como eles tinham-se acabado de mudar para um novo escritório à 2 semanas atrás, estamos na fase em que vamos pintar o logotipo da empresa nas paredes, e transformar o espaço num local com ar muito moderno e 'coo' já que essa é a ideia que a empresa quer transmitir aos clientes que lá vão. Uma desvantagem a meu ver, à qual ainda me vou ter que habituar é que eles todos gostam de ouvir música enquanto trabalham. Para mim, isso nem sempre dá, já que muitas vezes preciso de estar concentrada no que estou a escrever e a música tende-me a distrair um bocado. Até temos uma playlist no Spotify partilhada onde todos podemos colocar lá música para ouvirmos as nossas preferências. Eu já lá coloquei umas músicas mais Indie mellow (como eu lhes costumo chamar) tipo Lorde e Chvrches para ter uma música mais calminha já que, a meu ver, me ajuda mais em termos de concentração. Claro que se me distrair mesmo muito em certas ocasiões terei que lhes dizer, mas como a música também não está sempre ligada, para já ainda não foi problemática. 

 

Depois outra coisa é que lá todos trabalham com computadores Mac que é coisa a que não estou nada acostumada. Aos poucos começo-me a habituar a usá-lo, mas já tenho tido que fazer várias pesquisas online sobre como efectuar certas coisas no Mac, que são diferentes no PC (como fazer delete; onde está o símbolo £; como guardar favoritos; como guardar ficheiros; etc.; etc.; etc.)

 

Portanto, estou num modo de aprendizagem geral, quer em termos da nova empresa, da indústria, da função e até do computador. Primeiras impressões? Positivas. Espero que assim se mantenham por muito tempo.