Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Passeio pela Bretanha

Cá estou de volta à normalidade após um fim-de-semana em terras da Bretanha no nordoeste de França. As minhas impressões? Lindíssima a cidade de Rennes e vale bem a pena a visita.

Apesar de ser a capital da Bretanha, a cidade é relativamente pequena e visita-se bem todo o centro num dia. Não tem castelo nem fortaleza mas é repleta de ruelas medievais, casas tradicionais (como vão poder ver a partir das fotos que coloco aqui neste post), a decoração da maioria dos edifícios e estruturas da cidade com flores, principalmente sardinheiras de várias cores, e zonas animadas com Franceses simpáticos na rua (para muita alegria minha, principalmente após as experiências não tão alegres que tive com os Checos e com os Turcos em viagens recentes). 

 

 

 

Os amigos da Celine também conseguiram atingir o prometido e mostraram-me como se passa uma noite bem divertida em solo Francês. Até fiquei a saber a letra da música que se canta nas festas de São João que decorreram este fim-de-semana lá por Rennes. No entanto não se deixem enganar porque estas festas de São João de Rennes nada têm a haver com as do Porto. Aliás nem sequer vi festa nenhuma e passeio bem pelo centro da cidade nessa noite. O único vestígio que indicava que de facto estavam a haver algumas celebrações estava relacionado com o fogo de articício que se fez ouvir. Imagino que as festas de São João no Porto também se tenham celebrado neste fim-de-semana?

Algo de que gostei particularmente foi o facto de toda a noite e pela madrugada a dentro, grupos de jovens concentravam-se numa das praças principais de Rennes que é a praça do parlamento. Ainda mais com a noite quente como estava sabia ainda melhor passar a noite assim ao ar fresco e ali, naquela praça, naquele momento e com todo o ambiente que me envolvia tive a sensação que estava no melhor local do mundo.

A noite ainda se prolongou por uma antiga cadeia que era agora um bar bem popular entre os locais e onde, a grande maioria de música que passava era somente Francesa que parecia ser bastante conhecida já que todas as pessoas que ali estavam cantavam em altos pulmões, enquanto que eu arranhava nas partes do refrão que eram mais fáceis tipo "je t'aime, nanana, je t'aiiiime".

Como ficou tudo visto por Rennes no sábado, no dia seguinte passamos por Combourg, uma aldeia medieval muito calma, mas tão castiça e bonita!! Com um grande lago no sopé da pequena encosta em que esta aldeia foi construída e o castelo feudal no topo, esta aldeia seria o cenário perfeito para um encontro romântico ou para um passeio em família. Com uns jardins quase a perder de vista na zona do castelo, poderia-se ficar nesta aldeia um dia inteiro em actividades relaxantes.

 

 

Terminada a visita à aldeia dirigi-me para o aeroporto onde, por 5 minutos ainda consegui entrar na porta de embarque antes que esta fechasse. Ufff! Mas não consegui foi levar o meu vinho Francês que me tinha esquecido completamente que não podia trazer no avião. E enfim, lá ficou a senhora da segurança com uma garrafinha boa de vinho para o jantar. De certeza que quase todos os dias eles devem levar umas coisinhas boas para casa que os passageiros são obrigados a deixar em terra.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.