Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Praga, um encanto ou nem por isso?

A tão esperada viagem a Praga já chegou ao fim. O feedback? Por um lado muito positivo e por outro muito negativo também. Porquê? Bem, muito positivo pelas pessoas que foram comigo na viagem. Felizmente os meus receios não se justificaram e, apesar do grupo ser grande demo-nos todos muito bem sem quaisquer problemas. Aliás, ao fim da viagem já nos sentiamos bastante confortáveis uns com os outros como se já nos conhecessemos à bastante tempo. Quanto ao lado negativo da viagem, vão ter que ser as pessoas também. Refiro-me às milhares de pessoas que encheram a cidade de Praga este fim-de-semana e aos Checos que conseguiram ser, talvez, o povo que gostei menos de conhecer até agora.

Mas começando pelo início, parti para Praga na sexta-feira à tarde com mais 2 outras viajantes. No momento em que estavamos a fazer o check-inn no hotel encontramo-nos na recepção com alguns outros membros da viagem que já lá tinham chegado no dia anterior e passado pouco tempo encontramo-nos com todos os restantes. Feitas as apresentações e as primeiras conversas no bar do hotel dirigimo-nos então para o restaurante aconselhado por quem já conhecia a zona, onde conseguimos ocupar uma salinha do restaurante só para nós. Tipicamente Checo, com decoração, comida e muitas canecas de cerveja que não paravam de vir, foi uma óptima escolha para a nossa primeira refeição na capital Checa.

 

 

O dia seguinte, foi o único em que todos passamos o dia inteiro em Praga pelo que foi o dia escolhido para fazermos os passeios dos principais locais e atracções da cidade. Começamos pela zona do castelo que estava completamente a abarrotar de turistas que esperavam pacientemente em filas para visitar a catedral, para visitar o palácio, para atravessar uma rua, para ver o museu,... enfim filas para tudo!! Decidimos que não queriamos ficar em muitas filas pelo que evitamos a catedral pela sua fila gigantesca e visitamos os restantes principais monumentos. O resto do dia foi passado pelas ruelas e zonas características da cidade, principais monumentos e como não podia deixar de ser, sempre acompanhados de centenas de outras pessoas ao nosso redor e a passarem pela frente das nossas fotos.

 

 

Até essa altura eu ainda não tinha passado nenhuma má experiência pessoal com os Checos, mas já várias pessoas que viajavam comigo se queixavam da forma como tinham sido recebidos - como por exemplo no caso em que uma comerciante respondeu arrogantemente "I don't speak English" e empurrou para fora da loja uma das raparigas que estava comigo simplesmente porque ela foi lá pedir informações. Bem, mas nessa noite também eu experienciei a "simpatia Checa".

Como nessa noite estavamos todos na viagem, e nos íamos encontrar também com mais membros do Star Tracker que efectivamente moram ou estavam em Praga nesse dia para jantar, então eu tinha reservado mesa num restaurante tradicional com a devida antecedência. Tinha telefonado a reservar com cerca de 2 semanas de antecedência para 20 pessoas da primeira vez que telefonei, mas na quinta-feira antes da viagem, o número já tinha aumentado para 29 pelo que voltei a telefonar para o restaurante para reservar para mais pessoas e confirmar tudo. O gerente do restaurante disse que não havia problema nenhum e que podiamos contar com o nossa mesa para sábado à noite. Óptimo, pensei. 

Quando cheguei ao restaurante no sábado pergunto pela nossa reserva e, como não podia deixar de ser, na lista não constava o meu nome. Não queria acreditar que depois de ter telefonado 2 vezes, mesmo assim a reserva não estava na lista. Pedi então para falar com o gerente e comecei-lhe a explicar a situação ao que ele respondeu qualquer coisa que não percebi. Disse-lhe que não tinha percebido e ele voltou a dizer qualquer coisa que não percebi. Perguntei-lhe se ele estava a falar em Checo ao que ele respondeu em inglês - "Sim, se você não sabe falar Checo porque é que eu devo falar em Inglês?" Hamm??? Mas então eu estou a acabar de dizer ao homem que tenho 29 pessoas para levar para gastar dinheiro no restaurante dele e ele responde-me com três pedras na mão a queixar-se de que lhe estou a falar em Inglês?? Devia mas era ter começado a responder-lhe em Português também e assim seriamos dois parvinhos a falar línguas que ninguém se entendia. Brilhante!

Obviamente depois desta já nem quiz ficar naquele restaurante e dirigi-me a um Italiano logo ao lado onde todos os empregados e gerente eram Italianos e apesar do restaurante estar quase cheio, prontificaram-se logo a arredar mesas para conseguir espaço para todos, foram super simpáticos e ficamos numa optima zona do restaurante.

 

 

Ainda continuamos pela noite a dentro num barzinho agradável da zona e despedimo-nos de algumas pessoas nessa mesma noite.

No dia seguinte, fomos 5 fazer uma visita guiada a uma vila a 2 horas de Praga chamada de Cesky Krumlov que era absolutamente encatadora. Com uma arquitectura linda, casinhas lindas numa zona peninsular rodeada por um rio e com o palácio no topo, esta é uma vila medieval mesmo muito picturesca que adorei. Ainda mais como tinha muitos menos turistas que Praga todo o passeio se tornou muito mais agradável porque de facto podiamos apreciar a zona sem andar às cotoveladas com ninguém.

 

 

Nessa noite e já em Praga, encontramo-nos com outras duas viajantes que também ainda lá estavam, para jantar num restaurante tradicional, onde finalmente conseguimos encontrar um empregado de mesa simpático. Já de volta para a paragem de eléctrico deparamo-nos com o facto de que naquela paragem não havia máquina automática de venda de bilhetes e como já eram 23h as tabacarias onde geralmente se compram bilhetes também já estavam fechadas e não é possível comprar bilhetes com o motorista. Bem, obviamente se não temos hipótese de comprar bilhete concerteza que não haverá problema, pensamos nós. WRONG!!!!

Ora conosco estavam uns homens na paragem que depois de entrarmos no eléctrico vieram do fundo do eléctrico, pela porta de onde tinham entrado, directamente a nós sem pararem pelas outras pessoas que tinham ar de Checos e perguntaram-nos pelos nossos bilhetes. Perfeito! - "Não temos, respondi. Não havia sítio nenhum onde comprar bilhete".

Ele (com um sorriso na cara) - "Ora todas a sair já do eléctrico". Lá saimos, e de repente os dois revisores que estavam dentro do eléctrico, de repente transformaram-se em cinco, já que os restantes estavam já à espera naquela paragem. (Hum,.. estranho não? Como é que eles sabiam que íam encontrar alguém na paragem anterior sem bilhete). Depois de tentar argumentar o nosso lado, não havia hipótese de dissuadir o revisor da multa de 700CZK que nos queriam passar (cerca de £21), ameaçando-nos que íam chamar a polícia e rodeando-nos por todos os lados, já a levantar o tom das vozes e com ar de quem nos queriam bater. Claro que lá tivemos que pagar o que os tipos queriam, mas entretanto até um outro turista Americano que estava a ouvir a conversa meteu-se na conversa a chamá-los de ladrões que aparentemente fazem isso a toda a gente que eles sabem perfeitamente que àquela hora não há forma de comprar bilhete e fartam-se de apanhar o dinheiro dos turistas à conta disso.

Senti-me mesmo que estavamos a ser alvo de uma injustiça. Em Londres tal coisa nunca iria acontecer! Quantas vezes já vi casos de pessoas que vieram de uma paragem de autocarro que tinha a máquina de venda de bilhetes estragada e que por isso não tiveram que comprar bilhete, de forma perfeitamente justificada. Se não nos providenciam com formas de compra de bilhete também não podem esperar culpar-nos por isso. É senso comum!

Bem, mas passado esse incidente e já no dia seguinte, ainda aproveitamos a manhã para subir ao topo de uma serra donde podemos ver a vista espectacular sobre a cidade de Praga e ainda consiguimos visitar a catedral do castelo. Também tinha fila desta vez mas já não era tão má quanto a que tinhamos visto no sábado. Com passagem para últimas compras e último passeio pela cidade, demos assim por concluída a nossa viagem.

 

 

Aconselho visitarem a cidade desde que seja a meio da semana e preferencialmente em época baixa para evitar as confusões, mas seja em que altura fôr, tenham é cuidado com os Checos que não são propriamente o povo mais acolhedor do mundo.

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.