Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Escapadela de fim-de-semana a Paris

 

Moi: “Bonjour Monsieur, est ce q vous parlez Anglais?”
Lui: “Non”
Moi: “Haaa, Okay,… hum… nous voudrons billet de metro.”
Lui: “Oui”
Moi: “Et, humm,… quelle est la station pur sortir pur aller a la zone turistique..?"
Lui: "Chatelet"
Uiii, como me custou desenrascar com o pouco Frances que sei, misturado com Ingles e Portugues sem qualquer cuidado gramatical. Bem, mas como as duas Suecas que estavam comigo ainda falavam pior, eu nao tinha mesmo hipotese senao tentar.
O fim-de-semana foi muito agradável e fiquei a adorar o pouco que vi de Paris. Já lá tinha estado 'a mais de 10 anos atrás e pouco me lembrava para além de subir á Torre Eiffel (isso acho que nunca se esquece) e ver o Arco do Triunfo.
Infelizmente a minha amiga e a amiga dela nao estavam tao interessadas em visitar a cidade quanto eu por isso acabamos por apenas ir num dos autocarros turísticos dar a volta a todos os principais monumentos. A meu entender, como nao tenho a oportunidade para estar em Paris com frequencia, queria aproveitar para andar por todo o lado e visitar tudo mas elas nao queriam parar junto a nenhum dos monumentos logo eu acabei por também nao o poder fazer o que foi pena. Lá ainda nao foi desta que fui subir ao Sacre Coeur...
Mas adorei andar junto ao Sena; adorei estar num carro a subir os Champs Elysee de noite com todas as lindíssimas luzes de natal nas árvores de ambos os lados da estrada e com o Arco do Triunfo 'a minha frente; adorei ver o brilhar do sol por entre a estrutura de aco da Torre Eiffel; adorei os edifícios e toda a atmosfera tao romantica da cidade; adorei o mercado de natal; adorei o croissant estaladico que comi no primeiro dia; adorei o brunch de domingo num cafezinho localizado na zona do Les Maire (acho que é assim que se escreve) tipicamente Frances, muito acolhedor e com uma seleccao fantástica já que era servido sob a forma de buffet e incluía crepes, pao, croissants, pan au chocolat, fruta, salsichas, omelete, salada, iogurte, sumos, etc. etc.
Aparte de todas as coisas boas fiquei com alguma ideia negativa do metro de Paris por achar que nao é “tourist-friendly”. O mapa é uma confusao já que as linhas sao geograficamente correctas, logo entrelacam-se umas nas outras tornando mais difícil de visualizar o seguimento de cada uma. Ainda mais, a sinalizacao dentro das estacoes de metro também nao está bem conseguida porque as indicacoes do sentido da linha remetem-nos para a última estacao dessa linha, o que para quem nao conhece, nao faz a mínima ideia se a zona “Bobigny” fica para norte ou para sul, por exemplo. Ou seja, as direccoes deviam estar indicadas como sentido Norte-Sul, Este ou Oeste, porque caso contrário é necessário andar sempre com uma mapa na mao (até porque nao havia um mapa do metro dentro da estacao nos locais em que precisavamos dele). Bem, mas o metro de Paris é enorme com as suas 380 estacoes que se espalham entre 14 linhas diferentes ao longo de 211km e, isto sem contar com as estacoes que sao so do RER (outro tipo de comboios que por lá há). E nesse sentido é muito bom visto que em qualquer local de Paris que se esteja existe uma estacao de metro num raio de 500m (de acordo com o nosso guia turístico do autocarro), o que é optimo! Já o metro de Londres, conta com 275 estacoes percorridas ao longo de 408km, ou seja, existem muitos locais em Londres onde podemos estar que ficam a kilometros de distancia da estacao mais próxima. Já numa de comparacao, nao posso deixar de mencionar que o nosso bonito metro de Lisboa (sem dúvida tem as estacoes mais recentes e arranjadas) detém 46 estacoes ao longo dos seus 39km de linha.
Mapa do Metro de Paris 
  
Mapa do Metro de Londres
Mapa do metro de Lisboa
Quisemos também experimentar a noite Parisiense por isso no sábado comecamos por ir ao Buddha Bar (talvez nao seja o mais característico bar Parisiense mas como reconhecemos o nome e foi-nos indicado por outra pessoa, fomos lá parar) onde paguei o Vodka com limonada mais caro que alguma vez paguei sob a forma rechonchuda de €17!! Como o Buddha Bar de Paris perdeu a licensa de discoteca e nós queriamos dancar acabamos por ir para uma discoteca muito boa junto aos Champs Elysées que tinha nao so uma cantora que cantava ao vivo no meio da zona da pista de danca em algumas músicas como também noutras músicas havia a performance ao vivo de um baterista no meio da pista que tocava em substituicao do som da bateria gravada na música que estava a passar no momento. Espectacular mesmo! Essas sao ideias muito simples mas que trazem um ambiente totalmente diferente a uma discoteca. Gostei da experiencia.
No domingo passeamos por mais algumas zonas de Paris mas quase tudo estava fechado e as ruas semi-desertas o que estranhei já que afinal Paris é uma capital enorme, logo nao pensei que ao domingo fosse encontrar tao pouca movimentacao nas ruas. So encontrámos o Champs Elysées animado com o seu mercado de natal (onde algumas das barraquinhas tinham a bandeira Portuguesa) e com as suas várias lojas, restaurantes e cafés.
Fiquei triste por nao ter ido visitar o Sacre Coeur, mas sempre tenho mais uma desculpa para voltar a Paris proximamente.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.