Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Londres - O caos da manhã

Preparada para recomeçar mais uma semana de trabalho? Nem por isso, que mais um diazinho de fim-de-semana sabia muito bem, mas sem dúvida que a perspectiva de ir para o trabalho amanhã de manhã será melhor do que a experiência pela qual tive que passar na semana passada. É que como durante a última semana estive numa exibição na ExCel (a FIL cá do sítio) que só abria às 10h, apanhava sempre os transportes um pouco mais tarde do que é habitual. E que pesadelo que foi andar de transportes públicos pelo meio de Londres por volta das 9h da manhã! Eu pensei que ir mais tarde seria sinónimo de um menor número de pessoas nos transportes já que na maioria dos casos os horários de trabalho iniciam às 9h. Afinal estava enganada porque agora acho que a maioria das pessoas tem é horários flexíveis que lhes permite entrar à hora que bem entender já que depois das 9h encontrei os transportes ainda mais cheios do que costumo encontrar indo mais cedo. Mas será que a hora de ponta de Londres é assim tão má para justificar escrever um post sobre ela? Sim!!! É péssima! Felizmente geralmente saio de casa por volta das 8h por isso não costumo ter assim tantos problemas nos transportes e, quando tenho, se não consigo entrar logo no primeiro metro por estar demasiado cheio, geralmente ao 2º ou 3º metro consigo entrar. Claro que isso já é mau o suficiente, mas o tipo de confusão em que me envolvi durante a semana passada foi tal que sinceramente não sei como é que as pessoas conseguem lidar tão bem com essa situação TODOS os dias. É que todas as manhãs demorei cerca de 1h30 a 1h45 de casa ao centro de exposições ExCel, o que é uma viagem que, em situações normais se consegue fazer em 45min.  O pior dia foi mesmo quando decidi ir apanhar o metro uma estação antes da minha porque achei que entrando antes não teria que esperar por tantos metros para conseguir entrar num, mas afinal quando lá cheguei deparei-me com uma fila enorme de pessoas fora da estação já que tinham fechado o acesso às plataformas por estarem demasiado congestionadas. Nunca tinha presenciado tal coisa naquela estação! Claro que já tinha visto isso muitas vezes acontecer em estações como a de Victoria por serem estações principais com grande afluência de pessoas entre os comboios e as várias linhas de metro, mas agora numa estação de metro pequena onde só passa uma linha? Isso ainda nunca tinha visto acontecer. Depois de cerca de 15 minutos estou dentro do metro em direcção a London Bridge. Trocando em London Bridge para a Jubilee Line, deparo-me com filas enormes que não só enchem as plataformas como ocupam também o corredor fora das plataformas que geralmente é usado só para passagem. Cada metro que passa consegue levar algumas pessoas, mas muito poucas de cada vez o que faz com que a espera e a ansiedade se tornem ainda maiores. Depois de 4 metros passarem lá finalmente consigo entrar  num e fico esparramada contra a porta, costas curvadas para a frente, dado o formato da porta, e completamente apertada entre as pessoas que me rodeiam. Felizmente, 3 estações depois, a multidão sai do metro em Canary Wharf. Ao início até pensei que talvez o metro estivesse mais cheio do que o habitual por causa desta exibição que atrai todos os anos milhares de pessoas, mas pelos vistos não, isto é mesmo assim todos os dias! É ridículo! Bem, mas a viagem apesar de mais confortável ainda não tinha chegado ao fim. Duas estações depois e já em Canning Town tenho que trocar novamente para apanhar o DLR (Docklands Light Railway) de forma a prosseguir viagem. Mas com as mesmas intenções que eu, estavam já mais umas muitas dezenas (ou poucas centenas) de pessoas paradas na plataforma a empurrarem-se umas às outras porque todas queriam entrar no próximo comboio. Felizmente o DLR vem sempre da estação anterior quase vazio por isso aí conseguia entrar sempre no primeiro que aparecia embora, claro que tinha que passar a viagem novamente apertada até chegar à ExCel onde toda a gente saía.

 

Uff, isto tudo só para desabafar um bocadinho sobre o que é a hora de ponta em Londres. Exageradamente má! Mesmo muito para além do ridículo. E o pior é que a população de Londres só tem estimativas para aumentar ainda mais, tornando a rede de transportes cada vez mais insustentável. O nosso novo presidente da Câmara Boris Johnson, ainda por cima decidiu cancelar todos os planos de alargar as redes de transportes de Londres que tinham sido delineadas pelo presidente anterior. Tudo bem que fê-lo para poupar uns quantos biliões de libras, mas também não era necessário cancelar todos os planos. Podia só cancelar alguns e deixar os restantes serem construídos.

E nem quero pensar quando chegar a altura dos Jogos Olímpicos em 2012. Isso então, se agora já os transportes estão tão maus, vai ser o autêntico pânico, tão elevado será o número de pessoas pela cidade.

Bem, só tenho é que me dar de contente porque ao menos amanhã já vou estar no ritmo normal em que saio de casa mais cedo evitando a maior hora de confusão. Mais vale chegar mais cedo ao trabalho mas ao menos estar bem disposta.

imagino que não seja a única a partilhar da mesma opinião relativamente à insuficiente rede de transportes?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Tuga em Londres 13.12.2008

    Pois é, dentro da cidade a maioria das pessoas anda de transportes principalmente porque existe uma taxa diária de £8 para quem quer entrar na cidade de carro, daí uma das razões, para além do tráfico, que as pessoas preferem andar de transportes públicos. Vai passando por aqui sim, que serás muito bem vinda :-)
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.