Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Estou com ansiedade?

No último post que escrevi aqui no blog, já no início de Setembro, eu tinha falado sobre a minha situação actual no trabalho e como as consecutivas horas de trabalho excessivo me estavam a deixar constantemente cansada e sem tempo para fazer coisas de que gosto, mas que necessitam de tempo, tal como escrever aqui no blog. 

 

Quase dois meses depois a situação ainda não mudou. Até tem estado um pouco pior nas últimas duas semanas porque estava a trabalhar num projecto, cujo prazo terminou esta semana e, como tal, passei os últimos dias antes do prazo, ou sentada na secretária, ou a dormir, com as ocasionais visitas à casa-de-banho. 

 

E, apesar de ter estado a trabalhar consecutivamente para o tal projecto, continuavamos a ter as reuniões habituais sobre outros temas em que era esperado de mim que estivesse preparada para essas reuniões com updates o que, me era completamente impossível. Eu consigo trabalhar rapidamente e considero que faço o meu trabalho de forma eficiente, mas quando há tantos projectos e prioridades em simultâneo, simplesmente não é fisicamente possível fazer tudo num pequeno espaço de tempo.

 

Isso significa que, antes de ir para certas reuniões, eu comecei a sentir  uma sensação nervosa que me começa pelo topo da cabeça e que se expande por toda a parte de trás da cabeça; começo também a transpirar e ficar com receio da conversa que está para acontecer na reunião. Durante a noite, também adormeço a pensar no trabalho, sonho com o trabalho e acordo a pensar nele também. Percebo perfeitamente que esses são sinais de ansiedade. 

 

E ansiedade não é um problema que tenha tido antes. Ocasionalmente, antes de falar em público ou semelhante, tinha um pouco de nervosismo/ansiedade, que passa logo de seguida. Mas ultimamente tem sido uma sensação que tenho experienciado durante a maioria dos dias. Escusado será dizer que essa sensação não é positiva, e que, ao continuar a este ritmo, estou a caminho para um possível esgotamento mental. 

 

Na minha equipa de marketing, em que, actualmente já somos muito poucos, o que se reflecte no excesso de trabalho que todos temos tido, no último mês, tivemos três pessoas da equipa a enviar a sua carta de resignação. Portanto, para uma equipa que já era pequena, agora vai ficar ainda mais limitada. 

 

A adicionar ao facto da equipa estar a reduzir, temos um novo CMO que, até já, ainda não recebeu a opinião positiva da equipa. Tal como em qualquer caso quando um novo líder entra numa empresa, quer fazer várias mudanças, e, como em qualquer altura de mudança, há quem goste e quem não goste. Ainda não há estabilidade com  a nova liderança, e o facto de que estavamos todos a trabalhar neste projecto, fez com que também não houvesse muito tempo para envolver a equipa nas mudanças e explicar as intenções. Para já dou-lhe o benefício da dúvida porque sei que não houve tempo para se estabelecer e estabelecer a equipa. Mas agora que temos este projecto terminado, espero ver a diferença para breve. Eu sem dúvida que não quero continuar no mesmo ritmo e percebo os riscos associados relacionados com a minha saúde, portanto, vou dar mais algum tempo para ver como as coisas decorrem, e se não melhorarem, vai ser tempo de mudança para mim também. 

 

Para já, e enquanto as coisas não mudam, para controlar a ansiedade tenho andado a fazer o seguinte:

  • Acordo sempre cedo de manhã pelo menos 2h15min antes de ter que começar a trabalhar para poder fazer exercício e ir dar um passeio. Activar as endorfinas logo de manhã faz-me sentir bem e ajuda a deixar de lado pensar no trabalho durante esse período. E, o passeio matinal pelo parque e zonas bonitas locais também me faz ficar mais positiva. Ajuda-me a ajustar as ideias, redefinir as prioridades para o dia, e activar os meus níveis de energia
  • Ouço música de que gosto durante as horas do trabalho quando não estou em reuniões. De forma geral, a música tem a tendência para me distrair pelo que normalmente evito ter a música ligada, mas desde que a música seja calma, eu consigo trabalhar sem me distrair, e, ultimamente com a situação actual, tenho achado que os benefícios que ganho por estar a ouvir música se sobrepoem às desvantagens de me poder distrair um pouco. 
  • Quando estou prestes a entrar numa reunião que me está a deixar ansiosa, tento parar a acelaração dos pensamentos, respiro fundo, tento prever o que vai ser discutido e o que vou responder para me sentir um pouco mais preparada e evitar ser apanhada de surpresa com questões a que não posso responder. 

london-fields-autumn.jpeg

 

Para já são esses os meus métodos para lidar com a situação para tentar controlar ao máximo como me tenho estado a sentir. Agora com o fim do tal projecto espero poder começar a ver a luz ao fim do túnel. A ver vamos... acho que o tempo que me demorar a voltar a escrever aqui também vai dar uma indicação de como as coisas estão a correr. 

 

Têm alguma experiência de como lidar com ansiedade e/ou esgotamento que possam partilhar? Acho importante falar do assunto porque, eu sei que situações como a minha, são comuns, e reconhecer quando estamos a passar por este tipo de situação, falar sobre o assunto, e receber dicas sobre como outros lidaram com isso, pode ajudar a definirmos o nosso próprio problema melhor, para podermos, eventualmente superá-lo.