Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Como encontrar tempo quando não se tem tempo para fazer nada

Apesar da vida ainda não ter voltado ao seu normal como estava antes da pandemia, este fim-de-semana cheguei à conclusão de que voltei ao meu mau hábito de andar sempre sem tempo para fazer nada! 

 

Como tivemos um fim-de-semana prolongado, tinha planeado esta lista de coisas que queria fazer, e estava toda entusiasmada por finalmente me poder dedicar a elas, mas sabem quantas coisas da minha lista eu fiz? Duas, dentro de uma lista de doze actividades. Consegui fazer umas burocracias relacionadas com finanças, e consegui marcar o meu vôo para ir a Portugal no Natal, e só. Já não consegui fazer pão, nem consegui escrever um post no blog, nem consegui fazer mais umas burocracias que tenho na lista há imenso tempo. E porquê, quando tinha à minha frente um fim-de-semana prolongado de 3 dias? - Porque simplesmente já não estamos em lockdown, e eu já não estou sem emprego, e como tal, os dias passam-me novamente pelos dedos sem quase notar. 

 

E pensar eu que andava a fazer pão que nem uma expert todo o santo fim-de-semana durante 3-4 meses sólidos. Agora, já não o tenho conseguido fazer há mais de mês e meio. Aprender a fazer pão deu-me um certo prazer, mas actualmente, só a ideia de que tenho que dedicar 4-6 horas à coisa, tira-me logo toda a vontade de começar. Além do facto de que simplesmente já não tenho assim 4-6 horas disponíveis sem mais nada que fazer. Tenho continuado a alimentar a massa mãe de duas em duas semanas, para a conseguir manter activa, com o intuito de eventualmente cozer pão, mas sinceramente não sei quando vou poder voltar a fazê-lo. 

 

Depois também queria continuar o projecto principal que comecei durante o lockdown, que foi começar a escrever um livro, que já há muito queria fazer. Dediquei tantas horas a escrevê-lo durante o lockdown, já escrevi mais de 40,000 palavras (note-se que muitos livros dão-se por completos com cerca de 50,000 palavras), mas o problema é que ainda não estou nem a meio!  E, para ser sincera, ainda não lhe peguei desde que comecei o novo emprego. O facto é que passo o dia todo, todos os dias da semana, ao computador, e chega ao final do dia estou tão exausta, que a única coisa que me apetece fazer, caso esteja em casa, é recostar-me no sofá e não olhar para um ecrã de computador. 

 

Depois chega o fim-de-semana, mas nesses dias só quero espairecer, aproveitar para ir dar passeios, ver amigos, etc, por isso aos fins-de-semana também não tenho encontrado lugar para a escrita, nem para fazer pão, nem para fazer as burocracias todas que queria. 

 

Ao mesmo tempo, eu sei que se quero mesmo fazer algo, tenho que o priorizar. Afinal, porque é que não tenho tempo para fazer burocracias no fim-de-semana? Porque priorizo a minha vida social, que sempre foi muito importante para mim, e agora ainda é mais já que passei meses distante dos meus amigos. Acho que a solução vai ser mesmo ter que colocar na minha agenda certas horas dedicadas a certas tarefas, tal como coloco os encontros sociais. Se estiver na agenda que a certo dia e hora vou-me dedicar a escrever, não posso marcar encontros sociais para esse momento, certo? Tal como não deixaria de me encontrar com um amigo, também tenho que ser exigente e não deixar de fazer as outras coisas que são importantes para mim. Ainda não vai ser este próximo fim-de-semana que o tenho todo ocupado com amigos , mas acabei de marcar na minha agenda que vou dedicar uma das manhãs do fim-de-semana seguinte a escrever. Ao estar a comprometer-me na minha agenda e por aqui também, espero que assim me dê o sentido de responsabilidade para fazer as outras coisas que quero fazer. Vocês ficam testemunhas e depois tenho que vir cá confirmar se efectivamente dediquei esse tempo à escrita.

Só espero que esta minha nova técnica vá resultar.