Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Halloween no Castelo e centros de escalada em Londres

Este fim-de-semana fui à minha primeira festa de Halloween deste ano. O seu intuito principal não era propriamente o Halloween mas sim a celebração do 20º aniversário do The Castle Climbing Centre que, tal como o nome indica, é um centro de escalada, localizado num castelo. É um castelo que foi originalmente construído em 1856 com o intuíto de alojar umas bombas de filtração das águas do resevatório adjacente ao castelo. Alguns anos depois já não tinha qualquer uso, mas a comunidade local não deixou que o edifício fosse destruído e listaram-no como edifício protegido. Só muito mais tarde, já em 1994 é que foi dada a autorização para construção de um centro de escalada lá dentro que abriu em 1995. 

 

Desde então o The Castle, localizado em Green Lanes, entre Manor House e Stoke Newington, tornou-se o centro de escalada mais conhecido de Londres. Não o costumo frequentar, mas como uma conhecida vai todas as semanas ela é que nos falou do 20º aniversário do centro que decorreu este fim-de-semana. E, aproveitando a desculpa do Halloween, os organizadores criaram o ambiente de uma forma muito interessante que se enquadrou muito bem naquele ambiente - uma festa de luzes ultra-violeta à temática Halloween. Ou seja, estava escuro, a maioria das pessoas encontrava-se vestida de cores fluorescentes com temáticas de horros nas suas vestimentas. Foi muito giro o ambiente criado e, depois como as próprias pedras de escalada são pintadas em cores fluorescentes, todas as paredes que nos rodeavam cintilavam a inúmeras cores. 

 

castle_climbing_20_anniversary.JPG

 

Tenho vários amigos que fazem escalada como hobbie e adoram, não só pelo desafio físico, mas também é uma boa forma de formar um grupo novo de amigos neste tipo de hobbie visto que requer muitas vezes que as pessoas se entreajudem na escalada. 

 

Para quem estiver interessado em experimentar escalada, existem vários centros espalhados em diferentes partes de Londres. Os que conheço incluem:

 

Norte

The Castle Climbing Centre - Manor House

The Arch Climbing Wall - Burnt Oak

 

Sul

The Arch Climbing Wall - Bermondsey

Vauxhall Climbing Centre - Vauxhall

 

Este

Mile End Climbing Wall - Mile End

The Reach Climbing Wall - Woolwich

 

Oeste

Urban Ascent - Parsons Green

Westway Climbing - Ladbroke Grove

 

 

Conversa de emigrantes

Hoje chego a casa cansada, coloco uma pizza no forno e comento para o meu flatmate que também estava na cozinha:

- Ora isto diz que demora cerca de 20 minutos no forno.

- Olha lá que 20 minutos é muito. Vais ficar com a pizza toda queimada.

- Ah mas eles dizem aqui que é 20 minutos para frozen.

- Ah, tiraste agora a pizza do congelador? Então talvez seja. Eu costumo sempre colocar a pizza de chilled por isso demora menos mas se já estava frozen tem lógica demorar um bocado mais.

 

Eu lembro-me quando ainda vivia em Portugal e ouvia as amigas emigrantes da minha mãe falar, achava inadmissível como é que se trocavam todas a falar Português a colocar umas palavras Francesas pelo meio das conversas. Ainda acho que o nível de "linguagem emigrante" que tinham era muito elevada para quem passou a maior parte da vida em Portugal, mas agora também as percebo. Na altura pensava que elas faziam isso para mostrar que viviam no estrangeiro. Mas então e esta situação da minha conversa com o meu flatmate. Só aqui estávamos nós os dois, em casa, em Londres. Concerteza que não estavamos a tentar mostrar a ninguém que somos emigras, e não que isso seja alguma razão de orgulho para querer dar a conhecer. O facto é que quando se passa o dia todo a falar e pensar noutra língua o nosso cérebro fica preguiçoso de mudar para uma nova língua. E ao encontrar-me naquela situação com o meu flatmate, claro que vou falar com ele em Português, mas estava a ler a palavra "frozen", logo em vez de tentar traduzi-la simplesmente recito-a porque é mais fácil. E possivelmente o cérebro dele teve a mesma lógica e, ao ouvir-me dizer "frozen" e querer referir-se a um antónimo dessa palavra, disse o antónimo na mesma língua e utilizou o termo 'chilled' em vez de 'refrigerado. 

 

Depois de sair da cozinha saí de lá a pensar nessa conversa e no porquê de termos utilizado essas palavras em Inglês, mas o facto é que, ao pensar nisso, até que falo com ele dessa forma várias vezes. O mesmo acontece com as minhas amigas Portuguesas que estão por cá. Com quem tenho mais confiança, simplesmente deixo ir a primeira palavra que vem à cabeça, enquanto que se estiver num outro ambiente com outros Portugueses que já não conheça tão bem por cá ou sempre que estou em Portugal, tento evitar o uso desses termos ao máximo. Prefiro parar para pensar e lembrar-me da palavra antes de dizer a alternativa Inglesa.

 

É interessante apercebermo-nos como o nosso cérebro funciona relativamente às línguas. Portanto não é de julgar ninguém que se saí com uns estrangeirismos. Algumas vezes pode ser sim uma forma de exibicionismo provinciano, mas muitas outras é simplesmente culpa de um cérebro preguiçoso. 

 

anglicismo.jpg

 

 

Nova cozinha - finalmente!

Ainda não tinha voltado a comentar mais no assunto sobre a cozinha porque ainda não estava pronta! Só este fim-de-semana, finalmente, posso dizer que posso voltar a disfrutar do luxo de ter uma cozinha em casa. Considerando que coloquei o primeiro post sobre o assunto a dia 1 de Setembro, já passou mais de 1 mês e meio sem poder utilizar a cozinha, a comer fora, e com a sala numa bagunça visto que tudo o que estava na cozinha teve que lá arranjar guarida durante este tempo. 

 

É uma das desvantagens de estar dependente da agência para que as coisas sejam feitas. Eles passavam o tempo a dar-nos desculpas de que tinham muito trabalho e que não conseguiam fazer as coisas mais rapidamente por causa de todas as outras casas em que também estavam a trabalhar. 

 

Enfim, mas ao menos já está e ficou bonitinha. Agora só tenho que ver se o meu actual hábito de comer fora não vai fazer com que comece a cozinhar menos. Eis o resultado:

 

kitchen3.jpg

 

 

Oktoberfest em Londres

Por volta de Maio tinha descoberto que ía haver um grande Oktoberfest em Londres, em semelhança ao tradicional festival de cerveja em Munique. Achei que poderia ser uma boa ideia para festejar o meu aniversário este ano em vez de fazer uma festa em casa e por isso enviei um convite aos meus amigos logo por essa altura. Eu sabia que esse tipo de evento iria ficar esgotado bem antes da data e, por isso mesmo enviei o convite com tanto tempo de antecedência. Um mês antes do evento já estava esgotado e, quando soube disso perguntei quem tinha conseguido comprar bilhetes. Apenas 6 de nós tinhamos comprado a tempo. Pena que mais não tivessem comprado a tempo, mas tudo bem.

 

Comprei a minha fatiota Bavariana e estava entusiasmada com o evento que ía decorrer neste sábado passado, até que recebi as notícias na sexta-feira de que algo tinha corrido mal no dia de abertura do evento, a quinta-feira passada, e como tal, a organização decidiu cancelar todos os futuros eventos. 

 

Houveram vários rumores sobre o cancelamento do evento - uns disseram que se devia à má organização do controlo de multidões, outros disseram que se deveu ao facto de haver muitas pessoas que estavam demasiado bêbedas e foram mal-educadas para o staff que já não queria voltar a trabalhar nos dias seguintes e, como tal, tiveram que cancelar. Eu só tinha comprado os bilhetes básicos de £10, mas houve muitas pessoas que compraram bilhetes de £60 que incluíam bebidas ilimitadas. Houve também grupos que vinham de todas as partes do país e tinham investido em acomodação, férias, etc. para poder vir ao evento, tal como foi o caso do testemunho deste grupo entrevistado:

  

 

Não sei bem qual a razão ao certo, mas o facto é que, se em Munique conseguem organizar um evento daqueles há anos, concerteza não será impossível de conseguir organizar bem um evento do género em Londres também. E tal não é impossível que houve outro Oktoberfest a ser organizado em Londres no mesmo fim-de-semana e acabei por ir a esse como alternativa. Estava com receio que não fosse grande coisa mas até que esteve muito bem organizado, não houve quaisquer problemas e foi muito divertido. Ao menos deu para dar uso à minha vestimenta Bavariana. Ficam algumas fotos desse evento:

 

IMG_5614.JPG

IMG_5629.JPG

 

 

Já cá canta mais um

Eles passam tão rápido. Mal vejo um e, de repente olho novamente e já o outro está a passar. Refiro-me aos aniversários, e o meu, voltou a decorrer esta semana. 

 

Já há muitos anos que costumo celebrar com uma festa temática em casa, mas este ano optei por algo diferente - uma noite no Oktober Fest em Londres que vai decorrer no fim-de-semana da próxima semana. Descobri este evento logo por volta de Maio, comprei o meu bilhete e enviei convites imediatamente, mas o risco que eu corria verificou-se: ninguém se preocupou muito em comprar os bilhetes com antecedência porque pensavam que tinham tanto tempo e entretanto já se esgotaram no início de Setembro. O problema é que agora vamos ser só uns 6 a participar. Portanto vai ser uma festa bem mais reduzida do que é habitual no meu aniversário, mas mesmo assim, tenho andado em celebrações nos últimos dois dias por isso, fica a festa compensada. Na noite dos meus anos organizei um jantar no Proud Archivist que é um restaurante/bar junto ao Regent's Canal de que gosto e, na noite de ontem fui encontrar-me com outro grupo e passámos a noite a dançar. Diga-se de passagem que hoje estou de rastos, mas vale a pena pelas duas noites muito bem passadas. 

 

Ficar um ano mais velha pode não ser a melhor sensação, mas quando é bem celebrado, não nos preocupamos com coisas banais como os números associados aos anos de vida. 

 

Foi assim o meu jantar:

birthday_dinner15.JPG