Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Os 'crackheads'

São agora 18:45h e estou agora sozinha no escritório que fiquei para acabar algumas coisas. Do meu lado direito tenho uma janela que dá para um beco onde à cerca de 2 horas atrás vieram-se sentar a um dos cantos um grupo de 3 pessoas que ainda ali estão. Um dos meus colegas é que reparou neles e disse "the crackheads are back".

 

Aparentam ser sem-abrigo e a mulher, pelos seus 40 anos, acendia uma espécie da cachimbo, enquanto que um dos dois homens, ambos também pelos seus 40 anos, estava a alisar um papel de alumínio e a colocar qualquer coisa lá em cima. Estavam a fumar crack e talvez outro tipo de droga também. E esta não é a primeira vez que aqui vêm. Sendo um beco no Soho, apesar de ser bem no centro de Londres, numa zona onde regularmente passa polícia, devem ter verificado que aqui ninguém os perturba e podem consumir as drogas que lhes dão prazer o quanto quizerem. 

 

Passado algum tempo ouvimos mais vozes e a minha colega chama à atenção de que estava ali a decorrer uma 'drugs party' com as novas pessoas que tinham chegado entretanto. Eram mais dois homens, um pouco mais jovens, mas desta vez nem pareciam sem-abrigo, que dava para ver pela roupa que usavam. Um deles estava a olhar fixamente para o braço e rapidamente apercebemo-nos que estava à procura de uma das veias para injectar (talvez heroina?). Foi perturbante vê-lo a injectar-se e rapidamente voltei-me para o computador. 

 

Os meus colegas entraram numa discussão sobre o assunto em tom de brincadeira e gozo, dizendo que íam pesquisar online uma música de sirenes para ver o que eles fariam se as ouvissem. Pedi-lhes para não fazerem isso e pararem de brincar com o assunto. Uma das minhas colegas vira-se para mim e pergunta, com ar meio espantado - "Mas porquê? Parece que estás com pena deles?" E estava. 

 

É que esta é a vida que eles levam! Principalmente os sem-abrigo, possivelmente passam os dias a pedir esmola para depois usarem para comprar estas drogas que talvez sejam a única coisa que lhes dá prazer na vida. Pode ser um pouco desconcertante para nós que os vimos, principalmente o momento em que um deles injectou a seringa, mas não deixa de ser um momento que penso que seja bom para eles. Por isso, porquê tentar fazer algo como pregar-lhes uma partida com o som de uma sirene, ou até mesmo chamar a polícia, como um dos meus colegas sugeriu? Eles concerteza que não gostam da vida que levam, e concerteza que já terão passado por momentos muito maus, por isso porquê, estar a trazer-lhes mais um momento negativo? Eles não nos estão a fazer nenhum mal. Se a polícia viesse também não ía fazer com que eles deixassem de tomar drogas no futuro. Apenas faria com que lhes tirassem todas as drogas com as quais talvez tenham estado a sonhar durante muito tempo e possivelmente passassem parte da noite a chorar por causa disso.

 

De vez em quando ía olhando pela janela para ver se ainda ali estavam. De todas as vezes estavam a fumar mais ou a fazer um novo. O que tenho achado muito estranho é que, em momento nenhum os ouvi rir. Não é esse o objectivo? Sentirem-se melhor e rirem? Talvez o corpo já esteja tão habituado que já não faz esse tipo de efeito? 

 

São 19:20h. Acabei de olhar novamente para a janela e eles já lá não estão. 

Estás confortável na tua secretária em pé?

No outro dia um dos meus colegas decide optar por fazer umas mudanças na secretária dele. - "I'm doing my standing desk" - diz ele. Fiquei sem perceber muito bem o que é que ele queria dizer com aquilo, até ao momento em que ele terminou as suas mudanças e continuou a trabalhar. Foi este o resultado:

 

Standing desk
Pois, tal como o nome indicava, ele criou uma secretária onde pode estar a trabalhar de pé. O objectivo? Razões de saúde e fitness, diz ele. Aparentemente esta é a nova moda dos escritórios pelo mundo que surgiu como forma de evitar a vida sedentária que tantos levamos. De acordo com o website Smithsonian, os benefícios de utilizar uma secretária de pé são os seguintes:
  • Reduzir o risco de obesidade
  • Reduzir a possibilidade de terem diabetes tipo II e outros problemas de metabolismo
  • Reduzir o risco de doenças cardiovasculares
  • Reduzir o risco de cancro
  • Aumentar a esperança média de vida

OK, essas podem ser todas boas razões, e claro que todos sabemos que nāo é positivo levarmos uma vida sedentária, mas daí a passar o dia a trabalhar levantado? Então eu que tenho que escrever imenso durante o meu trabalho, estar para ali a teclar de pé? E depois não estás bem de pé de um lado, e tens que passar o peso para a outra perna. Essa coisa de passar todo o peso do corpo para uma das pernas durante horas também não pode ser bom. É como estar a pedir para que apareçam varizes nas pernas. Que tal, comer-se comida saudável, fazer corridas, ir ao ginásio, trocar o carro por transportes e caminhadas? Não? Bem, cada um com a sua, mas a mim é que não me apanham numa secretária de pé como situação permanente. 

Dating em Londres

Uma das coisas de que ouço muitas pessoas se queixarem por Londres é da dificuldade de conhecer alguém que venha a ser seu namorado ou namorada.

Não posso falar muito do lado masculino, mas sei muito bem o que o lado feminino pensa da situação. Para quem não gosta de estereótipos é melhor não continuar a ler este post, porque vai estar cheio deles, já que é assim mesmo que se fala da situação.

 

As mulheres queixam-se de que a maioria dos solteiros que estão na casa dos 20 estão mais interessados em relações passageiras e sair com o maior número de pessoas possível, do que propriamente ter uma relação séria com alguém. Depois os que já estão na casa dos 30 e 40, ou são playboys e vão querer sê-lo para o resto da vida; ou já têm namorada/mulher; ou são um bocado esquisitos; ou são os "nice guys" - aqueles que têm todas as características que as mulheres dizem que querem, mas que na prática, apenas os vêm como bons amigos.

 

Apesar dos estereótipos, cada uma não deixa de ter esperança que eventualmente encontre a exceção à regra. Idealmente ele irá surgir num dia frio em que começa a chover repentinamente e ele aparece com um chapéu de chuva para os resguardar aos dois, começam a conversar e ele convida-a para ir tomar um chocolate quente. Ou então será num dia de muito calor, em que ela está a passear ao longo do Tamisa, ele passa de bicicleta e, fica tão desnorteado quando a vê que não repara na pedra que está em frente e caí da bicicleta, sendo que ela vem ajudá-lo a levantar-se e assim que se olham nos olhos, nunca mais conseguem estar longe um dos outro.

 

Enquanto a situação ideal não acontece, vão havendo as noites bezanas num bar em que o tipo, passado uns primeiros melos está a perguntar "shall we go to mine, babe?". Ou então há o amigo do amigo que conheceram na tal festa,... e ele parecia tão perfeito,.. e foram a alguns 'dates',.. e estava a correr tudo tão bem,.. até que ouvem o inevitável "I'm not looking for a relationship" ou ele simplesmente deixou de responder às mensagens e não conseguem perceber porquê. A história repete-se com um, e com dois, e com três, e depois de muitas conversas com amigas, seguirem diferentes conselhos e tomarem diferentes tácticas tais como não responderem até ao dia seguinte; ou dizerem que estão ocupadas na noite inicial que ele sugere; ou de deixarem passar pelo menos quatro 'dates' até irem passar a noite a casa dele; desistem e optam por técnicas completamente novas. Fazem o download do Tinder. Isto porque em tempos já tinham aberto conta no Match, e no Guardian Soulmates, e no eHarmony (ahh, esse desgraçado do eHarmony que vos fez responder a um questionário que demora 1 hora a completar, apenas para no final vos aparecer no ecrã "I'm sorry, but we couldn't find any compatible matches."), e no Doingsomething, e no PlentyOfFish e no OKCupid, sem qualquer resultado significativo. Durante a vossa experiência online tiveram vários encontros com pessoas que tinham pouco ou nada a ver convosco, e os que tinham, rapidamente caíram no mesmo ciclo vicioso como o do 'amigo do amigo que conheceram na festa'. Experimentam então o Tinder porque estão zangadas com os homens de forma geral e querem passar a ser tão supérfluas quanto eles são na sua escolha inicial. Após algumas conversas e encontros, vários 'match' sem qualquer resposta e ao terem ficado chocadas ao verem vários perfis de homens que vocês sabem que têm namorada ou são casados, apagam a aplicação do telemóvel.

 

Acham que o problema só pode ser vosso, então decidem ir a uma palestra onde um homem vos dá conselhos sobre como atrair e conseguir uma relação. Ele dá-vos dicas de confiança que vos ajuda a ter a possibilidade de conhecer mais pessoas, porque afinal isto de se conhecer a pessoa certa é um "numbers game" e quantas mais pessoas conhecerem, mais próximas estarão de conhecer a pessoa certa. Atenção que estas palestras não são só para mulheres. Muitos homens também andam pelos bares a colocar em prática o que lhes foi ensinado por dating coaches tal como os organizados pelo Authentic Man Within. Portanto, meninas, da próxima que repararem que o rapaz que acabaram de conhecer vos está a dizer que não gosta da côr dos vossos sapatos ou que o vosso emprego soa aborrecido, é porque muito provavelmente este é um dos que foi à palestra ou leu o livro e não ficou com a lição lá muito bem ensinada (é que aparentemente um dos truques infalíveis é dizerem coisas negativas sobre nós para ficarmos mais interessadas neles. Ahh, não sabiam que nós gostamos é que eles nos tratem mal? Mas, segundo os experts em coaching, gostamos. Portanto quando se depararem com tal situação é porque ele está a tentar conquistar-vos {#emotions_dlg.barf}

 

Então para tentarem colocar em prática os ensinamentos da palestra juntam-se a grupos de caminhadas, a grupos de leitura, a meetups, passam a ir aos eventos do internations, a aulas de Salsa, juntam-se ao British Military Fitness e ao grupo de corrida local e enchem os vossos tempos-livres de actividades onde possam conhecer pessoas novas. Criam novos amigos, descobrem novos hobbies, e talvez até tenham alguns encontros, cujo resultado, na maioria dos casos, acaba por ser o mesmo de todas as vossas experiências anteriores.

 

Decidem voltar a tentar algo mais organizado mas não querem perder tempo online, então decidem tentar speed dating. Como não estão muito convencidas com aquilo, optam por um mais barato. Arrependem-se assim que chegam ao ver com quem vão estar a conversar durante a próxima meia-hora. Confirmam a suspeita ao falar com eles, e entre o tímido, o que só sabe falar de comida, o que tinha as perguntas todas decoradas e não consegue desenvolver conversa e o tipo muito feio, não há um que se aproveite. Tentam um speed dating mais caro e o resultado é o mesmo. Então inscrevem-se com mais duas amigas no Smeeters, de que ouviram falar recentemente e, aparentemente deu resultado com um amigo vosso. Através do Smeeters, as três, vão encontrar-se num bar escolhido pelo site, num blind date com três rapazes, amigos entre eles. Boa forma de conhecer pessoas novas em grupo que pode também dar muito bem ou muito mal, principalmente se os amigos estiverem todos interessados pela mesma pessoa.

 

Desistem do Smeeters, do speed dating e de tudo e mais alguma coisa. Sabem que um dia quando menos esperarem, quer tenham feito algo para que acontecesse ou não, vão encontrar a pessoa certa. Ou talvez nunca encontrem, mas tal como uma amiga minha diz, enquanto não encontram a pessoa certa entretenham-se com a pessoa errada.

 

Como indiquei no início, este post é cheio de estereótipos, mas o objectivo do post é mesmo, de uma forma leve, demonstrar para quem diz que em Londres é tão dificil de conhecer pessoas, que estão muito enganados. Em Londres, é o que não faltam são formas de conhecer novas pessoas. É preciso é fazerem por isso. Através de todos os métodos que indiquei conheço alguém (ou conheço alguém que conhece outra pessoa) a quem esse método resultou bem. Há que experimentar as diferentes hipóteses e ver qual funciona melhor para cada um. Uma coisa é certa. Se não fizerem nada para conhecer novas pessoas, é muito pouco provável que as vão conhecer um dia à chuva ou durante um passeio ao longo do Tamisa.

 

Casal à chuva

 

 

Malaysia Airlines MH17, uma tragédia imperdoável

Os primeiros corpos do voo MH17 regressaram para a Holanda ontem, dia em que o país declarou dia de luto nacional, o primeiro oficialmente declarado desde a morte da Rainha Wilhelmina em 1962.

 

Uma semana depois deste acidente trágico e ainda mal posso acreditar que tal aconteceu. Incrível como somos impotentes a evitar situações deste género pelas quais nāo temos qualquer controlo. Mas uma coisa é certa, após o desaparecimento do voo da Malaysia Airlines em Março deste ano; este terrível acidente que ocorreu pela Malaysia Airlines decidir tomar uma rota sobre a zona de conflito na Ucrânia, e o facto de no dia 20 de Julho, para evitarem voar sobre a Ucrânia, decidirem ter tomado uma rota sobre outra zona de conflito na Syria; deixa a concluir, que esta companhia aérea tem muita responsabilidade sobre estes acidentes e não me parece de forma alguma confiável tendo em conta o tipo de decisões que tem tomado. 

 

Tocou-me bastante quando vi a mensagem de Facebook que tinha sido postada por um dos passageiros Holandeses do voo MH17, antes de entrar para o avião, em referência ao vôo desaparecido de Março:

 


O texto em Holandês significa: "Se este desaparecer, ele era assim".

O Imperial War Museum reabre as portas

Após um longo período de trabalhos de restauração no valor de £40milhões, o Imperial War Museum em Lambeth reabriu este fim-de-semana com novas galerias, incluíndo uma entrada que, aparentemente é bastante impressionante, tendo sido desenhada pelos arquitectos Foster & Partners (os mesmos que desenharam o edifício com forma oval na 'City', conhecido como 'The Gherkin'). Segundo os media, as filas são muito grandes de momento, já que todos parecem querer ver o novo aspecto do museu por isso vou esperar mais alguns tempos para lá ir, mas lembro-me de que o museu era realmente muito bom da última vez que lá fui, já à cerca de 10 anos atrás. Sem dúvida que uma nova visita é devida e aconselho os visitantes a Londres a considerarem também este museu durante a vossa estadia.

 

 

Imperial War Museum new look

A saga do Mac

E não é que ainda não consegui vender a porra do Mac! OK, o esforço também não tem sido muito, mas houve uma semana em que me dediquei à coisa e paguei por um anúncio no gumtree para tentar vendê-lo de vez. Efectivamente recebi interesse de várias pessoas, mas em cada 4 pessoas que me contactaram, 3 eram de suspeitar. No anúncio expliquei que faria a troca do Mac num cafe central de Londres com CCTV e trocava por dinheiro, mas muitos ignoraram isso e tentaram a sorte à mesma.

 

Primeiro telefonou-me um tal de Carlos. Apesar do nome, o rapaz era Inglês. Achei a conversa um pouco estranha. Ele parecia demasiado interessado. Pediu-me um desconto e, ao dizer que não, ele disse-me que encontrou vários outros Macs anunciados com as mesmas especificações do meu e eram £20 mais baratos. Perguntei-lhe então, porque é que ele não queria comprar um dos outros se eram mais baratos. Ele nāo soube bem o que dizer e trocou-se um bocado o que achei suspeito. Na altura marquei para nos encontrarmos para fazer a troca do portátil mas eventualmente acabei por cancelar. Achei que era melhor nāo me encontrar com alguém de quem suspeito logo de inīcio. Será que ele me ía dar notas falsas? Ía-me seguir depois de trocarmos e roubar-me o dinheiro de volta? Passou-me de tudo pela cabeça por isso foi melhor não seguir em frente com aquele.

 

Depois veiu a Debra. Apenas falámos por email. Após alguns emails ela disse-me que queria comprar o Mac para dar à filha e que é muito doente por isso ela não podia vir buscar o portátil em pessoa mas que eu lhe enviasse a minha morada de casa que ela ía contratar uma empresa transportadora para vir buscar o portátil e depois faria o pagamento via Paypal. - Deve estar mas é parva, se pensa que eu lhe ía dar a minha morada e aceitar pagamento Paypal. Já me chegou a história da Paypal com a ebay de que falei aqui

 

Houve mais outros dois que também vieram com a história de que estavam longe. Um até estava a trabalhar nos barcos e que queria comprar o Mac para o filho que vive na Malásia e, como tal, eu devia enviar o Mac para a Malásia... - Yeah, right!!!!

 

Lá houve uns outros que pareciam ser de confiança, um deles até era Português mas acabou por adiar e depois nunca mais disse nada. E houve outro com quem tinha marcado para me encontrar no dia seguinte. Parecia tudo bem com esse, eu fiz o reset completo do Mac na noite anterior para ele depois ligar o Mac com o seu Apple ID, e à última da hora cancela e nunca mais diz nada para nos encontrarmos. 

 

Enfim, não é assim tão fácil quanto esperava. De qualquer forma, decidi entretanto que vou querer comprar o meu novo portátil em Portugal por causa do teclado. Isto de ter um teclado sem acentuação torna-se muito mais demorado sempre que quero escrever em Português, por isso vou mesmo ter que comprar o portátil em Portugal. Entretanto vou esperar mais uns tempos para tentar novamente vender este mais próximo da data para não ficar sem portátil até lá. 

O jogo bonito

É impossível não falar sobre a World Cup já que tem sido o centro de atenções do mundo nas últimas semanas e, Londres não tem sido excepção. 

 

Claro que o entusiasmo por cá era maior ainda quando a Inglaterra ainda estava em jogo, mas rapidamente os fãns esqueceram-se do insucesso da sua equipa nacional, culpando os grandes clubes de futebol que não investem o suficiente em novo talento local e preferem comprar jogadores estrangeiros já bem treinados, que vão depois jogar com as suas respectivas equipas nacionais quando eventos destes acontecem. 

 

Tenho seguido de forma mais ou menos regular os jogos e esta tem sido a minha experiência:

  • Nem todos os locais que anunciam que têm grandes ecrãs atraem um bom ambiente de futebol. Principalmente com os jogos tardios e sem a equipa nacional em jogo, quem gosta de ver futebol, vai aos locais onde sabe que, normalmente consegue ver um bom jogo. Então o Bar Kick em Shoreditch, Café Kick em Exmouth Market, Water Poet em Liverpool Street, The Corner Shop em Shoreditch ou até os restaurantes Portugueses como o Bar Estrela em Vauxhall, são dos melhores sítios que conheço. Sei também que a Exchange Square em Liverpool Street tem tido muitos espectadores e tem o espaço para manter por lá muitas pessoas, daí ser uma boa opção para ver a final no domingo.
  • Ver um jogo durante este mundial tem sido uma óptima forma de conhecer pessoas novas. Ao ir 2-3 vezes ao mesmo local, começam-se a reconhecer as caras. Os espectadores celebram, choram, comentam as faltas que não deviam ser faltas, e em pouco tempo cria-se uma certa cumplicidade com aquelas pessoas que antes não se conheciam.
  • Durante a primeira fase, estava eu em Amsterdão com colegas para uma conferência quando um deles me diz que vai ter que mudar o voo de volta. Porquê? - Pergunto eu com ar espantado. 'Porque o nosso voo é mesma na hora em que Inglaterra está a jogar e quero estar em Inglaterra a tempo de ver o jogo' - diz-me ele. Muda o voo e faz a empresa pagar pela mudança com a benção do chefe dele. {#emotions_dlg.confused} 
  • Quer exista algum espectador nacional de uma das equipas em jogo ou não, há sempre quem celebre quando um golo é marcado.
  • O jogo mais extremo de ver sabemos todos qual foi. Saiu-me no swepstake do trabalho a Alemanha para ganhar o campeonato, mas na Terça eu fui para apoiar o Brazil. Só me apetecia chorar ao final do número 4. Foi um jogo doloroso de ver, metade do pub saiu ao fim da primeira parte, mas uma coisa é verdade, a equipa Alemã estava a jogar impecavelmente. Não foi por acaso que Portugal também levou com 4-0. Passavam a bola a quem tinham que passar, estavam organizados na defesa, estavam organizados no ataque. A Argentina não vai ter um jogo nada fácil no domingo. 
  • A final está marcada para este próximo domingo às 20h. O Evening Standard publicou uma lista muito boa com sugestão de vários locais onde ver o jogo localizados um pouco por todas as zonas da cidade. Os interessados podem consultar esta lista aqui.

 

O que fazer em Londres em Julho 2014

Este mês também não faltam opções para se entreterem por Londres. Desde concertos ao ar-livre podem escolher entre rock, música clássica, ópera, eventos de dating e muito mais. 

 

Tour de France em Londres O que é? A corrida de ciclistas da Volta de França também passa por Inglaterra e hoje irá passar por várias partes de Londres, terminando no The Mall. Quando? 7 de Julho. Quanto? Gratuito. Onde? Podem ver a corrida passar em vários pontos da cidade. Vejam no link que coloquei para horários.

 

Festival of Love O que é? O objectivo deste festival é de explorar a complexidade das relações amorosas através de artes, performances, eventos de dating, etc. No fim-de-semana em que o festival termina a 30 e 31 de Agosto, os organizadores estão à procura de casais que se queiram casar para fazer um casamento em massa com vários casais (pensem Noivas de Santo António). Quando? A decorrer até dia 31 de Agosto. Quanto? Muitos eventos gratuitos mas outros podem ser pagos. ver no site para detalhes. Onde? Southbank Centre. Estação? Waterloo

 

Somersert House Summer Series O que é? Série de concertos nocturnos ao ar-livre na Somerset House Quando? De 10 a 19 de Julho Quanto? £28.50. Onde? Somerset House Estação? Charing Cross

 

Battersea Power Station The Power of Summer O que é? Na Battersea Power Station vai haver cinema ao ar-livre todos os dias assim como um mercado de comes e bebes de comerciantes locais. Quando? 10 de Julho a 30 de Agosto. Quanto? A entrada é gratuita para o parque antes das 17:30h e fica a £5 a partir dessa hora. Para o cinema, bilhetes vão estr disponíveis a £10. Onde? Battersea power Station Estação? Battersea

 

Camden Lock Live O que é? Contem com concertos ao ar-livro no mercado de Camden Lock, performances de rua e comes e bebes. Quando? 11 de Julho. Quanto? Gratuito Onde? Camden lock Market. Estacão? Camden Town.

 

Bastille Day O que é? Festival de celebração do Dia Nacional Francês que vai contar com muita animação tipicamente francesa. Quando? 13 de Julho. Quanto? Gratuito. Onde? Bankside. Estacão? Waterloo.

 

World Cup Final Onde ver? Para quem quer ver a final da World Cup num ecrã gigante, existem imensas opções em Londres. Broadgate Exchange Square na City of London é uma delas porque tem uma grande capacidade para espectadores para além do ecrã gigante. Quando? 13 de Julho. Quanto? Gratuito. Estacão? Liverpool Street.

 

BP Big Summer Screens O que é? Sessões de Opera vao ser transmitidas ao vivo em ecrans gigantes em Trafalgar Square ao mesmo tempo que estao a decorrer na Royal Opera House. Quando? Este mês vai ser transmitido o Rigoletto no dia 15 de Julho. Quanto? Gratuito Onde? Trafalgar Square. 

 

BBC Proms O que é? Sessões de música clássica e outros estilos com reconhecidos músicos a preços descontados acessíveis a todos. Quando? 18 de Julho a 13 de Setembro. Quanto? A partir de £5. Onde? Royal Albert Hall. Estacão? Kensington High Street