Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Envio de dinheiro do Reino Unido Para Portugal

A minha visita a Portugal nas férias da Páscoa está para breve e, tal como é costume, quero levar comigo algum dinheiro para gastar lá. O que costumo fazer é levantar cá a quantidade de dinheiro que pretendo e, ao chegar a Portugal, deposito na minha conta. Desta vez, queria evitar ter que levar dinheiro e decidi investigar quanto ficaria se eu fizesse uma transferência de dinheiro a partir de Londres directamente para a minha conta Portuguesa.

 

Ficam os resultados que imagino que possam ser úteis também para outras pessoas que queiram enviar dinheiro para Portugal:

 

  • A minha primeira opção foi falar com o meu banco inglês, o HSBC, para saber quanto me custaria enviar dinheiro para Portugal : cobram entre £9 a £17 em taxa de serviço e ainda oferecem uma taxa de câmbio algo baixa.  Sinceramente, não me pareceu nada boa ideia dar-lhes £9 a £17!!

 

  • Olhei então para os custos das agências de transferência de dinheiro ( Moneygram, Moneyone, LCC e Western Union).  Todas elas  cobram uma taxa de serviço que varia entre 3£ a 12£ ( valores para um envio de 100£). Essa taxa ao menos é um pouco inferior ao do HSBC, mas por outro lado, o valor da taxa de câmbio era muito inferior à taxa paga pelos bancos – por exemplo, para valores do dia 20/03/2013, a média da taxa de câmbio de libras para euros das agências de envio era de  1,14€ , enquanto que a dos bancos portugueses no Reino Unido era de 1,165€ (acresce o facto de as agências ainda cobrarem a comisssão pelo serviço de envio).

 

  • Por último, fui ver os serviços de envio de dinheiro para Portugal através dos Bancos Portugueses que estão presentes no Reino Unido. Comparei os serviços de 7 bancos: Banif, BCP, BES, BPI, CGD, Montepio e Santander. Nenhum destes bancos cobra taxa de serviço para Portugal o que logo me agradou mais. A diferença está então nas taxas de câmbio e, como sei que estas costumam flutuar de dia para dia, dei-me ao trabalho de as comparar durante 5 dias. E ainda bem que o fiz porque deu para ver que um dos bancos se destaca, apresentando taxas de câmbio mais altas – o BES. Através do BES, com £100 receberia €116,96 ( taxa de câmbio de dia 20/03/2013) o que comparando com os outros bancos dava uma diferença significativa. Depois o BES ainda tem a vantagem de disponibilizar mais opções de envio de dinheiro do que os outros bancos, inclusive do que o próprio banco com o qual eu tinha conta em Portugal.

 

Uma das grandes vantagens de me ter dado ao trabalho de pesquisar esta informação é que também me abriu os olhos para umas taxas na minha conta Portuguesa que estava a pagar, das quais nem fazia ideia. Eu sou sempre cuidadosa com o dinheiro e tento poupar o máximo que consigo, por isso estar a ter imensos custos com um banco só para me guardarem lá o dinheiro é coisa que não me apetece mesmo nada!!

 

Por isso tudo acabei também por abrir conta no BES e fechar a outra. Ao menos ter uma conta com eles fica-me mais barato, a agência deles fica mesmo no centro de Londres  - junto à catedral de St.Paul’s -  o que me dá mais jeito também para lá ir do que a do meu banco anterior que ficava no “cú de judas”, e fica a situação das transferências de dinheiro para Portugal também resolvida mais facilmente.

 

Alem disso, como o pessoal da agência deles de Londres foi extremamente simpático, fica aqui o formulário para contactarem esta agência caso estejam interessados, ou então podem ir directamente ao site do BES para mais informações BES

 

 

ACTUALIZAÇÃO DO POST NO DIA 13 DE DEZEMBRO 2013 

Passaram já 9 meses desde que escrevi este post sobre "envio dinheiro para Portugal", mas visto que vou novamente a Lisboa e me vai dar jeito enviar dinheiro para Portugal, fiz nova comparação das taxas de câmbio e dos serviços de envio de dinheiro que passo a colocar em baixo. O BES continua a oferecer a taxa de câmbio mais alta para envio de dinheiro para Portugal, o que é bom já que foi com eles que abri a conta, e até porque em termos de serviço prestado nada tenho a apontar bem pelo contrário e o serviço é realmente bastante eficaz. Fica a tabela de comparação dos serviços com valores para a taxa de câmbio de 5 de Dezembro.

 

Taxa de cambio 5/12/2013 - Simulação para envio de 1,000££

InstituiçãoTaxa CambioValor em EurosComissões Envio
BES1,20261.202,60€sem custos
Santander1,20141.201,40€sem custos
BPI1,20051.200,50€sem custos
Caixa Geral1,20051.200,50€sem custos
Montepio1,19931.199,30€sem custos
BCP1,19871.198,70€sem custos
    
Transferwise1,19951.199,50€50£
LCC1,17001.170,00€
Western Union1,15911.159,10€4,9£
    

 

 

 

A luta das almofadas

Hoje descobri que vai haver um evento interessante em Londres e em cidades espalhadas pelo mundo no dia 6 de Abril - it's pillow fight day!!

 

Isso significa que, em Londres, centenas de pessoas vão encontrar-se em Trafalgar Square entre as 15h e as 16h para lutarem com almofadas! E não é só em Londres - Madrid, Paris, Berlin, Milão, Nova York,... Parece é que ninguém se decidiu a organizar o evento para Lisboa. Talvez alguém queira levar este evento adiante para o ano na capital Portuguesa ou no Porto.

 

As regras são simples - não bater em ninguém com uma máquina fotográfica e não bater a ninguém sem uma almofada.

 

 

 

 

A estagiária

Em Agosto do ano passado andava à procura de novos estagiários para substituir os actuais que íam voltar para os seus estudos. A primeira pessoa que entrevistei foi uma rapariga Francesa, que procurava um estágio para finalisar o seu mestrado em marketing. Saí da entrevista com a impressão de que ela era simpática mas talvez não tivesse grande potencial para o tipo de trabalho necessário. Então continuei à procura. Entrevistei vários outros candidatos que, ou simplesmente não pareceiam ser nada bons para o estágio, ou achei que as personalidades deles nao íam ser bem compatíveis com a cultura da empresa e equipa. Por isso, ao fim de algumas semanas de procura voltei atrás e decidi contratar a tal rapariga Francesa. De entre todos ainda era a melhor.

 

Ao fim dos primeiros dias de estágio eu já estava arrependida - devia ter confiado no meu instinto e continuado à procura - pensei eu. A rapariga era de facto simpática e divertida, mas também tinha a cabeça sempre no ar. Ela bem que sabe disso, porque claro que falámos no assunto ao longo do estágio e principalmente durante as sessões de revisão do estágio. Ela distrai-se facilmente e, mesmo quando não está distraída, acha difícil perceber aquilo que é preciso fazer. Houveram mais que muitas situações, mas lembro-me perfeitamente de uma mais ao início - estava a explicar-lhe como pesquisar uns dados no Google Analytics. Já sabendo um pouco como ela era, tirei o tempo, sentei-me com ela e expliquei devagar, passo a passo o que ela tinha que fazer para pesquisar a informação necessária:

- percebeste? - pergunto-lhe.

- Sim, sim, percebi.

- OK, então faz lá tu sozinha.

- Humm, carrego neste?

- Não.

- Neste?

- Não.

- Neste (simplesmente outra opção que não tinha nada a haver com nada)?

- Não!

Lá voltei a explicar tudo novamente com muita calma. Ela faz os primeiros passos sozinha e eu deixo-a continuar. Passado uns minutos ela pergunta-me - "E agora que cheguei àquela página que querias, o que é que eu faço mesmo?"

 

Arghhhh!!! Era de puxar os cabelos!!

 

Entretanto ela fez-se muito amiga da Directora de Marketing, que também é Francesa e que não tinha que trabalhar directamente com ela, portanto só conhecia o lado simpático da estagiária. Uma vez a Directora até me disse, meia chateada comigo, que ela sabia que eu não gostava muito da estagiária. Bem, isso não era verdade, que eu também a achava simpática e gostava dela como pessoa. Até já tinha saído à noite com ela e ela veiu à minha festa de anos. Ela assentou que nem uma luva no meu grupo de amigas mais próximas. Mas uma coisa é gostar de sair para uma festa com ela, outra completamente diferente é trabalhar com ela. Essa era a parte que eu não gostava já que foi uma das estagiárias mais difíceis em termos de aprendizagem que tive até hoje.

 

O facto é que, apesar de ser difícil de ela aprender e perceber, também era dedicada e esforçada e, nas tarefas que ela percebia conseguia fazê-las bem e às vezes até ficava tarde no trabalho para conseguir entregar naquele dia. Portanto sem dúvida que não era o tipo de pessoa que eu também quisesse mandar embora a meio do estágio e assim influenciar negativamente a nota do estágio de final de curso.

 

Assim ela foi ficando até ao fim do estágio que terminava em fins de Janeiro, mas eu sabia que a Directora de Marketing estava a tentar arranjar-lhe um emprego na empresa. Não conseguiu encontrar um emprego para ela, mas conseguiu prolongar o estágio por mais 3 meses, na esperança que ao final dos 3 meses já houvesse budget para contratá-la. A parte boa para mim é que a partir deste prolongamento de estágio ela passou a trabalhar directamente com a Directora de Marketing e já não estava na minha equipa. Isso fez com que eu só me tenha dado com ela praticamente para a parte divertida - as conversas de cozinha e noites no pub. Agora damo-nos optimamente já que não temos que trabalhar juntas (ainda bem!). 

 

Entretanto já há budget e a estagiária vai deixar de o ser quando voltar das férias da Páscoa. Eu estou contente por ela ter conseguido o emprego conosco que ela queria tanto, mas a minha Directora quando me disse que ía poder contratá-la confidenciou-me, que de facto ela achava um desafio trabalhar com a estagiária e que a reprimia várias vezes. Mas ao fim de tudo, pela sua dedicação ela queria dar-lhe a oportunidade de tentar melhorar as suas capacidades de trabalho.

 

Ela foi extremamente sortuda com tudo isto porque dificilmente outras empresas íam conseguir mantê-la num emprego semelhante. A nossa Directora de Marketing sendo super experiente e óptima naquilo que faz vai ser uma mentora excelente, e quer demore mais ou menos tempo, acredito que a estagiária vai aprender os fundamentais para conseguir manter-se numa carreira de marketing. Muito provavelmente esse não ía ser o seu percurso caso não tivesse ficado por isso espero que ela efectivamente se aperceba do nível de oportunidade que ela está a ter que lhe pode mudar completamente a vida. 

 

Actualmente tenho a trabalhar comigo 2 estagiários Ingleses. São os primeiros que tenho a trabalhar comigo já que anteriormente tive sempre estagiários de outras nacionalidades - Franceses, Indianos e Polacos. Alguns eram bons, outros médios outros não tão bons. Houve de tudo, mas de forma geral eram inteligentes e agradáveis de trabalhar com eles. No entanto, agora ao comparar o nível de trabalho deles com os dos actuais Ingleses, eu sinto mesmo uma diferença considerável em termos da facilidade e o à vontade que eles têm no trabalho. Eu própria tenho mais confiança que eles mandem e-mails para clientes, que é coisa que os outros nunca tinham feito e sei que posso também contar com eles para escrever artigos, posts, etc. sem ser necessário grandes correcções.

 

Esta experiencia faz-me aperceber esta preferência de forma geral que os empregadores por cá têm pelos cidadãos nacionais. É que se têm experiencias como a minha também se apercebem, quanto eu, que muitas vezes é mais fácil de trabalhar com pessoas que são naturais do país. Claro que isso também depende de trabalho para trabalho, mas percebo o quanto mais, nós como estrangeiros neste país, temos que provar ainda mais que temos a capacidade de trabalho tão boa ou melhor que os nacionais. Eles podem ter tido experiências más no passado e ficarem de pé atrás. Torna-se mais complicado, mais competitivo, portanto, mais uma vez foco como é importante demonstrar os nossos principais pontos fortes logo na primeira entrevista. 

Não vai ser fácil superar esta festa

Este fim-de-semana fui a uma festa de aniversário que foi daquelas para as quais se ansia que chegue, e durante a noite simplesmente não se quer que acabe nunca. Foram dois amigos do meu grupo de dança que celebraram os seus respectivos 30º aniversários (fazem os dois anos com apenas 1 dia de diferença). Sendo dois, decidiram partilhar os custos e organisar uma festa de arromba - num armazém em Hackney que tinha mesmo só o espaço e um sofá. Não há bar, não há nada. Só mesmo um óptimo espaço para se dançar a noite fora. Melhor ainda, eles contrataram uma banda de swing para ir lá tocar durante as primeiras horas da noite, e o resto foram uns amigos que são DJs amadores que lá foram passar o resto das músicas. 

 

Foi um espectáculo. Transmitiu a sensação de uma house party mas num espaço de discoteca. Tinha o melhor dos dois tipos de festa. O espaço para os dançarinos de Swing andarem por ali a dar-lhe nos passos grandes, sem deixar de ter um ambiente comfortável para se iniciar conversas com quem ainda não se conhece. Foi óptima. Adorei a festa. 

 

Agora com esta é que fiquei a começar a pensar na minha próxima festa de aniversário. Ainda faltam 6 meses (ainda bem), mas como agora vivo numa casa mais pequeno já não vou ter o espaço para as grandes festanças habituais. E depois também queria fazer algo diferente do habitual. Já faço festas temáticas em casa à uns 5 anos por isso agora é tempo de mudar. Nao sou grande fã de fazer a minha festa de anos em bares ou discotecas misturados com tantas outras pessoas por isso acho que seria ideal organizar algo semelhante quanto o que eles fizeram. No entanto também não quero fazer no mesmo sítio. E queria algo um pouco mais pequeno do que o local ondes eles organisaram.  Vou começar na saga da procura do armazém (ou espaço num outro qualquer edifício em que possa fazer uma festa privada). Se alguém tiver alguma ideia de algum local com características semelhantes, por favor indique nos comentários que ficaria muito agradecida.  

Estudar e cursos em Londres

A maioria das pessoas que me têm perguntado sobre estudar em Londres estão interessadas em saber como podem candidatar-se a um curso superior. Assim sendo, aqui fica um pequeno guia que pode ajudar nos primeiros passos a tomar:

 

1º - Decidir qual o(s) curso(s) a que se querem candidatar: Se estiverem na dúvida podem pesquisar por potenciais áreas de interesse nesta página do site da UCAS (esta é a organização que gere as aplicações para cursos universitários no Reino Unido) que vos irá dar uma listagem de cursos disponíveis nessa área. Podem também fazer uma pesquisa através do motor de busca em baixo do Hotcourses. Este permite pesquisar por cursos de ensino superior e outros profissionais ou de línguas.

 

 

2º - Decidir qual a(s) universidade(s) a que se querem candidatar: ao pesquisarem pelos cursos, o site da UCAS ou do Hotcourses também vos indica em que universidades esses cursos estão disponíveis. Para decidir entre elas convém considerar algumas características. Por exemplo, a localização e custo de vida nessa zona (por exemplo, estudar em Londres será provavelmente mais caro em termos do custo de vida do que estudar numa universidade do interior de Inglaterra); as condições da universidade; se oferecem ou não residências de estudantes; os custos do curso e a sua posição no ranking (a sua posição geralmente corresponde ao nível de reconhecimento da universidade como uma boa universidade ou não por parte de futuros empregadores). O website Complete University Guide apresenta um ranking de todas as universidades do Reino Unido de forma geral, assim como um ranking por região ou por área de estudo. Os rankings podem mudar ligeiramente de ano para ano, e podem verificar sempre o site para ver o ranking mais actualizado, mas actualmente este é o ranking actual das universidades do Reino Unido e de Londres especificamente:

 

 
Rank Reino Unido Londres
1 Cambridge London School of Economics
2 London School of Economics Imperial College
3 Oxford University College London
4 Imperial College King's College London
5 Durham SOAS
6 St. Andrews City
7 Warwick Brunel
8 University College London Queen Mary
9 Lancaster University of the Arts, London
10 Bath Goldsmiths College

 

3º - Enviar candidaturas: As candidaturas para cursos a começarem em Outubro do ano N+1, podem ser efectuadas através do site do UCAS desde meados de Setembro do ano N até meados de Setembro do ano N+1. Mas ATENÇÃO que as datas limites podem depender de curso para curso ou universidade para universidade. Por exemplo, candidaturas para as universidades de Cambridge e Oxford devem ser efectuadas com um ano de antecedência. Ver prazos de datas importantes aqui. E, como vão havendo várias datas limites ao longo do ano para se enviarem candidaturas para universidades, quanto mais cedo se candidatarem, melhor porque irão haver mais vagas. Candidaturas para universidades a ser realizadas nesta página do site da UCAS.

 

  • Durante a candidatura vão ter que indicar as vossas notas do ensino secundário por disciplina. indicando-as como A Levels. A escala das notas não é a mesma, portanto vão ter que indicar as notas equivalentes. Segundo o site do British Council, esta é a escala não oficial (aparentemente não existe uma oficial) a que podem colocar as vossas notas:

 

 
Classificação Portugal A Levels UCAS Points
18-20 A 120
15-17 B 100
10-14 C 80
7-9 D 60
5-7 E 40
0-4 F NA

 

  • Antes de se candidatarem também vão ter que fazer um teste de Inglês do IELTS. Os resultados deste teste de Inglês são necessários para efectuarem candidatura a qualquer universidade do Reino Unido. 

 

  • Durante a candidatura também vão ter que escrever um texto indicativo das razões porque se estão a aplicar para aquele curso e porque devem ser escolhidos, assim como uma carta de referência de uma outra pessoa, geralmente um professor, que vos possa escrever uma recomendação. 

4º Organisar as finanças: Estudar no Reino Unido nao é barato. Não só o Estado recentemente aumentou o valor mínimo do preço dos cursos nas universidades Britânicas, como também têm que ter em consideração todos os outros custos de vida. O valor médio mais elevado dos custos anuais de um curso rondam as £9,000. Quanto a outros custos como acomodação, alimentação, transporte, vestuário, etc., podem contar com despesas a rondar entre as £140-£250 por semana.

 

  • Bolsas: Existem apoios do Estado, ou das universidades ou do Estado Português para bolsas de estudantes. Convém pesquisarem por todas as bolsas que possam encontrar para o curso que pretendem tirar - geralmente cursos como os das áreas de artes ou ciências tem um maior número de bolsas disponíveis. No site do British Council podem encontrar uma listagem das bolsas disponíveis a partir de Reino Unido.

Para mais informações, os escritórios da British Council baseados em Portugal estão disponíveis para ajudar com informação mais específica relativamente à vossa situação. Aqui podem ver a informação de contacto do British Council.

 

A Terra da Rainha

Novidade no. 1 - Já tenho Internet em casa - Yeah! Demorou um bocadinho, mas ao menos, efectivamente foi muito simples e quando a O2 enviou-me uma mensagem para o telemóvel a dizer que já tinha Internet em casa, efectivamente, quando cheguei a casa esta já estava disponível. 

 

Novidade no. 2 - Recebi no outro dia no correio uma cópia do livro "A Terra da Rainha" de Isabel Mateus, que conta com o prefácio da minha autoria. A autora convidou-me para o escrever em Janeiro dado que o livro retrata a experiência de vários emigrantes Portugueses em Londres, e portanto está intimamente relacionado com o tema do blog. Fiquei muito contente com o convite e em poucos dias li o livro para poder escrever um prefácio o mais indicado possível para o mesmo.

 

O livro é repartido por excertos de histórias reais contadas por diversos ememigrantes Portugueses por terras de Sua Majestade e é apresentado tanto em prosa como em poesia o que o torna muito interessnte. 

 

Fiquei contente por ver o meu nome publicado num livro, já que é uma expeiência nova também para mim. Aqui fica a imagem da capa do livro:

 

 

 

Novidades e Pubs em Londres para celebrar o St. Patrick's Day

Ainda nao conheci o Charlie, mas o senhorio entretanto arranjou-nos chaves para outra "casinha das bicicletas" por isso ao menos já temos esse assunto resolvido. Entretanto o Charlie deixou-nos um recado debaixo da porta a dizer que já lá tinha deixado as chaves no fim-de-semana passado - ora boa. Deixar umas chaves sem indicar para o que eram, claro que quando as vimos pensamos que fossem as do correio. Enfim, lá terei que ir conhece-lo em breve para lhe devolver as chaves que ele nos deixou.

 

Espero que seja hoje que a Internet fique resolvida lá em casa, mas conhecendo como estas coisas costumam ser, 'e possível que hajam as complicacoes do habitual.

 

Entretanto com tudo isto de mudanca de casa e falta de Internet nao tive oportunidade para escrever o habitual post sobre os eventos a decorrer este mes em Londres, mas aqui fica um essencial para este fim-de-semana:

 

Celebracoes do Dia de Sao Patrício (ou St. Patrick's Day) - o santo padroeiro da Irlanda. O dia oficial é a dia 17 de Marco, e este ano, esse dia calha exactamente ao domingo, quando é habitual decorrer a parada do St. Patrick's Day que comeca ao meio-dia a partir de Picadilly, e vai até Trafalgar Square onde irao seguir-se festividades no palco.

 

Para quem quiser celebrar com uma Guiness na mao, fica a lista de alguns dos Irish pubs mais reconhecidos de Londres (se conhecerem outros bons, por favor indiquem nos comentários):

 

The Auld Shillelagh - Stoke Newington

 

The Tipperary - Fleet Street

 

Filthy McNasty's -Angel

 

The Porterhouse - Convent Garden

 

The Harp - Convent Garden

 

Waxy O'Connors - Leicester Square

 

E para quem quer beber mais barato nao se podeia deixar de falar da rede de pubs O'nneils - espalhados por toda a cidade

 

A viver de caixas

Uff, finalmente tenho oportunidade para voltar a escrever por aqui:

1. Ainda não tenho internet na casa nova

2. Tive ontem o meu exame da minha pós-graduação e todo o tempo que tenho tido em que não estou a trabalhar, tenho estado a estudar.

 

As coisas boas:

1. A O2 vai lá colocar Internet para fins da próxima semana

2. Após longas horas de concentração, acho que o trabalho valeu a pena porque o exame correu-me bem (ou pelo menos espero nao estar enganada).

 

Com isto tudo do exame, significa que ainda estou a viver de caixas e malas. As coisas básicas tipo roupas, cozinha, etc., já está tudo tratado, mas tudo o resto tipo livros e tralha ainda está tudo em caixas, assim como as prateleiras do IKEA que continuam por montar. Ao fim de uns dias a viver no meio da confusão comecei a ficar impaciente mas sinceramente também não vai ser hoje 'a noite que vou montar armários - o sábado está planeado para tudo isso.

 

Entretanto tinha também o problema de que precisava de uma chave para um dos cadeados das "casinhas" onde se guardam as bicicletas na zona de parqueamento do edifício. Nós éramos suposto partilhar a "casinha" com o Charlie do Apartamento 20 e a rapariga que trata da administração do prédio tinha dito que ele ia lá bater 'a porta, apresentar-se e dar-nos a chave extra.

 

Pois bem, ele não apareceu por lá no primeiro fim-de-semana mas eu fui lá bater umas vezes. Nunca estava ninguém em casa. Finalmente na primeira segunda-feira 'a noite, ainda deviam ser umas 8h e tal da noite, voltei a lá ir bater e desta vez abriram-me a porta. Um rapaz com um ar suspeito, meio esgazeado de quem não sabia bem o que se estava a passar abre-me a porta. Eu pergunto-lhe pelo Charlie e ele cambaleia um pouco enquanto me responde "ham,.. humm,.. Charlie". Veio logo uma rapariga 'a porta que pareceu vir "tomar conta da conversa", muito simpática que apresentou-se e deu-me as boas vindas ao prédio, mas mesmo assim estava com um ar e um tom da voz de quem não sabia muito bem o que se estava a passar.

 

"Long story, short" - o Charlie nao estava em casa e só voltava na quinta-feira. La fiquei 'a mesma sem as minhas chaves, mas ao menos fiquei a conhecer os meus vizinhos de cima que gostam de lhe dar nas drogas calmantes ao fim de um dia de trabalho. Logo a uma segunda-feira pelas 20h é porque devem ter tido mesmo um dia muito stressante, claro.