Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A saga da procura de casa vai recomeçar

Para quem se lembra deste post que escrevi no início de Setembro, sabe que a casa onde moro tem estado à venda desde então. O senhorio decidiu que quer ir criar os seus filhos para a Irlanda e, como tal tem estado a vender as casas que possui em Londres.

 

Eu e o meu flatmate concordamos com ele de que ficariamos aqui nesta casa até ao momento em que a vendesse estando dispostos a ter potenciais compradores a virem visitar a casa sempre que houvesse interesse. Em troca o senhorio baixou-nos a renda, o que não foi mesmo nada mau e disse que a partir do momento em que vendesse a casa nos daria mais 2 meses para procurar nova residência.

 

Ora durante estes últimos meses lá temos tido várias visitas do agente imobiliário a mostrar a casa a potenciais compradores. Ao início o senhorio tinha colocado a casa a £320,000 o que, se demonstrou não ser fácil de vender principalmente tendo em conta que a casa tem só dois quartos e a casa de banho é pequena. Tudo bem que a sala e a cozinha são bastante espaçosas e a casa está de forma geral em óptimas condições e é bonita por fora de estilo Vitoriano. Mas £320,000?? É de loucos. Podia comprar uma pequena vivenda com piscina em Cascais por esse valor.

 

Mas por mim até que estava toda contente por ele ter colocado o preço assim tão alto porque obviamente assim não iria vender o apartamento tão facilmente e eu sinceramente não quero nada sair daqui. Muitas pessoas vieram visitar o apartamento ao início mas depois as visitas acalmaram. Passado umas semanas vieram novamente muitas pessoas. Fui ver o site da agência imobiliária e já tinham reduzido o preço. Depois novamente houve uma fase em que as visitas acalmaram e depois novamente vieram em força. Reduziram o preço novamente. A mesma situação ocorreu uma terceira vez e, a partir da semana passada novamente vieram muitas pessoas ao mesmo tempo. O senhorio tinha reduzido o preço para £289,000.

Ontem, quando cheguei à noite a casa e vou a tirar as chaves da mala, olho para a placa da agência mobiliária que ali tem estado a anunciar que a casa estava para venda desde o início, e a placa já tinha alterado de "for sale" para "sold". O coração quase que me caiu aos pés. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde isso iria acontecer, mas chateou-me saber da novidade assim sem mais nem menos, ao ver na placa em frente da casa. Acho que ou a agência ou o senhorio deviam ter tido a consideração de me telefonar a mim ou ao meu flatmate primeiro antes de alterarem a placa.

 

Estou mesmo triste que bem sei que não vai ser nada fácil encontrar uma casa tão boa pelo mesmo preço. Hoje já andei a passear pela zona e fui até mais a sul para os lados de Clapham South e Balham para ver as zonas e as casas anunciadas nas janelas das agências imobiliárias. Pensei que por ser um pouco mais a sul talvez os preços fossem mais agradáveis, mas nada disso. Enfim, há que respirar fundo e ganhar forças para voltar a procurar casa mais uma vez.

Passeios guiados gratuitos é que é bom

Este fim-de-semana o website walklondon.org.uk vai organisar inúmeros passeios completamente gratuitos, por diferentes zonas da cidade abertos a quem quizer aparecer.

Assim sendo, para quem estiver com vontade de passear por novas zonas da cidade e ficar a saber a sua história enquanto conhecem novas pessoas, podem simplesmente aparecer no ponto de encontro de um dos muitos passeios a ser realizados entre o sábado e o domingo dias 29 e 30 de Janeiro. É o chamado Winter Wonders Weekend.

Para verem detalhes dos passeios a percorrer e dos respectivos pontos de encontro basta visitar a página de eventos do site Walk London.

The Walkmen

Ontem foi noite de concerto. Mais precisamente fui ver os The Walkmen no Sheperd's Bush Empire.

Para quem não conhece os The Walkmen são uma banda Norte Americana de música Indie Rock que no ano passado lançaram um albm intitulado Lisbon, onde está incluída uma música com o mesmo nome.

Segundo os The Walkmen, decidiram dar o nome da capital Portuguesa ao seu álbum exactamente porque quando estiveram em Lisboa não só adoraram a cidade mas também no seu concerto, o público foi tão caloroso e puxou tanto por eles, que dizem que aquele foi, efectivamente, o melhor concerto que alguma vez deram.

Talvez o público que estava ontem no Shepderd's Bush ontem não tenha sido tão caloroso quanto o Português mas sem dúvida que deram um grande concerto que valeu mesmo muito a pena.

 

Fica a música Lisbon, cantada ao vivo quando estiveram no Coliseu de Lisboa:

 

Estes Australianos...

O dia da Austrália pode ser só no dia 26 de Janeiro, mas isso não impediu os muitos Australianos e amigos de começarem já hoje, domingo, as celebrações em grande.

 

Estava eu a ir para o supermercado hoje por volta das 11:30h da manhã fazer as compritas da semana quando reparo que está um grande conglomerado de pessoas junto a uma das discotecas locais. Achei estranho, e ao olhar melhor vejo que efectivamente estavam a fazer fila para entrar na discoteca. Todos estavam vestidos com algum tipo de máscara, sendo que a maioria tinha um chapéu ou algo alusivo à bandeira Australiana. Daí me ter lembrado que o Dia da Austrália está para breve. Obviamente eram celebrações dedicados a esse dia. Mas, eu já mencionei que eram 11:30h da manhã, não já? Este pessoal não pára!

 

Depois de pesquisar online, descobri que foi efectivamente uma festa de celebração do Dia da Austrália organisada pela revista dedicada às comunidades Australiana, Nova Zelandesa e Sul Africana residentes em Londres, a TNT Magazine. Aparentemente este foi um evento gratuito que já tinha sido organizado o ano passado tendo contado com 4000 pessoas e, este ano, esperavam que o número viesse a aumentar ainda mais. No cartaz da festa indica que tinha início às 10h da manhã e que durava até muito tarde. Muito provavelmente neste momento em que escrevo a festa ainda deve estar a decorrer nesta discoteca.

 

Sem dúvida uma forma muito diferente de como os Portugueses celebram o Dia de Portugal cá por Londres.

The big fat Greek wedding

 

Este fim-de-semana passado fui à Grécia. Mais propriamente a Thessaloniki que é a segunda maior cidade do país. A razão da curta viagem de 3 dias foi o casamento de uma boa amiga minha que obviamente é Grega. O casamento, geralmente sendo uma ocasião tão importante na vida de uma pessoa, e eu bem sei como era algo muito importante para ela, é sem dúvida algo a que não queria deixar de estar presente. Felizmente encontrei uns voos em conta e achei que seria também uma boa oportunidade para rever esta minha amiga e claro está, para visitar um pouco da cidade de Thessaloniki.

Sinceramente adorei a experiência. O casamento foi muito divertido e aprendi muito mais sobre a cultura Grega. O centro da cidade é relativamente pequeno e, como tal, também só o curto espaço de tempo que lá estive foi suficiente para ficar com uma ideia razoável da cidade e ver todos os pontos principais à exclusão dos museus.

Ao presenciar um casamento tipicamente Grego ortodoxo pude compará-lo com os casamentos Portugueses católicos e identificar as várias diferenças que ainda são consideráveis. Entre elas:

 

Casamento em PortugalCasamento na Grécia
Não sei o que se faz na noite anterior - ???Na noite anterior família e amigos próximos reunem-se na casa da noiva e esta oferece doces e licor específicos ao evento aos convidados
Convidados próximos vão buscar a noiva a casa, há comes e bebes e todos tiram fotos com a noivaConvidados próximos vão buscar a noiva a casa, há comes e bebes e alguns tiram fotos com a noiva.
O casamento geralmente decorre pelas 11hO casamento geralmente decorre por volta das 17h
A noiva deve chegar um pouco atrasada à igreja e todos os convidados já estão dentro da igreja e o noivo no altar. A noiva entra na igreja com o pai.A noiva deve chegar um pouco atrasada à igreja e todos os convidados e o noivo estão à espera dela fora da igreja. Ambos os noivos entram na igreja juntos.
O padre reza a missa do casamento que poderá ter um sermão original ou não, mais longo ou mais curto, dependendo da escolha dos noivos e da preferência do padreTodos os casamentos são rezados da mesma forma, com a presença de dois padres e, durante a maioria do tempo o sermão é cantado
Os noivos trocam promessas, alianças e selam o casamento com um beijoOs noivos trocam alianças e coroas que são ambas dadas pelo padrinho de casamento (não existe madrinha), bebem vinho sagrado e andam em torno do altar várias vezes para selar o casamento
Os noivos são os últimos a sair da igreja e os convidados estão todos à espera da sua saída da igrejaOs noivos são os últimos a sair da igreja mas a maioria dos convidados já partiram para a zona onde se celebra a boda ou foram para casa
Os noivos seguem os convidados no último carro para o local da boda ou um jardim onde irão tirar fotografias com todos os convidados antes do almoçoOs noivos seguem sozinhos para um estúdio de fotografia ou outro local onde vão tirar as fotografias de casamento a dois.
Todos esperam pelo fim da sessão fotográfica para irem almoçarOs convidados começam a jantar sem os noivos e geralmente é no fim da refeição dos convidados que os noivos voltam da sessão fotográfica.
O bolo da noiva só se parte pelo final da noite e geralmente é após esse momento que os primeiros convidados voltam para casaQuando os noivos chegam ao restaurante vão logo partir o bolo e abrem a pista com a valsa seguida de uma música tradicional Grega em que todos dão as mãos e fazem uma coreografia e dançar em circunferências e começa a festa
Após o almoço e as primeiras danças passa-se para mais comida entre a mesa de queijos, a de carnes frias, a de frutas e a de doces que duram ao longo de toda a tarde e noiteApós a refeição e o bolo da noiva acabou a comida e é momento para dançar
Dança-se pimbalhada, música internacional principalmente Pop e dos anos 80 e o Apita o ComboioDança-se pimbalhada versão Grega, música Grega tradicional (muita), música Grega semelhante à música da dança do ventre, música Grega para a dança dos homens em que demonstram o seu poder e masculinidade na forma como dançam (só vendo) e alguma música internacional
A noiva atira o buquet pelas costas e a solteira que apanhar o buquet será a próxima a casar-se

As solteiras recebem duas amêndoas como presente da noiva se forem a casa dela. Essas mesmas amêndoas devem colocá-las nessa noite debaixo da almofada para sonharem com o homem da vida delas;

A noiva escreve na sola de um dos seus sapatos antes de os calçar em sua casa, o nome de todas as suas amigas solteiras que se encontram na casa. Ao fim da noite verifica-se a sola dos sapatos novamente. As amigas cujos nomes se tiverem apagado da sola irão casar um dia. Aquelas cujo nome continuar na sola irão ficar solteironas;

O buquet atirado pelas costas também é tradição

Casamentos em conta e medida é o que se quer com amigos e familiares mas sem exageros.Quantos mais melhor. Não faz mal que a família da noiva e os próprios noivos não conheçam metade das pessoas que foram à boda. Arranja-se sempre espaço para mais um. Até aqueles que não tinham confirmado presença são bem vindos.

 

 

Tradição Grega

 

 

O começo do ano

Janeiro de 2008:
  • Problemas com os flatmates levaram a que tenha que mudar de casa
Janeiro de 2009:
  • Desempregada

Janeiro de 2010:

  • O IVA aumentou para 20%
  • O preço do ginásio aumentou 20% (ladrões!)
  • O preço dos transportes aumentaram 7%
  • Levei uma tampa daquelas que doem
  • Tenho trabalho para fazer que nunca mais acaba
  • Tenho um novo superior que não gostava de ter
  • O meu estagiário continua a cheirar mal
  • Aconselho uma amiga a ver as coisas pelo lado positivo mas eu não estou a conseguir fazer isso para mim mesma

 

Mas o que raio se passa com o início dos anos???

Dia de andar no metro sem calças

Hoje foi o dia de andar no metro sem calças. É isso mesmo. Foi o "No trousers Underground day" que, tal como o nome indica, refere-se a uma grupo de pessoas que fazem uma viagem de metro sem calças.

 

Este dia é celebrado em simultâneo em Londres e Nova York e também tem conseguido alguns adeptos noutras cidades do mundo. A ideia teve início em Nova York em 2002, e este é o segundo ano que se realiza também em Londres.

 

Todos os que queriam participar encontraram-se em Trafalgar Square às 15h de hoje. Aí os organisadores dividiram os participantes em grupos e apanharam diferentes metros. Uma vez dentro do metro as pessoas do grupo fingiam qu não se conheciam e começavam a tirar as calças. Se alguém que não fosse parte do grupo pergunta-se porque é que estavam a tirar as calças, as indicações que os participantes tinham era de fingir que aquilo não é nada organizado e que apenas se estavam a sentir desconfortáveis com as calças sendo mero acaso o facto de outras pessoas estarem a tirar as calças no mesmo dia também. Ao longo da viagem os participantes deviam tentar manter sempre uma cara normal e fazer o que quer que façam habitualmente nas suas viagens de metro tal como ler o jornal, ouvir música ou simplesmente parecer descontraído.

 

Depois de duas viagens em dois metros diferentes para cada um dos grupos, todos os participantes se encontraram num pub no centro de Londres para convívio.

 

As fotos e vídeos do evento ainda não se encontram na Internet, mas no site do London New Pictures encontram várias do evento do ano passado.

 

 

No Trousers Underground

 

 

O que fazer em Londres em Janeiro 2011

E já chegámos ao primeiro mês de 2011. Acabadas as celebrações do ano novo, entrámos em 2011 com menos alegria com o aumento do IVA para 20% (não é só em Portugal que se sofre com os aumentos do IVA este ano) e com um aumento ridículo do preço dos transportes! Ainda bem que pensei no assunto com antecedência e que ainda comprei o meu passe para o mês a £99 no dia 31 de Dezembro, porque agora já está a £106!! Aumento de £7 não é brincadeira nenhuma. Entretanto já fiz a minha visita ao Starbucks e outras lojas e lá encontrei a indicação que os seus preços também aumentaram para reflectir o aumento do IVA. Ah pois é, como se o preço do café já não fosse caro o suficiente neste país. Infelizmente aqui não sei de nenhuma retalhista que ande a publicitar que não aumenta os preços dos produtos com o aumento do IVA tal como o Pingo Doce anda a fazer por Portugal. Enfim, há que me queixar à boa maneira Portuguesa, mas o facto é que não há mesmo nada que se possa fazer contra estes aumentos. Ou levo com os custos ou não compro. Simples. O que vale é que, sendo o início do ano, é também época de saldos, portanto nada como aproveitar agora para eventuais poupanças em determinados items que façam falta. E melhor ainda para esquecer os aumentos de custos é ficarmos ocupados com os eventos que Londres tem para oferecer. E aí está algo que não falta a esta cidade durante este mês:

 

 

Saldos! O que é? Ora como não poderia deixar de ser, após a época Natalícia surge a época de Saldos e as ruas comerciais de Londres estão neste momento no auge dos saldos com tudo o que é trapinho, sapatinho e afins a preços mega reduzidos. Quando? Até meados de Janeiro, dependendo das lojas. Onde? Para quem gosta das lojas de rua mais comerciais vale a pena visitar a Oxford Street, principalmente a loja de departamento Debenhams que tem sempre Saldos de chorar por mais. Outras zonas a não perder inclui Carnaby Street, Regent Street, Convent Garden e Neal Street, Kensington High Street e as lojas do centro comercial Westfield. Para quem prefere a época de saldos para poderem-se apoderar dos trapinhos da alta costura, então a não perder está Bond Street, Kings Road, Sloane Street, knightsbridge e as lojas de departamento a não perder serão o Selfridges, Harrods, Harvey Nichols, Liberty e Fortnum & Mason.

 

Festival Internacional de mimos de Londres O que é? Festival de mimos que conta com a participação de vários artistas internacionais em vários locais diferentes. Quando? O festival decorre de 15 a 30 de Janeiro.Quanto? Os preços variam dependendo do show, mas em média rondam as £14. Onde? Existem vários locais para performances.

 

Feira para Estudantes Internacionais O que é? Exposição para estudantes internacionais que estão interessados em tirar um curso profissional ou universitário em Londres. Podem aqui encontrar-se directamente com as várias escolas e universidades para saberem quais os cursos disponíveis e detalhes para entrada nos respectivos cursos. Quando? 15 de Janeiro. Quanto? Bilhetes gratuitos marcados com antecedência através do site. Onde? Great Connaught Rooms. Estação? Holborn.

 

Exposição de arte "Small Pleasures" O que é? Exposição de arte de recém graduados numa zona que é cheia de outras galerias de arte. Ao visitarem esta vale bem a pena visitarem as galerias vizinhas já que existem imensas na zona. Convém verificar com antecedência as moradas das várias galerias visto que geralmente são apresentadas em armazéns convertidos em galeria e, por fora seria difícil de identificar que aquelas são galerias de arte. Quando? Esta exposição decorre até dia 16 de Janeiro.Quanto? Exposição gratuita. Onde? Gallery 12a Vyner Street, Bethnal Green. Estação? Bethnal Green.

 

Feira de Arte de Londres O que é? Feira onde várias galerias Londrinas exibem o que de melhor de arte contemporânea Britânica têm exposto. Quando? De 19 a 23 de Janeiro Quanto? Bilhetes a £11 em avanço ou £15 na porta. Por estranho que pareça, manteram os mesmos preços que no ano passado. Onde? Business Design Centre Islington Estação? Angel.

 

Dia da Australia O que é? O Dia da Austrália é sempre celebrado com pompa e circunstância pelos muitos expatriados Australianos residentes em Londres. Por isso, se virem um grande grupo de jovens e graúdos, com ar de quem bebeu umas quantas Fosters a mais a meio do dia a festejar pelas ruas em grande euforia, não se admirem. É porque é o Dia da Austrália. Quando? 26 de Janeiro. Onde? As grandes celebrações têm lugar nos pubs Australianos, sendo os mais conhecidos os Walkabout que se encontram espalhados pela cidade.

 


Novo ano, novas expectativas

Sempre não fui a Westminster ver os fogos, mas do apartmento onde estava, por ser localizado num 7o andar algures para o Este de Londres, não só consegui ver os fogos de artifício do London Eye ao longe, como também consegui ver uns 5 outros fogos de artifício ao longo da cidade. Claro que visto tão ao longe não será bem a mesma coisa, mas de facto os fogos de artifício de Westminster pareceram ser os mais grandiosos e ainda duraram por bastante tempo. Talvez outro ano eu fique por lá perto.

 

Comecei a noite em casa de uma amiga, onde tivemos as "warm up drinks", uns canapés e o primeiro brinde de champagne ao ano novo com os "flatmates" dela. Lá pelas 21:30h decidimos fazer-nos ao caminho para a house party onde tinhas planeado ir. Ficava algures para os lados de Hackney Wick junto ao Regents Canal, num sítio onde definitivamente o acesso não podia ter sido mais complicado. Bem dito seja o Google maps do telemóvel nestas situações. Já chegamos à festa perto das 23h que já contava com cerca de 60 pessoas. Foi tempo de dar dois passos de dança, conhecer algumas novas pessoas, e quando dei por isso já estavam a fazer a contagem decrescente para a meia-noite. Todos com um copo de Cava na mão, lá fomos para a varanda de onde se dava para avistar os fogos de artifício, celebrar a entrada no novo ano.

 

 

Festa de ano novo 2011

 

 

 

Durante a hora seguinte a festa continuou em grande até que o dono da festa, que era Alemão teve a ideia de mudar a música para um estilo mais 80's mas de música não muito dançavel. Escusado será dizer que a partir daí a pista começou a ficar mais para o vazia. Ainda o tentei convencer a mudar a música, ao que ele concordou mas mudou para música antiga tradicional Alemã. {#emotions_dlg.barf} Sim, é verdade que aquilo foi uma diversão para os Alemães todos que lá estavam. Aquelas músicas deviam corresponder a algo tipo o nosso "Apita o Comboio" já que todos andavam por lá em comboizinho. Levamos esta parte da noite como o sinal que nos fez sair dali e procurar outra festa.

 

Como estavamos no meio do nada tivemos que chamar um taxi, mas após uns 10 minutos o táxi ainda não tinha chegado e foi aí que reparamos que havia uma música potente a vir algures ali da zona, e não era da festa onde tinhamos acabado de vir. Então lá seguimos o som até que nos deparamos com um portão para um antigo armazém convertido em residência. Por fora apenas tinha ar de armazém, mas perguntamos a umas pessoas que de lá estavam a sair o que se passava por lá, ao que disseram que era uma "house party" privada mas que estavamos à vontade para lá entrar. Claro que eles não precisavam de dizer isso duas vezes.

 

Mesmo junto à porta de entrada estava um segurança que nos perguntou se conheciamos alguém da festa. Claro que conhecemos, dissemos nós. Conhecemos o John e o Chris. Há sempre um John e um Chris nestas festas e lá devemos ter parecido sinceras o suficiente de que efectivamente conheciamos um John e um Chris que ele deixou-nos entrar. Queria cobrar-nos £5 de entrada, mas depois de dois dedos de conversa lá o convencemos a eliminar esse custo.

 

Lá dentro, o espaço era enorme, com uma espécie de lounge na entrada e uma kitchenette que fecharam a meio com umas tábuas e fizeram dessa, a zona onde vendiam bebidas. Num outro salão ao lado encontrava-se a zona da pista onde a música era essencialmente hard techno. O armazém estava completamente a abarrotar de pessoas e, ao início, da forma como tudo estava apresentado, pensei que efectivamente fosse apenas um armazém que alguém arranjou para fazer uma festa, mas depois de conversar com várias pessoas que por lá conheci apercebi-me que efectivamente vivem 17 pessoas naquele armazém convertido e cheguei mesmo a entrar num dos quartos onde havia outra festa com umas 20 pessoas lá dentro já que, de facto o quarto era enorme. É a vantagem de se viver em armazéns convertidos em casa.

 

Gostei muito desta segunda festa. Ainda bem que o táxi estava atrasado e acabamos por encontrar por ali aquele armazém que de facto aquela festa foi bem diferente do habitual e uma boa forma de entrar em 2011.

 

Agora, com 2011 já aqui á que pensar em tudo aquilo que quero fazer este ano, naquilo que queria ter feito em 2010 e deixei de fazer e naquilo que ainda nunca pensei fazer mas que quero. É um facto que a entrada num novo ano dá-me sempre muito que pensar. Acho que será o mesmo com a maioria das pessoas. Para já, todas as coisas que penso serem realmente importantes para 2011 e as quais posso controlar já as tenho bem definidas. Depois o resto que não posso controlar, logo se vê com o passar do dia a dia.

 

E para os leitores do Tuga em Londres, os mesmos desejos que tenho para mim vai para vocês também. Que se realize em 2011 tudo aquilo que é realmente importante para vocês.