Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A procura da minha 7ª casa em Londres - Parte IV

Hoje tirei uma hora de almoço prolongada (por mais 1 hora e meia) para ir ver uma casa que me parecia mesmo ser muito boa. Estava tão ansiosa e esperançosa que nem conseguia imaginar que não fosse bem tudo aquilo que eu queria. 

 

Ao entrar na casa com a agente, fiquei a conhecer um dos flatmates (muito provavelmente um músico de profissão, dada a quantidade de guitarras pelo quarto). Nem sequer pensando no estado lastimável da casa (isto parece ser o pão nosso de cada dia, cada vez que visito nova casa), até que fiquei contente enquanto estava a ver a casa - A cozinha tinha um tamanho razoável, a casa de banho e a sala também. O primeiro quarto era grandito, o segundo era um bocado mais pequeno, mas dava, e o terceiro,... aii, o terceiro aquilo era mais tamanho de "walk-in wardrobe" do que propriamente um quarto - tinha lá um colchão de solteiro no chao, que deixava cerca de 15cm de largura de espaço extra entre um dos lados do colchão e a outra parede. MUITO pequeno! Bem, mas esse seria o quarto que iríamos alugar à terceira pessoa, que também seria mais barato. Mas mesmo assim não poderia ser tao barato assim - no mínimo teria que ser pelas £550, e não sei se existe alguém no seu juizo perfeito que iria dar £550 por um quarto daquele tamanho. 

 

Mas não foi só o tamanho do quarto que me colocou pé atrás. Isso foi mais quando perguntei ao actual inquilino se ele acha que eu devia saber de alguma coisa que tenha corrido mal enquanto eles tiveram na casa. Ele mencionou-me o facto de que tudo na casa era bom e funcionava bem, mas apontou para o facto de que na casa ao lado vivia um grupo de crianças um bocado problemáticas, assim para o tipo gangster. Avisou que podiam de vez em quando fazer um pouco de barulho, mas que eu não me preocupasse muito porque durante os dois anos em que ele viveu ali só houveram "proper breakouts" umas 2 ou 3 vezes. Mas que ele me dava o número de contacto da pessoa que cuida deles, para caso de emergência.

 

Ahhh! se foram só 2 ou 3 grandes desturbios, já me sinto muito mais calma. Sem dúvida que me apetece ficar lá a morar,... ou talvez não.

2 comentários

Comentar post