Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Na nova casa mas sem Internet

E finalmente o pesadelo acabou e já estou a morar 'a 5 dias na nova casa :-) Ainda está tudo um bocado um pandemónio lá em casa com caixas por tudo quanto é lado que vou ter que resolver este fim-de-semana, Mesmo assim já está a ficar com um ambiente mais familiar com os livros nas estantes, as especiarias alinhadas na prateleira da cozinha, etc. etc. Aos poucos e poucos isto vai lá. O único problema para já é que continuo sem Internet e assim irei continuar durante pelo menos mais uma semana, daí a minha ausencia recente aqui do Tuga em Londres. 

Com falta de Internet este mes nao vou conseguir escrever o habitual post mensal sobre o que fazer em Londres e só vou podendo responder a alguns emails de vez em quando. Desculpem-me se me estao a enviar e-mails daqueles com certa urgencia como por vezes costumam enviar mas inevitavelmente o meu tempo de Internet está limitado a ficar um pouco extra no trabalho para colocar um pouco estas coisas em dia.

Assim que a O2 se dedicar a colocar-me Internet lá em casa eu já vou aqui dar a atencao devida.

 

Ah e entretanto,respondendo 'a pergunta que alguém me colocou num comentário, sim aqui tem-se falado sobre a situacao em Portugal. Ao chegar 'a estacao de metro hoje de manha vi logo o jornal City A.M. com "Portugal" em letras grandes na capa. Juntamente ao artigo sobre a falencia do país estava uma imagem de um jogo de dominó em que a peca de dominó com a imagem da bandeira da Grécia tinha derrubado a peca com a imagem da Irlanda, que por sua vez estava a derrubar a peca com a imagem de Portugal e que, por sua vez, estava em vias de embater com a peca com a imagem da Espanha.

No artigo referiam-se claro ao grande custo para a Uniao Europeia e que, 13% desse custo será pago pelo Reino Unido.  

5 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Portuguesa em Londres 08.04.2011 20:26

    A culpa da crise em Portugal é dos políticos, dos governos corruptos que tivemos desde o 25 de Abril, e também do povo português que está em estado de apatia crônica há muito tempo e que vive só para as aparências. Os comentários racistas não se justificam. Culpar, ou ter inveja dos estrangeiros em Portugal, não é a solução!
    Se vai emigrar para um país como o Reino Unido onde em certas zonas quase não se veem ingleses brancos nativos, é melhor perder esses preconceitos racistas antes, senão vai ter muitos problemas.
  • Sem imagem de perfil

    London Calling 10.04.2011 13:02

    Permite-me discordar.
    A culpa da crise em Portugal é do povo português, dos governos corruptos que tivemos desde o 25 de Abril e dos empresários sem visão (que não a sua própria carteira). Assim por esta ordem, o povo em primeiro.

    Também é culpa quem perdoou ou doou milhões a vários países africanos e que agora, que dava jeito tê-los de volta, nem vê-los.
    Culpa de quem tem a mania que o estado tem de social para quem é anti-social. Que quem n quer fazer nenhum ñ pode ir para rua e morrer de fome. Que temos de ajudar e dar muito e muitas vezes a quem não quer devolver nada a sociedade.
    Que quem trabalha não conseguira sustentar mais que 2 filhos e quem não faz nenhum pode ter os que Deus quiser. Porque o estado estará lá para dar casa com vários quartos, comida, estudos, e sustento para essas gerações e as que sucederem dessas.
    Engraçado que nesta altura estarás a pensar que sou Racista quando ainda n referi qualquer etnia. Basta dizer "n fazem um chavelho" "casa de borla" "triliões de filhos que n fazem um chavelho", que já sabemos de quem estou a falar.

    Não é uma etnia ou uma cor de pele, mas uma cultura. Um problema de cultura de quem é doutorado em pedir dinheiro ao estado criar crime e não fazer nada.

    "Ah e tal, os banqueiros e autarcas roubam muito mais" Roubam pois. Mas geram empregos, trabalham. Pagam renda, emprestimos, casas, carros. Que por sua vez geram rendimentos a outras famílias...

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 10.04.2011 14:32

    Tens razão e segundo sei essa é uma "profissão" em Inglaterra. Fazer filhos sendo solteiro/a para viver à custa do Estado e não fazer nada. Rende mais ter dois ou três filhos do que trabalhar. E se um dos membros do casal trabalha é só umas horas para não aumentar os rendimentos e arriscar perder algum subsídio. E não são as pensões de miséria que pagam em Portugal. Apesar de não estar correcto, isto mal ou bem vai fazendo mexer a Economia porque as pessoas vão tendo dinheiro para gastar e alugando casas.
    Tenho um caso igual na família a viver em Londres. Nem a língua tentam aprender. Para quê o dinheiro chega pelo correio sem se mexerem...relativamente pouco mas mais que a miséria de onde saíram.
    São opções de vida.
    Eu nem tenho filhos com medo de não ter dinheiro para lhe dar o mínimo indispensável e vejo à minha volta, crianças a serem feitas sem a mínima responsabilidade.
  • Imagem de perfil

    Tuga em Londres 26.04.2011 00:12

    Esse é um facto aqui em Inglaterra e, efectivamente há muitas pessoas que preferem não trabalhar propositadamente para não perder os benefícios. O Estado inglês, no entanto, apercebendo-se desta situação tem estado nas últimas semanas a ameaçar cortar fortemente nesses benefícios para que a opção de trabalhar seja sempre mais benéfica do que a de não trabalhar. Portanto, se isso fôr em frente, em breve todas as pessoas que poderiam beneficiar dessas ajudas de Estado genuínamente que, por diferentes motivos se vêm temporariamente fora do trabalho, agora vão ser desfavorecidos devido aos muitos que fazem disso a sua "profissão" a tempo inteiro.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.