Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Mudar de nome após o casamento - os detalhes

Passados 5 meses desde a nossa data de casamento que finalmente tenha o meu novo nome de casada oficial. Pelo menos está oficial nos passaportes e no Cartão de Cidadão. Ainda falta uma quantidade de outros sítios, mas vou-me focar naqueles que forem mesmo mais importantes e o resto deixo estar.

 

Para quem também quiser vir a mudar o nome ao casar, aqui ficam as informações essenciais que eu adorava ter tido antes de começar o processo para me poupar muita dor de cabeça e custos. 

 

Primeiro fica a questão importante - que nomes podem mudar no Reino unido e em Portugal? Apesar do que possam ler nos sites oficiais, podem fazer as mudanças que quiserem ao vosso último nome, uma vez que casados tanto em Portugal como no Reino Unido, sem precisarem absolutamente de mais nada para além do certificado de casamento. Essas mudanças de nome podem ser:

  • substituir completamente o último nome pelo vosso nome de casados.
  • adicionar o novo nome no fim do vosso actual.
  • se tiverem mais do que um sobrenome podem substituir todos ou só os que quiserem com o novo sobrenome.
  • retirar um dos vossos sobrenomes do meio e adicionar o novo nome no fim ou no meio.
  • podem adicionar ambos os vossos nomes com um hífen, por exemplo Martins-Smith. 

E mesmo no Consulado Português podem tratar disso tudo sem ter que fazer tradução oficial nenhuma do certificado de casamento, apesar do que o site oficial do Consulado tem lá escrito, que me fizeram gastar um dinheirão e perder tempo para nada! 

 

Quanto à ordem das mudanças:

  • Primeiro têm que tirar o Cartão de Cidadão, só depois podem mudar o passaporte Português e, só quando tiverem o passaporte Português poderão alterar no passaporte Britânico, se o tiverem.
  • Depois vêm todos os outros locais oficiais como o vosso banco, o HMRC e o Land Registry, caso já tenham comprado uma casa.
  • Convém também mudarem o nome com as companhias da água, luz e afins porque podem precisar de provas de residência para qualquer outro efeito, e geralmente são as cartas destes fornecedores que podem utilizar como prova da vossa residência, pelo que será necessário que o nome seja equivalente ao do passaporte.
  • Convém também mudarem no vosso registo de eleitor, mas geralmente a vossa câmara local envia-vos uma carta para casa a perguntar se há mudanças nos vossos detalhes de contacto antes de cada eleição.
  • Depois vêm os outros detalhes como mudar o nome no vosso email, nas redes sociais e afins que são menos importantes e se não mudarem não faz muito mal aparte do facto que podem deixar muita pessoa confusa

 

 

O Raminhos está de volta

Passaram 10 anos, mas o Raminhos está de volta aos palcos Londrinos! Para aqueles que estejam mais atentos à televisão Portuguesa, já devem conhecer o António Raminhos, que cada vez que vou a Portugal vejo-o em diferentes programas. Para os que tiverem estado atentos ao blog em 2009, talvez se lembrem de que organizei um encontro Tuga para irmos ver o Raminhos actuar em Brixton. E para aqueles que ainda nunca tiverem ouvido falar nele, o Raminhos é um comediante Português, e vem fazer uma noite de Stand up a Londres, no Leicester Square Theatre já esta quinta-feira dia 9 de Janeiro. 

Para os interessados, podem comprar bilhetes através do site do Leicester Square Theatre ou no próprio dia, se ainda houver lugares disponíveis. Ficam também os detalhes em baixo.

Para quem não fôr, podem ficar atentos ao @tugaemlondres no Instagram que irei colocar umas Stories com o evento nessa noite.

raminhos-jan2020.jpeg 

 

Dry, sugarless veganuary

Já há vários anos que faço o que chamo do meu mês de 'detox', sobre o qual já falei antes no blog aqui e aqui e onde expliquei porque o faço, quais os benefícios e dificuldades. Este vai ser o primeiro ano que efectivamente adiciono ao mix (de não consumir álcool, cafeína ou açúcar) a alimentação vegana. Cheguei a experimentar um outro ano mas desisti a meio do veganismo que estava mesmo muito fraca, o que é exactamente o resultado oposto pretendido com todas estas restrições alimentares. Mas nesse ano também o meu veganismo consistia em comer saladas e sopas, por isso não admira que tenha ficado fraca por não estar a tomar atenção aos valores nutricionais. 

 

Este ano vai ser diferente. Tenho andado a ler informação no website do veganuary sobre valores nutricionais e estou a contar os nutrientes que consumo através do app myfitnesspal que indica o valor nutricional diário que vos falta ao adicionarem as primeiras refeições do dia. Acho que é quase impossível acertar em todos os nutrientes a 100% da quantidade diária certa, mas dá uma boa indicação dos nutrientes que estão mais em falta. 

 

Optei por também fazer o veganismo este ano principalmente por motivos de saúde, mas também para apoiar a indústria vegana a crescer, e consequentemente reduzir o consumo das indústrias animais e de todo o seu impacto a nível das emissões de carbono e afins que todos conhecemos tão bem. Não tenho intenções de tornar-me vegana, mas quero que este mês me ajude a conhecer novas receitas e ideias de comida veganas para me ajudar a reduzir mais o meu consumo semanal de carne e peixe - é bom para a saúde, bom para o ambiente, bom para a terra, bom para os animais, bom para todos. 

 

Hoje por exemplo fiz um Thai Red curry que estava excelente e foi super fácil. Para os interessados em experimentar, basta refogar 3 colheres de um thai curry paste (eu usei de compra) numa colher de azeite; depois de 5 minutos adicionar uma lata de leite de coco e refogar mais 5 minutos; depois adicionar batatas em cubinhos e deixar cozer durante 10 min; adicionar o milho pequeno e pimentos cortados e cozer mais 10min; adicionar o mangetout e os espinafres e cozer mais 2 minutos. Adicionar um pouco de molho de soja para temperar e servir com arroz e salsa. E voilá, fica o resultado:

fullsizeoutput_469d.jpeg

Agora o meu verdadeiro desafio este mês vai ser manter este veganismo sem alcóol nem açucares quando fôr a Portugal no final do mês para um casamento, seguido de uma semana em Berlim com o trabalho. Não vai ser nada fácil 

2019 em política no Reino Unido

Este ano houve tanta mudança, acontecimentos importantes e até chocantes ao nível político no Reino Unido, que se eu escrevesse sobre o assunto, iam ter post para ler até vos doerem os olhos. Como tal, optei por representar o ano político em revista com um infográfico que espero que consiga transmitir bem a confusão em que este país se meteu neste ano: 

ano-politica-uk-2019.png

Se não conseguirem ler bem, podem aceder ao PDF aqui

 

Natal com os sogros - Parte III

O meu primeiro Natal com os sogros está passado. O resultado foi positivo.

 

Basicamente passámos o tempo na sala a falar e beber gin & tónico ou chá e vimos os especiais todos de Natal na televisão - Especial 'Stricly Come Dancing'; Especial 'Gavin & Stacey'; Especial 'Christmas Carol'; Especial 'Not Going Out'. Os nossos dias em Leicestershire incluíram também a visita (aparentemente essencial) ao pub na tarde da véspera de Natal onde o meu inglês se costuma encontrar com os amigos de infância. O pub estava à pinha, e aparentemente o volume de clientes ainda ia ser maior no dia de Natal, quando o pub está aberto das 11h às 13h e a vila inteira vai àquele pub durante essas duas horas enquanto têm os perus no forno. Não foi o nosso caso felizmente que já achei o pub cheio demais na véspera.

 

No dia de Natal em si, a minha sogra fez todos os preparativos e nós apenas tivemos a ajudar nas pequenas coisas. Em comparação com os Natais em casa dos meus pais, a diferença grande está na quantidade de comida servida. Cá comemos uma sopa para entrada, seguida de galo no forno com legumes assados, e um pudim de Natal para sobremesa. A minha sogra até tinha feito também um Bolo do Natal que leva imensas frutas, mas nem o chegou a colocar na mesa porque estávamos cheios. 

fullsizeoutput_45b8.jpeg

Em casa dos meus pais, temos sempre uma mesa cheia de petiscos para entrada - camarões, saladas de polvo e cogumelos, queijos, salada e sopa; depois lá vem o galo com legumes também e terminamos sempre com pelo menos 5 ou 6 sobremesas.

 

Isto de só se colocar uma sobremesa na mesa, para mim não tem lógica nenhuma! - Claro que vamos estar cheios, mas o interessante é colocar-se tudo na mesa e vai-se comendo aos bocadinhos durante o resto da tarde. 

 

Chega ao Boxing Day, e é a minha vez de cozinhar. Eu já tinha feito o salame na véspera de Natal para estar bem sequinho e para repartir o tempo demorado na cozinha em dois dias. Em vez de fazer entrada decidi servir Pastéis de Bacalhau como prato principal, com arroz de tomato, que é algo que lá em casa também não costumam fazer, e acompanhados com uma salada bem temperada com azeite e ervas aromáticas mediterrânicas. Não só porque essa é a forma de servir uma salada Portuguesa, mas também porque não gosto nada dos molhos para saladas cheios de maionese e afins que os Ingleses costumam enfiar nas saladas. - Resultado? Adoraram! Não posso dizer que enquanto estava a cozinhar, não tivesse sido um pouco stressante, principalmente quando reparei que estava a demorar mais tempo do que o calculado, mas quando repetiram a comida não tive dúvida que gostaram. 

IuAJRf3lQpK7XX6HR0auBQ.jpg

Foi assim. Agora para o ano será a vez de mostrar ao Inglês como decorrem os detalhes de um Natal Português. 

As festas em Dezembro estão ao rubro

Estamos naquela época do ano em que há festa e animação constante nas ruas, no trabalho, entre os grupos de amigos. Isto é tudo muito bom e sabe bem de forma geral, mas estas festas não vêm sem as suas desvantagens, que achei por bem deixar aqui porque acho que muitos de nós pensamos sobre elas mas não falamos muito sobre o assunto:

  • A falta de tempo para nós próprios - basicamente não se tem tempo para mais nada.
  • Os excessos - cada festa vem com muita bebida e muita comida - os níveis de álcool, açúcar e gordura estão ao seu nível mais alto do ano inteiro, pelo que não é por acaso que muitos escolhem o mês de Janeiro para entrar em grandes dietas para tentar compensar o mal que fizeram ao corpo durante Dezembro;
  • A pressão social dessas festas - Nem todos gostamos de ir a este tipo de festas mas existe uma certa pressão social para se estar presente pelo menos nas três ou quatro festas mais importantes do mês:
    • A festa de Natal do trabalho - quer se goste dos colegas ou não, parece mal aos gerentes e aos colegas quem não estiver envolvido, e é melhor terem uma desculpa muito boa se não poderem comparecer;
    • A festa dos amigos antigos - é habitual que num ou noutro ano os antigos amigos de trabalho, escola ou faculdade se queiram encontrar. Mas com esses encontros existe aquela expectativa de falar sobre como as respectivas vidas têm progredido desde a última vez que se viram - cada um quer falar das últimas viagens entusiasmastes; dos novos namorado(a)s, casamentos ou crianças; das promoções de trabalho e afins; mas e quem não tem coisas novas e entusiasmastes para contar, que de forma geral até que somos muitos de nós? Ou quem simplesmente não quer estar a responder a todas as questões sobre a vida? Torna-se um tipo de encontro muito pouco desejado, mas se não forem ao tal encontro também se sentem postos de parte;
    • A festa de família - nem todos os Natais em família são cheios de boa comida e gargalhadas como se vê nos filmes, e nem sempre apetece estar a passar um, dois ou mais dias com o tio que tem valores fundamentais muito diferentes dos vossos, ou com os pais com quem se chatearam por causa de dinheiro; ou com os avós que não vos param de perguntar quando vão ter filhos; ou com o primo que está sempre a fazer piadas de mau gosto,… mas o Natal é o ‘dia da família' e como tal querem fazer o esforço para estar presentes, mesmo que tudo o que desejassem nesse dia era estar calmos em casa sozinhos a ver um filme e beber um bom vinho;
    • A passagem de Ano Novo - já perdi a conta da quantidade de pessoas que me disseram este ano que não gostam nada do Ano Novo. E não gostam basicamente pela pressão que vem com o Ano Novo - a pressão de estar numa festa bombástica com um grande grupo de amigos. As expectativas da festa dessa noite são sempre tão grandes, que muitas vezes passam meses a organizar a festa, e no final acaba por ser uma noite desapontante simplesmente porque o nível de expectativa era muito mais alta do que realmente foi a festa que decorreu.

christmas-tree.jpeg

 

Pensando bem nisto tudo, não é de admirar por haver tantas pessoas a não apreciar muito esta época Natalícia, mas acho que o melhor será mesmo lidar com cada evento um de cada vez.

É preciso ir a todas as festas para que são convidados? - não.

É preciso stressar por não se aceitar ir a uma festa? - não.

Há que lidar com esta altura do ano, como vos sabe melhor. Nunca é porque a maioria parece fazer isto ou aquilo que todos temos que sentir que é necessário fazer o mesmo. Simplesmente aproveitem aquilo que, desta época vos sabe bem, e o que não souber bem, ignorem. 

O que quer que decidam fazer durante os próximos dias e como quer que prefiram lidar com o mês de Dezembro, tomem as decisões que vos fazem mais felizes. Feliz mês de Dezembro para todos!

Natal com os sogros - parte II

Ora e tinha dito eu no primeiro post sobre o assunto que ía fazer uma entrada e um doce para trazer um gostinho Português ao Natal em casa dos sogros. Bem, ao menos foi isso que sugeri à minha sogra. Ela não me respondeu a essa mensagem.

 

Um dia depois, mandou uma mensagem a mim e ao meu Inglês sobre outro assunto e mencionou que depois responderia ao assunto da comida para o Natal. Achei isto tudo muito estranho... Porque é que tem que responder mais tarde ao assunto? Apenas sugeri ajudar a fazer comida para o Natal. Achei que iria ficar contente com o assunto? Não? 

 

Eventualmente respondeu ao assunto da comida a dizer que achava uma óptima sugestão para eu fazer no dia a seguir ao Natal porque já tinha a refeição para o Natal planeada 

Hmm,... OK. Bem sugestão está oferecida, não posso voltar atrás. Posso fazer uma refeição, mas não será bem a mesma coisa no dia após ao Natal quando já ninguém pode ver comida à frente e as festividades já tiverem acabaram.

O Natal chegou mais cedo

Foi mesmo já este fim-de-semana que celebrei o Natal de 2019, contou com ceia de Natal com bacalhau, prendas e tudo. Vai ser o primeiro ano que não passo o dia 24 de Dezembro em Portugal com a família, mas quem diz que não podemos celebrar o dia na mesma uns dias antes? E assim foi:

natal-2019-3.jpg

Mercado de Natal no largo do Palácio da Vila - Sintra

 

natal-2019-2.jpg

natal-2019-1.jpg

 

Natal com os sogros - parte I

Este vai ser o primeiro ano que não vou passar o Natal com a família em Portugal. Como fizemos por lá a festa do casamento, achámos por bem que os pais do meu Inglês tinham direito a ser os primeiros a receber-nos no Natal. Mas também não posso deixar de passar o Natal com os meus pais, por isso vamos já neste próximo fim-de-semana passar a 'consoada' Portuguesa com os meus pais. 

 

Entretanto, começaram as conversas sobre os preparativos para o Natal com os sogros. A minha sogra está entusiasmada por me apresentar às tradições do Natal Inglês, mas eu também quero trazer comigo algo do Natal Português. Não vou influenciar o prato principal do almoço de Natal, que já se sabe que nessa parte da refeição nunca se pode mexer com as tradições, mas estou a pensar fazer uma entrada e uma sobremesa. 

 

Como entrada estou a pensar fazer pastéis de bacalhau e talvez uns canapés. Não consigo pensar em canapés que sejam tipicamente Portugueses, mas acho que só pastéis de bacalhau também será uma entrada fraquinha? Agradeço sugestões! 

Quanto à sobremesa, estava a pensar fazer arroz doce que é sempre uma sobremesa essencial do nosso Natal, mas quando sugeri essa sobremesa ao meu Inglês, ele encolheu a cara em desgosto e disse que arroz doce só se come nas sobremesas da escola.  - OK, não faço arroz doce se é assim tão mal vindo. Em alternativa talvez faça antes pudim flãn que adoro. 

 

Quaisquer outras sugestões serão também muito bem vindas. Isto há que causar uma boa primeira impressão ao meus primeiro Natal com os sogros das tradições que levar comigo. 

O assassino misterioso

Ou como lhe chamamos em Inglês - 'Murder Mistery' - foi um dos jogos que fiz com alguns amigos durante a nossa escapadela no campo este fim-de-semana que passou. Gostámos tanto que achei por bem deixar aqui a experiência, visto que geralmente nesta altura do ano há sempre imenso pessoal a fazer jantaradas e um jogo como este pode ser uma boa adição. 

Para quem não conhece, este é um tipo de jogo ideal para animar os jantares de adultos ou de adultos com crianças. O conceito da história é simples - um certo número de pessoas encontra-se na mesma casa para um evento, e de repente um detective é chamado ao local porque uma pessoa é encontrada morta. O detective é a pessoa que orienta as partes do jogo, todas as restantes pessoas são suspeitas de serem o assassino e cada qual vai relevando diferentes pistas da sua relação com a pessoa assassinada que os podem incriminar ao longo do jogo. No final cada qual diz quem acha ser o assassino mas será o detective a revelar o culpado. 

Passado a primeira ronda já todos percebiam como o jogo funcionava e tornou-se hilariante, principalmente quando o pessoal se dedicou aos sotaques e a encarar bem a personalidade dos seus personagens. Fomos também para a temática de uma festa durante os anos 20, por isso todos estávamos vestidos apropriadamente. 

Fiz o download do jogo no site do Red Herring Games, mas existem imensos sites que oferecem esse tipo de jogos. E depois há imensos temas à escolha também. Fica a ideia para as vossas festas de Natal, Ano Novo e afins.

OEs6uGUPSaCLvmhFNndMAA.jpg