Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A minha primeira experiência no Web Summit

Esta semana que passou estive por Lisboa para ir à Web Summit. Fiquei com interesse em ir quando, uma ex-colega que foi o ano passado, me descreveu tudo o que de positivo achou de ter lá ido. Então nessa altura adicionei o meu e-mail à newsletter do 'Women in Tech' da Web Summit e, quando os bilhetes 'early bird' abriram por volta de Março ou Abril, comprei logo. Ficou a cerca de £85 por dois bilhetes, por isso vale bem a pena marcar logo. Infelizmente esse desconto está só disponível para mulheres, que eu saiba, com o intuito de atrair mais mulheres da indústria à conferência. 

 

Devido a ser uma altura complicada no trabalho, não consegui dedicar os dias todos à conferência, mas estive lá na noite de abertura e o dia todo de Terça-feira. E devo dizer que estava cheia de pena de não ter lá ficado mais, quando me dirigi para o aeroporto nessa noite. Para quem esteja na área da tecnologia, ou que esteja numa empresa que aprecia inovação em tecnologia, acho que a conferência vale mesmo a pena visitar. As palestras em si, são muito variadas e, as que ouvi, foram muito boas. Mas o que é também muito bom é o networking proporcionado. Eu estava sozinha na primeira noite, mas fui à zona do 'Night Summit', que basicamente se refere à zona de entretenimento nocturno, e facilmente comecei a conhecer logo pessoas tive conversas muito interessantes com empreendedores e outros profissionais. Tendo a experiência de outros eventos onde as pessoas costumam ficar nos seus grupos, aqui, sinceramente foi muito fácil conhecer outras pessoas e ter conversas relevantes para a minha área de trabalho. 

 

Este ano anunciaram que a Web Summit está contratada para continuar a decorrer em Lisboa durante os próximos 10 anos, e foi bom ver que uma grande quantidade de empresários Portugueses na área da tecnologia estão envolvidos no desenvolvimento e apoio da realização da Web Summit, já que todos foram chamados ao palco em forma de agradecimento. O que não foi bom ver, foi o facto de que, quando estes cerca de 50 empresários vieram ao palco, entre eles só consegui ver cerca de 2 ou 3 mulheres. Na conferência, de forma geral, não senti essa diferença, e os números entre homens e mulheres até parecia relativamente balançado, mas ali, naquele palco, no momento em que os empreendedores Portugueses foram chamados, ver tão poucas mulheres foi sem dúvida muito estranho. Pergunto-me se isso será por haver menos mulheres em Portugal a interessarem-se por tirar cursos relacionados com tecnologia, ou se têm menos interesse em empreendorismo, ou se se sentem com menos apoio para o fazer? Não sei bem a razão, mas sem dúvida que demonstra a grande disparidade que ainda há. 

 

Nesse primeiro dia de abertura, além de algumas apresentações do inventor da World Wide Web, Tim Berners-Lee, apresentações da Apple, etc., o Presidente da Câmara de Lisboa e o Primeiro Ministro Português também subiram ao palco para dar as boas vindas à conferência. Eu até percebo que, para um evento que traz 70,000 pessoas a Lisboa de todo o mundo, esta é uma óptima oportunidade de Lisboa, não só a se dar a conhecer como cidade, como a dar-se a conhecer como uma cidade que apoia e investe em tecnologia e que o país aprecia investimento do estrangeiro. Como tal, até que acho razoável termos a presença do Presidente da Câmara de Lisboa a vir dar as boas vindas e falar um pouco sobre o que a cidade tem para oferecer, mas daí a termos o Primeiro Ministro a dar as boas vindas à conferência acho um pouco exagerado. Não imagino que qualquer Primeiro Ministro Britânico tenha dado as boas vindas a uma conferência realizada na ExCel (o maior centro de exposições e conferências do país e um dos maiores da Europa). Parece-me que a presença de um Primeiro Ministro neste tipo de eventos é desnecessária e, até transmite a impressão de que somos um país pequenininho onde não é costume realizarem-se encontros destes, já que lhe estamos a dar tanta importância. 

 

De qualquer forma, gostei bastante e só tive pena de não poder ter ficado a semana inteira. 

 

web-summit.jpg

 

O que fazer em Londres em Novembro 2018

fazer em Londres 2018.png

Já mudou a hora, os dias ficam escuros mais cedo, e a temperatura está cada vez mais fria. mas este frio também sabe bem quando estamos agasalhados a ver os fogos-de-artifício da Bonfire Night ou a passear pelos mercados de Natal. São esses alguns dos eventos que marcam o mês de Novembro todos os anos, assim como os eventos do acender das luzes de Natal, as pistas de patinagem no gelo e afins. Este mês conta também com o evento organizado pela revista Stylist - o Stylist Live - dedicado a mulheres e que conta com palestras interessantes, moda, comida e afins. Eu vou novamente este ano, mas inicialmente comprei bilhetes para Domingo e, já não vou poder ir ao Domingo, por isso comprei outro bilhete para Sábado e estou a tentar vender os meus dois bilhetes de Domingo. Comprei-os no preço Early Bird, por isso se algumas das leitoras estiverem interessadas, é de aproveitar. Estou a vendê-los directamente através do mercado Fan to Fan do See Tickets, e são os primeiros que estão aqui listados a £9 cada um.

 

Aqui ficam então a minha selecção de eventos do mês:

 

Pistas no gelo - O que é? Londres vai estar cheia de locais onde podem fazer patinagem no gelo este mês. Desde patinagem no terraço da loja de departamento do John Lewis, ou no terraço da tobacco Dock, até à pista com uma vista monumental na Somerset House ou no Natural History Museum, as opções são mais que muitas. Ver no link sugerido várias listagens e as datas de quando abrem. 

 

Bonfire Night - O que é? De 2 a 5 de Novembro vão ouvir os fogos de artifício praticamente em qualquer local onde estejam em Londres. Existem vários locais dedicados a shows de fogos, alguns gratuitos e outros pagos. Encontram uma lista de opções no link indicado.

 

Enchanted Forest - O que é? Este parque, pode não ser o mais acessível para todos em termos de localização, mas contém uma atracção com instalações de luzes por uma grande área de bosque, que o torna um destino muito interessante para famílias. Quando?  De 9 a 25 de Novembro.  Quanto? Bilhetes por adulto de £10-£12 e £5 para crianças.  Onde? Syan Park, Brentford. 

 

Stylist Live - O que é? Este festival de 3 dias conta com seminários sobre empreendorismo, política, maternidade, moda, saúde, conta também com workshops, salões de beleza, uma passarele, muitas amostras e oportunidades para conhecer algumas celebridades. Quando? 9, 10 e 11 de Novembro. Quanto? A partir de £15 (ou podem comprar os dois bilhetes que estou a vender a preço early bird de £9). Onde? Olympia

 

Mercados de Natal - O que é? Desde ao pequeno mercado de Southbank Centre ao grande Winter Wonderland de Hyde Park, não faltam opções onde fazer as vossas compras de Natal. Ver aqui uma listagem de vários mercados por toda Londres.

 

EFG London Jazz Festival - O que é? Uma série de eventos de jazz em vários locais em Londres. Quando? 16 a 25 de Novembro. Quanto? Alguns eventos gratuitos outros pagos. 

 

Queen of Hoxton French Winter Terrace - O que é? Todos os anos o terraço do Queen of Hoxton costuma ser transformado num local acolhedor para noites com amigos. Desta vez o tema é de bar dos anos 1900s de França. Quando? Abriu esta semana e vai ficar todo o inverno. Quanto? Gratuito. Onde? Shoreditch.

 

Era um Flat White com leite de aveia de faz favor

Viver em Londres está a fazer-me ficar mal habituada com as minhas exigências de café. Já há uns 4 ou 5 anos que deixei de beber leite de vaca. Isto porque a certa altura o leite estáva-me a deixar ficar muito cheia, comecei a reduzir, e ao voltar a beber já não gostáva do sabor. Fiquei-me por leites alternativos para o café e os cereais. Nos primeiros anos bebia leite de soja, depois começei a ver mais frequentemente leite de amêndoa à venda nos cafés, e eu pedia essa alternativa quando sabia que a ofereciam. Mas assim, de repente no último ano, houve uma espécie de boom de diversidade de leites alternativos à venda e agora até já nem encontro soja em muitos locais, e alguns cafés vendem só ou leite de aveia, ou de coco por exemplo. O meu favorito de momento é mesmo o de aveia, e consigo encontrá-lo em oferta na grande maioria dos cafés. Mas isso também é porque a maioria dos cafés onde vou ficam no Este ou centro de Londres. Isto não se aplica em todas as zonas de Londres. Mas quer haja leite de aveia ou não, é raro hoje em dia ir a um café em Londres onde não ofereçam alguma alternativa. Mas estamos em Londres...

 

No outro dia, quando fui a uma vila Britânica junto ao mar, estava-me mesmo a apetecer um Flat White. Pelo sim, pelo não, decidi pedir um Cappuccino que nem todos os sítios sabem fazer um bom Flat White. Também nem me atrevi a pedir com leite de aveia porque não sabia qual seria a variedade de oferta de leites alternativos dos cafés da localidade, por isso pedi com leite de soja - "ah, isso leite de soja não temos". OK, sinceramente não me surpreendi assim muito com essa resposta. Decidi continuar e perguntei no café seguinte por onde passei - "Aqui só fazemos cappuccino com leite normal". OK. Não é que o outro seja anormal, mas continuei. No terceiro café, a conversa já foi diferente:

- "Leite de soja? Acho que temos sim. Deixe ver..." (procura no frigorífico e não encontra) - "Oh Tina!" (grita lá para dentro da loja) - "Nós não tínhamos leite de soja?"

(A Tina chega à zona de serviço)

- "Temos leite de soja sim." (procura no frigorífico. Mete a mão lá mesmo ao fundo) - "Bem sabia que tínhamos um. Só estava aqui escondido. Nós temos sempre um guardado para o ocasional cliente que pede."

A embalagem já estava aberta, e preferi não perguntar à quanto tempo estava aberta, mas não sabia mal, por isso tudo bem. Havia era o factor adicional que ali não faziam cappuccinos. Só serviam cafés longos tipo Americano. E estava, hmmm, OK...

 

Ao escrever isto, até me parece um pouco ridículo eu estar com tanta 'esquisitisse'. É só um café! Mas o problema é que Londres está a fazer-me ficar mal habituada.

 

Se satisfiz a vontade de café que tinha? Hmm, nem por isso. Adoro a variedade de oferta que Londres tem, mas sem dúvida que me faz uma consumidora mais exigente onde quer que vou, e fico desapontada quando não consigo receber a mesma variedade noutros locais. 

 

flatwhite.jpg

 

 

Hábitos Ingleses - ao lavar a louça

Um dos hábitos com que não me consigo habituar é quando ao lavar a louça, deixam ficar a espuma toda sem passar por água antes de secar.

 

Tipo - não! O inglês com quem vivo também gosta muito de fazer isso, o que me irrita extremamente. Se a louça não é passada por água, inevitavelmente vai ficar com vestígios de detergente, e essa louça vai novamente entrar em contacto com comida que vamos ingerir. Como eles próprios gostam de dizer - "it's not rocket science!" - não custa asssim tanto passar a louça por água antes de limpar, custa?

 

IMG_7819.JPG

 

Férias nas Maurícias

Este verão, eu e o Inglês decidimos ir passar as férias nas Maurícias. Ficámos lá uma semana mas até pareceu um pouco mais porque, quando se está a passear num ambiente tão diferente com tantas coisas para fazer e ver, parece que o tempo se estica e que ficámos lá muito mais tempo do que o que o tempo que realmente passou. O que foi particularmente interessante foram mesmo as cores de tudo o que nos rodeava. Todas as manhãs eu ficava mais que espantada a olhar para toda a beleza natural que tinha à minha volta. A zona de Balaclava e algumas outras zonas por onde passei eram mesmo muito bonitas. Vou deixar as fotos falarem por si:

mauritius (2).JPG

A ilha é muito verdejante

 

mauritius (5).JPG

Tem locais perfeitos para relaxar

 

mauritius (3).JPG

 Os mercados de produtos frescos são impressionantes

 

mauritius (1).JPG

Tem pôres-de-sol inesquecíveis

 

mauritius (6).JPG

A comida é deliciosa

 

mauritius (4).JPG

As paisagens são estupendas

 

mauritius (8).JPG

E as praias são magníficas

 

Resultado - adorei e aconselho vivamente para quem tiver o interesse de visitar um dia.

 

 

 

Aniversário com nostálgia Portuguesa

Ontem foi o meu dia de aniversário, e talvez pelo dia me fazer lembrar da infância e dos anos que passei em Portugal, apeteceu-me ouvir música Portuguesa. Mas isso fez-me aperceber de que, a música Portuguesa que tenho gravada, é maioritariamente dos anos 90 e inícios dos anos 00. Quase que não tenho descoberto música Portuguesa nova desde que estou a viver no Reino Unido, e isso é triste. Com certeza que há por aí imensas bandas e cantores de que ia gostar de ouvir, mas na minha lista tenho os suspeitos habituais - Pedro Abrunhosa, Clã, João Pedro Pais, Delfins, Silence 4, Xutos & Pontapés, Boss AC, Da Weasel, Mind da Gap, que eram as bandas que ouvia quando vivia por Portugal...

 

Também culpo um pouco as rádios Portuguesas pela minha falta de conhecimento de novos cantores porque, afinal, cada vez que vou a Portugal e meto a rádio a tocar, a maioria da música que se ouve é Americana ou Britânica e também um pouco Brasileira e Espanhola, mas Portuguesa talvez tenha a prioridade 5 em termos de música mais frequentemente tocada. 

 

Então estive a fazer uma pequena pesquisa por nova música Portuguesa que ainda não conhecia. Parece haver vários com música tipo fado moderno (se isso pode ser considerado um estilo), tipo A Naifa, Deolinda ou Stockholm Lisboa Project. Depois encontro os cantores românticos tipo André Sardet ou o Salvador Sobral (se bem que esses já conhecia). Mas e bandas de Indie Rock tipo The Killers, Kasabian, The Libertines, etc? Ou Indie Mellow tipo Daughter, The XX, Lorde etc. Têm algumas recomendações para bandas Portuguesas desses géneros?

 

Algumas outras bandas/cantores que achei interessantes durante a minha pesquisa foram o Luís Severo, Salto, Capitão Fausto e Cassete Pirata. 

 

Entretanto, ontem passei mesmo a manhã a relembrar-me das música do Pedro Abrunhosa

 

 

 

Mini férias em Maiorca

Devo dizer, que fiquei positivamente surpreendida pela ilha de Maiorca. Em finais de Setembro, a temperatura esteve excelente, o ambiente da cidade de Palma era tão animado como outros locais turísticos em pleno verão, mas sem sentir que houvessem demasiadas pessoas. 

 

Fiquei os primeiros dias no nordeste da ilha, perto de Alcúdia e Pollença. Ambas as localidades eram muito giras, cheias de carácter, com um centro de vila antigo e bem conservado. Sem dúvida não são a zona de festa de Maiorca, mas antes uma zona onde é muito agradável passear, aproveitar a praia e os bons restaurantes. 

mallorca (4).JPG

 Praia de Pollença

 

A estadia com as minhas amigas na vila que alugámos, foi fantástica - acordar, tomar um bom pequeno-almoço, passar algum tempo na espreguiçadeira a ler livros ou a conversar, e fazer o ocasional passeio ou visita à praia. Soube tão bem ter esse tempo de descanso! OK, pensando bem no assunto, passámos um dia e meio na piscina, um dia na praia e outro dia em passeio em Palma de Maiorca, e depois foi a viagem de volta. Foram poucos dias mas quando se está num ambiente diferente a fazer actividades completamente distintas das do meu dia-a-dia, até parece que passei lá mais tempo do que efectivamente passei. 

 

Depois a cidade de Palma de Maiorca, também achei muito mais interessante do que aquilo que imaginava. Estava a contar com uma cidade pequena, cheia de stands para turistas e bares à beira da praia e pouco mais. Mas não. A cidade tem imensa história, um centro da cidade antigo muito giro, cheio de ruazinhas por onde dá para nos perdermos um pouco. É uma cidade colorida e animada, e sem dúvida que fiquei com muita vontade de voltar com mais tempo para ver mais da cidade, visto que desta vez só lá tive uma tarde e poucas horas na última manhã. 

mallorca (2).JPG

Palma de Mallorca

 

O melhor ainda é que Palma de Maiorca fica a cerca de 2.5h de distância de Londres por isso também dá para ir facilmente para um fim-de-semana prolongado. 

 

Gostei e recomendo!

Um mês a não parar

Este mês está a ser sem parar. Estamos a meio de Setembro, e este mês já tive um casamento, fui a um festival ao País de Gales, fui a um evento de trabalho na Colónia e, esta semana ainda vou para a ilha de Mallorca para um fim-de-semana prolongado com as amigas. Devo dizer que, apesar de andar de um lado para o outro, acho que estes próximos dias me vão saber bem. O festival foi divertido, o evento foi interessante, mas fazer um imediatamente a seguir ao outro fez com que eu não descançasse mesmo nada. Resultado - no sábado estava doente.

 

Sinceramente, dá para perceber que o meu corpo simplesmente não quer o rebuliço do andar de um lado para o outro constantemente, seguido de várias horas de trabalho a tentar fazer o máximo possível no menor espaço de tempo. E o facto é que não tirei férias durante o verão, por isso também ainda não me deu para fazer aquela pausa do dia-a-dia que é bem necessária de vez em quando. Parece que deixei tudo de saídas para Setembro e agora tenho um mês demasiado preenchido. Mas ao menos estes dias em Mallorca acho que vão saber bem. Alugámos uma casa no meio do nada e, como tal, o objectivo vai ser fazer nenhum à sombra da bananeira. Os nossos planos são descansar, conversar, apanhar banhos de sol (se bem que parece que o tempo está de trovoada para lá, por isso nem sei bem se vamos ter esse prazer), ler livros e fazer umas comidas boas. Só! Este post até nem parece escrito por mim, que sempre que vou a algum lado só quero ir passear para ver coisas, e sair para ir dançar, mas desta vez não. Só quero calma e descanso. Não sei se este é mais um dos sinais da idade a avançar, mas o que é certo é que, devemos ouvir aquilo que o nosso corpo nos pede. Quando pede festa e animação, devemos-lhe dar isso, e quando quer descanso, devemos-lhe dar isso também. Gosto de seguir a regra de dar atenção àquilo que o corpo me pede porque acho que é uma forma de ele se manter saudável durante mais tempo. 

 

Ainda nunca fui à ilha de Mallorca, mas pensámos que seria uma boa opção para esta altura do ano, por ser mais quente que outros locais na Europa. Os preços dos voos e da vila que alugámos também são muito bons por isso pareceu-nos a opção ideal. Vamos lá em celebração do aniversário de uma amiga. Elas já lá estão desde sábado, mas como eu sabia que não podia tirar tantos dias de férias, vou só apanhar a segunda metade da estadia. Mas vejo que elas estão a adorar a experiência pelas fotos que me têm enviado, por isso mal posso esperar para partilhar alguns dias com elas por lá também. E venham as mini-férias! 

 

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

It’s not coffee but it’s a damn fine spot to sit and enjoy one. #mallorca #landscape #sea #chill

Uma publicação partilhada por espressonation (@espressonation) a

 Foto de Mallorca retirada do Instagram

O que fazer em Londres em Setembro de 2018

fazer em Londres 2018.png

E pronto, estamos a chegar ao fim de mais um verão, mas ainda não é o final dos eventos ao ar-livre. este é o mês quando se celebra o que de melhor o rio Tamisa tem para nos oferecer e, nas zonas próximas às margens do rio, vão encontrar vários eventos relacionados com o Totally Thames. A Bermondsey Street vai fazer a sua festa anual de promoção desta bonita e interessante rua, e este mês traz, o que para mim, é um dos eventos anuais mais interessantes da cidade em termos de patrocinar uma forma do público ficar a conhecer melhor a cultura da sua cidade através da Open House. 

 

Totally Thames - O que é? Festival que decorre durante todo o mês de Setembro com vários eventos e exibições em celebração do rio Tamisa. Quando? Até 30 de Setembro. Quanto? Alguns eventos pagos. Ver site para preços. Onde? Vários locais na margem do Tamisa.

 

On Blackheath - O que é? Um dos últimos festivais do verão de Londres, decorre no parque de Blackheath, junto a Greenwich. Este é um festival relativamente pequeno mas com um ambiente simpático e agradável para todas as idades. O headliner deste ano são os Squeeze e a Paloma Faith. Quando? 8 e 9 de Setembro. Quanto? £56 por um dia ou £92 para os dois dias. Onde? Blackheath.

 

Classic Boat Festival - O que é? Inserido no Totally Thames, este festival envolve a apresentação de vários barcos clássicos de vela e iates na St. Katherine's Docks. Vão haver actividades para crianças e a oportunidade de experimentarem andar de canoa gratuitamente. Quando? 8 a 10 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? St. Katherine's Docks

 

Picasso 1932 - O que é? Esta exposição que retrata as pinturas de Picasso durante o ano de 1932, quando ele tinha 50 anos, está quase a terminar por isso esta será a última oportunidade para a verem. Quando? Até 9 de Setembro. Quanto? £22. Onde? Tate Modern.

 

Carnaval de Hackney - O que é? À semelhança do Carnaval de Nothing Hill, o Carnaval de Hackney conta com marchas, palcos de música na rua, inclusivé em Ridley Road e Gillett Square em Dalston, e com comes e bebes de influencia das caraíbas e africanos. A principal diferença é que o carnaval de hackney é muito mais pequeno e menos conhecido, mas mesmo assim traz animação para quem gosta dos ritmos carnavalescos. Quando? 9 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Vários locais de hackney. Ver no site para detalhes.

 

Bermondsey Street Festival - O que é? A Bermondsey Street geralmente é bastante animada, mas neste dia ainda vai estar mais porque será fechada ao trânsito para dar lugar a stands de comerciantes locais, dois palcos com música, um show de cães e mais actividades. Quando? 15 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Bermondsey Street, London Bridge

 

London Design Festival - O que é? Para os amantes de design e arquitectura este é um evento a não perder. Conta desde um labirinto interactivo no V&A à instalação 'Alphabet' de Kellenberger-White em Finsbury Square, entre vários outros eventos, instalações, workshops e exibições. Quando? De 15 a 22 de Setembro. Quanto? Alguns eventos gratuitos outros pagos. Onde? Vários locais por Londres

 

Festa de lançamento de uma nova cerveja Fourpure - O que é? O Londonist, em parceria com a cervejaria Fourpure, vão lançar uma nova cerveja, e o lançamento será celebrado em festa e o bilhete incluí 4 cervejas, um goodie bag e música ao vivo. Quando? 16 de Setembro. Quanto? £10 Onde? Foursquare Brewery em South Bermondsey.

 

Open House - O que é? Centenas de edifícios de interesse arquitectónico ou histórico vão abrir as portas ao público. Para os edifícios mais icónicos tais como 'Downing Street 10' ou o Shard, os bilhetes vão estar disponíveis através de uma selecção aleatória e, os interessados têm que preencher um formulário o quanto antes. Quando? 22 e 23 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Por toda a cidade de Londres.

 

 Deptford X - O que é? Programa que incentiva artistas locais a exibir. Os 10 dias do evento contam com um programa de exibições e um programa de festival fringe. Detalhes do programa ainda estão para ser anunciados. Quando? De 21 a 30 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Vários locais em Deptford.

Uma experiência falhada no Secret Cinema

Secret Cinema é uma das noites populares que já decorre em Londres há vários anos e que combina ver um filme com a experiência teatral em volta desse filme. Ao início, lembro-me que as pessoas não sabiam que filme iam ver até ao momento do evento. Os bilhetes já era um pouco caros nessa altura a cerca de £40. Hoje em dia os bilhetes já são mais que £70. Ao longo dos anos o conceito tem mudado e hoje em dia, todo o espectáculo de teatro em volta do filme está maior e melhor, mas os filmes já não são um mistério. O filme em questão é altamente publicitado e os organizadores criam imenso interesse e expectação antes do lançamento de um novo filme. 

 

Praticamente toda as pessoas que conheço por cá já foram pelo menos a um Secret Cinema, mas eu ainda nunca tinha ido. Tentei pela primeira vez no ano passado quando estavam a apresentar o filme Moulin Rouge. Uma amiga tinha conseguido bilhetes super descontados a £20 cada para um dos últimos shows, por isso marcámos. Em cada filme, os espectadores fazem parte do ambiente do cenário do filme, por isso, a cada espectador é dada informação sobre o personagem que têm que representar no dia, e são dadas indicações sobre o que devem vestir, acessórios a trazer e informação que ofereça de guia inicial para o que os espectadores podem esperar do seu envolvimento com o teatro. Nessa altura quando tive os bilhetes para o Moulin Rouge, a personagem que eu ia ter que representar ia ser a de um criminoso corcunda com uma cicatriz na cara  Eu lá estava disposta e curiosa por representar a minha personagem, mas apesar de toda a expectação, nesse dia fiquei doente de cama, por isso não houve qualquer hipótese para eu conseguir ir.

 

As minhas amigas foram e tomaram parte na parte inicial do teatro, mas a certo ponto, houve um corte de luz, por isso o evento teve que ser cancelado antes de poderem começar o filme. Assim sendo, deram-nos bilhetes para outro Secret Cinema em compensação. Isso foi bom para mim, porque ao menos o preço que paguei pelo bilhete não tinha sido em vão. Deixámos passar o Blade Runner (não porque não queríamos ver esse filme, mas apenas porque não calhou com as datas). Tentámos marcar para ver o Romeu e Julieta, mas umas semanas antes da data que tínhamos marcado, uma das nossas amigas diz que ia ter que viajar com o trabalho nessa data, por isso tivemos que mudar para outra data. Acontece, que nessa data em que tínhamos marcado o Romeu e Julieta inicialmente, choveu torrencialmente, e tiveram que cancelar o filme, por isso, até que calhou bem termos mudado. A nova data foi agora nesta sexta-feira que passou. O meu personagem desta vez era uma das raparigas da família dos Montague's (a família de Romeu). Foi engraçado preparar-me para o evento, aprender a coreografia dos Montague's e umas frases que tinha a dizer para fazer as pazes com os Capulents.

 

Quando chegámos, ainda era cedo, por isso decidimos ir comer antes de nos envolvermos com a peça. Foi fila para a comida, fila para o bar, e quando finalmente estávamos prestes a envolver-nos com a peça, já todos tinham entrado no recinto e, como tal, não haviam os artistas iniciais a guiar os grupos de pessoas, logo, não sabíamos muito bem por onde começar. Juntámos-nos a um grupo, mas eles estavam a acabar aquilo que tinham dito. Como o recinto do Romeu e Julieta decorreu ao ar-livre com ar de festival, todos os grupos estavam muit separados. Segundo o que ouvi dizer, geralmente não acontece assim, e é mais fácil de seguir o grupo devido à estrutura habitual dos shows, mas este, sendo verão, tinha todo o espaço ao ar-livre e era muito maior do que é normal. 

 

Enquanto tentámos descobrir por onde devemos ir, começa a chover. Vamos esconder-nos dentro de um dos bares, onde nos envolvemos com um pequeno sketch de teatro numa zona do bar. Entretanto como a chuva continua com força, grande parte dos espectadores também decide vir resguardar-se no bar. Ou seja, ali estávamos, bem apertadas, enquanto esperávamos pela chuva passar. Até pensámos que fossem cancelar o show, mas não cancelaram. Quando a chuva começou a passar, vimos que o filme estava a começar, mas já não nos podíamos sentar no chão que, a nossa manta estava encharcada e o chão, cheio de lama. 

 

Resultado, com imensa chuva e frio, nem nós, nem a maioria das pessoas que ali estava, lhes apeteceu ficar a ver o filme ali em pé, por isso saímos e fomos para o pub. 

 

Não temos sido lá muito sortudas com o Secret Cinema. Com isto tudo, mal cheguei a ter a experiência. A questão é, se tento voltar a ir outra vez mais tarde, ou se simplesmente desisto da ideia? Dicas que posso aconselhar sabendo da minha experiência é, tentarem verificar se o Secret Cinema vai decorrer ao ar-livre ou se não. caso vá, convém levarem mais resguardo, pelo sim pelo não. E evitem pagar o bilhete com o preço total, porque existem sempre locais a oferecer descontos. É só uma questão de pesquisar um pouco por ofertas e competições onde possam ganhar bilhetes. 

 

romeu-juliet2.PNG

Imagem retirada: O2 Priority