Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

O que fazer em Londres em Setembro 2014

O verão pode estar a terminar, mas ainda há tempo para visitar alguns dos eventos outdoor a decorrer ainda este mês.

 

Aqui ficam algumas dicas de actividades para Setembro:

 

Totally Thames O que é? Vários eventos e actividades a decorrer ao longo das 42 milhas do Tamisa. Incluí um festival de barcos altos em Greenwich; festival de barcos clássicos na St. Katherine's Docks; festival de cinema gratuito no More London ainda a decorrer este mês; passeios guiados relacionados com a arqueologia ao longo do Tamisa; descontos em viagens de barco no Tamisa durante todo o mês (podem fazer o download do voucher 2 por 1, aqui); e muito mais.  Quando? Todo o mês de Setembro. Ver no site para datas específicas para cada evento. Quanto? Gratuito. Onde?Ao longo do Tamisa.

 

Paint Dance O que é? Pintar uma parede com a vossa criação artística no café Russet ao som da música tocada pelo DJ local. Quando? 2 de Setembro. Quanto? £12 Onde? Hackney 

 

iTunes Fesfival O que é? Festival de música gratuito que conta com os artistas - David Guetta, Kasabian, Calvin harris, Placebo, Maroon 5, e muitos mais - patrocinado peloiTunes. Os bilhetes podem ser adquiridos apenas através de sorteio. Quando? De 1 a 30 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? RoundHouse. Estacão? Camden Town.

 

Kings Place Festival O que é? Festival de música contemporânea, clássica, jazz, poesia e mais a decorrer em Kings Place, um bonito espaco para espectaculos em Kings Cross, junto ao canal, que conta também com um bom restaurante e bar.Quando? De 12 a 14 de Setembro. Quanto? Todos os bilhetes a £6.50. Onde? Kings Place, York Way. Estacão? Kings Cross.

 

London Open House  O que é? Festival de arquitectura que permite entrada do público a alguns dos edifícios mais icónicos de Londres. Muitos dos edifícios têm que ser marcados com antecedência. Quando? 20 e 21 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Por Londres inteira.

 

Supper Club Japonês O que é? O restaurante Japonês de pop-up Monograph vai ter a sua presença temporária num local secreto em Old Street. Já tendo recebido boas reviews no passado, esta será uma experiência culinária de sabores orientais. Paga-se um valor certo para poderem provar a refeição única e podem trazer as vossas bebidas sem pagar mais por isso.  Quando? 5, 12, 19 e 26 de Setembro. Quanto? £29 para adultos. Onde? Local secreto a ser revelado a quem compra bilhetes. Estação? Old Street.

 

Bermondsey Street Festival O que é? Festa anual de rua em Bermondsey Street. Conta com música, danca, comes e bebes. Quando? 20 de Setembro. Quanto?Gratuito. Onde? Entre London Bridge e Tower Bridge.  Estacão? London Bridge.

Passeio por Putney

Há não muito tempo atrás encontrei um blog de um Português, mais outro Tuga a viver em Londres (agora já lhe perdi o endereço do blog), que tinha feito um post com a sua descrição de um passeio maravilhoso de Putney a Barnes. Conheço ambas as zonas mas nunca percorri o caminho ao longo do rio entre as duas por isso desde que li aquele post fiquei com vontade de fazê-lo. E foi hoje. Quer dizer,... quase que foi hoje, mas não chegou bem a ser.

Tanto eu como o meu flatmate estavamos com vontade de ir passear, principalmente depois da manhã solarenga que estava, daí me ter lembrado de que hoje seria um bom dia para fazer o tal passeio. Principalmente porque esta coisa de ir para o centro da cidade todos os dias torna-se cansativo e, às vezes, simplesmente apetece ir para um sítio mais calmo, mais relaxante, pelo que passear ao longo do rio de Putney a Barnes não podia parecer melhor. Mas claro, como estamos em Londres, o tempo não podia deixar de nos pregar uma partida pelo que mal saímos de casa começou a chover. Hum,... afinal já não era assim tão perfeito para estar a andar ao longo do rio. Ainda pensamos voltar para casa para ver na Time Out que exposições é que estão por aí e irmos antes visitar uma exposição qualquer que, ao menos estariamos abrigados da chuva, mas.. nahh. Não nos estava mesmo nada a apetecer ir para o centro, para o meio da confusão. Decidimos continuar o nosso caminho para Putney de qualquer maneira. Chegando lá, enganamo-nos no caminho para o rio, desatou a chover e na corrida para um pub de abrigo demos com o rio, numa zona um pouco mais atrás do que aquela por onde supostamente deviamos ter iniciado o passeio. 

Depois da chuva lá podemos então dar início ao nosso caminho e, de facto, que belo passeio que é. Aquela zona é mesmo muito agradável e quanto mais caminhava mais me sentia fora da cidade e mais numa zona rural, apesar de ainda estar só na zona 2 e a caminhar para a zona 3 de Londres. As casas pequenas e bonitinhas, os pequenos parques ao longo do caminho, o rio que se tornava mais estreito e as margens mais baixas,...

Bem, mas com os atrasos todos do início da tarde acabamos por só chegar a meio do caminho, com muito terreno ainda por percorrer para chegar até Barnes. Resultado, tivemos que voltar para casa antes de ter conseguido completar o tal percurso que tenho tido tanta curiosidade em percorrer. Mas sem dúvida que vou voltar novamente, se bem que da próxima terá que ser num dia em que não hajam quaisquer probabilidades de chuva e saíndo de casa mais cedo que, afinal o caminho ainda é um pouco longo. Mas pelo menos pelo que vi, sem dúvida que aconselho.

 

Festa em pleno rio Tamisa

Se há uma coisa que os Ingleses gostam muito de fazer é festas no rio Tamisa. Geralmente são festas de empresa onde o patrão, em vez de subir o ordenado ao pessoal todo, quando vê que o ânimo não está no alto, vai de organizar uma festa, pó pessoal se esquecer do aumento que nunca mais vem.

Ora desta vez foi a minha empresa que fez isso. Lá foi um barquinho alugado (daqueles que têm andar de cima descoberto e no andar de baixo mesas e cadeiras para o jantar, e um barzinho aberto para beber tudo e mais alguma coisa que se quizer a noite toda. O truque do bar aberto é muito bom porque, claro está, o pessoal vai-se todo enfrascar até não aguentar mais, vai chegar ao cúmulo de dizer piadas que nunca na vida iriam dizer numa situação normal ao patrão, e vão tirar fotos como aquela típica de agarrar na gravata pendurada para cima a fingir que se está a enforcar. Esse é o símbolo típico do trabalhador frustrado que finalmente transmite como se sente na empresa através de uma fotografia que, se não estivesse bebado, nunca iria tirar.

O pior é que nestas situações as fotos são sempre da máquina de outra pessoa que, no dia seguinte, já as distribuio pelo escritório inteiro. Ou seja, o trabalhador frustado que se enfrascou à grande e à francesa na noite anterior, no dia seguinte vai-se arrepender amargamente de alguma vez ter ido à festa. Não só é o mais falado como, não vai ter a coragem para encarar o patrão tão cedo, logo, vai atrasar o pedido de aumento salarial.

E aqui está o grande truque dos empregadores para evitarem que hajam tais pedidos - bar aberto. E o trabalhador comum, como simples e inocente que é, caí sempre na mesma armadilha.

No caso da festa da nossa empresa, a coisa não correu bem assim, mas mais um bocado para o exacto oposto. No nosso caso, não foi o empregado que se enfrascou à grande, mas sim, um dos directores de departamento. Sempre muito sério e calmo no ambiente de escritório e, passo a citar palavras do próprio "que nunca ninguém me viu sem gravata"! Ahhh, bem, isso talvez fosse válido até ao dia da festa no Tamisa, mas agora já não é. Desde mandar a gravata pendurada para as costas, ou metê-la na cabeça ou tirá-la completamente enquanto tirava o microfone do capitão do barco, para contar uma anedota, ouve de tudo. Engraçado foi ver as caras dos outros directores departamentais que nunca imaginaram que tal coisa podesse acontecer com ele. Chegaram mesmo a afirmar que aquele só podia ser um irmão gémeo.

Com uns mais e outros menos bêbados a festa lá se foi passando numa noite que estava surpreendentemente boa. Com um barbeque no barco que percorreu várias zonas a este e oestedo rio, o passeio de barco em si foi espectacular. Já o tinha feito à alguns anos, mas já não me lembrava como londres era tão bonita vista de barco ao entardecer.

Bem, mas estas  festas têm sempre muito que se lhe diga e, na maioria das vezes, lembramo-nos delas principalmente pelas cenas embaraçosas. Tipo o Polaco que, abanou-se tanto a dançar que as pessoas começaram a sair do andar de baixo onde era a "pista" por se sentirem pouco comfortáveis lá. Ou o momento em que o jovem novo na empresa se me começa a pôr a mão assim na cintura e eu "eh lá, mas o que é que este quer? Mas tá parvo ou faz-se?" e lá fui estrategicamente colocar-me numa zona oposta aquela onde ele estava. E no dia seguinte o rapaz, lá quando me cruzei com ele no corredor tava assim com a cara a modos que embaraçada.

Moral da história, festas da empresa são um perigo! O truque é beber limonada a noite toda que assim vocês ficam ali de cabarote a ver as cenas embaraçosas de todos os outros.