Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

O que fazer em Londres em Abril 2017

fazer-abril-2017.jpg

 

Este mês, o post vem um pouco tardio, mas não queria deixar de escrevê-lo já que ando a pesquisar actividades interessantes a fazer para o resto do mês. Aqui ficam algumas sugestões:

 

Jurassic kingdom O que é? Exposição de dinosauros em tamanho real no Osterley Park. Apresenta o passeio ideal para famílias. Quando? Até 17 de Abril. Quanto? £15 Onde? Osterley Park, Isleworth

 

Regatta Londres a Quebec O que é? Regatta de barcos altos vai partir de Londres no próximo Domingo com direcção ao Quebec, e até lá, podem ver os barcos na zona de Greenwich. Quando? De 13 a 16 de Abril. Quanto? Gratuito. Onde? De greenwich a Woolwich.

 

Troca de línguas O que é? Para quem se encontra em Londres no fim-de-semana de Páscoa e procura algo para fazer mesmo que esteja sozinhho, uma boa ideia será ir ao Soho a um encontro de troca de línguas. Ali vão se encontrar pessoas que falam diferentes línguas e praticam falar com aqueles cuja língua é do vosso interesse. Línguas em questão são Françês, Alemão, Espanhol, Português, Italiano, Japonês, Mandarim, e Inglês. Quando? 15 de Abril das 16h às 22h. Quanto? Gratuito Onde? Gem Bar, Soho

 

Festa na Rotunda O que é? Festa gratuita com muita música, comida e bebida no centro da rotunda de Old Street no Domingo de Páscoa. Quando? 16 de Abril. Quanto? Gratuito. Onde? Rotunda de Old Street. Entrada através do metro.

 

Open Garden Squares Weekend O que é? A oportunidade de visitarem mais de uma centena de jardins privados que geralmente não estão abertos ao público. Quando? 17 a 18 de Abril. Quanto? £13 por pessoa, mas a TimeOut está de momento a oferecer um desconto de 50% no link indicado. Onde? Por Londres inteira.

 

Maratona de Londres O que é? Maratona anual de Londres Quando? 23 de Abril. Quanto? Já não vão a tempo de participar, mas os corredores precisam de apoio ao longo da corrida.

 

Um dia em galerias de arte

Hoje passei a tarde a visitar exposições artísticas. As duas muito interessantes e que nos fazem pensar sobre nós, aquilo que estamos a ver, como interpretamos o que estamos a ver, e a informação que nos está a transmitir sobre a sociedade ou o mundo em geral. São próximas uma da outra, ambas com entrada gratuita, e patrocínam uma tarde mesmo muito bem passada, por isso achei que devia partilhar para quem também esteja interessado.

  • The Infinite Mix - localizada na Strand, é uma exposição de vídeo e música. Lá dentro percorrem 10 quartos escuros onde estão apresentados vídeos de 10 artistas em temáticas totalmente diferentes. Entre os que gostei mais encontrava-se um filme que retrata uma comunidade Africa-Americana de Los Angeles; outro que apresentava o poeta John Giorno no seu 70º aniversário, a recitar um poema em que ele fala sobre a sua vida em retrospectiva. A exposição decorre entre 4 andares, incluíndo o parqueamento e, a meio da exposição, encontra-se um café muito giro e bem decorado com grandes sofás e vista para o rio e a Southbank, o que foi uma boa surpresa. 

infinitemix.PNG

 

Fonte: The Infinite Mix, do filme de Kahlil Joseph, m.A.A.d

World Press Photo - localizada no Southbank Centre, conta com a apresentação da melhor fotografia de fotógrafos-repórteres do mundo, incluíndo o primeiro prémio sobre histórias da actualidade pelo fotógrafo Português Mário Cruz cujas fotos representam a situação dos 'escravos-modernos' no Senegal.

foto-mariocruz.PNG

 Foto de Mário Cruz premiada pela World Press Photo

O The Infinite Mix só vai estar em exibição até ao dia 4 de Dezembro, e o World Press Photo, reparei agora, só vai estar em exibição até amanhã. De qualquer forma, o Southbank Centre costuma ter sempre actividades e exposições interessantes a ver, pelo que vale a pena o passeio até lá. E se forem durante esta época Natalícia, ainda podem também aproveitar o mercado de Natal da Southbank. 

Um passeio por Columbia Road

Esta semana que passou os meus pais estiveram de visita. Já não vinham a Londres à 2 anos mas este ano tinha que ser até para poderem ver a minha nova casa. 

Aproveitámos que eles estavam cá e fomos passear no Domingo para o mercado das flores de Columbia Road com o intuito de comprar algumas plantas para dar uma ar mais simpático à casa. 

 

No caminho para Columbia Road e, como sei que todos os possíveis locais onde tomar o pequeno-almoço por lá, estariam totalmente cheios e com fila, achei melhor pararmos no Broadway Market. O mercado de Broadway Market decorre aos sábados, pelo que Domingos são um melhor dia para passar por lá para pequeno-almoço e evitar as filas. os meus pais ainda nunca tinham tido a experiência de tomar um brunch no seu conceito cultural de brunch, por isso queria levá-los a um local onde sabia que servem-no bem, e que fosse agradável para famílias, visto que metade dos locais de Broadway Market só apelam à comunidade hipster. O local escolhido foi o El Ganso que, apesar de ser um restaurante Espanhol, faz um óptimo brunch tradicional. E foi mesmo pelo pequeno-almoço tradicional que os meus pais optaram. Deu para perceber que gostaram da experiência mas também indicaram que comer todos aqueles ingredientes fritos e pesados numa só refeição, só pode mesmo ser uma coisa muito ocasional. De qualquer forma, apesar de ser frito e pesado, o brunch dos meus pais estava delicioso e tinha óptimo aspecto. 

 

IMG_5191.JPG

 

Quando lá estava com eles perguntei-lhes se em Lisboa não havia locais onde podessem tomar um brunch. Eles disseram que não sabem de nenhum local e que acham que a cultura de brunch não existe, mas pergunto-me se será de facto assim? Eu sei que pela altura em que saí de Lisboa ainda não havia esse hábito, mas imagino que hoje em dia já existam cafés e restaurantes que sirvam brunch, onde amigos se encontrem ao fim da manhã para a conversa, não será? 

 

Ainda passámos por uma nova florista no Broadway Market localizada no início da rua Benjamin Close que vende plantas muito giras e também serve café. Mas preferi continuar para Columbia Road primeiro antes de me decidir por quaisquer plantas visto que em Columbia Road existe sempre grande variedade e os preços são geralmente uma fração dos preço das lojas. 

 

Como esperado, Columbia Road estava completamente à pinha, principalmente porque estava uma temperatura agradável, e o que descobri é que os cactos estão totalmente na moda porque era junto aos stands com cactos onde se encontravam os maiores conglomerados de pessoas. 

 

IMG_5200.JPG

 

Aproveitei também para visitar as lojinhas da rua visto que existe grande variedade de decoração, inclusívie uma loja de produtos Portugueses muito gira que vende enlatados e artigos decorativos - A Portuguese Love Affair. Gostava de comprar mais algumas peças Portuguesas para ter em casa, mas nesta lojinha os artigos decorativos são maioritariamente do Bordalo Pinheiro, que tem coisas muito giras, mas acho que não íam ficar muito bem na minha casa por isso vou tentar comprar mais peças quando estiver em Portugal. 

 

Saí do mercado com uma planta de pendurar no tecto da varanda, 3 plantas coloridas, 2 ervas aromáticas, uma pequena hera e três cactos pequeninos. Já estão na varanda mas algumas ainda faltam novos potes para ficarem mais bonitas. Mas é engraçado fazer estas comprinhas por isso nem me importo de demorar algum tempo para ir tratando destas coisas aos poucos.  

IMG_5203.JPG

 

Passeios em Londres: Lee Valley

Hoje estava um dia lindíssimo por isso aproveitei para ir visitar uma parte de Londres, por onde já tinha passado várias vezes e visto que tinha aparência de ser uma zona interessante para passear, mas onde ainda nunca tinha estado - o Lea Valley. 

 

O Lee Valley  é muito extenso e vai desde Londres até Essex e Hertfordshire. Hoje fui para a zona do Lee Valey que fica junto a Clapton, a Nordeste de Londres, na zona 3 do metro de Londres (se bem que não há estações de metro ali perto). Apesar de ainda ser relativamente central a Londres, faz-nos sentir como se tivessemos no campo porque é estendido por kilómetros de arvoredo, o rio, canais e parques. 

 

Existe um site dedicado ao Lee Valey, que incluí vários passeios, e foi lá que também encontrei o de hoje. Optei por um de 5 Milhas (= 8 kilómetros) que começou na junção do Lea River com a Lea Bridge Road. De lá, andei ao longo do Rio Lea até chegar a Springfield Park, dei a volta e passeio por um reservatório natural mais a norte, andando até Hackney Marshes, e voltando depois pelo lado sul do rio de volta até Lea Bridge Road. O passeio escolhido era chamado 'Filtering Back in Time', e devo dizer que vale mesmo muito a pena. Por isso para quem apetece dar um passeio na natureza mas que não queira ir para muito longe, esta é uma óptima opção. O caminho percorrido tem uma combinação de zonas selvagens e outras cuidadas, amplos campos, percursos históricos e passam até por esculturas de artistas também.

 

Para chegarem lá, o caminho mais fácil será irem de comboio até à estação de Clapton, Hackney Downs ou Hackney Central e a partir daí apanharem um autocarro que vá para Lea Bridge Road. Ficam algumas fotos do passeio:

 

leevalley3.JPG

leevalley1.JPG

leevalley2.JPG

leevalley4.JPG

 

Passeios guiados em Londres e Berlim

Na semana passada estive em Berlim. Tinha uma conferência durante a semana por isso aproveitei e fui logo no sábado para fazer um pouco de turismo durante o fim-de-semana. No primeiro dia andei de um lado para o outro e fiquei um pouco frustrada porque fartei-me de andar e vi apenas uma pequena parte de Kreuzberg. Eu sabia que a zona tem muitos locais interessantes, mas o que me apercebi é que, sem saber ao certo do que estou à procura, é muito difícil conseguir identificar os tais locais. 

 

Então no domingo, optei por fazer um passeio guiado que, por um lado, pensei ao início que talvez fosse um pouco turístico demais, mas afinal adorei e foi a melhor decisão que tomei. Visitei e fiquei a conhecer coisas que de outra forma não saberia. Foi um passeio intitulado "Berlim Moderno" onde nos levaram a ver as zonas mais interessantes com arte de rua, falaram-nos sobre os artistas e a história da zona, fiquei a saber muito mais sobre Berlim e alguns factos interessantes dos quais não fazia ideia. 

 

Isso fez-me pesquisar por opções de passeios guiados por Londres que imagino que também venham a ser igualmente úteis para quem passe por Londres em turismo ou que viva cá e queira ver uma nova perspectiva da cidade. 

 

Encontrei uma companhia que faz passeios variados em Português por ter sido fundada por um Brasileiro. São os passeios do Guri em Londres e têm óptimas reviews no TripAdvisor. As opções de passeios incluem:

 

- Pub Crawl Histórico: Passam por 15 pubs, parando em quatro deles (ou cinco, no inverno) pra beber, olhar o pub por dentro e conversar. A diferença é que mistura muita história desde o Grande Incêndio até a Segunda Guerra Mundial.
* Terças às 17h
 
- Let's Rock!: O tour do rock britânico! Passam por locais relacionados com a história do rock britânico nos bairros do Soho e Camden Town e um pouco de Covent Garden. É mais voltado para a década de 60, mas também fala sobre bandas mais recentes como Oasis e Amy Winehouse. 
* Quintas às 17h
 
- Beatles Tour: Quem pensa que Londres não tem muita história do quarteto de Liverpool está enganado. A banda mudou-se pra Londres por volta de 1964/65 e existem muitos locais em Londres que ficaram marcados na história com a presença dos Beatles. 
* Segundas às 13h
 
​- Harry Potter Tour: ​Neste passeio fala-se de locais que inspiraram a autora a escrever a série, passa-se por locais onde foram efetuadas filmagens e por vários pontos de interesse turístico pelo caminho.
* Segudas às 10h.
 
Os tours acontecem semanalmente e o bilhete inclui 1 passeio para o titular da reserva e acompanhante isento de taxa de reserva e inscrição;
 
​Não inclui transporte até o ponto de encontro nem deslocamento durante o passeio (necessário no "Beatles tour" e no "Let's Rock!").
 
Para mais informação, identificar quais os passeios que vão decorrer no vosso dia de preferência, e reservarem bilhetes selecionem a data neste calendário .
 
 

DSC_1677.JPG

 

 

Passeios pelo campo

No fim-de-semana passado convidei uns amigos a irmos ao campo fazer um dia de "hiking". Como não queriamos ir para muito longe de Londres optámos por um passeio a partir de uma zona ainda acessível pelo metro, mesmo no final da zona 8 de Londres. O percurso foi de Chorleywood até Chesham (neste momento em que escrevo a descrição do passeio no site não está correcta por isso convém sempre verificar isso, caso hajam problemas destes no site como parecem haver agora), percorrendo 15km por entre grandes campos, passando junto a um rio, lagos e montes. Já tinha feito alguns passeios semelhantes antes, geralmente para mais longe de Londres, mas sinceramente a paisagem não muda muito por isso até que foi uma muito boa ideia ter ficado tão perto de Londres, sendo que estávamos na mesma totalmente rodeados pelo ar fresco do campo. 

 

Aconselho vivamente a quem ainda nunca fez tais passeios, a dedicar-se a isso um dia porque a experiência é óptima e, só o facto de se estar fora de Londres durante um dia, traz a sensação de que estivemos fora durante mais tempo que isso, dada a diferença entre o reboliço de Londres e a calma do campo serem tão grandes. 

 

Existem guias de passeios muito bons e detalhados que facilmente encontram em vários websites. Imprimam o passo-a-passo do passeio e, hoje em dia, em vários sites, também vos permitem que façam o download do mapa para os smartphones que vos vai ajudar bastante nos eventuais momentos em que se sentirem perdidos. 

 

O website do WalkingClub por exemplo, é bastante bom e podem encontrar passeios um pouco por todo o país e até em alguns outros países. Curiosamente, o primeiro que aparece na lista do link que indiquei até é um passeio por Vale de Engenhos no Algarve. 

 

Up hill

 

 
 
Esculturas esculpidas nas árvores em Chorleywood House Estate

 Esculturas esculpidas nas árvores em Chorleywood House Estate

 

 

Lamas
Uns amigos Lamas que encontrámos pelo caminho
 

 

Latimer
Vista de Latimer House
 

Latimer House
Latimer House
 
 

Um dia por Peckham

No fim-de-semana passado decidi ir ao Frank's Cafe com umas amigas visto que já estávamos para lá ir à imenso tempo e daqui a pouco encerra com o final do verão, portanto esta seria um dos poucos fins-de-semana que ainda tinhamos livres para poder lá ir. 

 

O Frank's é um dos "sítios da moda" já há uns dois anos por isso queríamos saber o porquê dessa popularidade. É localizado no topo de um parque de automóveis em Peckham estrategicamente localizado que permite uma bela vista sobre a cidade. Também tinhamos ouvido dizer que servia um bom brunch, e foi com a comida em mente que lá fomos no passado domingo de manhã. Afinal de contas, ao conseguirmos descobrir como se chega lá acima (as indicações nāo eram das melhores, tal como era de esperar de um sítio meio 'hiptster' como aquele), verificamos que afinal não servem brunch e só começam a servir comida a partir das 15h. Ora como ainda era por volta do meio-dia não nos íamos começar a enfrascar em cerveja que era o que se vendia por ali àquela hora por isso optámos por tentar descobrir algum café bom para brunch localmente. De qualquer forma, a primeira impressão do Frank's foi muito boa. A vista é excelente, cobrindo o skyline de Londres, desde as Torres do Parlamento às torres de Canary Wharf. O espaço é muito grande, com imensos bancos e mesas. Imagino que fique cheio nos dias solarengos e que seja um local bem animado por isso ficámos com curiosidade para lá voltar num outro dia mais ao final do dia. 

 

Frank's Cafe
Frank's Cafe

 

O local para brunch que encontrámos apresentava muitas boas recomendações online chamado Cafe 67. Faz parte da South London Gallery, portanto um local perfeito para brunch e para visitar a respectiva galeria de arte moderna que, pelo menos, na semana passada tinha algumas instalações bem interessantes.

 

cafe 67
 
Cafe 67

 

A caminho do Cafe 67 ainda vimos um café que também parecia muito bom chamado Peckham Pelican. O ambiente era muito agradável, daquele tipo de cafés ideas para levar o portátil e ficar por lá a tarde toda, como eu gosto. Se fosse localizado a Este de Londres, concerteza que ía lá passar várias vezes. De qualquer forma, o menú de brunch deles não nos pareceu muito apelativo por isso decidimos continuar até ao Cafe 67. 

 

Peckham Pelican
 
The Peckham Pelican

 

Terminado o brunch e como já passavam das 14h e estava um dia tão agradável, voltámos para o Frank's, para aproveitar aquela vista mais um pouco. A meio da tarde, o Frank's já estava com muitas mais pessoas e, o facto das mesas serem compridas, torna o ambiente muito social, visto que é prático começar a falar com outras pessoas que estejam sentadas na mesma mesa. Sem dúvida quero voltar. 

 

A ideia era, após o Frank's, voltarmos para o Este de Londres, mas depois pensando melhor, achámos que, já que ali estávamos, mais valia ir descobrir mais do que aquela zona tem para oferecer. Peckham é uma zona que ainda conta com algum carácter negativo, dado ter sido uma daquelas zonas onde já houve vários problemas com gangs, etc., no entanto, na High Street encontram-se todo o tipo de lojas, com produtos baratos ou ecléticos que dão carácter ao local. Também já há muito que não ouço falar de violência na zona e, sem dúvida que tenho ouvido falar cada vez mais em Peckham como uma boa zona para se sair à noite e com bons bares e restaurantes. É uma daquelas zonas "up and coming" que são um bom local para onde, por exemplo, investir em comprar casa, visto que não dúvido que os preços das casas por ali só venham a aumentar nos próximos anos. Principalmente porque as ruas residenciais fora da high street são muito agradáveis e calmas e portanto apelativas. É só uma questão do comércio local evoluir mais um pouco e a zona vai ganhar imenso valor. 

 

Mas de volta ao passeio, pensámos então em ir dar uma vista de olhos por outro terraço-bar que conseguiamos ver oposto ao Frank's. Esse terraço fica no edifício do Bushy Building, que é um antigo armazém que, hoje em dia é utilizado como discoteca (muito boa por sinal, já pude comprovar) e também tem escritórios, uma igreja aos domingos (descobri nesse dia), estúdios de artistas, etc. Ao chegarmos ao terraço verificámos que este estava vazio porque parece ser apenas utilizado quando há ali sessões de cinema ao ar-livre, já que o espaço está assim organizado. Descobrimos que na cave do Bushy Building abriu também agora à pouco tempo um novo bar/restaurante e loja de discos de nome Rye Wax que está aberto todo o dia e vai ter vários gigs e eventos, assim como pista de dança sendo um potencial bom local para ir sair no inverno. 

 

Era então tempo de andar um pouco e fizemos um longo passeio pelas ruas de Peckham indo parar a East Dulwich, que não fica nada longe e é uma zona extremamente agradável com muitas lojinhas, cafés, bares e pubs muito simpáticos ao longo da rua principal. Acabámos por sair da zona ao final do dia. Um passeio inesperado para quem apenas queria ir tomar brunch ao Frank's Cafe, mas muito simpático. Sabe bem descobrir novos locais fora do nosso dia-a-dia e como Londres tem tantos bairros, há muito por onde escolher para um próximo dia de passeio. 

Passeios alternativos em Londres - De Chalk Farm a Hampstead

Durante o fim-de-semana passado, como os meus pais estiveram por cá, fomos passear. No entanto, como eles já vieram várias vezes a Londres não queria levá-los aos locais habituais no centro. Optei por passeios alternativos a zonas pouco visitadas por turistas. Vou passar a escrever posts sobre o título ´Passeios alternativos em Londres´ sempre que houver oportunidade. E para já, numa série de 2 posts, colocarei os do fim-de-semana passado. 

 

DE CHALK FARM A HAMPSTEAD HEAT PASSANDO POR PRIMROSE HILL

Percurso: 7km

Duração (com paragens para almoço, café, descanso): 6 horas

 

Saíndo da estação de Chalk Farm, virem para a direita e novamente na primeira à esquerda para darem início ao vosso passeio. Vão passar pela bonita High Street de Primrose Hill e, ao chegarem ao parque, subam ao topo para ver a vista de Londres. 

 

Primrose Hill

 

Continuem o passeio pelas bonitas ruas residenciais de Belsize Park até chegarem a Hampstead Heat, onde podem apreciar os bonitos lagos, subir ao topo do parque em ´Parliament Hill´ e visitar a Kenwood House, localizada no lado oposto do parque a 'Parliament Hill'. O café de Kenwood House é uma boa paragem para o almoço, e dentro desta casa da campo senhorial (a maior casa de campo dentro de Londres) podem apreciar a grande colecçao de pintura em exposição (a entrada é gratuita). 

 

 
 
Hampstead Heat

 
 
Parliament Hill

 
 
Kenwood House

 

Ao contornarem o resto de Hampstead Heat em direcção a Hampstead, irão passar pelas zonas mais "selvagens" do parque. Ao contrário da maioria dos parques de Londres, Hampstead Heat tem menos o ar cuidado que os outros parques, no sentido em que tem mais arvoredo e a sensação é de que se está mesmo no campo. 

 

Ao sairem do parque e chegarem a Hampstead aproveitem para ir tomar o Chá das 5 a um dos bonitos cafés que ali se encontram. Aconselho o Louis Hungarian Patisserie que tem uns bolos de aspecto delicioso e um ambiente e decoração muito agradáveis e com carácter. 

 

O passeio acaba na estação de Hampstead (metro) ou de Hampstead Heat (overground). 

 

Ficam os mapas do passeio:

 

Como não era possível copiar o mapa completo, copiei por partes com pedaços do mapa adjacente nos outros mapas, para ser mais fácil se situarem.

 

Chalk Farm to Hampstead - part 3

 

 
Chalk Farm to Hampstead - parte 2

 

 
Chalk Farm to Hampstead - part 1

 

39km de bicicleta

O dia estava previsto para ser muito solarengo com temperaturas de 17C, por isso quando um amigo sugeriu fazer um longo passeio de bicicleta na rota do Capital Ring, nem tive que pensar duas vezes. Eramos 8 ao todo. Apanhamos o comboio de London Bridge e saímos em Grove Park. A partir de lá, seguimos as indicações do Capital Ring que estão indicadas com setas ao longo de todo o percurso, e passamos por Becknham, Crystal Palace e fomos até Stretham onde terminava aquele percurso. Aproveitando já que ali estava tão perto do centro achei que o melhor seria simplesmente continuar até casa. No total foram 39km, o que, para o meu primeiro percurso longo de bicicleta acho que até que não está nada mau.

 

Gostei muito da experiência e aconselho quem tem bicicleta a experimentar um dos percursos do Capital Ring. Existem ao redor de toda a cidade e levam-vos maioritariamente por ruas com pouco trânsito nas zonas suburbanas de Londres que aparentam serem localizadas no meio da campo dada a ampla vegetação.

 

Ficam algumas fotos do passeio:

 

Dinosauros no parque de Crystal Palace
Dinosauros no parque de Crystal Palace 

 

Colegas ciclistas
Alguns dos meus colegas ciclistas em Crystal Palace
 
 
 
Tempo de descanso em Stretham Common
 
Tempo de descanço junto a Stretham Common