Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

O processo de aplicação para residência permanente no Reino Unido

Em Julho já tinha indicado que pretendia efectuar a minha aplicação para o passaporte Britânico face aos resultados do referendo em que a população votou na saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit). Depois de ter publicado esse post vocês informaram-me que antes de poder pedir o passaporte, tinha que efectuar uma aplicação ao cartão de residência permanente no Reino Unido. Quando comecei a informar-me sobre o assunto verifiquei que um dos requerimentos dessa aplicação era que tinha que enviar o meu passaporte ou Cartão do Cidadão com a minha aplicação, que só me seria devolvido entre 4 a 6 meses, que é o tempo que o processo demora. Ao menos é uma da vantagem de em Portugal termos os dois documentos porque assim poderia enviar o meu Cartão de Cidadão e ficar à mesma com o meu Passaporte para viagens. No entanto, nessa mesma altura estava o meu cartão a expirar, logo tinha que o renovar antes. Lá de vez em quando eu ía tentando marcar a renovação do meu Cartão de Cidadão no Consulado que tem que ser efectuado através da página online de agendamento de atos consulares, mas a porcaria do site deles nunca tinha vagas nenhumas disponíveis, ou simplesmente não funcionava. Ao fim de várias tentativas sem sucesso, enviei-lhes um email a reclamar ao que, passado mais de uma semana responderam a dizer que todos os dias às 16h abrem novas vagas para marcações, pelo que tinha que ir ao site a essa hora antes que as novas vagas esgotassem. Infelizmente parece que todos sabem do mesmo porque não conseguia que o site funcionasse por volta dessa hora, provavelmente devido à grande quantidade de pessoas a tentar  ao mesmo tempo. Eventualmente em Outubro consegui apanhar o site com vagas disponíveis, mas o mais cedo para marcações seria em finais de Janeiro! Resultado, fui a Portugal no Natal e tirei lá o meu Cartão do Cidadão de um dia para o outro facilmente. 

 

Resumindo, agora tenho o cartão do cidadão por isso finalmente posso fazer a minha aplicação para residência no Reino Unido. E, principalmente depois das notícias recentes de que uma cidadã Holandesa que vive no Reino Unido à 24 anos e tem marido e filhos Britânicos, foi recusada a sua aplicação de residência permanente e informada de que devia fazer preparações para sair do Reino Unido assim que o país deixar de ser membro da União Europeia, isso assustou-me. 

 

Sinto necessidade de fazer esta aplicação para residência permanente o mais rapidamente possível, mas agora que acabei de ler a documentação necessária para providenciar juntamente com o preenchimento do formulário de aplicação de 85 páginas, até me fiquei a sentir mal. Eu já sabia que ía ter que procurar informação de todas as datas em que estive fora do Reino Unido durante os últimos 5 anos, mas existe tanta mas tanta mais informação necessária além disso - comprovativos de todos os empregos incluíndo cartas dessas empresas, recibos de salários, formas P60; comprovativos de qualquer tipo de self-assessment de impostos; comprovativos de todas as casas em que morei incluíndo uma variedade de diferentes provas de residência; comprovativos de quaisquer pedidos de ajuda financeira ao Estado e tudo e tudo e tudo. Pendem tantos detalhes e tantos comprovativos, todos eles originais, que até dói pensar nas horas e horas que vai demorar a conseguir descobrir os detalhes de toda a informação que pedem. 

 

Para já comecei a pedir a ex-colegas que ainda trabalham nas minhas antigas empresas para me darem os contactos dos seus recursos humanos para ver se consigo ter as tais cartas requeridas. 

 

Dá-me nauseas só de pensar no tempo que vou perder com isto, mas dá-me náuseas ainda maiores da possibilidade do Estado Britânico não conseguir fazer uma acordo favorável com a UE que permita aos actuais residentes Europeus no Reino Unido de permanecerem no país sem outras burocraciais que poderão ser ainda mais difíceis de ultrapassar.

 

permanent-card.jpg

 

 

 

Experiência no Consulado de Portugal

O meu passaporte já anda próximo da data de caducar por isso achei melhor ir já tratar da renovação aqui mesmo em Londres em vez de esperar pela minha próxima viagem a Portugal por ser demasiado em cima do acontecimento. Ainda nunca tinha tratado a partir de cá de documentação nenhuma o que fazia com que ainda não tivesse bem noção dos procedimentos. Só uma vez à cerca de dois anos atrás é que tinha ido ao Consulado tentar renovar o meu BI após este ter sido roubado juntamente com a minha mala. No entanto, como me disseram na altura que iria demorar alguns MESES até que o BI estivesse pronto, achei melhor esquecer essa opção e efectuei antes a renovação em Portugal (felizmente já tinha o passaporte nessa altura o que me permitiu viajar mesmo sem BI).

 

Bem, mas decidi dar-lhe uma outra tentativa e voltar lá para tentar renovar o passaporte desta vez. Assim sendo à cerca de 1 mês atrás fui lá na minha hora de almoço para ver se conseguia fazer a renovação. Ao chegar, o segurança que se encontra à entrada disse-me que é necessário marcar a data de renovação de documentos com antecedência e que tal deve ser feito através de um envio de e-mail a solicitar essa marcação. Ora então acabei por lá ir para absolutamente nada já que o e-mail poderia tê-lo conseguido através do website do Consulado, mas enfim, aí também a culpa é minha que devia ter verificado isso com antecedência.

 

Lá fiquei eu de papel na mão com o endereço de e-mail para as marcações e com o aviso de que os horários não podem ser escolhidos e que a resposta ao e-mail poderia demorar até 7 dias já que os empregados do Consulado estão sempre muito ocupados e têm muitos e-mails para responder. Ora que porra! Então já que eu estava ali mais valia que marcassem logo directamente comigo uma data e assim sempre podia ver juntamente com o representante do Consulado qual seria o horário que eles tivessem disponível que também me desse jeito a mim. Mas enfim,... lá tal não foi possível e ao chegar junto do meu computador enviei logo o tal e-mail. Pelo sim, pelo não indiquei os meus horários preferidos, caso desse para "encaixarem" nos horários de atendimento do Consulado e, para meu grande espanto, não é que tenho logo uma resposta a este e-mail no dia seguinte? Além do mais, o horário de marcação que me deram (para cerca de 2 semanas depois), até que estava próximo do meu horário pretendido, o que era óptimo.

 

Ora as duas semanas passaram e, como o dia da marcação calhava logo no dia após o dia do meu aniversário, acabei por me esquecer completamente do assunto e só me lembrei no dia seguinte que tinha perdido a marcação.

 

Lá tive que enviar novo e-mail mas novamente foram eficientes na rapidez da resposta e, desta vez o horário indicado foi ainda mais conveniente, logo às 8.30h que é a hora de abertura do Consulado. Ficou portanto marcado para hoje de manhã e por volta das 8.15h eu já lá estava com os documentos que me tinham indicado como sendo necessários levar (basicamente o meu passaporte actual, o meu Bilhete de Identidade e um comprovativo de residência visto que ainda não me tinha registado como residente no Reino Unido).

 

Pensei que seria melhor chegar um pouco mais cedo para conseguir ser logo das primeiras a ser atendidas, no entanto, ao que parece todas as pessoas pensaram na mesma coisa porque quando lá cheguei já estava uma fila de cerca de 15 pessoas à porta.

 

De qualquer forma esta coisa de ter estado na fila foi um autêntico desperdício de tempo porque, como todas as pessoas tinham um número de atendimento, era por esse número a ordem de atendimento e não pela hora de chegada. De qualquer forma isso não me adiantou de muito porque ainda estava com uns 10 números à frente do meu (lá me devem ter dado esse número tão tardio como castigo por ter falto à primeira marcação ).

 

Quando lá fui chamada dirigi-me para o segundo andar onde se efectuam as renovações dos passaportes e BI e aí tive que esperar novamente que chegasse a minha vez, sendo que aí é que foi a grande demora. Primeiro, nesses balcões de atendimento estavam 6 mesas, 3 delas a atender, 1 num escritório à parte que devia ser da gerente, e outras duas mesas vazias apesar de estar uma grande quantidade de pessoas ali à espera. Passado uns 10 minutos lá vem um rapaz atarefado que se dirige logo ao escritório da supostamente gerente a desculpar-se pelo atraso e a mandar vir com tudo o que é transporte que "os transportes nesta cidade são uma desgraça e que novamente haviam problemas de engenharia do metro, e os comboios que estão sempre atrasados, e que ninguém aguenta isto, e blá blá blá". Pela cara das outras duas raparigas a atender sentadas nas mesas ao lado da dele esta não é nem a primeira nem a segunda vez que ele lá aparecia atrasado a dar as mesmas desculpas.

 

Apesar de ser mais rápido com outra pessoa a atender, lá continuo a ver os minutos a passar e eu ainda ali sentada à espera. Já eram 9h (que são as horas a que eu devia estar no trabalho) e os atrasos continuam ora porque é a rapariga que tem que tirar a foto várias vezes porque não se gosta de ver em nenhuma delas, ora porque são os pais que não sabem quantos centímetros o bébé mede e por isso andam ali a medir a olho sem conseguirem chegar a concesso, ora era a caneta digital da assinatura que não funcionava, ora era a míuda mimada que fazia birra porque não queria tirar a fotografia até que finalmente o pai lá se lembrou de lhe prometer um presente se ela deixasse que lhe tirassem a fotografia (bela educação que está a dar à criança, diga-se de passagem),... Até que finalmente chegou a minha vez! E foi mesmo com o tal rapaz que chegou atrasado que se demonstrou ser, apesar de não muito cumpridor de horários, muito simpático e prestativo, o que lá sempre ajudou a deixar-me melhor disposta).

 

Ainda tentei ver se conseguia não mudar o meu estado de residência para Londres, mas ele lá disse que tal não era possível e que para pedir qualquer documento em Londres o registro de morada no Reino Unido era essencial. Se me perguntarem também não sei bem porque razão é que preferia manter como minha residência a morada Portuguesa mas, enfim, são manias. Lá vou finalmente fazer parte das estatísticas do número de emigrantes Portugueses em Londres.

 

Fiquei foi podre de chateada ao ver que as outras mulheres que lá estavam a renovar o passaporte estavam todas maquilhadas e com brincos e eu tinha vindo de cara lavada e sem quaisquer acessórios já que tinha ouvido dizer em Portugal que agora tais coisas não são permitidas na foto do passaporte. Mas afinal, pelo menos aqui em Londres, são permitidas e eu era a única que, pelos vistos, não estava ocorrente do assunto.

 

Papelada tratada fui avisada que no fim da semana me seria enviada uma carta para casa a confirmar que o passaporte já lá estaria para o poder ir lá buscar. WoW!! Só uns dias para ter o passaporte pronto? Da última vez para o BI tinham-me falado em meses e agora são só dias? Fiquei positivamente surpreendida, sem dúvida.

 

Dirigi-me novamente para o andar inferior onde era suposto efectuar o pagamento da renovação do passaporte mas fiquei surpreendida ao ver que as primeiras pessoas que tinham feito a renovação ainda lá estavam sentadas à espera para pagar. Ora afinal, com esta demora toda, mesmo aqueles que tinham tido os primeiros números de marcação ainda por lá estavam! Esperei cerca de 5 minutos mas como o senhor da caixa ainda lá continuava entretido com uma papelada sem ter ainda chamado ninguém, fui lá perguntar-lhe se eu podia voltar à hora de almoço para pagar nessa altura. Ele lá disse que sim e lá fui finalmente em direcção ao trabalho. 

 

E pela hora de almoco, la voltei novamente. Como a quantia do pagamento ainda era elevada (cerca de £62) achei que obviamente iriam aceitar cartão para pagamento mas felizmente lembrei-me de perguntar se isso seria possível ao segurança que se encontra na entrada, e ainda bem que perguntei porque NÂO SE ACEITAM PAGAMENTOS COM CARTÃO. Lá fiquei toda chateada outra vez e tive que voltar atrás para ir a uma caixa multibanco levantar o dinheiro. Uma vez lá dentro, o senhor da caixa lá continuava a mexer em papelada sem chamar ninguém (sensação de deja vu). Passam os primeiros 5 minutos, 10 minutos, 15 minutos, 20 minutos e finalmente lá se decide a começar a chamar pessoas. Depois começa a barafustar com o rapaz que foi entregar mais pedidos de documentos que necessitavam pagamento visto que já era próxima das 13h e que a essa hora era hora de almoço e que ele não podia ficar além das 13h, e que é sempre a mesma coisa a atrasarem-no e blá blá blá. Eu estava cheia de vontade de lhe dizer que se em vez de ter estado ali a pastelar com os documentos durante 20 minutos tivesse estado a atender as pessoas já não teria do que se queixar. E, em vez de estar a perder tempo a queixar-se, se estivesse a receber os pagamentos, então aí ainda mais rápido era. Enfim, a 5 minutos antes das 13h ainda consegui ser atendida por isso nem sei se ele chegou a parar o trabalho para usufruir da hora de almoço como queria, se não, mas ao menos, eu já estava fora dali.

 

Portanto o meu conselho para quem tenha que tratar de renovaçãoes de documentos no Consulado de Portugal em Londres é marcarem para um dia que sabem que vai ser calminho no trabalho e que não tenham demasiadas pressas para lá chegar para não atingirem os meus níveis de stress.

 

Ficam os detalhes relativos ao Consulado de Portugal em Londres caso lá precisem de ir:

E-mail para marcações: mail@cglon.dgaccp.pt

Morada: 3, Portland Place, Londres, W1B 1HR (próximo da estação de Oxford Circus)

Telefone: 0044 (0) 20 7291 3770

Horário de atendimento: Dias úteis das 8.30h às 13.00h e das 14.00h às 16.30h
Assuntos a serem tratados no Consulado: BI/Passaporte, Visas, Registo Civil, Registo militar, Certificado de residência e outros.