Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

O que fazer em Londres em Abril 2017

fazer-abril-2017.jpg

 

Este mês, o post vem um pouco tardio, mas não queria deixar de escrevê-lo já que ando a pesquisar actividades interessantes a fazer para o resto do mês. Aqui ficam algumas sugestões:

 

Jurassic kingdom O que é? Exposição de dinosauros em tamanho real no Osterley Park. Apresenta o passeio ideal para famílias. Quando? Até 17 de Abril. Quanto? £15 Onde? Osterley Park, Isleworth

 

Regatta Londres a Quebec O que é? Regatta de barcos altos vai partir de Londres no próximo Domingo com direcção ao Quebec, e até lá, podem ver os barcos na zona de Greenwich. Quando? De 13 a 16 de Abril. Quanto? Gratuito. Onde? De greenwich a Woolwich.

 

Troca de línguas O que é? Para quem se encontra em Londres no fim-de-semana de Páscoa e procura algo para fazer mesmo que esteja sozinhho, uma boa ideia será ir ao Soho a um encontro de troca de línguas. Ali vão se encontrar pessoas que falam diferentes línguas e praticam falar com aqueles cuja língua é do vosso interesse. Línguas em questão são Françês, Alemão, Espanhol, Português, Italiano, Japonês, Mandarim, e Inglês. Quando? 15 de Abril das 16h às 22h. Quanto? Gratuito Onde? Gem Bar, Soho

 

Festa na Rotunda O que é? Festa gratuita com muita música, comida e bebida no centro da rotunda de Old Street no Domingo de Páscoa. Quando? 16 de Abril. Quanto? Gratuito. Onde? Rotunda de Old Street. Entrada através do metro.

 

Open Garden Squares Weekend O que é? A oportunidade de visitarem mais de uma centena de jardins privados que geralmente não estão abertos ao público. Quando? 17 a 18 de Abril. Quanto? £13 por pessoa, mas a TimeOut está de momento a oferecer um desconto de 50% no link indicado. Onde? Por Londres inteira.

 

Maratona de Londres O que é? Maratona anual de Londres Quando? 23 de Abril. Quanto? Já não vão a tempo de participar, mas os corredores precisam de apoio ao longo da corrida.

 

Encontro feminino no Lean In Circles

Uma colega disse-me que tinha ido ao Lean In Supper Club, um grupo do Lean In Circles dedicado a encontros de mulheres profissionais. Gostou da experiência e sugeriu que eu fosse também no mês seguinte. E fui.

 

 

Cada mês os encontros são em locais diferentes de Londres, mas o conceito é semelhante - uma oportunidade de trocar experiências de carreira com outras mulheres e receber inspiração pela história da convidada especial, que geralmente partilha como conseguiu alcançar sucesso, o que quer que esse sucesso signifique, visto que o seu conceito pode ser muito diferente para diferentes pessoas, dependendo do que é importante para cada uma. 

 

O encontro a que fui realizou-se num restaurante em Marylebone. Quando cheguei já lá estavam algumas pessoas, a fazer um bocadinho de networking, antes de nos sentarmos nos respectivos lugares. Depois falou a convidada especial que, desta vez, foi a Tracy Lewis, uma mulher cuja carreira desenvolveu através da indústria Retalhista na Next e Marks & Spencer, até ser empreendedora de uma empresa de lingerie que eventualmente vendeu lucrativamente a uma empresa Japonesa e falou-nos sobre o desafio de continuar a trabalhar nessa empresa que, na sua maioria era dominada por homens. Hoje em dia é uma Directora não executiva de duas empresas que oferecem suporte para startups. Depois seguiu o jantar que se estendeu até cerca das 23h. 

 

Acabou por ser uma noite muito interessante. Estive sentada ao lado de uma mulher que tem um mestrado de aeronáutica espacial, trabalhou para a Nasa, e hoje em dia trabalha num projecto de tecnologia inovador para a Amazon, e que nos contou sobre as dificuldades de ser a única mulher na sua equipa, estando rodeada de homens pouco sociais, alguns dos quais, parecem não querer ter uma mulher como a sua chefe. Também conheci outra mulher que parou de trabalhar à 6 anos atrás quando ficou grávida da filha e que, agora que decidiu querer voltar ao trabalho, está a achar extremamente difícil conseguir entrar novamente no mercado apesar de ser qualificada e ter larga experiência na área financeira. Contou-me no entanto, que recentemente várias grandes empresas aderiram a um programa de reinserção de mulheres no trabalho após terem tido uma pausa (geralmente devido a crianças), que as ajuda com novos conhecimentos que possam ter perdido durante os anos em que não trabalharam e, com o apoio de habilidades interpessoais para as ajudar a voltar a ter a auto-confiança na área do trabalho que possam ter perdido. Ela disse que estava no processo de entrevista para conseguir o lugar num desses programas, por isso espero que o consiga visto que ela estava mesmo com muitas esperanças de conseguir voltar a entrar no trabalho dessa forma. 

 

Entre essas e outras conversas, saí dali com a sensação de que aprendi algumas coisas nesse encontro e gostei muito da oportunidade de jantar com mulheres que têm passado por uma enorme variedade de experiências diferentes ao longo das suas vidas profissionais. Se algumas leitoras do blog estiverem interessadas em experimentar ir a um destes jantares, podem-se inscrever no grupo aqui.

 

leaninsupperclub.jpg

Fonte da imagem: Lean In Supper Club Instagram 

E fica mais uma recomendação de restaurante Português

Depois de ter escrito o post sobre Restaurantes Portugueses em Londres que dá gosto visitar, um dos leitores fez referência ao Bar Douro em London Bridge, que me deixou muito curiosa. Ora não foi tarde, nem foi cedo. fui logo lá hoje à noite. Gostei bastante. Com ambiente simpático, que combina o tradicional e o moderno, o Bar Douro, é um óptimo local para ir tomar uma bebida e comer uns petiscos depois do trabalho. Localizado numa das arcadas debaixo da linha do comboio e, junto à Flat Iron Square, onde aos fins-de-semana, se enche de carrinhas de Street Food, e pessoas que ali vão almoçar ou jantar com amigos. 

 

Partilhei com uma amiga uns croquetes de Alheira que tinham aquele sabor da Alheira mesmo intenso e delicioso; uns rolinhos de borrego; um pratinho de Bacalhau à Brás e Gambas com Alho. No final, ainda experimentei a minha sobremesa e a das minhas amigas, e tanto o Bolo de Laranja com marmelada e requeijão, o pastel de nata com gelado de canela, e a Baba de Camelo, estavam óptimos!

 

Com isso tudo, e ao partilhar pão e uma garrafa de vinho entre 4, a conta final ficou em £30 o que não foi mau. 

Recomendado!

Image-1.jpg

 

Sofar - Uma noite de música diferente

Já há alguns anos que estou inscrita para receber informações sobre os concertos do Sofar Sounds, mas ainda nunca tinha ido a um, até esta passada semana. 

 

O Sofar Sounds, oferece um conceito diferente para concertos. Iniciado por um Britânico que teve a ideia de convidar uma banda a vir tocar na sala da casa dele, e chamou uns amigos para apreciarem o concerto intimo. Gostaram tanto da experiência, que decidiram fazer concertos em casa dele e de outras pessoas mais regularmente, e eventualmente, abriram o Sofar para todos. Qualquer pessoa pode oferecer o seu espaço privado para estes concertos - geralmente grandes espaços, tipo estúdios, garagens, armazéns, na casa de alguém, ou espaços de bares nos dias em que o bar costuma estar fechado ao público. E os artistas também podem apresentar interesse em tocar numa noite Sofar. Sendo que os concertos são em espaços privados, significa que o espaço é informal, as pessoas sentam-se no chão ou numa almofada com tragam, podem trazer álcool e comida, enquanto apreciam os 3 concertos da noite. 

FullSizeRender (2).jpg

No meu caso, o concerto a que fui esta semana passada, foi localizado num bar em Brick Lane (que sendo uma segunda-feira, era suposto estar fechado nessa noite). Já lá estavam mantas e almofadas no chão e também haviam alguns bancos de lado por isso o espaço estava muito confortável. Os concertos são sempre surpresa, portanto, eu tinha marcado e pago as £10 do bilhete do concerto sem saber o que ía ouvir. A primeira artista foi a singer songwriter Louise Golbey. A sua voz era razoável e gostei da letra das músicas e da sua presença em palco; mas foi o segundo artista, Doug Sure que achei mesmo espectacular! Ainda não tem muita música lançada online, mas vou tentando ir acompanhá-lo para ver o que continua a lançar. Desde a voz, à forma como toca a guitarra, as diferenças em entoação em cada música, a genuinidade, mesmo muito bom. A terceira banda, sinceramente não me lembro do nome porque não gostei muito deles. 

FullSizeRender (3).jpg

Doug Sure

 

Para os interessados, o Sofar Sounds está disponível num grande número de cidades pelo mundo, incluindo Lisboa e Porto. Basta subscreverem aos alertas de concertos por email, e uma vez que encontrem uma data que vos agrada, têm que indicar o vosso interesse. Geralmente os bilhetes são alocados aleatoriamente, por isso se não conseguirem à primeira, tentam numa próxima vez. 

Restaurantes Portugueses em Londres que dá gosto visitar

Já alguma vez pensaram que gostariam de levar estrangeiros a provar a culinária Portuguesa, mas não encontram nenhum restaurante Português em Londres onde dê gosto levá-los? Eu já passei por isso mutas vezes. Claro que já levei pessoas a conhecer os restaurantes de Stockwell e Vauxhall, mas sinceramente, não são propriamente restaurantes com ambiente agradável para qualquer ocasião. Ou está a dar o futebol, ou estão lá grandes grupos de Portugueses em festa. Nada contra a comida ou os preços porque, em muitos desses sítios, são bons. Mas por vezes simplesmente gostaria de poder levar pessoas a um restaurante numa zona central, de fácil acesso e com um ambiente apelativo e boa comida, tal como facilmente vou a restaurantes Italianos, Espanhóis, Franceses, Indianos, etc, etc. 

canela-cafe.jpg

Existem alguns mas são poucos. Tenho as minhas dúvidas se fornecem todos boas representações da nossa culinária, mas fica a minha opinião. São eles:

Canela Café: Só lá fui duas vezes há vários anos atrás quando abriu. Na altura ofereciam uma fusão de culinária Portuguesa com Brasileira. Hoje em dia apenas servem comida Portuguesa e, o menú tem bom aspecto pelo que terei que lá voltar para experimentar. O Canela Café está aberto todo o dia e serve tanto como restaurante como café. Preço: Razoável. Prato principal ronda as £11. Localização: Convent Garden.

 

Taberna do Mercado: Fundado por dois reconhecidos chefes Portugueses - Nuno Mendes e António Galapito, este restaurante é mais 'upmarket'. Os pratos são pequenos, tipo petiscos, e apesar de inspirados pela cozinha Portuguesa, são mais elaborados e modernos. O espaço do restaurante é pequeno pelo que convém reservar mesa ou podem contar a ficar numa fila à espera. Preço: Médio/alto. Os pratos de petiscos rondam as £8 e convém pedir cerca de 3 petiscos por pessoa. Localização: Spitafields Market. 

 

Eyre Brothers: Fundado por dois irmãos que cresceram em Moçambique, Eyre Brothers oferece uma fusão de comida Portuguesa com Espanhola. Também é um bocadinho 'upmarket' e, apesar do ambiente ser agradável na zona do bar, na parte do restaurante acho que podiam melhorar significativamente a decoração. Mas os empregos foram simpáticos e a 'Carne de Porco à Alentejana' servida ali é muito boa! Preço: Médio/alto. Prato principal rondam as £17. Localização: Shoreditch

 

E são só estes de que me consigo lembrar agora. Acho que existe portanto, um grande nicho no mercado para um restaurante de boa comida Portuguess, centralmente localizado e que ofereça preços razoáveis. Estou mesmo surpreendida por ainda não terem havido imensos Portugueses a viver cá que iniciassem esse tipo de estabelecimento 

 

Como ponto de curiosidade, neste fim-de-semana, tinha ido sair a Clapton e entrei neste bar que tinha sido recomendado pelo empregado do restaurante onde tinhamos estado antes. Assim que entrámos, reparamos que os bartenders estavam a cantar, a beber shots com os clientes, etc. Sem dúvida um bar muito animado. Quando nos vieram servir, um dos fundadores do bar esteve-nos a contar um pouco do conceito do bar, e descobi que foi criado por um Português do Estoril e um Mexicano. O bar em si - Del74 - tinha uma temática Mexicada, servindo margaritas de tudo o que é sabor. Portanto, de Português só tinha mesmo o fundador, mas o conceito do bar é tão interessante e divertido, que achei por bem, comunicar. 

 

Se entretanto conhecerem outros bares ou restaurantes que vos relembrem de Portugal e achem que são boas representações da nossa culinária, por favor indiquem nos comentários.

O que fazer em Londres em Fevereiro 2017

fazer-fevereiro-2017.jpg

Com Brexit ou sem Brexit, a cidade de Londres continua a ser tão multicultural como sempre desde que vivo cá, e isso também se reflecte nas actividades que decorrem na cidade cada mês. Este mês desde exposições de artistas do Oriente a aulas de Espanhol, a influência que outras culturas têm em Londres é evidente. 

 

Do Ho Suh O que é? Exposição de arte  de Sul Koreano que viveu entre algumas das cidades mais cosmopolitas do mundo e, retrata a experiência da sua trajectória na vida através desta exibição colorida de quartos e caminhos. Quando? De 7 de Fevereiro a 18 de Março. Quanto? Não consigo encontrar informação sobre bilhetes pelo que imagino que seja entrada gratuita. Onde? Victoria Miro Gallery, Hoxton

 

Transcending Boundaries O que é? Exposição dos artistas de Tokyo TeamLab, de instalações de arte imersivas onde se apresenta uma fusão de arte digital. Quando? De 7 de Fevereiro a 11 de Março. Quanto? Gratuito. Onde? Pace Gallery, Mayfair

 

Ano Novo Chinês no Museu O que é? Para quem perdeu as celebrações do ano novo Chinês no início do mês, ainda vai poder apreciar as festividades a decorrer no próximo sábado, no museu da criança, que celebra a variedade a diversidade desta grande celebração Chinesa. Quando? 11 de Fevereiro. Quanto? Entrada Gratuita. Onde? Museum of Childhood, Bethnal Green.

 

Stupid Cupid Anti-Valentine Pub Crawl O que é? para quem não ser saber do da dos namorados, mas gostava de fazer novos amigos, o funzing está a organizar um pub crawl com a temática anti dia dos namorados, pelos bares de Shoreditch no próximo sábado à noite.  Quando? 11 de Fevereiro. Quanto? £12 e o bilhete incluí entrada em todos os bares e numa discoteca e conta com um shot gratuito em cada bar. 

 

Noite de Filme Espanhol O que é? A noite conta com apresentação do filme Espanhol, visualização de curtas metragens e acaba com uma aula de Espanhol gratuita num ambiente social. Quando? 15 de Fevereiro. Quanto? £8.

 

Festival de Gin O que é? Um festival onde podem apreciar alguns dos melhores sabores de gin, enquanto que ouvem seminários sobre o processamento da bebida ou apreciam o entretenimento musical. Quando? de 17 a 19 de Fevereiro. Quanto? £16 Onde? Tobacco Dock, Wapping

 

LDN Talks @ Night O que é? Um novo conceito de TedX Talks mais acessíveis à maioria e com regularidade de frequência. Cada noite conta com 10 apresentações. No caso da noite do link, a temática vai ser a actividade paranormal. Quando? 15 de Fevereiro. Quanto? £10. Onde? Shoreditch. 

Restaurantes tão populares onde ninguém consegue ir

Estou frustrada. Frustrada porque queria marcar um jantar num local especial, diferente, original. Mas todas as minhas hipóteses apresentam-se impossíveis. 

 

Tinha visto na TimeOut à umas semanas que havia um novo restaurante com uns pequenos Igloos no terraço, em que cada mesa está fechada neste igloo com vistas de 360º para Tower Bridge e o Tamisa. São uma nova adição do Coppa Club em Tower Hill. O problema é que todas as marcações já estão esgotadas e, apesar de haver alguns igloos disponíveis por ordem de chegada, não quero arriscar ir lá parar e não dar para ficar com um igloo. 

 

coppaclub.jpg

 

Pensei então em marcar o jantar da GingerLine. A gingerline é um conceito de suppaclub em que se janta num ambiente teatral. Parece um conceito muito interessante e há muito que tenho curiosidade de lá ir. Actualmente estão a decorrer dois conceitos diferentes da gingerline, mas como não podia deixar de ser - tudo esgotado até Abril. 

 

Então pensei tentar o pop-up Christmess Reveillon Feast que conta com 12 pratos, dança, teatro, shows, e decorre durante o mês de Dezembro numas arcadas na zona de Southbank. Mas adivinharam - esgotado na data em que queria.

 

É impressionante como tudo o que seja um pouco mais interessante e diferente seja assim tão popular. O que ainda é difícil de perceber também é como é que tanta gente sabe sobre estes eventos todos logo assim que aparecem, não deixando a oportunidade para aqueles que chegam um pouco tarde, de marcar também mesa. 

 

Portanto voltei à escala zero. Não faço ideia onde hei-de ir para o tal jantar. Se alguém tiver sugestões de jantares em locais originais que ainda não estejam esgotados, adorava ficar a saber desses locais. 

The Book of Mormon

No meu aniversário (que decorreu no final de Setembro), recebi bilhetes para ir ver o The Book of Mormon, e a noite de show foi esta semana. 

 

Já estava curiosa para ver este musical desde que estreou em finais de 2011. Lembro-me de que na altura os bilhetes ficaram esgotados durante meses e como os críticos diziam que era hilariante só fazia fomentar ainda mais o interesse para ver o espectáculo. Hoje em dia os bilhetes conseguem-se adquirir mais facilmente, mas de qualquer forma o show a que fui estava completamente esgotado. 

 

Para quem não sabe, os autores do musical são os mesmos da série Southpark, o que significa que escreveram o musical com alto teor de sarcasmo. O musical retrata a experiência de um grupo de jovens missionários da religião Mormon que pretendem espalhar a palavra no Uganda. 

 

Lembro-me de ver os tais Élders, homens jovens vestidos de fato preto, camisa branca e uma maleta preta várias vezes por Lisboa mas ainda nunca os vi por Londres que me lembre. Talvez tenham tentado em tempo e achado que não valia a pena tentar converter os Britânicos que estes já não têm salvação para os pecados todos que cometem de um lado para o outro. 

 

De facto o musical foi engraçado. Não foi tanto de rir à gargalhada quanto eu estava à espera mas sem dúvida foi uma boa diversão para a noite. 

 

Já tinha escrito um post anteriormente sobre musicais e onde comprar bilhetes. Aqui fica.

bookofmornon.jpg

Fonte da foto: bookofmormonlondon.com

 

Brixton está ao rubro

Na passada sexta-feira à noite fui sair para Brixton porque tinha encontrado no Facebook que o Pop-Brixton estava a organizar noites de música ao vivo gratuitas todas as sextas-feiras. Como já não ía a Brixton há algum tempo e ainda não tinha estado no Pop-Brixton achei boa ideia passar por lá. Convidei alguns amigos e lá nos encontrámos. 

 

Devo dizer que fiquei um pouco surpreendida com o que encontrei. Eu já sabia que a Brixton Village na zona do mercado era popular e já existei na altura em que eu vivia em Brixton, à cerca de 5 anos atrás. Mas não só encontrei a Brixton Village com ainda mais restaurantes giros, cafés, pessoas e animação, mas também passei por um pop-up de 'Street Food' chamado Brixton Food Court, localizado no início da Atlantic Road, para quem vem do lado da estação. É um espaço relativamente pequeno comparado com o tamanho do Street Feast mas está muito bem organizado, com vários bancos convidativos a passar lá umas horas quando as noites começarem a aquecer. 

 

brixton_food_court.PNG

Brixton Food Court

Depois lá encontrei o Pop Brixton que também estava muito animado. Quando cheguei a banda já estava a tocar e, em frente do palco encontrava-se um grande espaço coberto para os espectadores verem o concerto, que é também perfeito para dançar depois do concerto, quando começam os DJs a passar música até tarde. À semelhança do Brixton Food Court, aqui os comerciantes também vendem street food, com uma grande variedade de comida incluíndo um restaurante Ghaniano, Pizza, Ramen, Hambúrgueres Indianos, Tacos e alguns outros. Para além de música ao vivo gratuita, o Pop Brixton também organiza vários outros eventos tais como noites de cinema e afins. 

 

popbrixton.PNG

Pop Brixton

Se ainda não conhecem vale a pena passar por Brixton uma destas noites, principalmente aos fins-de-semana quando tudo está mais animado, para fazerem uma visita ao Brixton Village, o Brixton Food Court ou o Pop Brixton, para além dos habituais pubs, bares e cafés muito bons que já existem também nas ruas de Brixton.  

brixtonvillage.jpg

Brixton Village - Imagem retirada @anneskitchen.co.uk

Meetups com estranhos

Recentemente houve duas noites em que não tinha nada planeado, mas apetecia-me sair. Então em ambas as ocasiões, tendo sido a última delas hoje mesmo, decidi ir a um Meetup. 

 

O Meetup em que fui a umas poucas semanas atrás foi organizado pelo grupo London International Meetup. Pensei que sendo um grupo internacional ía ter muitas pessoas novas em Londres, entusiasmadas por cá estar que apenas querem conhecer pessoal novo. Além do mais tinha um grande número de confirmados e era apenas para nos encontrarmos para bebidas num pub por isso achei que seria uma boa alternativa a ir para casa. Não era membra desse grupo antes mas pesquisei na listagem de todos os eventos a decorrer em Londres nessa sexta e esse pareceu-me o mais interessante.

 

Desta vez optei por ir a um encontro de Natal de um grupo, ao qual já pertenço à alguns anos, mas ao qual ainda só tinha ido a um meetup, relacionado com pessoas interessadas em ver música ao vivo

 

A comparação? Em ambos conheci pessoas completamente diferentes do meu habitual grupo de amigos. Afinal são eventos abertos a toda a qualquer pessoa, por isso é normal que se encontre uma grande variedade de pessoas. No entanto, gostei mais da experiência do grupo de hoje do que do grupo do pub de algumas semanas atrás. O facto é que ir a um meetup tão generalista como "friday night drinks" que era o caso, atraí uma variedade muito maior de pessoas. Tinha pouco em comum com a maioria das pessoas que lá estam, por isso era difícil manter uma conversa. Tentei conversar com a maior parte das pessoa presentes para me aperceber melhor do grupo, mas não conseguia encontrar um link comum entre elas, e apenas com algumas consegui manter conversas interessantes mais prolongadas. Conheci lá o médico Alemão acabado de chegar ao páis, o Espanhol também acabado de chegar que mal conseguia falar Inglês, a professora que não tem paciência nenhuma para educar as crianças dos outros, o Inglês que foi dar a volta ao mundo durante o maior tempo que pôde e, desde que voltou, não sabe o que fazer com a sua vida, e muitos mais,...

 

No meetup de hoje, no entanto, notava-se que existia um interesse em comum - música. E como tal, era mais fácil estabelecer conversas e fazê-las prolongar. Sem dúvida que ainda havia uma grande diversidade de pessoas, mas o factor diferença não era tão óbvio como no meetup anterior. Acabei até por receber a lista das "melhores músicas de 2016" de acordo com um dos organizadores do grupo (a sua selecção pessoal). Fica aqui a playlist se tiverem curiosidade para ouvir o que outras pessoas consideram o seu top 100 do ano. Eu estou a ouvi-la agora. Para já, algumas considero também boas. Outras, não tanto, mas penso que seja uma boa oportunidade para ficar a conhecer nova música de qualquer forma. 

 

Em resumo, os meetups podem ser interessantes e divertidos, mas convém ir a metups com uma temática de interesse, para que os seus participantes tenham algo em comum porque senão, os eventos generalistas são um "hit or miss", ou seja, serem bons eventos depende apenas do factor sorte. 

 

Meetup-Logo-Font.jpg