Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

O que fazer em Londres em Dezembro 2016

fazer-12-16.jpg

Estamos quase a chegar ao último mês de 2016. Sendo o mês do Natal, é típicamente conhecido como o mês das festas, dos exageros no álcool e doces, de bons tempos com amigos e família. Ficam então algumas ideias para ajudar a planear como vão preencher os vossos dias em Londrres durante o último mês do ano. 

 

Redchurch Street Christmas Market O que é? Pela primeira vez a Redchurch Street em Shoreditch vai organizar um festival de Natal na rua, com diferentes actividades a decorrer nos dias do festival, em colaboração com diferentes comerciantes locais. Quando? De 1 a 7 de Dezembro. Quanto? Gratuito mas existem específicas actividades que t~em que ser pagas em avanço. Onde? Redchurch Street, Shoreditch.

 

East End Independent's Day O que é? Os comerciantes Independentes da zona do Este de Londres entraram em colaboração para criar um dia específico em que abrem as portas ao público providenciando especiais eventos durante esse dia incluíndo tours dos seus estabelecimentos, apresentações da história de alguns dos estabelecimentos, e vai também haver oferta de comes e bebes gratuitos em alguns dos estabelecimentos. Quando? 3 de Dezembro. Quanto? Entrada a ser marcada através do site AlternativeLDN e custam de £12 a £35. Onde? Tours em Spitafields e Shoreditch ou Bow ou Broadway Market ou Columbia Road.

 

SantaCon O que é? Uma marcha de centenas de pessoas mascaradas de Pai (ou Mãe) Natal que percorrem as ruas de Londres a cantar canções de Natal, dar presentes às crianças, conversam com estranhos e passam assim uma tarde de diversão. Quando? 10 de Dezembro. Quanto? Gratuito participarem mas têm que efectuar registo no site. Onde? Centro de Londres

 

Winter Wonderland O que é? O maior mercado de Natal de Londres que conta com comes e bebes, diversões, bandas e artesanato para as vossas compras Natalícias. Quando? Até 2 de Janeiro. Quanto? Entrada Gratuita. Onde? Hyde Park.

 

Vauxhall Winter Village O que é? nas arcadas da estação de Vauxhall vão encontrar uma lounge de ski, com decoração vinda das montanhas brancas, com música, comes e bebes relacionados com o tema do ski e inverno.  Quando? Até dia 13 de Janeiro. Quanto? Entrada gratuita.

 

Geoffrye Museum Late Christmas Special O que é? O Museu da Casa - Geoffrye Museum vai ter uma noite de abertura prolongada especial por contar com festividades Natalícias incluíndo um mercado de Natal e artesanato. Quando? 1 de Dezembro. Quanto? Entrada gratuita.

 

Passagem de Ano O que é? A principal celebração da Passagem de Ano em Londres são os fogos de artifício no Tamisa. É necessário marcar com antecedência para poderem entrar na zona onde se vêm os fogos de perto, mas existem muitas outras alternativas para passar umpassagem de ano divertida em Londres. A TimeOut London criou uma página no seu site dedicado a ideias de coisas a fazer na passagem de ano por isso aqui fica a página com variadas ideias

Um passeio por Columbia Road

Esta semana que passou os meus pais estiveram de visita. Já não vinham a Londres à 2 anos mas este ano tinha que ser até para poderem ver a minha nova casa. 

Aproveitámos que eles estavam cá e fomos passear no Domingo para o mercado das flores de Columbia Road com o intuito de comprar algumas plantas para dar uma ar mais simpático à casa. 

 

No caminho para Columbia Road e, como sei que todos os possíveis locais onde tomar o pequeno-almoço por lá, estariam totalmente cheios e com fila, achei melhor pararmos no Broadway Market. O mercado de Broadway Market decorre aos sábados, pelo que Domingos são um melhor dia para passar por lá para pequeno-almoço e evitar as filas. os meus pais ainda nunca tinham tido a experiência de tomar um brunch no seu conceito cultural de brunch, por isso queria levá-los a um local onde sabia que servem-no bem, e que fosse agradável para famílias, visto que metade dos locais de Broadway Market só apelam à comunidade hipster. O local escolhido foi o El Ganso que, apesar de ser um restaurante Espanhol, faz um óptimo brunch tradicional. E foi mesmo pelo pequeno-almoço tradicional que os meus pais optaram. Deu para perceber que gostaram da experiência mas também indicaram que comer todos aqueles ingredientes fritos e pesados numa só refeição, só pode mesmo ser uma coisa muito ocasional. De qualquer forma, apesar de ser frito e pesado, o brunch dos meus pais estava delicioso e tinha óptimo aspecto. 

 

IMG_5191.JPG

 

Quando lá estava com eles perguntei-lhes se em Lisboa não havia locais onde podessem tomar um brunch. Eles disseram que não sabem de nenhum local e que acham que a cultura de brunch não existe, mas pergunto-me se será de facto assim? Eu sei que pela altura em que saí de Lisboa ainda não havia esse hábito, mas imagino que hoje em dia já existam cafés e restaurantes que sirvam brunch, onde amigos se encontrem ao fim da manhã para a conversa, não será? 

 

Ainda passámos por uma nova florista no Broadway Market localizada no início da rua Benjamin Close que vende plantas muito giras e também serve café. Mas preferi continuar para Columbia Road primeiro antes de me decidir por quaisquer plantas visto que em Columbia Road existe sempre grande variedade e os preços são geralmente uma fração dos preço das lojas. 

 

Como esperado, Columbia Road estava completamente à pinha, principalmente porque estava uma temperatura agradável, e o que descobri é que os cactos estão totalmente na moda porque era junto aos stands com cactos onde se encontravam os maiores conglomerados de pessoas. 

 

IMG_5200.JPG

 

Aproveitei também para visitar as lojinhas da rua visto que existe grande variedade de decoração, inclusívie uma loja de produtos Portugueses muito gira que vende enlatados e artigos decorativos - A Portuguese Love Affair. Gostava de comprar mais algumas peças Portuguesas para ter em casa, mas nesta lojinha os artigos decorativos são maioritariamente do Bordalo Pinheiro, que tem coisas muito giras, mas acho que não íam ficar muito bem na minha casa por isso vou tentar comprar mais peças quando estiver em Portugal. 

 

Saí do mercado com uma planta de pendurar no tecto da varanda, 3 plantas coloridas, 2 ervas aromáticas, uma pequena hera e três cactos pequeninos. Já estão na varanda mas algumas ainda faltam novos potes para ficarem mais bonitas. Mas é engraçado fazer estas comprinhas por isso nem me importo de demorar algum tempo para ir tratando destas coisas aos poucos.  

IMG_5203.JPG

 

Winter Wonderland vs Winterville

Este ano, o Este de Londres lançou a sua versão do Winter Wonderland com o Winterville em Victoria Park. Tinha estado no Winter Wonderland na terça-feira e fui ao Winterville na sexta-feira (dá para perceber que gosto de feiras de Natal? ) e a experiência foi significativamente diferente. 

 

O Winter Wonderland continua a ser maioritariamente um mercado temático aos mercados de Natal tipicamente Alemães, com muitos stands de vendas de artesanato e comes e bebes tradicionais Natalícios Alemães como as salsichas Frankfurters, Bratwurst, mulled wine, mulled cider, doces Natalícios e afins. Conta também com música Natalícia ou "de casamento", daquelas em que todos sabem as letras e são animadas para a rambóia. Além disso, conta com um ring de patinagem no gelo, muitos carroséis e diversões para adultos, daqueles em que te vomitas todo assim que sais de lá de tanta volta à cabeça (e ao estômago) que aquilo dá. 

 

Parece que estou a brincar, mas eu estava sinceramente com receio de que o homem que se sentou ao meu lado numa diversão fosse vomitar. Estavamos sentados numas cadeiras que rodeavam um pilar central e subiam a muitos metros de altura e que, depois de algum tempo parados no topo, repentinamente caiam a alta velocidade para simular a sensação de queda livre. Assim que vi o homem a tentar encontrar o bilhete para dar ao segurança vi logo que o homem estava podre de bêbado - cambaleava de um lado para o outro e não conseguia nem por nada encontrar o bilhete. Lá o encontrou e, apesar de a essa altura as cadeiras estarem quase todas vazias ele veiu-se sentar mesmo ao meu lado . Depois quando estavamos no ar parados ele faz um grande barulho com a garganta, como que a puxar vómito e dá uma grande cuspidela para o ar (OK, ao menos não vomitou, foi menos mal). Depois olha para mim assim meio desengonçado e diz "ah, desculpa. Eu tive um dia mau". Eu claro que disse que não havia problema mas não deixou de ser algo desconfortável (só conseguia pensar no espanto da possível pessoa que tenha apanhado com aquela cuspidela na cabeça). A certa altura ele também nos quiz tirar uma fotografia quando estavamos lá em cima e depois atirava umas palavras para o ar mas não percebia muito bem o que ele estava a dizer. O importante é que ao fim da experiência ele não vomitou por isso sempre é menos mal. 

 

winter_wonderland.jpg

 

Bem, mas continuando com a minha comparação dos mercados, o WinterVille, ao contrário do que imaginei até que é significativamente diferente do Winter Wonderland o que terá sido pensado também para se adequar melhor aos gostos do tipo de pessoas que vive no Este de Londres. Aqui havia mais um ambiente de festival do que propriamente de mercado de Natal. Em vez de stands de artesanato haviam tendas com música onde vários vendedores tinham expostos os seus produtos, desde roupas a acessórios e algum artesanato. A comida à venda é Street Food, com stands de todos os tipos de comida e não havia qualquer temática de mercado Alemão, sendo que havia apenas um stand a vender as tradicionais salsichas Bratwurst. Quanto à música, conta-se com DJs de House e, em vez de um ring de patinagem no gelo há uma roller disco. A única semelhança é que o WinterVille também tem vários carroséis e diversões se bem que numa escala muito mais pequena que o Winter Wonderland. 

 

Winterville-Image-009.jpg

 

O que prefiro? Continuo a preferir o Winter Wonderland. Gosto daquela sensação boa e comfortável que traz um mercado de Natal, com todas as suas características típicas, cheiro a pinheiro, mulled wine e música para a brincadeira, mas acho que o Winterville também tem um bom conceito e vale a pena visitar. 

 

Mercados nocturnos de verão

Como já disse aqui várias vezes, e os leitores mais frequentes concerteza já repararam, uma das coisas boas que esta cidade tem são os eventos e as actividades para desfruto do público. Muitos destes ao ar-livre, principalmente no verão. Desta vez queria ir a um dos mercados ao ar-livre nocturnos. Existem dois neste momento no Este de Londres, que eu conheça, e são eles o Red Market em Old Stret e o Street Feast em Dalston. O Red Market está aberto durante os dias do fim-de-semana enquanto que o Street Feast é mesmo só às sextas-feiras. Acabei por ir ao Red Market hoje e sem dúvida que gostei. Estão por lá cerca de umas 12 bancadas de comes e bebes onde os comerciantes locais vendem as amostras do que têm à venda nos seus bares e restaurantes - hamburgers, wraps, saladas, Indiano, Italiano, comida Espanhola, Austriaca, Vegan,... a variedade era boa e contava também com um stand de DJ e várias mesas compridas onde as pessoas podiam conversar e deliciar-se com as suas compras. Sendo mesas compridas, estilo cantina, propocionam também um bom sítio para conhecer as pessoas que estão a comer ao vosso lado. 

 

Agora aquilo que veiu fazer mesmo com que me estragasse um bocado o prazer de lá estar ao fim dos primeiros 45 minutos, foi mesmo a chuva. É que é inevitável não falar sobre o assunto chuva neste momento, porque efectivamente este está a ser o pior verão que tenho presenciado desde que estou em Londres. É que chove TODOS os dias! É impresssionante! Em Julho principalmente, têm havido pelo menos alguns minutos de chuva, todos os dias. É impossível não me queixar. A quantidade de eventos que este clima desfavorável tem afectado tem sido enorme. 

 

Mas como é "verão", as pessoas querem fazer actividades ao ar-livre forçosamente. Até tenho um BBQ em casa de amigos marcado para amanhã e outro marcado para o domingo. A ver se os BBQs se vão mesmo realizar ou se vamos ser forçados a ficar em casa e encomendar pizza. 

The Long Table

Ontem à noite tinha planeado com umas amigas ir ao único mercado nocturno de productos frescos (comida) de Londres. Chama-se The Long Table e está a ser organizado pela primeira vez este ano. Localizado num antigo armazém nos recantos de Dalston, pensava eu que ía para um evento muito publicitado que poucas pessoas, para além de alguns amigos de amigos e afins conheceriam. Ora não podia eu estar mais enganada!

 

Quando estava na rua perpendicular andava à procura do mercado e perguntei a uma rapariga que estava na bilheteira de um teatro local se ela sabia onde era o mercado. Ao que ela respondeu - "É só virares à direita do prédio. Junta-te à fila." 

 

"Junta-te à fila?" - pensei eu - "ela só pode estar enganada. Só devem estar meia dúzia de pessoas no mercado." Pois,... não! A fila era enorme! Fazia a volta ao quarteirão. Mas claro que já que ali estavamos tinhamos que esperar um pouco, que remédio. Efectivamente, se não estivesse tanto frio de já não sentir os dedos (mesmo com luvas) e se não tivessemos cheias de fome, nós até tinhamos esperado durante mais um bocado. Mas sinceramente ao fim de uma hora (sim, 1 hora!) já não aguentámos mais e desistimos ir antes a um restaurante ali na zona. 

 

Claro que fiquei com pena de não ter lá entrado, principalmente depois de toda aquela espera, mas já não dava mesmo. 

 

O que é que aquele mercado tem assim de tão especial? Sinceramente também ainda não sei lá muito bem. Sei que tem lá à venda produtos alimentares frescos e cozinhados por alguns dos melhores chefes de cozinha locais. Existe também uma galeria de arte e uma mesa comprida (aparentemente) onde as pessoas se podem sentar para se deliciarem com os cozinhados à venda no mercado. 

 

O mercado está aberto todas as sextas-feiras à noite até ao Natal das 18h à 1h da manhã, na Abbot Street, próximo da estação de Dalston Kingsland. Foi desenvolvido pelo The Loft Project que é organizado pelo chefe de cozinha Nuno Mendes e por Clarise Faria. Portugueses?? Pelo menos ele parece que sim - http://www.theworlds50best.com/nuno-mendes-the-very-very-long-table-in-london/9898

Porque é que eu gosto de Broadway Market

Clique para oferecer mamogramas
No fim-de-semana anterior apeteceu-me ir passear um pouco pela cidade, mas queria ir a algum local onde nunca tivesse ido antes. Enquanto olhava para o mapa de Londres sem muita sorte em encontrar uma zona onde ainda nunca tivesse estado, lembrei-me de que há relativamente pouco tempo me tinham falado de um mercado muito giro em Hackney. Não me lembrava do nome mas nada que uma pesquisa no Google por mercados em Hackney não tivesse resolvido. Chama-se Broadway Market e, efectivamente, ainda nunca lá tinha estado. Verdade seja dita eu não morro de amores pela zona de Hackney, mas, tal como se diz é "up and coming", e a pouco e pouco esta área de Londres que já foi muitas vezes classificada como uma zona com elevada criminalidade em Londres, está cada vez a atrair mais jovens profissionais para lá irem morar e a criminalidade está a diminuir. Surgem barzinhos giros, cafés, boutiques, novas propriedades e com locais como o Broadway Market (que neste caso já existe há muito tempo) às portas de London Fields ajuda a atrair ainda mais pessoas.

 

O Broadway Market em si é um mimo. Localizado junto ao Regent's Canal, na rua com o mesmo nome, logo à distância apercebi-me de que estava a entrar num local com óptimo potencial pela música que se fazia ouvir de uma das barraquinhas do mercado que vendia CDs e discos de música que não se costuma ouvir nos tops. De cada um dos lados da rua existem lojas mesmo muito giras em que só apetece comprar tudo. Desde lojas de roupa e acessórios vintage, livrarias independentes, lojas de arte e design, e cafés com um aspecto super convidativo para lá entrar com um livro e passar a tarde sentada a ler acompanhada de um daqueles cappuccinos cheios de espuma e muffins saborosos feitos no dia.

 

No centro da rua ficam duas fileiras de barraquinhas onde maioritariamente se vendia comida desde fruta e vegetais a empadas e comida saudável feita na hora, mas também com umas barraquinhas com livros, artesanato, acessórios e roupa.

 

Tudo com óptimo aspecto e um ambiente geral da rua muito agradável. Adorei! A parte menos favorável é que eu queria mesmo sentar-me num café para escrever um bocadinho, mas a maioria dos cafés estavam cheios ou quase cheios e eu queria um bocado de calma. Já estava a pensar ir a algum café mais afastado do mercado, mas foi logo ao atravessar a ponte do canal que me deparei com uma loja de bicicletas por onde me decidi ficar. Sim, leram bem, uma loja de bicicletas. É que lá dentro, metade do espaço era a tal loja de artigos de ciclismo, e a outra metade (se bem que os dois lados se fundiam um pouco com acessórios de bicicletas junto às primeiras mesas) era um café com mesas de madeira e umas janelas muito longas viradas directamente para o canal. Chama-se Lock 7. Muito agradável mesmo. Adorei a minha descoberta.

 

Artista de rua no Broadway market

 

Para chegar ao Broadway Market podem andar cerca de 30-40 minutos desde Liverpool Street, ou então apanham um autocarro na direcção de Hackney Central, e ao passarem por hackney Road, junto à paragem do Haggerston Park, saiam do autocarro e percorram o resto a pé. Melhor ainda é aproveitarem já que estão em Haggerston Park e visitem a Hackney City Farm (mais outra descoberta que fiz nesse sábado). Tal como o nome indica essa é nada mais nada menos do que uma quinta, e qualquer pessoa pode lá entrar e ver os animais - porcos, galinhas, coelhos e outros quantos animais variados. É sem dúvida um bom local para se visitar principalmente para quem tiver crianças, visto que aquela quinta estava cheia de famílias com a criançada toda divertida ao ver os animais ali ao vivo e a cores, bem no centro da cidade de Londres. Passando pelo lado direito do Haggerston park, pela Goldsmith's Row vão ter directamente ao Broadway Market.

 

Notem que o dia de mercado é ao sábado entre as 9h e as 17h. Podem visitar o site do Broadway Market aqui.