Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Aniversário prolongado

O meu aniversário já foi à duas semanas atrás, mas só ontem é que fiz a grande festa do costume onde convidei vários amigos para uma house party. A ideia inicial era ter feito esta house party mesmo no dia do meu aniversário, mas como tal nao foi possível, acabei por fazer só um jantarinho com os amigos mais próximos nesse dia e adiei a house party por 2 semanas. 

 

Desta vez a temática foi "beach party" onde o objecivo era que se vestissem o mais originalmente possível dentro da temática da praia. Devo dizer que não foi o tema com mais sucesso que tive. Acho que pelo facto de ser Outono, levou a que menos pessoas levassem a temática a sério, e não colocaram tanto esforço como habitualmente no vestuário para a festa. Mesmo assim, ainda houve alguns que estiveram originais e que se dedicaram a representar bem o tema da festa. 

 

Agora uma coisa que reparei, e que se notou mais do que o normal é que toda a gente veiu super tarde para a festa. Era suposto começar às 20h, e, se estivessemos numa festa onde os convidados fossem maioritariamente Ingleses, de certeza que estariam lá todos entre as 20h e as 21h. Mas nunca festa tão internacional como a minha onde tinha uma misturada de pessoas de todos os cantos do mundo, veiu tudo atrasado porque ninguém quer ser o primeiro a chegar. Resultado, fomos só 5 pessoas durante a primeira hora da festa, depois fomos uns 10 por mais cerca de 1 hora, e só a partir das 22:30 , é que efectiva foi uma noite bem diverida e mente a maioria dos convidados começou a chegar. Acabou por ficar bem cheia, mas nao deixa de ser chato esse hábito de toda a gente chegar tão tarde. Bem, mas também talve por isso é que a festa também durou mais tarde do que o que tipicamente, uma house party Inglesa dura. 

 

Bem, mas de forma geral a festa foi muito divertida, e uma boa forma de celebrar mais um aniversário. 

 

House party

House Warming Party

E neste sábado fiz com os meus flatmates a festa de casa nova (acho que não existe expressão idêntica a house warming em Português), mas, para quem não conheça a expressão, é uma festa de boas vindas à casa nova. 

 

Foi não só uma boa forma de conhecer os amigos da minha nova flatmate e vice versa, uma forma de apresentar a nova casa aos amigos, mas também uma boa desculpa para fazer uma festa {#emotions_dlg.happy}

 

A festa estava marcada para começar às 20h, e como não podia deixar de ser, os amigos Ingleses da minha flatmate chegaram bem a horas, o que não foi o caso dos meus convidados e dos convidados do meu outro flatmate que são de todo o tipo de nacionalidades. Sem dúvida que do nosso lado também vi que foram os Americanos e os da Europa do norte a chegar primeiro, enquanto que os Tugas, Espanhóis, Italianos e afins começaram a chegar em força a partir das 23h. Outra coisa não seria de esperar. 

 

A casa estava bem cheia por volta da 1h e digamos que foi daquelas festas sempre a bombar que só acabou já passavam das 5h. O engraçado foi que na casa imediatamente oposta à nossa estava a haver também outra festa, por isso acabaram uns quantos da outra festa por vir parar à nossa e uns quantos da minha festa a ir parar à deles também,... inclusívé eu. E não, claro que não era porque a minha festa estava a ser aborrecida, mas é daquelas coisas que é sempre bom confraternizar com os vizinhos e manter uma boa relação. A meio da noite só fui à festa oposta durante cerca de uns 10 minutos já que obviamente queria era estar com os meus amigos. Mas como estava à porta da minha casa e conheci lá um pessoal da festa oposta que convidou para lá entrar,... porque não? Há que ser simpática. Entretanto uns quantos também passaram pela nossa festa e estavam a dizer que a nossa era muito melhor porque estavamos todos a dançar enquanto na festa oposta o ambiente era mais chill out.

 

No entanto, eu e mais alguns amigos, quando a nossa festa acabou, ainda passamos pela dos vizinhos e eles ainda tinham lá umas 15 pessoas em casa apesar de já ser de manhãzinha portanto, foram bem mais resistentes que nós. Não sei bem como a festa deles foi durante a noite, mas quando lá cheguei de manhã estavam a dançar ao som do Rock n' roll dos anos 50 e tudo estava bem animado. Pessoal bastante simpático até, mas sem dúvida que a festa deles tinha um ambiente um bocado diferente da minha já que a deles tinha todas as características de uma East London party. Desde a forma como as pessoas estavam vestidas ao tipo de som que passaram, o ambiente boémio,... tudo era muito East London. Lembram-se de eu ter falado desta festa? Pois a dos vizinhos era do mesmo estilo em termos do ambiente. Gostei. Tenho que ver se arranjo mais umas destas. 

 

E estando em modo de festa, ficam aqui com a minha música Britânica do momento (já há uns tempos que não colocava a música do momento por isso aqui vai) - Darling Buds of May da banda originária de Slough, Brother. Vão actuar no festival de Glastonbury. Mal posso esperar!

 

 

Um batalhão de Americanos = Thanksgiving em Londres

Este ano celebrei o conhecido feriado Americano do Thanksgiving pela primeira vez.

Como tenho 3 colegas Americanos no trabalho, eles decidiram celebrar a data, que se realizou na passada quinta-feira, em conjunto e convidaram-nos (aos restantes colegas) e outros amigos para celebrar a noite à moda tradicional Americana.

Os 3 tiraram o dia de férias para poderem fazer todos os preparativos, cozinhar, etc. Assim, eu e os meus restantes colegas convidados fomos logo após o trabalho em conjunto para a casa de um deles onde o jantar se ía realizar. Lá chegados já tinhamos algumas entradas à nossa espera, uma casa animada com música e jogos. Passado um pouco outro grande grupo de pessoas chegou (colegas de um dos flatmates do meu colega) e mais tarde ainda chegou um terceiro grupo de pessoas. Ou seja, o jantar calmo do jantar do Dia de Graças que eu esperava ter, acabou por ser uma autêntica house party. Mas mesmo com toda a agitação inesperada foi sem dúvida uma noite muito boa.

Quando o jantar foi servido apenas um prato no meio de todos era meu conhecido da forma como estava cozinhado - o perú assado. Tudo o resto tinha sido cozinhado de forma tradicional Americana que eu ainda nunca tinha experimentado. Havia um puré de batata com uns pedaços de qualquer coisa lá pelo meio que não percebi bem o que era, um prato chamado "yams" que basicamente é um puré de batata doce, haviam umas couves cozidas num molho especial, pão de milho, pão de abóbora, um outro acompanhamento era um molho com milho que tinha ido ao forno, havia também feijão verde pequeno cozido noutro molho, o recheado do perú também foi servido à parte e havia cranberry sauce e gravy para colocar em cima de tudo (nota-se que eles gostam muito de molhos, não nota?). Estava uma autêntica delícia! A comida estava mesmo muito bem cozinhada e temperada. Adorei! Só espero que para o ano voltem a repetir a dose, mas com tanto trabalho que eles tiveram na preparação para alimentar aquela gente toda não sei se vão nessa idea.

 

 

Jantar do Dia de Graças

 

 

Há "house parties" que não se esquecem

 

 

Sabem quando têm uma daquelas noites ou dias em que, de alguma forma, aconteceu algo tão bom ou marcante que pensam que nunca irão esquecer essa data? Pois tive exactamente uma dessas noites, ontem.

 

 

Fui convidada para uma house party de despedida de apartamento (visto que os actuais residentes estão de mudanças) em Shoreditch. Como só conhecia um dos residentes e ainda o conhecia mal não sabia o que bem esperar da sua festa ou do seu grupo de amigos, mas logo ao entrar fiquei positivamente surpreendida. Localizado no topo de um edifício em plena Shoreditch High Street. Ao entrar, a mesa de mistura com vinil do DJ logo à frente, no canto; à esquerda três grandes janelas com vista para a High Street; à direita uma sala enorme em open plan com a cozinha. Nada "fancy" ou "posh". Pelo contrário, tudo muito retro, meio desarrumado com "arte" pornográfica a decorar as paredes (segundo os donos da casa, só colocaram aquilo mesmo no dia pela piada para a festa).

 

Enquanto que na minha festa de aniversário eu tive a temática Camden Town para as pessoas estarem mascaradas apropriadamente, nesta festa, muitos dos convidados realmente se vestiam assim naturalmente, mas não só. Entre pin ups, goths, estilos artísticos, até ao pessoal vestido de quem tinha acabado de sair de uma discoteca (e efectivamente esse foi o caso para alguns que apareceram pelas 3h da matina), havia um pouco de tudo por aquela casa. Altamente ao verdadeiro estilo "East London" e Shoreditch (quem conhecer bem as características desta zona percebe exactamente ao que me estou a referir). Foi mesmo uma muito boa festa que, sem dúvida ficou no top 10 ou talvez até no top 5 dos melhores momentos que passei em Londres até agora. Adorei!

 

 

Acabei por ver o sol nascer enquanto dançava junto àquelas grandes janelas, mas mesmo com poucas horas de sono isso não me impediu de acordar bem a tempo para o planeado encontro da 5ª cartada. Juntamos ali um grupo bem simpático de 14 pessoas. No próximo post coloco fotos, mas desta vez não anunciarei os resultados das cartadas porque como vou organizar para o último encontro do ano um jantar num restaurante Tuga, então os vencedores das 5 sessões de cartadas serão revelados nesse jantar a decorrer em inícios de Dezembro (mais próximo da data coloco mais informações).

A minha festa de anos 2010

O meu aniversário pode ser só na quarta-feira, mas a festa de anos já passou. E sinceramente, esta foi a 3a e a melhor festa que tive nesta casa. Brutalíssima! Como sempre preparei a mesa cheia de comidinha boa. Incluia os tais torcidos de limao e o salame de chocolate, pastéis de bacalhau, croquetes de atum, rissóis de camarao, e as coisas básicas tipo batatas fritas, queijo, etc. Fiz também sangria que ainda durou algum tempo já que repeti a dose 3 vezes e todo o pessoal convidado trouxe imensas bebidas com eles. Sinceramente pensei que ainda ía sobrar imenso alcool, de tal forma que o frigorífico e congelador estavam cheios, mas qual que? No momento em que o meu vizinho veiu da sua noitada já nao havia nada. Veiu ter 'a festa cá de casa (segundo ele, como nao ía conseguir dormir de qualquer maneira com o barulho, mais valia juntar-se 'a festa), deviam ser umas 4:00 da manha. Ele perguntou se podia tirar uma cerveja do frigorifico, abro-o e está completamente vazio de qualquer bebida, olho para o lado e só se vem garrafas vazias. Enfim, estava enganada quanto a sobrar alcool, sem dúvida.

O tema da festa, como já tinha indicado no post anterior foi "Dress like a Camden Towner", portanto, a ideia era para que todos viessem vestidos como as pessoas características que vivem e trabalham em Camden Town. E isso inclui punks, góticos, pessoal das raves, pessoal futurista, indies,... As hipóteses eram mais que muitas e achei que assim seria relativamente fácil das pessoas conseguirem criar a sua própria vestimenta sem terem que necessariamente comprar nada ou comprando apenas alguns acessórios. Eu fui vestida 'a Gótica. E levei mesmo a coisa a sério. Afinal, eu é que era a anfitria da festa, por isso, sem dúvida tinha que estar a representar bem a temática que eu própria tinha criado. Entao fiz algo um bocado radical que foi pintar o cabelo de preto. Eu que sempre fui mais para o lado dos castanhos claros, pintar o cabelo de preto é sem dúvida algo que nunca antes me tinha passado pela cabeca, mas como estava inspirada para encarar a minha personagem lá o fiz. OK, verdade seja dita, pintei o cabelo com uma cor nao permanente que sai com as lavagens, mas mesmo assim, nao deixa de ser uma atitude um tanto ou quanto radical. Depois comprei em Camden um daqueles vestidos de que sempre gostei tanto de ver mas que nunca tive razao para os usar. O que comprei é semelhante ao vermelho da foto em baixo, só que em tons de roxo.

 

Camden goth outfits

 

Complementei a minha personagem com uma cruz ao peito, cabelo bem esticado com risca ao meio, bracelete metalizada, verniz preto e maquiagem bem preta junto aos olhos e lábios. Acho que se fosse para uma comunidade de góticos ninguém se ía aperceber de que eu nao era realmente um deles.

 

Mas o melhor da festa foram mesmo as pessoas. O grupo de pessoas que vieram criou um ambiente tao divertido, e na sua maioria também se vestiram a rigor o que só ajudou a festa. Adorei que tantas pessoas se tivessem dedicado tanto ao tema e realmente esforcado para criar um bom ambiente. Foi sem dúvida uma festa super divertida. Adorei! Ficam algumas fotos da noite:

 

 

 

Afinal o novo geek, de geek tem muito pouco

O novo estagiário começou esta semana. Nos primeiros dias deu-lhe para fazer um trabalho básico daqueles de entrar dados numa folha de Excel. No terceiro dia é que lhe tive que dar a tarefa de identificação de potentiais clientes que, os outros estagiários têm encontrado uma certa dificuldade em perceber exactamente como é que isso se faz correctamente. Como este estagiário ainda não tinha contacto com nenhum dos meus ficheiros antes, dediquei-lhe duas horas a explicar com calma e detalhadamente todas as possibilidades relacionadas com novos contactos serem ou não potenciais clientes. Ele, mais uma vez, estava com alguma dificuldade em perceber a coisa. Mas afinal, é novo, ainda está a tentar perceber a lógica de tudo, há que dar tempo ao tempo. Eventualmente e após vários exemplos pareceu-me que ele estava a começar a perceber.

 

Eu: "...a empresa XPTO portanto, não pode ser um cliente potencial devido a esta razão e a outra razão."

Ele: "Ah, claro. Então sempre que estiverem nesta situação não serão potenciais clientes. OK, percebi."

Durante uns 15 segundos falamos de outra coisa

Eu: "Ok, então resumindo. Neste caso da empresa XPTO, como é que a vais classificar? Como potencial cliente, ou como não sendo um potencial cliente?"

Ele pensa, olha para mim, volta a pensar, e com ar de quem está a dar um tiro à sorte diz "ahhh,.. como cliente potencial?"

 

 

Eu não estava em mim de espanto. Então mas tudo o que lhe tinha estado a dizer entrou por um ouvido a 100 e saiu pelo outro a 1000? Continuei paciente, voltei a explicar. Dou-lhe outro exemplo, ele volta a dar a resposta errada. Voltou a explicar; dou outro exemplo; ele também ainda não apanhou a ideia;... A sério, eu já não estava bem em mim. Então o rapaz até um MBA (Master in Business Administration) tem e está à mais de 2 horas para conseguir perceber a lógica da coisa. É que nem é assim nada de tão complicado. É apenas lógica, mais nada. Até os outros estagiários anteriores com muito menos experiência e estudos tinham apanhado a ideia mais rapidamente que ele.

 

Isto tudo só demonstra que esta coisa de se ter MBAs sinceramente não quer dizer muito.

 

Bem, mas estagiários à parte, esta sexta-feira é um dia entusiasmante para mim, e isto porque a minha festa de anos vai ser já amanhã!

O aniversário mesmo vai ser só na próxima quarta, mas este ano não podia fazer a festa em mais nenhum fim-de-semana a não ser neste, por isso teve mesmo que ser um pouco antecipada. Para quem já lê este blog à algum tempo sabe que eu gosto muito de festas temáticas, portanto, a minha festa não podia deixar de ter um tema. E este ano o tema vai ser "dress like a Camden Towner". Para quem já conhece Camden Town.

 

Já tenho a minha roupa mas faltam só uns dois acessórios que amanhã ainda irei ter que procurar. Como algumas pessoas que lêm o blog também vêm à festa, para já não posso revelar como é que vou vestida, para manter o efeito surpresa, mas depois eu digo.

Entretanto, para evitar que o dia de amanhã seja muito atarefado com as preparações para a festa, tal como foi no ano passado, já comecei a preparar algumas coisas antecipadamente. Muitas comprinhas já foram feitas, já tenho um salame de chocolate a endurecer no frigorífico e os torcidos de limão a arrefecer na cozinha. Não é muito, mas são coisas que demoram um certo tempo a fazer por isso já ajuda aliviar tempo para amanhã. Yeahya, estou mesmo entusiasmada. A ver como será a festa este ano.

 

 

A primeira house party do ano

Foi já neste fim-de-semana passado que se deu a primeira house party de 2010 a que fui.

Sinceramente as minhas expectativas dessa festa estavam muito em baixo visto que os organizadores criaram o evento para a festa apenas na sexta-feira, ou seja, um dia antes da festa acontecer. Ainda mais a festa era temática para se ir vestido com uma Toga do tempo dos imperadores Romanos o que torna a festa ainda mais difícil de se realizar.

 

Dada a curta antecedência decidi só levar comigo um lençol branco caso efectivamente as pessoas tivessem tido o tempo de arranjar os respectivos vestuários da temática, mas também como estava à espera de que muito poucas pessoas aparecessem, achei que tal não fosse ser necessário. Ora não podia eu ter estado mais enganada! Não só a festa ficou cheia como a larga maioria das pessoas tinham trazido algo para fazer de toga. Aliás, para o final da noite, aqueles que não tinham andado com uma toga no início da noite até se deviam estar a sentir mal por não terem uma que começaram a inventar togas a partir de materiais alternativos, como por exemplo uma toga feita de papel de rolo de cozinha, uma toga feita com a toalha de mesa e uma toga feita com dois panos das mãos de cozinha. Hehe!

O facto é que aqui por Londres o pessoal costuma sempre respeitar a temática das festas e ir vestido pelo menos minimamente com algo que se pareça semelhante com a temática. A grande vantagem que vejo nestas festas temáticas é que parece que as pessoas se divertem sempre mais com a brincadeira de estarem vestidos de uma forma diferente. Não sei bem se será só essa a razão por este tipo de festas costumarem resultar tão bem, mas ao menos ajudam bem a manter a boa disposição o que é sempre o mais importante.

 

Festa em Kensington e o que os estrangeiros pensam de nós

Ontem saí de casa com a intenção de ir apenas tomar uma bebida com duas amigas e dar dois dedos de conversa, mas já se sabe que quando menos se espera novas coisas surgem que nos fazem mudar um pouco os planos.

Estavamos nós num barzinho em Bermondsey Street, perto de London Bridge (para quem não conhece aconselho a passarem por essa rua se procuram um bom bar já que isso é o que não falta por lá) e os nossos planos começaram a potencialmente mudar quando uma delas recebeu uma mensagem dos colegas que estavam em Clapham High Street a perguntar se ela não queria lá ir ter também. Nós ficamos na dúvida se deveriamos ir ou se era melhor ir para casa e mantermo-nos por uma de noite calminha. Neste mesmo momento a minha outra amiga recebe uma mensagem a convidá-la para ir a uma "house party" em High Street Kensington. Humm, house parties de facto, soam sempre bem, e nesse momento começamos a ter mais dúvidas se deviamos ou não ir. Recebo então eu uma mensagem a convidarem-me para ir sair para Brick Lane. OK, isto era sem dúvida o sinal que necessitavamos para nos convencer de que definitivamente teriamos que prolongar a noite por mais um bocado. Optámos então pela festa em casa visto que festas em casa são geralmente melhores que saídas para bares.

A localização do apartamento era óptima a 3 minutos a pé do metro de High Street Kensington (digamos que é uma zona nada má, para quem não conhece) mas estavamos um bocadinho duvidosas do tipo de festa que íamos encontrar já que não sabiamos se seria grande, pequena ou de que género seria. Mas mal nos aproximamos do prédio apercebemo-nos de que pelo menos a festa tinha bom potencial já que a música se ouvia bem à distância. Basicamente apenas a minha amiga (S.) e eu é que conheciamos o rapaz que a convidou e ao lá chegarmos apercebemo-nos que ele próprio não conhecia as pessoas da casa e que tinha sido um outro amigo dele o elo de ligação à festa. Resultado, estavamos numa festa em que não conheciamos os donos e a pessoa que nos convidou para lá também não os conhecia. Típico de festas Londrinas. Mas sem problema porque não demorou muito tempo a travarmos conhecimento com aquele pessoal. 

Uma das pessoas que lá conheci era um Espanhol que, ao saber que eu era Portuguesa, e após alguns minutos de conversa em que já se sentia mais à vontade comigo, decidiu dar-me a sua opinião relativamente às mulheres Portuguesas. Ele estava-me a falar de uma viagem recente que tinha feito a Lisboa, na qual tinha ido numa das noites à discoteca Kapital e diz que ficou espantado com o facto de que as raparigas estavam lá vestidas com vestidos de noite e ténis. Depois disse também que das noites todas ficou com a impressão geral de que nós não gostamos muito de usar maquilhagem nem nos dedicamos muito a vestir para a noite. Pior é que outro que estava perto de nós ouviu o que o Espanhol estava a dizer e meteu-se na conversa a concordar com ele. Disse que também tinha tido essa impressão quando tinha estado em Lisboa mas disse que no Porto as raparigas já se vestiam mais para a noite. 

Claro que eu meti-me logo ali no lado defensivo a dizer que isso não era bem assim e que as Portuguesas são de forma geral bastante femininas. Ficamo-nos por ali na conversa, mas pensando em retrospectiva, de facto nessa coisa dos ténis tenho que dar razão ao Espanhol que só em Lisboa mesmo é que tenho visto algumas raparigas irem sair à noite para discotecas calçadas com um par de ténis. E nem posso comentar muito sobre o assunto porque eu própria fazia o mesmo antes de ter vindo para Londres. Nunca me lembro de ter visto mulheres de outras cidades Europeias em que tenha ido sair à noite, fazerem isso. Nem sei se isso é mau se é bom. O facto é que assim qualquer pessoa pode ir sempre sair de forma mais descontraída sem estar preocupada com o assunto já que ninguém se arranja muito, mas por outro lado, usar ténis e calças de ganga durante o dia e durante a noite também retira um bocado aquela ideia de nos sentirmos diferentes numa saída à noite, o que também pode ser uma boa sensação. Enfim, isso fica sempre ao critério de cada um e com o que cada qual se sente melhor, mas não deixa de ser uma situação que passa uma certa imagem da mulher Portuguesa o que, no caso da opinião destes dois que estavam na festa ontem, não era assim muito boa.

 

Festas à parte, passei hoje pelo Hyde Park e os preparativos para a "Winter Wonderland" estão quase prontos e a postos para abrir as portas ao público no próximo dia 21.

Com um dia solarengo como o que esteve hoje soube mesmo bem passear pelo relvado coberto de folhas secas tão característico desta época do ano. Ficam as fotos:

 

 

 

A minha festa de aniversário de "mau gosto"

Este ano decidi que a minha festa de aniversário seria temática, e o tema escolhido foi o mau gosto! Isso mesmo, foi uma "bad taste party" cujo objectivo é que todas as pessoas venham ou vestidas com roupas que não fiquem bem, não combinem ou que estejam mesmo relacionadas com piadas de mau gosto. Se bem se lembram das notícias à uns anos atrás de quando o Príncipe Harry foi vestido de Nazi para uma festa, o que criou imensa polémica, essa festa era uma "bad taste party".

E assim foi. Criei o evento, convidei os meus amigos, comprei um vestido às bolinhas que juntei com umas meias acima do joelho às riscas de várias cores, coloquei uma maquiagem exagerada e uma quantidade de outros acessórios, e estava pronta para a festa de ontem à noite.

A festa foi em minha casa já que, afinal "house parties" são as minhas favoritas. Cozinhei croquetes de atum, croquetes de carne, pataniscas de bacalhau, salame de chocolate e bolinhos de coco; decorei a casa com papel higiénico colorido de parede em parede (afinal é uma festa de mau gosto pelo que há que decorar a condizer com o tema); enchi a sala de balões (que também acho de mau gosto) e preparei uns chapéus feitos de papel para que as pessoas que não viessem vestidas ao tema (há sempre dessas pessoas) usassem. Nos chapéus de papel escrevi num "I don't do bad taste", noutro "Bad taste is not in my dictionary", noutro "No one told me this was a themed party" e mais outros chapéus com frases semelhantes. Depois foi esperar que os convidados chegassem e não demorou muito tempo até que a casa estivesse cheia de pessoal a cantar e dançar (coitados dos vizinhos). Houve claro quem não viesse vestido ao tema, como eu tinha imaginado (os chapéus foram um sucesso) mas a grande maioria veio vestida a rigor.

Tivemos várias pessoas vestidas à "chunga Britânico", mais conhecido como "chav", outros vestidos com roupas extremamente coloridas, um mafioso, várias saloias, austriacos com os calçõezinhos de pele, e um padre muito pouco cristão, além de muitos outros. E foi mesmo o padre "pouco cristão" que ganhou o prémio da melhor (ou pior) roupa de mau gosto (que foi uma competição que também tinha organizado de forma a incentivar os convidados a ser originais para ganharem o prémio). Acho que em vez de explicar o porquê do padre ter ganho o prémio é melhorem verem por vocês próprios a foto do vencedor no momento em que desembrulhava (estava embrulhado em papel de jornal) o seu prémio:

 

O vencedor da festa de mau gosto

 

Como podem ver, ele utilizou uma piada de muuuuito mau gosto, daí merecer ser o vencedor. Tendo em conta que o prémio também foi de muito mau gosto, ficou adequado ao vencedor.

 

De forma geral a festa foi super divertida e uma óptima forma de ter celebrado mais um aniversário. Cheguei a ter uma grande lista de música Portuguesa na minha playlist (obrigada por todas as dicas que deram), mas no final, os Tugas meus amigos queriam era ouvir pimbalhada e eu só lá tinha no meio da música Portuguesa uma única música pimba que era "A Garagem da vizinha" do Quim Barreiros. Lá foi essa a música Portuguesa que acabamos por dançar (diga-se de passagem, bem adequada à temática da festa). Ficam algumas fotos da festa:

 

Chavs "in da house"

 

Algumas mascaras originais

 

I don't do bad taste