Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Os segredos para encontrar um "housemate" em pouco tempo

Já está! O Austriaco no.2 cá de casa já se mudou para a sua nova casa (um armazém convertido em casa com espaços enormes e decoração retro, algures entre Shoreditch e Hackney) e o Inglês no.2 já se mudou oficialmente cá para casa ontem.

 

Até agora o Inglês no.2 continua a parecer ser uma optima pessoa com quem se viver. Ainda mais trouxe um micro-ondas com ele o que lhe equivalente a "um + na caderneta".

 

Mas com esta história toda de ter andado à procura de uma nova pessoa para viver cá em casa, fiquei com uma noção muito definida de como encontrar a pessoa certa no menor espaço de tempo. Explicando de forma mais concreta, na primeira semana em que andei à procura de pessoas para morar cá em casa, simplesmente coloquei um anúncio no website do Gumtree e isso foi mais do que suficiente para receber imensos telefonemas durante os 3/4 dias seguintes que preencheram as nossas noites sempre com pessoal a ver a casa. Ou seja, basicamente a todas as pessoas que telefonavam para ver a casa eu marcava uma hora com elas e depois ficava a saber mais informação sobre cada pessoa aquando da sua visita. A minha conclusão dessa acção é: pura perda de tempo!! Sim, isto porque, apesar de tudo, o pessoal cá de casa é muito esquisito com o tipo de pessoa com que querem viver. Aliás, de uma forma geral, nós todos queremos +/- o mesmo tipo de pessoa: alguém que seja simpático, que seja uma pessoa que nos agrade para ir sair à noite com ele(a), que seja limpo, arrumado e que esteja também a trabalhar já que não queremos cá estudantes a chegar todos os dias a casa às 3h da manhã a fazer barulho acabados de sair de uma festa. 

 

Mas claro que apercebi-me quando falavamos com cada pessoa que vinha visitar a casa que, ou o Austriaco no.1 não gostava deles por uma certa razão, ou a Irlandesa não gostava deles por outra razão, etc. Ou seja, o que eu decidi fazer na segunda semana, e que sem dúvida aconselho a quem um dia tiver que andar também à procura de uma nova pessoa para morar lá em casa, é fazer um screening logo ao telefone. Ou seja, assim que as pessoas telefonavam perguntava-lhes se não se importassem que eu lhes fizesse umas questões e então fazia todas as questões que sabia que dependentemente da resposta seriam cruciais para o facto dessa pessoa ser aceite cá em casa ou não. E das mais de 10 pessoas que telefonaram no primeiro dia só 2 é que disse para irem ver a casa. Bem, quer dizer, às outras pessoas não era capaz de dizer para não virem ver a casa, simplesmente marquei a visita à casa para 3 dias a seguir e no dia seguinte mandei uma mensagem a todas essas pessoas a dizer que o quarto já não estava mais disponível. E foi uma das duas pessoas que veiu nesse último dia que é o tal inglês no.2 cá de casa agora. Torna as coisas tão mais simples fazer esse screening! É assim, tudo bem que é complicado julgar uma pessoa pelo telefone, mas as questões que coloquei são tão prácticas, que por mais simpáticas que as pessoas fossem tinham aquele problema que não batia certo com o que o pessoal cá de casa queria. Eu já sabia que não iam ser aceites por isso não valia a pena perder o tempo deles e o nosso a mostrar-lhes a casa. Bem, com a experiência se aprende e assim já sei que para a próxima volto a fazer a mini entrevista telefonica em vez de marcar todas as pessoas para virem ver a casa. E aconselho quem quer que seja a fazer o mesmo.

 

Quanto a outras coisas, hoje com a ajuda da Sónia do blog Cromossoma X, consegui comprar uma saia e top que ficam muito bem para levar à minha festa de natal da empresa :-) Com a ajuda a coisa tornou-se muito mais fácil! Obrigada Sónia!

 

Ah, e não sei se já ouviram falar no Star Tracking: http://www.startracking.org/blog/?home=yes Basicamente é um encontro de Portugueses profissionais em Londres basicamente com o objectivo de haver networking entre os convidados. Mais alguém vai a este Star Tracking no dia 10 de Dezembro em Londres?