Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Northern Soul em Londres

Ontem fui celebrar o aniversário de uma amiga numa noite de Northern Soul. Para quem não sabe, Northern Soul é um movimento criado nos anos 60 no Norte de Inglaterra dedicado a um tipo de música Soul/Motown. Os artistas Northern Soul são geralmente Americanos, que eram relativamente desconhecidos até que este grupo de pessoas do Norte de Inglaterra, começou a ouvir os seus albuns e tocá-los nas noites que ficaram conhecidas como 'Northern Soul'. O ambiente de uma noite de Northern Soul é muito positivo, simpático e com grande energia também. 

 

Para quem estiver interessado em ir a noites de Northern Soul, deixo aqui algumas ideias:

Soulnites - Organizam eventos por toda a cidade de Londres.

The list - Este site indica um grande variedade de noites de Northern Soul espalhadas por toda a cidade e arredores.

The Phoenix - Foi aqui onde fui ontem. celebrar o aniversário. As noites de Northen Soul são regulares mas convém verificar o calendário de eventos antes de irem lá ter.

 

Se conhecerem outros bons locais para uma noite de Northern Soul em Londres por favor indiquem nos comentários.

Uma noite no Playboy Club

Achei interessante quando vi que o local escolhido pela minha amiga para fazer a festa de aniversário dela era o Playboy Club. Eu nem sabia que a Playboy tinha um club em Londres. Mas tem. Fica localizado em Mayfair e, como não podia deixar de ser, é pomposo e caro. Felizmente a minha amiga conseguiu colocar-nos numa guestlist de entrada gratuita mas geralmente é "members club only" segundo as regras da casa. Por curiosidade fui agora ver qual o custo do cartão de membro, e não está indicado no site (é porque provavelmente é algo que não é qualquer um que pode pagar). E existem 2 tipos de membros - os membros de assinatura anual e os membros perpétuos, ou seja, com cartão de membro para o resto da vida (deve haver pessoal com muita certeza de que não se vai cansar do Playboy Club, se é que efectivamente alguma vez alguém tira uma membership perpétua).

 

O que  é que há lá dentro que faz certas pessoas pagarem balúrdios para serem membros? Bem, a meu ver nada assim de tão especial, mas não deixa de ser uma experiência interessante,... ir lá uma vez. Há a parte de espéctaculo que contou com uma banda de jazz, uma cantora estilo "Marylin Monroe", várias performances de dança (nada de striptease, se é o que estão a pensar) e show de um mágico. Depois do espectáculo, o DJ coloca música e a zona transforma-se em discoteca até às 3h da manhã.

 

Algo que me surpreendeu é que a mairia das pessoas que lá estavam eram mulheres. Algumas notava-se que vinham com os maridos, outras vinham em grupos. Mas numa das mesas estava só um homem com um chapéu de aba grande, rodeado por 3 meninas bonitas, uma delas uma coelhinha. Tenho quase a certeza que ele era um rapper Americano. Reconheci-lhe a cara mas não o consigo associar ao nome. Notava-se que ele gostava de dar nas vistas, já que o facto de decidir usar um chapéu daqueles ali dentro era sem dúvida um sinal disso.  

 

A certa altura fui lá a cima à zona do Casino para ver como era. Aparte da zona das máquinas do Casino do Estoril, ainda nunca tinha estado numa zona de Casino à séria. Localizadas lado a lado estavam várias mesas de roulettes com cerca de 5-10 pessoas em volta de cada uma delas. A maioria a apostar e outros poucos a ver. Do lado oposto o jogo envolvia cartas (talvez Poker, mas não tenho certeza). A orientar cada uma das zonas de jogo estava uma Coelhinha da Playboy. Todas elas com imensa perícia de baralhar as cartas ou empilhar as fichas, tal como se vê nos filmes de Las Vegas. Era impressionante o valor de algumas das apostas que aquelas pessoas colocavam. Mal quiz acreditar quando ouvi um homem pedir à coelhinha em fichas - "£3,000, por favor."

 

Dançarinas no playboy club

 

Dançarina no Playboy Club

Coelhinhas da Playboy

Uma noite em Dalston

Ontem a ideia era ir a uma nova noite com uns DJs específicos num bar/discoteca em Dalston de nome Hysteria. Chegámos lá pelas 22:30h e, ao contrário do que é normal nos bares/discotecas Londrinos, este estava quase vazio a essa hora. Gosto do Hysteria porque tem espaço para dançar e bom ambiente de forma geral. Está decorado de uma forma um bocado bohémia e costuma também estar aberto a partir da tarde para café ou pizzas. De facto das vezes que lá tinha passado a noite cheguei mais tarde e o bar já estava cheio. Por isso apercebi-me desta vez que é mesmo um local onde se sair mais tarde. 

 

Decidimos não ficar à espera que aquilo anima-se e fomos antes andar pela Kingsland Road acima na procura de um melhor sítio. A próxima paragem foi o The Nest. Tinha já fila à porta e parecia estar animado lá dentro. Custava £5 para entrar, e a partir das 23h iria passar a custar £7, portanto o ideal seria entrar naquele momento. Perguntámos à promotora qual era o género de música que lá ía passar. Estava a tocar um banda de Indie Rock naquele momento e após a banda a música ía ser electrónica e house. Uma das minhas amigas não gostou nada da ideia já que ela não é nada fã de música electrónica, então lá saímos da fila e continuámos em busca do local onde passar o nosso sábado à noite. 

 

A próxima paragem foi no Moustache Bar, umas portas mais à frente. Era gratuito para entrar mas ao chegarmos lá dentro vimos que estavam lá 5 míudos de 18 anos. Sim, 5! Claro que ainda não ía ser ali que íamos passar a noite também. Continuámos a andar e chegámos ao Ruby's. O Ruby's é um cocktail bar, mas como tinha umas 8 pessoas na fila para entrar achámos que talvez valesse a pena esperar. 5 minutos passaram e algumas pessoas começaram a sair da fila. Perguntei ao segurança porque é que a fila estava assim tão parada. Ele disse que o bar estava mesmo cheio e que no momento estavam só a deixar entrar quando alguém saísse. Ao fim de 10 minutos (ou menos, mas pareceu-me ser prái 10) comecei-me a chatear com a coisa. O casal que estava à frente na fila quando nós chegámos ainda ali estava à espera. Perguntei-lhes se valia assim tanta a pena a espera e eles disseram que sim já que o bar é mesmo muito agradável, mas é pequenino. OK, até pode ser bom, mas de qualquer forma se é assim tao pequeno não ía dar para dançar e nós estavamos com aquela vontade de dançar. 

 

Fomos então para o Birthdays que estava cheio no andar de cima mas vazio no andar de baixo onde fica a pista. Até às 23:30h a entrada era gratuita por isso aproveitámos e ficámos logo por ali. O ambiente era OK, mas tinha muito pessoal nos seus inícios dos 20 anos, por isso também não era ideal como nós já estamos no final da nossa década dos 20 e é sempre preferível estar num local com pessoal mais próximo da nossa idade. De qualquer forma o Birthdays tem várias vantagens noutras alturas visto que costuma ter boas bandas, maioritariamente durante a semana e agora têm um novo restaurante pop-up que é especializado em hamburgueres gourmet, organizado pelos donos do restaurante White Rabbit que é excelente!

 

O Birthdays, no entanto, não era o local ideal ontem à noite por isso passado cerca de 15minutos lá dentro achámos que valia a pena voltar ao Hysteria para ver se já estava mais cheio. Estava, mas não muito. Ainda faltavam muitas pessoas chegar para aquele sítio ficar cheio por isso também decidimos que não valia a pena lá ficar. 

 

Sugeri irmos ao Ridley Road Market Bar do qual gosto muito e que é um bar que geralmente começa a ficar cheio bem mais cedo. Também tem uma boa pista, cocktails excelentes e uma decoração meia tropical que é agradável. Também gosto muito do ambiente que geralmente se sente lá dentro por isso achei que seria uma óptima alternativa. Ao chegarmos tinhamos cerca de 15 pessoas à nossa frente na fila. Também já estava cheio e era a situaçao do saí um, entra um. Também não ficámos. 

 

Já nao estava a achar piada nenhuma à coisa. Passámos pelo Dalston Jazz Bar. Estavam a cobrar entrada e naquela fase já não estavamos com paciencia de pagar para entrar em lado nenhum. Então optámos antes ir para o bar do Vortex que geralmente é gratuito. Entrámos e ficámos. Finalmente! O bar estava com música óptima, o ambiente era simpático. Perfeito para o nosso sábado à noite. Ao começarmos a conhecer pessoas lá dentro perguntaram-me como é que eu conhecia o aniversariante. Informei-o que eu não sabia de aniversariante nenhum e que não fazia parte dessa festa - ao que parece a grande maioria de pessoas que lá estavam eram da festa. 

 

Foi divertido e tivemos aquela sensação de querer mais quando eventualmente o bar fechou. Nesse momento, o tal aniversariante mete-se em cima duma cadeira e convida o bar inteiro para uma after party em casa dele. Claro que acabámos por ir também. Foi literalmente o bar inteiro (OK, talvez não o bar inteiro, mas a larga maioria das pessoas). Melhor ainda é que ele mora num apartamente espectacular junto ao Regents Canal por isso foi bem bom ter acabado a noite numa festa ali. 

 

A noite de ontem estava destinada para ser um falhanço, mas no final tornou-se uma grande noite - pessoas muito simpáticas, música boa, a vista daquele apartamento, perfeito. Por vezes estas noites assim não planeadas tornam-se das melhores. Só é pena não surgirem destas mais vezes. 

 

Em resumo quanto 'a noite de Dalston, sem dúvida que nao faltam bares e discotecas onde ir, mas há que saber onde ir dependendo das horas da noite e do género de música pretendido.

  • Hysteria, The Nest, Alibi, The Nest, Moustache Bar sao todos locais onde ir mais para o fim da noite, a partir das 24h (e a maioria está aberto até 'as 3h). O tipo de música passada é maioritariamente electrónica mas depende das noites.
  • Efe Snooker Club é mesmo um clube de snooker com cerca de 20 ou mais mesas de snooker lá dentro. A decoracao parece saída de uma lenda de Deuses Gregos mas apesar de soar que tem tudo de errado, o Efe até que é um local onde se pode passar uma noite bem divertida. Mas é preciso estar com o espírito para a coisa - música Pop dos charts com alguns Britney Spears misturados, decoracao "cheesy" e muita gente. É preciso experimentar para perceber.
  • Dalston Superstore, Birthdays, Ridley Road Market Bar, Vortex Bar sao bons para comecar com comida ou uma bebida calma mais cedo e depois transforman-se em discoteca mais tarde. Dalston e Birthdays tem música mais electrnica. Ridley Road é mais variado e podem apanhar música Brasileira, Africana, old style 80's pop, e outros estilos. Vortex também é mais variado e depende dos DJs.
  • Shacklewell Arms é um pub muito giro, com bom ambiente que geralmente conta com várias bandas vários dias por semana desde Indie a Metal Rock.

Nada como experimentar e escolherem o vosso favorito.

 

Fim de ano em Londres

Para todos aqueles que vão ter a oportunidade de passar a passagem de ano em Londres mas ainda não sabem bem como passar a noite por lá, ficam aqui algumas opções dependendo daquilo que preferirem fazer. O que quer que decidam, aconselha-se a viajarem para o vosso destino com antecedência para evitarem zonas congestionadas nas ruas e metros a abarrotar. Todos os transportes públicos em Londres incluíndo o metro são gratuitos e estão abertos desde as 23:45h de dia 31 às 4:30h de dia 1. Depois voltam ao seu percurso e preço habitual por volta das 5h de dia 1. Para mais informações sobre os transportes ver a brochura informativa da TFL. Aconselho também a comprarem o quanto antes bilhetes para a vossa festa de escolha, caso optem por uma que necessite de compra de bilhetes, para evitarem filas e desilusões de ter bilhetes esgotados na própria noite.

 

Fogos de artifício junto ao Big Ben Oquê? Cerca de 250,000 outras pessoas têm a mesma ideia de ir ver os fogos de artifício do Big Ben todos os anos, portanto se querem lá estar é aconselhado entrarem na zona da Southbank/ Waterloo até às 22:30h no máximo. Depois dessa hora, geralmente é atingida a capacidade da zona e esta é fechada até depois da meia-noite. Para quem não conseguir entrar na zona pode ainda ver os fogos através de um ecrã gigante colocado em Trafalgar Square ou se se afastarem do London Eye e forem mais para o lado da Tate Modern talvez consigam estar com menos multidão à volta, apesar dos fogos também estarem um pouco mais distantes. Quanto? Fogos de artifício são públicos e gratuitos Estação?Waterloo


Ver os fogos enquanto jantam e/ou dançam Oquê? Para quem não quer estar no meio da multidão ao ar-livre, pode pagar para estar comfortavelmente num jantar ou festa num local onde se vejam os fogos de artifício. Entre as opções encontram-se:

  • Founders Arms e o Dogget's Coat and Badge são ambos pubs localizados na Southbank, o primeiro oposto à Tate Modern e o segundo junto à ponte de Blackfriars onde podem ver os fogos de artifício comfortavelmente com vista directa para o rio. O preço para entrar em qualquer um destes pubs é muito provavelmente gratuito. 
  • Oxo Tower, tem um ambiente exclusivo e a música da festa vai ser jazz dos anos 20. O menú é gourmet e a vista, apesar de não ser tão abrangente quanto o SkyBar também é muito boa para a zona norte do rio, St. paul's Cathedral e, claro está, os fogos de artifício. Pacotes disponíveis a partir dos £125.
  • London Sky Bar, localizado no Altitude, no topo da Millbank Tower, o Sky Bar oferece um pacote completo de bebidas incluíndo champagne, jantar, DJ e pequeno-almoço de dia 1 desde as 16h de dia 31 às 6h de dia 1 de Janeiro. Custa £145 comprado adiantado até dia 28 ou £185 depois dessa data. 

Festas em discotecas Oquê? Existe uma variedade enorme de discotecas em Londres com música para todos os gostos. Abaixo indico uma combinação de algumas opções baseada nos diferentes tipos de música:
  • Bass/Electronica/Techno: Beat Dimension NYE num armazém em local secreto a indicar apenas aos que comprarem bilhete. Bilhetes a £20. Faster NYE na discoteca Cable em Bermondsey, promete ter a entrada de ano com os sons mais fortes de Drum&Bass. Bilhetes em avanço a £25. Dollop NYE com o DJ Julio Bashmore a realizar-se no bonito edifício art-deco Troxy em Limehouse. Bilhetes a £40. UKF Bass Culture conta com os DJ headliners Chase & Status e DJ Fresh, mas muitos outros vão estar presentes nesta noite na O2 Academy Brixton. Bilhetes disponíveis a £67.50.  
  • House/Disco: Loft Studios NYE apresenta Guy William's underground disco paradise 45. Localizado em Kensal Green, este é ideal para quem vive mais para Oeste da cidade. Bilhetes a £20. Simian Mobile Disco NYE vai ser no reconhecido bar onde algumas das melhores bandas tocam ao longo do ano, XOYO em Old Street. Bilhetes a £20. Slide and Get Diverted NYE na Brixton Clubhouse. Para além dos famosos beats de Greg Wilson, vai ainda contar com uma Silent Disco a partir da meia-noite no terraço aquecido desta discoteca. Bilhetes disponíveis na noite a £25.
  • Indie/Pop: Propaganda NYE carnival Spectacular no O2 Empire de Sheperd's Bush conta com música de bandas Indie pop, bebidas a preços razoáveis, acrobatas, malabaristas, decoração carnavalesca e a entrada incluí entradas gratuitas para outras festas propaganda durante o mês de Janeiro. Bilhetes a partir de £10. Koko NYE Ball conta com uma banda indie pop seguido de música animada que irá contar com os habituais clássicos Pop. Bilhetes a £15.

Festas temáticas/de máscaras Oquê? existe uma variedade de festas temáticas para celebração do ano novo. Desde as mais dedicadas à palhaçada até às mais formais. Fica aqui também uma pequena selecção do que podem encontrar:
  • Popstarz - Cowboy/girl themed: Com duas salas, uma com música mais Pop desde os anos 60 e o segundo com música indie e Country. A grande temática vai ser "country" e, como tal, todos devem estar vestidos como se estivessem saídos de um filme Western. A festa é em Islington e os bilhetes custam £10. 
  • Twisted Circus: Pensem em circo, comedores de fogo, shows burlescos e bandas ao vivo, e é isso o que vos vai trazer o Proud Camden. Bilhetes a partir de £19 antes da meia-noite e £5 a partir da 1h. 
  • Beauty and the Geek in 1985: Uma noite temática aos anos 80, que vai contar com os clássicos da década. vestuário apropriado ao tema é imprescindívil. Esta festa realisa-se nos 4 Adventure Bar que existem em Londres, em Convent Garden, Clapham Junction, Clapham high Street e East Dulwich. Bilhetes a partir de £20.
  • Secret Agents Ball NYE: Vistam-se como o James Bond para dar a entrada ao novo ano no "The Driver" em King's Cross. Bilhetes custam £25 sem jantar ou £40 com jantar.
  • Festas vintage: Existem várias à escolha incluíndo a Blitz Party onde fui no mês passado e sobre a qual já falei aqui no blog. Irá realizar-se em Shoreditch e os bilhetes custam £40. A Vintage New Year's Eve party no Southbank Centre que pode contar com jantar tem bilhetes à venda a partir das £100.

Noite de comédia Oquê? Para quem não se interessa pelas festas de discotecas e prefere um ambiente alternativo em plena diversão pode optar por ir a uma noite de comédia para celebrar o novo ano. Ficam algumas opções:

  • Angel Comedy localizado no Camden Head pub apresenta novos talentos da comédia na noite de Ano Novo. E o que é melhor? É gratuito!
  • Amused Moose no Soho conta com um line-up de 4 comediantes reconhecidos. Bilhetes custam entre £22.50 e £35.
  • Comedy Carnival no Clapham Grand conta com um dos melhores line-ups de comediantes, segundo a Time Out, que irão actuar das 19h até às 22h e a partir daí a pista abre com DJs a tocar alguns dos melhores clássicos das noites de discoteca até às 4h. Bilhetes a £25.


Festas de ano novo gratuitas Oquê? Sim, é verdade, ainda há alguns sítios onde não se cobra entrada para a festa. Infelizmente não é o caso da maioria, mas ficam aqui algumas sugestões:

  • Black and Gold NYE party: O tema é o preto e o dourado, a música contém os clássicos de festa e, para além da entrada ser gratuita, quem escolher este pub localizado em frente ao Battersea Park para celebrar o novo ano, terá direito a um copo de punch e uma sandes de bacon pelas 00:30h gratuitamente. A festa terá lugar no pub Prince Albert.
  • Casino Empire NYE: Este famoso Casino de Leicester Square terá entrada gratuita e um copo de espumante à entrada oferecido para todos aqueles que optarem pelo Empire para passarem ali a sua passagem de ano. O Empire, para além dos habituais jogos e máquinas, vai ter entretenimento especial durante toda a noite e a sua discoteca estará aberta até às 3h. 
  • Camino NYE Special: Localizado em King's Cross, este reconhecido bar de tapas Espanhol, tem um grande espaço incluíndo um pátio interior agradável, e desta vez irá dar o que prometem ser uma festa de arromba ao som de vários DJs e tipos de música. O que é melhor é que tudo isso é gratuito.
  • NYE @ Mother Bar: O Mother Bar em Shoreditch oferece uma noite de festa gratuita. No entanto, devido à capacidade limitada, os interessados devem ir ao Mother Bar pedir bilhetes para poderem entrar nessa noite. Bilhetes disponíveis já das 20-22h todos os dias até ao dia 31 (se ainda existirem alguns bilhetes no dia, ainda poderão ter sorte de encontrar lugar se chegarem cedo).

Boa escolha para a vossa festa da passagem de ano e um feliz 2013!

Sin City

Nas vossas idas a Camden Town, já alguma vez se perguntaram se realmente os comerciantes locais conseguem fazer negócio só a vender vestuário gótico e metal, tipo o que se vende nas lojas em baixo?

 

Lojas de Camden Town
É um facto que existe muito pessoal que se veste assim normalmente pela zona de Camden Town, mas será o número de pessoas o suficiente parra dar negócio a tantas lojas que só vendem aquela género de roupa? Muita da roupa até é mais para uso nocturno. Lembro-me que quando ainda não conhecia bem Londres tentava imaginar como seria as ocasiões, sejam elas festas ou outras ocasiões, para usarem aquele género de roupa. Passado algum tempo descobri que as tais ocasiões nem precisam ser assim nada de especial. Basta ir a uma qualquer noite de música gótica ou metal, e toda a gente lá dentro se veste apropriadamente para a ocasião. E essas são as suas sextas e sábados à noite normais. Nada de festas especiais, como eu pensava ao início que fossem. 

Esta sexta fui pela primeira vez a uma dessas noites. Foi uma noite de metal onde há também uma segunda pista com rock mais clássico. Chama-se Sin City e acontece todas as sextas-feiras no Electric Ballrooms em Camden High Street. A noite por lá começa tarde. Quando cheguei pelas 23h ainda estava pouca gente, mas uma hora depois as duas pistas já estavam compostas com gente o suficiente para dar a sensação de discoteca, mas com espaço o suficiente para dançar. Quase todos estavam vestidos a rigor. O preto era definitivamente a côr que perdurava e, os estilos variavam para os homens entre roupa de cabedal/latex preto e cabelos muito compridos e entre aqueles mais na onda relaxada da -shirt e jeans pretos. Já as mulheres, na sua maioria optavam pelos vestidos pretos sexy tipo aqueles das lojas em cima, com colants pretas routas, pulseiras a meio do braço e maquiagem também preta bastante carregada. 

Foi uma noite interessante e, apesar de não ser fã de metal nem costumar ouvir, acabei por dançar a noite toda e sem dúvida que gostei da experiência.

Definitivamente não será uma coisa regular, mas é interessante ir a uma noite daquelas. O pessoal que lá estava, ou pelo menos aqueles com quem falei, era bastante simpático e todos dançavam super à vontade uns com os outros, sem haver aquela coisa de se estar só nos grupinhos dos amigos. Uma boa ideia que eles fazem por lá, é que existe uma folha e caneta, junto à mesa do DJ, onde se pode ir escrever músicas que se queira ouvir. Não só metal, porque até havia alguma variedade nas músicas entre metal e outros tipos de rock. Eu pedi Linkin Park, mas eles não a tocaram. Acho que Linkin Park não deve ser hard core o suficiente para eles. Fica o link do Sin City para os interessados e uma foto da noite:

Sin City

London Fashion Week

Ontem tive uma daquelas noite super aleatórias como só me acontece em Londres. De manhã estava a pensar que ía acabar o dia na festa de inauguração da discoteca Electric em Brixton (abriu a noite passada no mesmo local onde costumava ser a famosa discoteca Fridge que fechou em Março do ano passado). No entanto, as coisas deram um pouco a volta. Uma amiga minha tinha um bilhete extra para o London Fashion Week e fui com ela. O evento estava a decorrer na Somerset House e baseava-se na exposição de vários designers Britânicos que tinham as peças das suas colecções à venda. Fiquei toda contente quando comecei a ver que alguns estavam com 70% de desconto, mas depois quando olhei para o preço de um dos vestidos a £849 apercebi-me logo de que o facto de estar com 70% de desconto não faz a mínima diferença no facto da roupa continuar a ser extremamente cara. Para além da exposição de roupa havia sessões de cabeleireiro, passareles (mas não cheguei a ver nenhum show), acessórios de moda, maquiagem, massagens, etc.

 

Como o evento terminava pelas 19h, pensei que talvez fosse uma boa seguir de lá para o Hotananny em Brixton (um dos melhores pubs de Londres, na minha opinião) e depois seguir para o Electric. No entanto, a noite não se desenvolveu dessa forma. A minha amiga conhecia alguém que tinha estado a trabalhar lá com quem estivemos na conversa e, conversa puxa conversa, acabámos a noite na after party da London Fashion Week na penthouse do May Fair hotel. 

 

Não foi tão glamoroso quanto soa mas não deixou de ser uma noite interessante. É engraçado a forma como as coisas se desenrolam por vezes. Adoro estas coisas inesperadas Londrinas. 

Rock it @ Roller Disco

E ontem foi noite de Roller Disco.

 

O aniversário de uma amiga levou-nos à Roller Disco de Vauxhall - Renaissance Rooms Ainda só tinha ido uma vez ao Canvas em Kings Cross que, entretanto fechou. Dessa vez tinha gostado, mas não tanto como na noite de ontem. O facto é que andar a dançar de patins torna-se cansativo ao fim de algum tempo de andar ali às voltas, mas se o ambiente estiver virado para a galhofa, então não há melhor para uma noite bem divertida.

 

Cerca de 60% das pessoas que lá estavam estavam vestidas à anos 80, cheios de cores, óculos à maneira e cabelo empinado com gel. Para os rapazes que vão bem vestidos à 80´s então, é um sucesso total, porque grupos de miúdas querem sempre tirar fotos com eles. Ficam todos contentes quando se vêm rodeados de "fãns".Eu? Coloquei os meus leggings cor de rosa choque, um top com um dos ombros destapados à 80´s style, igualmente cor de rosa choque, calções pretos e cabelo apanhado para o lado. Hehe! Não me apetecia estar a comprar nada para a ocasião, mas juntando uma peça e outra lá encontrei o vestuário perfeito para a noitada.

 

Os bilhetes custam £12 que já inclui o aluguer dos patins para toda a noite. Convém é comprar com antecedência visto que aquele tipo de discoteca é popular já que não há muitas. Neste momento, como a de kings Cross já fechou, esta é a única que conheço em Londres.

 

Uma vez lá dentro existem duas pistas, uma mais pequena (mas mesmo assim grande o suficiente) onde passava principalmente música do estilo anos 80 e alguma música mais actual, e uma segunda pista maior onde a música era mais estilo disco e house.

 

Diga-se de passagem que há lá muito pessoal que devem ser clientes frequentes que, efectivamente sabiam dançar muito bem com os patins. Mas isso não se aplica a todos que, tal como eu, sabiam pouco mais do que andar ali às voltas. Ainda me andei a entreter a tentar aprender a andar de patins na retaguarda, mas diga-se de passagem que, parece muito mais fácil ver fazer do que realmente é.

 

Talvez não seja o local ideal para ir sair à noite frequentemente, mas sem dúvida que de vez em quando é be divertido. Keep on grooving...

 

Roller disco night

O Roof Gardens e o adeus aos pop-ups

Já tinha ouvido falar muito no Roof Gardens mas ainda nunca lá tinha estado. Basicamente é um bar/discoteca localizado junto a High Street Kensington no topo de um edifício. Sendo um clube "exclusivo", só entra quem está na guestlist ou tiver convites para festas, e mesmo na guestlist geralmente a entrada é cara a rondar as £20. Diziam-me que era muito giro e bem decorado mas um bocado fino. Ou seja, tudo boas razões para ainda nunca ter lá ido já que costumo preferir lugares mais descontraidos.

Desta vez, no entanto, vou a uma exibição durante o dia relacionada com Marketing Online, e vai que uma das empresas que está a patrocinar o show vai ter a sua festa de lançamento nessa noite no Roof Gardens e estavam a dar convites para os visitantes ao evento. Bem, festa de lançamento da empresa no Roof Gardens... Não podia dizer que não. Ainda mais tinha outra amiga/colega da concorrência que também ía, logo mais outra boa razão para ir. 

Tenho que confessar que de facto o Roof Gardens está mesmo muito bem decorado, com uma área exterior enorme em que as paredes estão pintadas como se estivessemos rodeados de casas da zona do Mediterrâneo. Com muitas plantinhas, árvores, zonas para sentar e recantos na parte de fora e com uma zona de bar com sofás muito confortáveis e uma pequena pista de dança na parte de dentro, o Roof Gardens consegue manter vários detalhes que o tornam tão falado.

Quanto aos preços? Bem isso não sei exactamente porque como era a festa duma empresa, bebi e comi sem pagar nada, mas com certeza que, numa noite normal, as bebidas, mesmo que seja uma limonada, não devem sair nada baratas. Imagino que um refrigerante ronde as £4 tendo em conta os preços de locais semelhantes onde já fui.

Ficam duas fotos do exterior para terem um pouco a ideia do local, caso fiquem com curiosidade ou interesse de ir lá algum dia, para os que ainda nunca foram:

 

 

 

Ah e hoje fiquei muito contente porque FINALMENTE consegui livrar-me da porcaria dos pop-ups que andavam aqui nos últimos meses a impestar o Tuga em Londres! Algumas das pessoas que tinham deixado aqui um comentário sobre o assunto tinham razão. Os pop-ups estavam aqui mesmo devido a um dos websites de contagem das estatísticas do blog - o Motigo. Depois de ler ao pormenor as "letras pequenas" verifiquei que de facto indicavam que poderiam fazer com que os usuários ficassem com pop-ups no site, e foi esse o caso aqui do Tuga em Londres.

Devo dizer que me custou um bocadinho retirar estas estatísticas do site porque já estava a utilizar o Motigo desde o início do blog em meados de 2007, por isso acabei por perder informação que não vai poder ser retomada. Fiquei mesmo com pena, mas os pop-ups irritavam-me muito mais do que a minha vontade de ficar com as estatísticas antigas por isso, estão fora. E bem-vindo novamente ao Tuga em Londres ao seu ar limpo e livre de anúncios terceiros

 

Preciso doutro fim-de-semana prolongado para recuperar deste

Ora e com o dia de hoje acabam os 4 dias de mini-férias da Páscoa que souberam tão bem, fora da rotina habitual. Como tinha dito no post anterior tive visitas cá neste fim-de-semana - um amigo dos meus tempos do secundário, que era o meu colega de carteira das aulas de Inglês, com o qual trocava papelinhos quando não apetecia ter atenção na aula e com quem estava sempre em competição pelas melhores notas a Inglês, mas com quem sempre me dei muito bem, e um ex-colega de faculdade dele que ainda só conhecia de vista.

Era suposto terem chegado à estação de metro mais próxima de minha casa por volta das 22h, e eu estava num pub com amigos à espera que chegassem, mas afinal tiveram voo atrasado e acabei por ir para casa antes que eles chegassem, mas mal estava a agarrar nas chaves para abrir a porta de casa, mandaram-me mensagem a dizer que já estavam a chegar. Ora bolas, lá tive que voltar logo a correr para a estação para os ir buscar. Chegaram cheios de fome, e logo depararam com a dura verdade que dificilmente encontram algum sítio a servir comida às 23:30h onde se possam sentar, a não ser o McDonald's, claro, que acabou mesmo por ter que ser o local escolhido para terem a sua primeira refeição em Londres.

 

 

Na sexta-feira leveio-os fazer o passeio típico do centro de Londres para que vissem todos os monumentos essenciais em qualquer visita a Londres que foi, portanto, um passeio idêntico ao do dia 2 que já descrevi aqui quando tive cá amigas de visita. As únicas diferenças entre o passeio delas e o deles é que desta vez paramos para almoçar mais cedo em St. Christopher's Place que é uma ruela onde existe uma grande variedade de restaurantes, pubs e cafés quase oposta à entrada da estação de metro de Bond Street, que se entra a partir de uma rua mínima mesmo ao lado esquerdo da loja da H&M. Sem dúvida um bom local onde outros visitantes de Londres podem ir almoçar ou jantar. Uma outra diferença no passeio deles é que em vez de visitarmos a National Gallery fomos antes para o British Museum, mas infelizmente não tivemos oportunidade para ver mais que umas 3-4 salas visto que fecharam as portas às 17:30h. Saídos do British Museum continuamos a caminhar na direcção do Soho onde eles ficaram a ter uma ideia geral sobre o ambiente mais artista, gay e alternativo tão característico do Soho e onde, inclusívie descobrimos uma loja que achei um espectáculo e na qual ainda nunca tinha estado - Vintage Magazine Shop. Muito boa a loja e fiquei com imensa pena de não a ter descoberto antes já que me teria feito imenso jeito quando andava à procura de posters para a sala. Com o Soho visitado apanhamos então o metro na direcção de Old Street onde fomos jantar ao Hoxton Bar & Kitchen de que gosto bastante e seguimos depois para o Cargo. O Cargo não só é um óptimo bar com uma grande zona exterior, zona de sofás no interior, zona onde servem comida e zona de pista de dança, mas também é um dos locais mais conhecidos para se irem ver bandas ao vivo a tocar. Nessa noite estava lá um artista de beat boxing muito bom que actuou em conjunção com outros artistas que usaram também vídeo num ecrã gigante, DJ, houve uma parte da noite que teve Drum&Bass que geralmente não é um estilo de música de que goste muito mas que nessa noite adorei, e havia uma interacção com o público excelente. Estava mesmo ao rubro, e sem dúvida foi uma noite muito boa. Considero o Cargo um local altamente aconselhado para quem procura locais onde sair à noite em Londres que sejam um pouco mais alternativos, fora do género de música mais comercial e com ambiente muito "London".

 

No sábado fizemos o percurso a que também tinha levado as minhas amigas no dia 3, com a diferença que após o nosso passeio em Regents Park seguimos para casa já que estes meninos demoraram-se mais nas compras em Camden Town do que essas minhas amigas, e ao sairmos de Regents Park já eram quase 18h e eu ainda tinha o jantar para preparar para nós e para mais uma amiga nessa noite. Depois do jantar e de nos encontrarmos com mais outros amigos seguimos para o Ministry of Sound. Tenho que ser sincera que, quando eles me tinham enviado um e-mail antes da viagem a dizer que queriam ir ao Ministry of Sound ouvir David Guetta, não fiquei lá muito impressionada com a ideia já que, afinal, o Ministry é uma discoteca "à séria" daquelas com uma dose forte de house music com o nível de décibeis muito acentuado e onde quem lá está ou são adolescentes cheios de energia ou é pessoal pastilhado para conseguir aguentar com o ritmo da coisa. Como não me enquadro em nenhum dos perfis não tinha bem a certeza se ía gostar. Mas nesse mesmo dia em que eles tinham mostrado interesse em ir ao Ministry of Sound recebo uma mensagem de uma amiga a dizer que "temos que ir ao Ministry no sábado porque vai lá estar o David Guetta e vai ser brutal". Foi nesta altura que me dei por convencida. Eu nunca tinha ouvido falar no David Guetta, mas duas pessoas totalmente diferentes a insistirem no assunto não podiam estar erradas. Aparentemente ele é um famoso DJ Francês. Então lá fomos. A música foi melhor do que estava à espera e de forma geral gostei da noite e da experiência. Apesar de house music não ser o que prefiro para ouvir a noite toda, talvez por já estar mentalizada de que esse ía ser o som da noite aguentei-me muito bem, principalmente porque uma vez que estavamos no meio da multidão não havia mesmo grande hipótese de sair dali porque se saísse dificilmente ía voltar a conseguir encontrar os meus amigos, por isso achei melhor ficar onde estava mesmo. E de tal forma fiquei que comecei a dançar por volta da 1:30h e só às 4:30h é que cheguei à conclusão de que os meus pés não aguentavam muito mais e decidi fazer uma pausa.

 

No domigo levei-os então a fazer o passeio ao longo da Southbank começando em Waterloo junto ao London Eye e terminando na Tower Bridge: Após atravessar a ponte dirigimo-nos depois para Convent Garden onde jantamos um típico Sunday Roast num pub e seguimos depois para Camden Town onde fomos assistir a bandas "indie" tocar no Bar Fly que também já aqui tinha mencionado em posts anteriores.

 

Hoje, acordei-os de manhãzinha como queriam para ir fazer o seu passeio no London Eye antes de voltarem para Lisboa, mas deixei-os ir sozinhos desta vez que a minha cama ainda chamava por mim e ir ficar numa fila cheia de turistas para ir passear para o London Eye depois dum fim-de-semana destes não é propriamente a minha ideia de diversão.

 

Como tive que aproveitar o feriado de hoje para fazer tudo aquilo que ainda não tinha oportunidade de fazer durante o fim-de-semana tipo limpezas da casa, idas ao supermercado, etc., acabo por ainda estar esausta e a ideia de ter que acordar amanhã às 6:45h para ir para o trabalho não é a mais apelativa neste momento 

 

Fim-de-semana prolongado terminado, devo dizer que gostei bastante apesar do cansaço. Diverti-me imenso com as minhas visitas por cá e relativamente ao blog recebi também duas boas notícias este fim-de-semana com as quais fiquei contente. É que publicaram um excerto deste meu post recente no jornal Público no dia 8 de Abril e também durante a semana passada o "Tuga em Londres" foi o blog destacado pelo programa de rádio Janela Indiscreta da Antena 1