Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Meet the Scene Swing Ball

Ontem fui ao primeiro baile de Swing do ano aqui por Londres. O título da noite foi Meet the Scene ball e era dedicado aos iniciados de dança Swing com o objectivo de dar-lhes a conhecer melhor a cultura de dança Swing em Londres. Estava aberto a todos, não só iniciados da dança, e os bilhetes ficaram esgotados ao atingir o limite de 500 pessoas que cabiam no Shoreditch Town Hall. 

 

Com todos vestidos a rigor, uma banda ao vivo, várias performances de grupos coreografados e muita dança, foram os ingredientes para uma noite diferente, vintage e muito divertida. Quer dizer,... havia um pequeno senão. É que o facto de ser um baile dedicado aos iniciados, significou que haviam lá muitos deles. Como haviam tantas caras diferentes era difícil saber se eram iniciados ou não antes de começar a dançar com eles, ou seja, acabei por dançar os passos básicos uma quantidade de vezes com os diferentes dançarinos. Não era bem aquilo que esperava do baile, mas de facto, o baile foi publicitado com o objectivo de atrair iniciados, por isso é normal que assim tenha sido. Mal posso esperar pelo próximo (que não seja maioritariamente para iniciados).

 

Meet the Scene Ball

 

3 dias para a grande noite

Na segunda-feira fomos ensaiar a coreografia e a coisa não estava muito melhor para o meu lado, com o meu parceiro a continuar a fazer mesmo muitos erros. Para o final ele já estava um pouco melhor, mas mesmo assim nós eramos visivelmente o pior par a dançar a coreografia. Claro que estava um bocado triste para o final da noite, mas nessa mesma noite em casa tive uma óptima ideia para solucionar os meus problemas - eu dançar duas vezes. É que como temos mais raparigas que rapazes, o grupo já ía dançar 2 vezes de qualquer maneira à excepção de um ou dois dos rapazes. No dia seguinte mandei logo um e-mail aos professores a perguntar se tal seria possível, ao que eles responderam que isso se podia arranjar sem qualquer problema e que até já tinham pensado no assunto (porque obviamente toda a gente sabe que o meu parceiro não é bom dançarino nem de perto nem de longe). 

 

Ficou resolvido o meu problema e a minha tristeza. Assim, não só estou mais contente por dançar com o Stephane, como não é necessário desistir da performance e decepcioná-lo, como já me tinha passado pela cabeça, e ao menos tenho a oportunidade de numa das vezes realmente tentar dar o meu melhor. 

 

Hoje já treinei com  novo parceiro e a diferença é enorme! E entretanto acho que o Stephane deve ter andado a practicar em casa porque ele próprio também já estava bem melhor e já conseguimos fazer a maioria dos passos sem muitos enganos. 

 

Uff, que alívio!! Agora só espero que as coisas corram bem durante a performance propriamente dita. Ah e entretanto hoje gravei um vídeo dos professores a fazerem a nossa coreografia para poder ir olhando para ela quando estou nos transportes para relembrar os passos.

 

Aqui fica o vídeo. Agora imaginem dançar isto com um parceiro que não sabe dançar...

 

Free 2 Dance

Tal como tinha sugerido no post relativo ao que fazer em Londres em Outubro, eu participei na Silent disco do evento Free to Dance e foi muito giro. A minha escolha foi pelo slot de música dos anos 50 para poder dançar o Swing. Fui sozinha porque nesta coisa do Swing ainda sou relativamente nova e ainda não conheço muitas pessoas. Mas foi sem problema nenhum porque passado pouco tempo de lá ter chegado já estava a dançar e deu ainda para conhece umas quantas pessoas. Foi pena não terem estado tantas pessoas como pensei que fossem estar, mas sendo que se trata de swing também é normal que não seja das danças mais populares. Mas foi muito divertido.

Ao entrar emprestaram-me uns auscultadores para poder ouvir a música. Daí o facto de ser silent disco, já que para todos os que estão a ver, parece que se está a dançar sem música. Dentro da zona do evento, as pessoas tinham bastante espaço para dançar e, no palco, encontrava-se o Ben Hammond a fazer a sua maratona de 6 dias sem parar de dançar para poder entrar para o livro de records do Guiness e, consequentemente, ajudar a comunicar a situação política em Burma. 

 

Quem quizer, ainda pode lá participar até domingo (amanhã) à tarde. Aqui encontram o calendário dos slots de tipos de música para poderem escolher ir nas horas que mais vos agrada. Não é necessário pagarem nada nem marcar com avanço. Basta passarem pelo Scoop (junto ao City Hall e Tower Bridge), deixam £10 de depósito para poderem utilizar os auscultadores e dançar. Ao sairem e entregarem os auscultadores devolvem-vos as £10.

 

Aqui fica um pequeno vídeo da noite:

 

Entretanto, a aproveitando o facto de que estou a falar de swing, no dia do meu aniversário tinha aqui indicado que entrei para um grupo de swing e pretendia fazer a coreografia que eles tinham planeada para uma demonstraçãocom todas as classes da companhia onde estou a ter aulas. Pois é, ainda estou envolvida nisso, mas diga-se de passagem que a coreografia é difícil como tudo! Pior, falta só uma semana para a noite da performance e ainda nem sem bem a rotina, nem sei quem é que vai ser o meu parceiro. Amanhã vamos ter novo ensaio e aí é que vamos ficar a saber quem vai ser já que os professores é que vão escolher os parceiros para todos aqueles que não tinham ninguém com quem à partida quizessem dançar. Estou curiosa para saber com quem é que me colocaram. Espero que seja um dos "bons dançarinos", como é óbvio, mas mesmo que não seja, a maioria até que não está nada mal como dançarinos. Portanto desde que não me coloquem com um parceiro mais baixinho que eu, já que isso é que era um bocado chato, já fico contente. A ver vamos...