Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A dificuldade de encontrar candidatos a um emprego

Estou a recrutar pela primeira vez para uma posição permanente, mas isto é muito mais difícil do que pensava. E porquê, quando há tantas pessoas à procura de empregos? Possivelmente uma das razões é por não ter investido o suficiente em publicidade, mas principalmente porque simplesmente parece que as pessoas candidatam-se a qualquer emprego sem ter qualquer tipo de experiência relevante para o que é pedido. Eu preciso de um profissional com experiência específica incluíndo bons conhecimentos práticos a trabalhar com o software de automação de marketing - Marketo, para além de experiência com Salesforce, HTML, alguns conhecimentos de design para poder criar os emails e páginas de web e boa qualidade de escrita. Quase todas as empresas B2B hoje em dia têm alguém neste tipo de função por isso não devia ser assim tão difícil, mas já recebi CVs de candidatos que não têm conhecimento de nada do que é pedido. Se precisam de ganhar experiência então devem-se candidatar a um tipo de função mais júnior, não será? Achei que devia comentar aqui sobre o assunto porque caso andem à procura de emprego, aconselho a que tenham isso em consideração e simplesmente evitem perder o vosso tempo e o tempo dos empregadores ao candidatarem-se para empregos que não se adequem de forma alguma à experiência ou qualificações que têm. Quando querem mudar de área a solução passa por tirarem um curso relacionado ou ganhar experiência através de voluntariado nessa área antes de começarem a canditar-se a empregos da área. Se se candidatarem apenas aos empregos relevantes, cujos requerimentos se assemelham muito à vossa experiência, e enviarem uma boa carta de apresentação que indica a razão pela qual são os melhores candidatos para a função, vão ver que vão ter muito maior sucesso na taxa de respostas.  

 

Recruitment1.jpg

 Fonte da image: www.networks3r.com

 

No entanto, e já que estou aqui a falar sobre este emprego, se conhecerem alguém com o tipo de experiência indicada em cima por favor enviem-me um email (o email está no perfil) com o CV que eu envio de volta mais informação sobre o cargo em questão. 

 

 

A minha recente procura de emprego

emprego-novo.jpg

Esta semana passada comecei o meu novo emprego e com isso dá-se por concluída a minha recente procura de novo emprego desde que fui informada de que íam haver despedimentos na empresa. O meu último dia oficial na empresa anterior foi a 19 de Junho e, passadas 2 semanas comecei o meu novo emprego. Felizmente não demorou muito tempo na procura, mas acho que valeu bem a pena ter dedicado o máximo de tempo possível na procura. 

 

A partir do dia em que fui notificada que efectivamente tinha que deixar a empresa, fiquei decidida de que queria econtrar um emprego o mais rapidamente possível. Ainda tinha um mês pela frente a trabalhar com a minha empresa anterior e, por motivos éticos queria acabar o máximo que conseguisse daquilo em que estava a trabalhar, se bem que também queria dedicar-me à procura de emprego. Assim sendo, todas as manhãs eu concentrava-me na procura de trabalho e, durante as tardes trabalhava para a empresa.

 

 

Tinha como objectivo candidatar-me a um mínimo de 3 empregos relevantes por dia, sendo que alguns tinham longos processos de candidatura e, portanto, cada um demorava bastante tempo para preparar a candidatura.

 

Comecei primeiro  por listar o meu CV nos sites que considero melhores em termos de reconhecimento para a minha área e frequentados por recrutadores de boas empresas incluíndo:

Cada vez que colocava o CV num desses sites também pesquisava e candidatava-me logo a empregos relevantes anunciados nos respectivos sites. 

 

O risco que correm quando se candidatam a vários empregos é que, se uns dias mais tarde, um recrutador vos telefona relativamente a um deles, vocês poderão não se lembrar do emprego em questão. Por vezes isso pode cair mal se o recrutador vos pergunta o que é que vos atraiu no emprego e, vocês têm que admitir que não sabem a que emprego ele se está a referir. Alguns recrutadores, principalmente se forem representantes da própria empresa, podem achar que isso significa que não estavam mesmo interessados naquele emprego em específico e que apenas querem um emprego qualquer. Para evitar isso e também para me ajudar em termos de preparação para entrevistas no caso de ser chamada por alguns dos empregos, decidi criar uma folha de excel num google doc onde anotava o link para todos os empregos para os quais me candidatava assim como os respectivos contactos, nome da empresa, título do emprego, salário anunciado, data de candidatura, e espaço para observações relativamente ao estado da aplicação. Assim, cada vez que um recrutador me telefonava, podia olhar para essa folha de excel e sabia imediatamente tudo o que precisava saber sobre esse emprego sem ter que estar a fazer perguntas desnecessárias. 

 

Nessa mesma folha de excel, anotava também numa outra folha, os contactos de todos os recrutadores que me telefonavam e os respectivos empregos sobre os quais me falavam. Assim sendo, não só sabia com quem tinha que falar mas também permite-me manter os contactos organizados para o futuro em que possa precisar de contactá-los novamente numa próxima pesquisa de emprego.

 

Durante a primeira semana enviei imensas candidaturas, inclusívie do tipo de candidaturas que se envia através do LinkedIn em que basta enviar o perfil sem ter que escrever carta de apresentação. Esse pequeno esforço resultou em muito pouco e, na semana seguinte decidi mudar a minha estratégia e, passei a candidatar-me a menos empregos mas enviar cartas de apresentaçao muito específicas para cada emprego, o que obviamente também reflectia passar mais tempo em cada aplicação. Na carta de apresentação colocava pelo menos um parágrafo muito personalisado possívelmente relativo a algo que conseguia ver no marketing deles que poderia ser melhorado e como eu gostaria de falar com eles sobre as minhas ideias. No dia em que enviei a primeira carta com esse nível de personalisação recebi um telefonema da empresa e marcámos entrevista para o dia seguinte. 

 

Nessa noite preparei-me muito bem para a entrevista, memorizando bons exemplos de actividades em que tinha trabalhado no passado, com os respectivos resultados. Não me chegaram a chamar para a segunda fase desta empresa porque não tinha toda a experiência que eles queriam mas, valeu a pena dedicar esse tempo a preparação porque isso facilitou a preparação para todas as outras entrevistas que tive depois bastando investigar sobre a empresa, a sua história e produtos ou serviços e reler tudo aquilo que já tinha preparado sobre a minha experiência. Aconselho lerem este post sobre preparação de entrevista. 

 

No final da segunda semana comecei a ter mais chamadas e pedidos de entrevistas, mas aí também se apresentou o problema de que na quarta-feira da semana seguinte eu ía para férias durante 10 dias logo não estaria disponível para entrevistas presentes. Mesmo assim, os recrutadores foram bastante flexíveis e acabei por marcar 3 entrevistas no dia antes de ir para férias e tive mais 3 entrevistas por skype e telefone enquanto estive de férias em Itália. Todas essas 6 entrevistas correram muito bem e fui convidada a ir à segunda fase para todas elas. Entretanto, enquanto estive de férias recebi várias chamadas e, com tudo isso, na semana em que voltei tinha 10 entrevistas marcadas. Nessa segunda-feira em que voltei, tive logo 4 entrevistas e uma das empresas, que estava no meu topo 2 de preferência entre todas as com quem tinha entrevista marcada, fez-me uma oferta de emprego, nesse mesmo dia. 

 

Decidi tomar o risco de não aceitar imediatamente por duas razões - 1) porque queria continuar o processo de candidatura em pelo menos uma outra empresa de que também gostava e 2) porque ao demonstrar que estava em mais processos de candidatura também me tornaria uma candidata mais atraente para esta empresa e, como tal, haveria mais probabilidade de me oferecerem o salário que eu tinha pedido porque não me iriam querer perder para outra empresa. 

 

Assim continuei nos outros processos de candidatura de que gostava mais e cancelei todos os outros pelos quais não tinha tanto interesse. Para o final dessa semana a outra empresa de que eu queria concluir o processo de recrutamento tinha indicado que me queria ver para uma fase 3 de entrevistas, mas que o processo só podia ser finalizado dali a 2 ou 3 semanas porque entretanto também havia um novo candidato interno e, como tal tinham que dar prioridade ao candidato interno. Visto isto decidi que não queria continuar com o processo porque senão iria estar a rejeitar uma outra boa oportunidade que era a do primeiro emprego que me tinha sido oferecido e, obviamente não os podia fazer esperar mais 2 ou 3 semanas. Por isso na semana seguinte tratei dos detalhes com essa empresa e acordamos que eu começaria na semana seguinte que, foi a passada segunda-feira. 

 

Claro que todo o processo foi um bocado stressante porque nunca se sabe o que se vai conseguir, o tempo que vai demorar, etc., mas felizmente as coisas correram pelo melhor e não demorou muito tempo. Acho que também ajudou bastante ter um CV em que eu indiquei factores de sucesso dos meus trabalhos anteriores apresentados com dados, percentagens de sucesso ou outros dados quantitavos que os recrutadores gostam sempre muito. Para dicas sobre como construir um bom CV já escrevi este post

 

Agora a ver como as coisas vão correr com o novo emprego, mas para já estou satisfeita e entusiasmada com os desenvolvimentos da primeira semana e curiosa sobre o que me aguarda nesta semana que vem. 

Como fazer um bom CV para conseguir entrevistas em Londres

Cada vez mais me contactam a falar em mudarem-se para Londres e procurar emprego por cá. Alguns de vós até já me enviaram o CV para eu dar uma olhada. Não posso dar feedback a todos, e não pretendo incentivar isso, mas uma coisa notei na grande maioria dos CVs que já me enviaram e, não querendo ofender ninguém, devo dizer que o que encontrei neles em comum é que ou estão mal escritos, mal apresentados ou simplesmente não são bons o suficiente! 

 

Não tens experiência suficiente? Nunca trabalhaste no estrangeiro? Queres mudar de ramo? Isso não tem problema nenhum! Existem empregos para todos os níveis de experiência profissional e um bom CV consegue ultrapassar todas essas fraquezas e leva-vos à fase da entrevista. Fica aqui então um post que pretende dar-vos as regras importantes para poderem escrever um bom CV que os empregadores não ponham de lado por estar mal escrito, formatado ou apresentado. 

 

O template

Primeiro ficam duas notas importantes para erros persistentes:

  • Esqueçam os templates de CVs Europeus. O Reino Unido não se sente parte da Europa e, como tal, por cá não se utilizam templates da União Europeia. 
  • Para a grande maioria de empregos (excepções em moda, etc.) NUNCA coloquem foto no CV. Por cá é considerado descriminação entrevistar uma pessoa com base na sua aparência, e não é bem visto quando os candidatos pensam que isso é adequado. 

 

Template aconselhado: Criei este template que passo a partilhar com vocês. Coloquei notas e comentários em Português e alguns exemplos que podem escrever no CV apresentados em Inglês. Cada um de vocês terá uma experiência completamente diferente do outro por isso achei que seria mais útil apresentar o template desta forma. 

 

cv_template.PNG

 

O conteúdo

Os recrutadores em Londres recebem centenas de aplicações para um anúncio de emprego portanto não vão ter tempo para ler tudo ao detalhe. Como tal, não pensem que, lá porque têm certa experiência relevante escrita pelo meio do CV, os recrutadores vão chegar a ver isso, se não tiver expressamente indicado no topo do CV.

O recrutador olha primeiro para o aspecto do CV em forma geral e lê brevemente em diagonal tentando identificar palavras-chave da experiência que procura. Se ele(a) não conseguir identificar essas palavras-chave nos primeiros segundos, vai fechar a página do vosso CV e passar para o próximo. 

Por isso mesmo, terem o vosso perfil, bem escrito no topo do CV indicando resumidamente a vossa experiência, aquilo em que são bons e o que os distingue como bons profissionais é essencial. Igualmente, adicionarem a secção das "areas of expertise" vai ajudar o recrutador a identificar as palavras-chave de que está à procura. 

Caso se candidatem a empregos um pouco diferentes, convém irem fazendo alterações às palavras chave e perfil do vosso CV consoante os empregos a que se candidatam para colocarem ênfase na experiência ou conhecimentos que tenham que sejam beneficentes para esse emprego. 

 

Dicas:

  • Escrevam o vosso CV de forma sintética mas com o suporte de experiência ou resultados de sucesso que conseguiram alcançar.
  • Verifiquem que a gramática está correcta e que as expressões são utilizadas no Reino Unido. 
  • Em caso de dúvida, escrevam frases mais curtas e mais simples. É preferível terem palavras e frases simples do que arriscarem colocar palavras "caras" ou frases longas que não fazem muito sentido ou não se costumam utilizar no Reino Unido.
  • Se vocês não souberem escrever bem em Inglês é preferível recorrerem aos serviços de escrita de CV por uma agência especializada, tal como o The CV Centre.
  • Mesmo que tenham um bom nível de inglês escrito, aconselho a pedirem uma segunda opinião com amigos, antigos professores de inglês ou outros profissionais que estejam habituados a escrever em inglês para vos darem a sua opinião, antes de enviarem o CV para empregadores. 
  • Não sabem a melhor forma para expressar a vossa experiência? Pesquisem na Internet exemplos deCVs de pessoas Britânicas que têm a vossa experiência profissional e utilizem as mesmas frases e expressões que se apliquem à vossa experiência. Passo a colocar alguns exemplos deCVs que encontrei na Internet. Notem que indico estesCVs para retirarem ideias de conteúdo, mas continuo a aconselhar utilizarem otemplate indicado em cima:

 

 Aconselho também que pesquisem por ideias de mais de um template para terem uma maior diversidade de expressões para escolherem de forma a que estas representem melhor a vossa experiência pessoal. 

 

Uma vez que tiverem o vosso CV completo podem começar por coloca-lo online nos websites de procura de emprego mais conhecidos tais como o CV-Library.co.uk para que os empregadores vos encontrem ao pesquisar por palavras-chave que tenham indicadas no vosso CV.

 

Para informação sobre a procura de emprego, vejam o post "Como encontrar emprego em Londres" e para se prepararem para entrevistas vejam o post "Como ter sucesso numa entrevista de emprego em Londres".