Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

O inverno venceu-me

Estou triste ao ter que escrever que a minha vontade de andar de bicicleta foi vencida pelo frio do inverno. No início desta semana a temperatura baixou para uma média de 4C. Como o ceu continuava limpo pensei que ainda ia conseguir andar de bicicleta sem problemas. Na primeira noite de frio intenso, estava a voltar para casa, e todo o meu corpo tremia. Os dedos das mãos e dos pés começaram a ficar mais e mais frios até não sentir a circulação do sangue nas pontas - "Mal posso esperar para chegar a casa!" - pensava eu - "está quase, só mais 10 minutos e chego a casa,... só mais 5 minutos,... é já ao canto da rua,..." Ao chegar a casa, o alívio era intenso, mas mesmo assim ainda demoraram mais de meia hora para a circulação do sangue voltar ao normal nas minhas mãos e pés.

 

Na manha seguinte, olhei para a temperatura e estavam 3C. Achei que nesse dia ia fazer a coisa como deve de ser e usei dois pares de meias, uns leggings apropriados para ciclismo com umas calcas por cima. Dois tops (um deles de gola alta), uma camisola, um casaco e um sobretudo e calcei dois pares de luvas. Ao começar a andar de bicicleta estava bem, eventualmente comecei a ficar demasiado quente na parte central do corpo mas as mãos, os pés e a cara estavam extremamente frios na mesma. Com uma experiencia igualmente desagradável na volta para casa, assim que lá entrei, virei-me para os meus flatmates e disse "está decidido. Amanha compro um travelcard!"

 

O meu primeiro furo

No domingo lá ía eu na minha Bobbin, quando de repente a bicicleta que está à minha frente faz ricochete num arame que estava na estrada que me vem parar mesmo à frente da bicicleta. Tarde demais para me desviar. Mais tarde nesse dia, cheguei à conclusão que esse arame foi o suficiente para me fazer um furo no pneu da bicicleta. O meu primeiro furo!! 

 

E ora o que é que se fazem nestas situações? Muda-se o pneu? Como? Sem ferramentas eu não tinha lá grandes hipóteses para além de ir a uma oficina especializada. O facto é que eu estava mesmo a caminho do "Look Mum no Hands" que é basicamente um café com a temática às bicicletas que também tem uma workshop para arranjos. O único problema é que eu estava a ir para o café de Hackney que é relativamente novo e onde ainda nunca tinha ido. Não sabia é que esse não tinha uma workshop como o de Old Street. Resultado, não me poderam arranjar o pneu, mas emprestaram-me uma bomba para encher o pneu. Ao menos, se eu tinha dúvidas se aquilo seria realmente um furo ou era só o pneu que estava em baixo, rapidamente tirei essas dúvidas - estava mesmo furado. 

 

Como no dia seguinte (ontem), houve por cá um temporal, eu também não podia ter ido de bicicleta para o trabalho de qualquer manehira, por isso em termos de timing para a situação acontecer, até que não estava muito mau. Um amigo ofereceu ajuda para arranjar o furo, e aprendi com ele como fazê-lo ontem mesmo. 

 

Hoje de manhã lá volto toda contente a montar a bicicleta quando ouço - budum, budum, budum,... Havia qualquer coisa de errada à mesma. A roda agora estava cheia por isso não podia ser o furo. Reparei que colocamos mal uma pequena parte do pneu e que, por isso, a roda fazia aquele barulho ao tentar andar. Uff!Decidi ir com a bicicleta para o trabalho de qualquer forma. Pensei que talvez os meus colegas tivessem caixas de ferramentas já que eles andam sempre com bicicletas, mas nenhum deles tinha. Acabei por ter que deixá-la no trabalho e espero que amanhã consigo resolver o assunto

 

É estranho, mas só em 1 dia sem andar de bicicleta já sinto como se não andasse à imenso tempo. Já tenho saudades! Tenho que arranjá-la rapidamente! E para a próxima,.. bem espero que não haja uma próxima tão cedo. 

Londres vista de outra perspectiva

Estou a adorar esta coisa das Barclays Bikes, as tais bicicletas de aluguer espalhadas pela cidade de que já falei num post anterior.

Tive a primeira experiência neste fim-de-semana. Apeteceu-me ir passear um bocadinho para a zona da Southbank junto ao rio, e mal chego a Waterloo dou de caras com uma das estações destas bicicletas. Ora não foi tarde nem cedo, foi logo ali que peguei na minha primeira bicicleta. Acabei por descobrir umas ruas laterais nas quais ainda nunca tinha estado e fiquei com a ideia de que mesmo ali na zona onde já passei tantas vezes ainda me ficaram mais outras quantas ruelas por descobrir.

 

Acabei por estacionar a bicicleta numa estação junto ao Borough Market em London Bridge que ainda estava cheio de gente, e lembrei-me de que sendo final do dia, era altura dos vendedores se livrarem de todos os produtos frescos a metade do preço, por isso sem dúvida o momento ideal para lá dar uma voltinha.

 

15 minutos depois e com um Apple Strudel delicioso na mão que me tinha custado uma pechincha lá continuei o meu passeio a pé até Tower Bridge. Claro que me ficou o bichinho de andar de bicicleta e, como tal na volta optei por apanhar nova Barclays Bike com a intenção de deixá-la junto a Kennington e apanhar ali o metro o resto do caminho até casa. Sem dúvida que a parte mais interessante até lá chegar foi a de atravessar a bela da rotunda de Elephant & Castle de bicicleta. Diga-se de passagem aquela rotunda é um desafio para qualquer tipo de veículo com ou sem motor. Mas lá a fiz sem contratempos. O único senão foi mesmo ao chegar a Kennington e não ver coisíssima nenhuma de estação das Barclays Bike. Ora aí é que se torna um bocadinho problemático. É que sem saber onde raio encontrar uma estação e com a minha meia hora gratuita quase a acabar a coisa torna-se mais chata. Mas lá decidi continuar na diracção de Vauxhall visto que Vauxhall é na zona 1 por isso sem dúvida que lá teria que haver uma estação daquelas. E lá estava ela. A 3 minutos antes da minha meia hora terminar lá consegui deixar a bicicleta.

 

Entretanto já descobri onde fica a estação de bicicletas de Kennington e até existem duas lá perto, mas esta coisa da descoberta também tem a sua piada.

 

Hoje já voltei a dar novo uso às bicicletas ao ir desde o ginásio até ao trabalho de bicicleta em vez de utilizar o metro. E que óptimo que soube. Novamente descobri uma nova rua por onde ainda não tinha passado e ainda cheguei a atravessar metade do Hyde Park a pedalar o que também fez com que a viagem fosse mais agradável ainda.

Estou mesmo fã deste esquema das bicicletas. 

Barclays Cycle Hire já cá canta

Chegou hoje no correio a chave que me dá acesso às 6000 bicicletas espalhadas pela cidade nos pontos de aluguer de bicicleta que se encontram por toda a zona 1 da cidade. Paguei pelo acesso anual no valor de £45 o que me parece bem em conta já que apenas por 7 dias teria que pagar £5. Estas bicicletas têm por objectivo a sua utilização de curta duração, sendo que desde que não use a mesma bicicleta durante mais de 30 minutos seguidos não terei que pagar nada extra por isso.

 

Existe a desvantagem de que eu vivo na zona 2 por isso não posso andar de bicicleta até próximo de casa. De qualquer forma imagino que me vá facilitar muitas viagens de curta distância sem ter que esperar por metros ou autocarros e sem ter que andar aos encontrões aos turistas no centro da cidade que param sem mais nem menos no meio da rua para tirar fotos. 

 

Como já aqui referi antes, o acesso a estas bicicletas só pode ser feito para já por residentes que se registem antecipadamente, mas segundo informações no website da Transport for London o uso casual de aluguer destas bicicletas por não residentes ou por residentes que preferem pagar apenas cada vez que utilizem estas bicicletas estará disponível em breve.

 

Fica aqui o vídeo que explica a utilização destas bicicletas para os interessados:

 

 

 

 

 

Estou ansiosa para dar uso à minha chave.

A 4ª Cartada e novidades de Londres

Felizmente a chuva matinal de ontem não estragou o pic-nic da 4ª Cartada e acabámos por passar uma longa tarde até às 20:30h sentadinhos na relva do Regents Park em óptima conversa com algumas novas caras e outras mais habituais destes encontros. Decidimos voltar a jogar o jogo do último encontro dos "Aldeões e Lobisomens". Como tal, o Tufa Tufa mantém-se o jogo oficial para o próximo encontro.

 

 

4ª Cartada Tuga

 

 

Fica o novo quadro de pontuações. Esta coisa de eu ir a todos os encontros de cartadas tem sempre as suas vantagens nas pontuações:

 

1º lugar - Tuga em Londres: 293 pontos

2º lugar - Rodrigo: 197 pontos

3º lugar - Nuno Pedrosa: 196 pontos
4º lugar - Monica: 195 pontos

5º lugar - Silvana: 191 pontos

5º lugar - Diogo: 191 pontos

6º lugar - Cristina: 190 pontos

6º lugar - Hugo Araújo: 190 pontos

7º lugar - Sylvia Gaitas: 100 pontos

8º lugar - Tiago Fonseca: 99 pontos

8º lugar - Sofia Carlos: 99 pontos

8º lugar - Hugo Queiriga: 99 pontos

9º lugar - Sónia Azevedo: 98 pontos

10º lugar - Sandra Matos: 97 pontos

10º lugar - Carlos Valente: 97 pontos

10º lugar - João Toscano: 97 pontos

10º lugar - André: 97

11º lugar - Tânia Soeiro: 96

11º lugar - Bruna: 96 pontos

11º lugar - London Calling: 96 pontos

12º lugar - Pedro Silva: 95 pontos

12º lugar - Graça: 95 pontos

13º lugar - António Meirelles: 93 pontos

14º lugar - Clara: 91 pontos

 

Pic nics à parte, há uma grande novidade em Londres que vale bem a pena anunciar. A partir desta passada sexta-feira quem mora em Barcelona e em Paris deixa de ter uma grande vantagem em comparação com Londres, porque agora Londres também o tem - BICICLETAS DE ALUGUER espalhadas por todo o centro de Londres :-)

 

Agora finalmente estão disponíveis para os residentes de londres "paragens de bicicletas" um pouco por toda a zona 1 de Londres. Digo que estão disponíveis para os residentes porque de momento ainda é necessário efectuar o registro com algumas semanas de antecedência antes de se poder utilizar estas bicicletas visto que a "chave" de acesso tem que ser enviada para casa. No entanto, daqui a cerca de pouco mais de 1 mês, estas bicicletas, tal como em Barcelona e Paris, vão também estar disponíveis para a utilização ocasional de turistas ou pessoas que não queiram pagar para uso frequente, podendo efectuar o pagamento instântaneamente nas máquinas através de um cartão de débito ou crédito.

 

Não, ainda não me registei mas quero fazê-lo. Apenas estou naquela fase de me decidir se quero pagar já por um ano ou apenas por uma semana inicialmente para ver se realmente lhes vou dar uso. Se bem que, pelo preço, compensa muito mais efectuar o registo anual logo de início.

 

Basicamente em termos de custos, estas bicicletas funcionam da seguinte forma. É necessário pagar o valor de acesso às bicicletas e depois paga-se consoante o uso:

 

Valor de acesso:

1 dia: £1

1 semana: £5

1 ano: £45

 

Preço pelo uso:

Primeiros 30 minutos: gratuito

Até 1 hora: £1

Até 1 hora e 30 minutos: £4

Até 2 horas: £6

Até 2 horas e 30 minutos: £10

Até 4 horas: £15

Até 6 horas: £35

Até 24 horas (máximo): £50

 

Ou seja, se ao fim de cada meia hora pararem a bicicleta numa "paragem de bicicletas" e voltarem a retirá-la, podem andar de bicicleta o dia todo gratuitamente após o pagamento do valor de acesso (mas claro que é um chatisse ter que estar a parar a bicicleta de meia em meia hora).

 

Todas as informações que possam querer saber sobre o esquema de aluguer de bicicletas encontra-se aqui. E aqui fica a foto de uma das paragens destas bicicletas que encontrei pelo caminho:

 

 

Bicicletas de aluguer em Londres