Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Noites que já não são como eram

Na outra noite estava a dirigir-me para Camden Town para ir ter com uns amigos e eles dizem para ir ter com eles à Camden Assembly. - Camden Assembly? Hmm, nunca ouvi falar neste sítio. 

 

Quando lá chego e, ao ver que fica num canto oposto a um restaurante Brasileiro - Espera lá! Mas este é o edifício do bar Fly! O barfly já não existe!! - É o momento de surpresa quando não se espera nada ver um estabelecimento, que é considerado uma instituição dos bares de Camden Town, e dos bares de música indie de Londres de forma geral, que já não existe. Inúmeras bandas de qualidade passaram pelo barfly e não é de surpreender que as bandas Indie Rock que hoje são conhecidas, à uns anos atrás tenham tocado no barfly - desde os Stereophonics aos Coldplay, Muse, Doves, Blur, Oasis, etc, etc. 

 

O barfly não deixa de ser um pequeno bar, um estabelecimento de música que todos ou quase todos os dias, contava com concertos íntimos no primeiro andar, onde maioritariamente podiam esperar ver bandas de qualidade, mesmo que fossem bandas desconhecidas. No andar de baixo, era um bar normal, com bom ambiente, onde se podia contar com uns passos de dança ao som dos Fratellis, The Libertines, etc. etc. aos fins-de-semana. 

 

Por qualquer razão, o bar foi vendido no ano passado ao Columbo Group, que também gere outros estabelecimentos tais como XOYO em old Street, The Old Queen's Head em Angel, The Nest em Dalston, e vários outros. Depois de algumas obras a partir de Junho de 2016, o estabelecimento reabriu no final do ano como a Camden Assembly. Ainda continua a ser um estabelecimento de música ao vivo, mas deixou de ser dedicada ao Indie Rock e hoje em dia conta com uma maior mistura também com DJs de música electrónica. E devo dizer que não tenho nada contra música electrónica, pelo contrário, mas gosto de ir a estabelecimentos com um caractér específico e o barfly era cheio dele. OK, não é que eu fosse uma cliente muito regular hoje em dia, já que me demorou uns quantos meses a realizar que o barfly já não está lá, mas de qualquer forma, tenho pena que já não exista. Foi um daqueles estabelecimentos que marcou 16 anos de uma geração, e onde quase todas as pessoas que conheço com idades semelhantes à minha, tenham passado boas noites pelo barfly. 

 

O barfly é só um exemplo de uma dos muitos estabelecimentos de música que Londres tem visto desaparecer nos últimos anos. Se bem que os estabececimentos começam e acabam todos os dias e, se para mim tenho a impressão de que um local tal como a Camden Assembly, seja de qualidade inferior ao que lá estava anteriormente, possívelmente, a geração anterior à minha, achou o mesmo quando o barfly abriu no lugar do pub The Monarch, que era o nome do estabelecimento que existia antes do barfly, e que também existiu como um estabelecimento de música ao vivo desde os anos 80. 

 

Outros bares que tive pena de terminarem incluiram:

  • Round Midnight em Angel era um Blues e Jazz bar que oferecia concertos gratuitos todas as noites. Parecia incrível como um estabelecimento no centro de Londres com artistas de tanta qualidade oferecesse entrada gratuita. O ambiente era também extremamente simpático, e muito sociável. Ao que parece os gerentes simplesmente fartaram-se de fazer a gestão do bar. Existiu durante 5 anos e encerrou em 2014.
  • 12 Bar em Denmark Street que hoje em dia, já nem existe nem o bar nem a rua onde o bar vivia devido às obras do Crossrail em Tottenham Court Road. Existiu durante 19 anos e encerrou em 2015 nessa morada.
  • Passing Clouds em Haggerston. Este não tive só pena de ter fechado. Por este chorei, manifestei-me, assinei abaixo assinados, de nada resultou. Passei 5 anos da minha vida onde quase todas as quartas-feiras ía ao Passing Clouds. Era o meu bar local, onde conheci imensos dos amigos que tenho hoje. O Passing Clouds era governado por um gupo de hippies que mantinham o local com uma decoração alegre e positiva, comfortável como se estivessemos numa sala de estar, com um pequeno palco onde músicos de jazz tocavam para nós todas as Quartas, enquanto que dançavamos ao som da melodia. Foi encerrado pela empresa que comprou o edifício para construir um edifício de habitação (possivelmente de luxo, como não poderia deixar de ser). Por lei ainda não poderam fazer nada com o edifício ao cerca de um ano depois de ter encerrado porque este está licenciado como um espaço de comunidade e não pode ter outra função durante alguns anos. E por isso os proprietários preferiram deixar o estabelecimento fechado e vazio, como que abandonado, porque não podem fazer nada com ele senão esperar que o tempo necessário para que essa lei deixe de ter efeito, passe. É muito triste. Existiu durante 10 anos e fechou em 2016.

passing-clouds.jpg

Fonte: The Independent

Restaurantes Portugueses em Londres que dá gosto visitar

Já alguma vez pensaram que gostariam de levar estrangeiros a provar a culinária Portuguesa, mas não encontram nenhum restaurante Português em Londres onde dê gosto levá-los? Eu já passei por isso mutas vezes. Claro que já levei pessoas a conhecer os restaurantes de Stockwell e Vauxhall, mas sinceramente, não são propriamente restaurantes com ambiente agradável para qualquer ocasião. Ou está a dar o futebol, ou estão lá grandes grupos de Portugueses em festa. Nada contra a comida ou os preços porque, em muitos desses sítios, são bons. Mas por vezes simplesmente gostaria de poder levar pessoas a um restaurante numa zona central, de fácil acesso e com um ambiente apelativo e boa comida, tal como facilmente vou a restaurantes Italianos, Espanhóis, Franceses, Indianos, etc, etc. 

canela-cafe.jpg

Existem alguns mas são poucos. Tenho as minhas dúvidas se fornecem todos boas representações da nossa culinária, mas fica a minha opinião. São eles:

Canela Café: Só lá fui duas vezes há vários anos atrás quando abriu. Na altura ofereciam uma fusão de culinária Portuguesa com Brasileira. Hoje em dia apenas servem comida Portuguesa e, o menú tem bom aspecto pelo que terei que lá voltar para experimentar. O Canela Café está aberto todo o dia e serve tanto como restaurante como café. Preço: Razoável. Prato principal ronda as £11. Localização: Convent Garden.

 

Taberna do Mercado: Fundado por dois reconhecidos chefes Portugueses - Nuno Mendes e António Galapito, este restaurante é mais 'upmarket'. Os pratos são pequenos, tipo petiscos, e apesar de inspirados pela cozinha Portuguesa, são mais elaborados e modernos. O espaço do restaurante é pequeno pelo que convém reservar mesa ou podem contar a ficar numa fila à espera. Preço: Médio/alto. Os pratos de petiscos rondam as £8 e convém pedir cerca de 3 petiscos por pessoa. Localização: Spitafields Market. 

 

Eyre Brothers: Fundado por dois irmãos que cresceram em Moçambique, Eyre Brothers oferece uma fusão de comida Portuguesa com Espanhola. Também é um bocadinho 'upmarket' e, apesar do ambiente ser agradável na zona do bar, na parte do restaurante acho que podiam melhorar significativamente a decoração. Mas os empregos foram simpáticos e a 'Carne de Porco à Alentejana' servida ali é muito boa! Preço: Médio/alto. Prato principal rondam as £17. Localização: Shoreditch

 

E são só estes de que me consigo lembrar agora. Acho que existe portanto, um grande nicho no mercado para um restaurante de boa comida Portuguess, centralmente localizado e que ofereça preços razoáveis. Estou mesmo surpreendida por ainda não terem havido imensos Portugueses a viver cá que iniciassem esse tipo de estabelecimento 

 

Como ponto de curiosidade, neste fim-de-semana, tinha ido sair a Clapton e entrei neste bar que tinha sido recomendado pelo empregado do restaurante onde tinhamos estado antes. Assim que entrámos, reparamos que os bartenders estavam a cantar, a beber shots com os clientes, etc. Sem dúvida um bar muito animado. Quando nos vieram servir, um dos fundadores do bar esteve-nos a contar um pouco do conceito do bar, e descobi que foi criado por um Português do Estoril e um Mexicano. O bar em si - Del74 - tinha uma temática Mexicada, servindo margaritas de tudo o que é sabor. Portanto, de Português só tinha mesmo o fundador, mas o conceito do bar é tão interessante e divertido, que achei por bem, comunicar. 

 

Se entretanto conhecerem outros bares ou restaurantes que vos relembrem de Portugal e achem que são boas representações da nossa culinária, por favor indiquem nos comentários.

Uma noite com os cientistas malucos do Yelp

Ontem à noite fui ao meu primeiro evento do Yelp. Para quem não conhece, o Yelp é um site que permite aos seus utilizadores encontrar e dar a sua opinião sobre os mais variados estabelecimentos, principalmente bares, cafés, restaurantes e outros. Como sabem eu sou uma grande fã de conhecer novos sítios tais como cafés onde poder escrever os posts do Tuga em Londres , locais para um bom brunch, etc. Como tal, muitas vezes utilizo a Internet para encontrar estas pérolas, e muitas vezes o site da Yelp é que me tem ajudado. Como o utilizo tantas vezes para ler opiniões de diferentes pessoas, recentemente decidi fazer o download da aplicação e começar a dar a minha opinião também. 

 

Ao estar inscrita como membro, começo a receber também convites para alguns dos muitos eventos organizados pelo Yelp. Como ainda escrevi sobre poucos locais ainda não adquiri o certificado de Yelp Elite, que é oferecido a todos os que escrevem frequentemente para o site, ajudando a comunidade. Esses membros têm várias vantagens tais como ser convidados para muitos mais eventos, tais como quando um novo bar ou restaurante abre e pretende que os membros do Yelp escrevam sobre o mesmo para ajudar a publicitar o estabelecimento. Estes membros elite são então convidados para ir experimentar a sua comida e bebida gratuitamente para depois poderem escrever sobre o mesmo. No entanto, mesmo assim ocasionalmente o Yelp organiza eventos abertos a todos os membros e ontem foi o caso disso. 

 

O evento era intitulado "Mad Scientist Soiree" e contou com uma grande variedade de estabelecimentos a dar a provar muita comida e bebida. Isso incluíu ter uma classe para aprender a fazer sushi, provar gelado de rum, cocktails, outros gelados, snacks originais, cupcakes e outros bolos, tinham também um zona de jogos de casino, uma zona para tirar fotografia profissional e muito mais. A diversidade foi grande e o único requerimento para podermos ir ao evento, para além de termos que ser membros do site foi ter que ir mascarado de cientista maluco, alusivo ao nome do evento. Assim sendo só se via uma grande quantidade de pessoas vestidas com as suas batas brancas e óculinhos. 

 

mad_soiree1.JPG

A noite foi muito gira, ainda trouxe uma quantidade de snacks para casa e foi tudo gratuito. Agora fiquei com vontade de rever estabelecimentos no site mais frequentemente para poder ir a mais eventos semelhantes. Além disso, sengundo amigos meus que já são membros à muito tempo, eles fizeram vários amigos em Londres através dos eventos Elite do Yelp porque encontram-se muitas vezes com as mesmas pessoas e começam assim a criar amizades.

 

Para quem estiver interessado pode também ver a lista de eventos que eles têm em Londres aqui. Se morarem em Portugal, também existe uma comunidade em Lisboa que faz eventos ocasionalmente. No Porto também já andam a fazer revisões mas parece-me que ainda nāo existem eventos.

 

Northern Soul em Londres

Ontem fui celebrar o aniversário de uma amiga numa noite de Northern Soul. Para quem não sabe, Northern Soul é um movimento criado nos anos 60 no Norte de Inglaterra dedicado a um tipo de música Soul/Motown. Os artistas Northern Soul são geralmente Americanos, que eram relativamente desconhecidos até que este grupo de pessoas do Norte de Inglaterra, começou a ouvir os seus albuns e tocá-los nas noites que ficaram conhecidas como 'Northern Soul'. O ambiente de uma noite de Northern Soul é muito positivo, simpático e com grande energia também. 

 

Para quem estiver interessado em ir a noites de Northern Soul, deixo aqui algumas ideias:

Soulnites - Organizam eventos por toda a cidade de Londres.

The list - Este site indica um grande variedade de noites de Northern Soul espalhadas por toda a cidade e arredores.

The Phoenix - Foi aqui onde fui ontem. celebrar o aniversário. As noites de Northen Soul são regulares mas convém verificar o calendário de eventos antes de irem lá ter.

 

Se conhecerem outros bons locais para uma noite de Northern Soul em Londres por favor indiquem nos comentários.

Bares e espaços de concertos de Rock e Metal em Londres

Nesta passada sexta à noite fui pela primeira vez ao Garage. O Garage é um espaço de concertos (espaço de concertos? Tenho estado a pensar nisto à uns minutos, mas realmente não sei que nome dar em Português a uma "venue". O Google Translate também não sabe. Chama-lhe "foro". Não sei se sou só eu, mas eu nunca me lembro de falar com os meus amigos sobre ir ver uma banda a tocar no foro X.  Qual é o melhor nome que dariam a um local onde se costuma ir ver concerto de bandas?) Para os efeitos deste post vou-lhe chamar de espaço de concertos. 

 

O Garage é portanto, um dos espaços de pequenos concertos mais conhecidos de Londres onde passam principalmente bandas de rock. Fui ver Queen Kwong, uma cantora de rock Americana, que ficou conhecida principalmente através de um tipo de rock mais calmo tipo Indie Mellow, mas no concerto de sexta deu um concerto de puro rock. Possivelmente agora está mais influenciada pelo seu namorado guitarrista, Wes Borland, que é também o guitarrista dos Limp Bizkit. É ele que se encontra por trás da cantora nesta foto:

 

queen_kwong.JPG

 

Hoje em dia já não costumo ir tanto a concertos de rock, mas houve uma altura em que ía muito por isso quero aqui deixar indicação de alguns dos locais mais conhecidos que o pessoal rockeiro de Londres costuma frequentar, para quem também esteja interessado nesse tipo de música e ambiente.

 

Os espaços de concertos

 

rock_gig.jpg

 

Electric Ballroom: Fundado nos anos 30, este espaço que se enche de stands do mercado de Camden Town durante o dia a vender roupas e bugigangas, durante a noite transforma-se num dos espaços mais conhecidos entre os fans do rock. Conta com noites de concertos e de discoteca. Estação mais próxima é Camden Town.

 

Borderline: Fundado nos anos 70 quando a música underground, rock e punk estavam no auge, o Borderline rapidamente começou a ser um dos principais espaços de concertos e noites de discoteca deste tipo de música. Fica localizado por trás de Soho Square, junto a Charing Cross Road. A estação mais próxima é Tottenham Court Road.

 

Garage: Localizado junto à estação de Higbury & Islington, o Garage abriu em 1993 e é costituído por dois andares. Concertos mais pequenos decorrem no 'Upstairs at the Garage', e os maiores concertos e noites com discoteca decorrem no andar de baixo. Já lá passaram bandas como o The Killers, Mumford & Sons, Franz Ferdinand, etc. 

 

The Underworld: Este espaço, localizado em baixo do pub The World's End, junto à estação de Camden Town, é mais pequeno que os acima mencionados, com capacidade para cerca de 200 pessoas, mas conta também com uma variedade de noites de gigs e discoteca. 

 

Pubs com pequenos concertos

 

crowdsurfing.jpeg

 

The Macbeth: Este pub já conta com mais de 100 anos de história. Muitas bandas já passaram pela casa. Após cada noite de concerto a pista abre para dança e é também um bom pub de forma geral. Fica localizado fora das zonas habituais de rockers, em Hoxton Street. Estação mais próxima é Old Street mas ainda fica a uns 20 minutos da estação, sendo que não vão encontrar muitos turistas por aqui.

 

The Old Blue Last: Este é um óptimo pub, sempre a vibrar a qualquer noite do fim-de-semana e durante muitas noites da semana também. O espaço para concertos fica no andar de cima e também costuma dar espaço para pista de dança após cada concerto. Bandas como os Artic Monkeys, Lilly Allen e Foals já passaram por aqui. A estação mais próxima é Old Street.

 

The Lexington: Óptimo pub, com grande carácter e conta com o espaço para concertos no andar de cima. Também tem pista de dança. Aqui a maioria do tipo de música que passa é rock e indie mas também passam outros géneros por isso convém ver o programa com antecedência para saber o que vos espera.

 

The Enterprise: Pub acolhedor e cheio de carácter mesmo junto à estação de Chalk Farm. Todas as semanas à sexta-feira a DJ Sue, que é uma senhora nos seus 40-50 anos de idade passa música excelente entre funk e rock, indie, e até por vezes mete uma música pop à mistura para a palhaçada. Costuma ser uma noite muito boa. Fora disso, têm também várias noites de pequenos concertos.

 

Pubs e bares onde nem sempre (ou nunca) há gigs mas têm ambiente maioritariamente rock metaleiro

Nota: O código de vestimenta para qualquer um destes bares é o preto

 

Crobar-–-Soho.jpg

 

Hobgoblin: 33 Kentish Town Road. Estação: Camden Town

Black Heart: 2-3 Greenland Place. Estação: Camden Town

The Crobar: 17 Manette Street. Estação: Tottenham Court Road

The Intrepid Fox: Até ao ano passado estava junto de Tottenham Court Road mas foi forçado a fechar devida à regeneração da zona. Actualmente encontra-se em 1 Archway Close. Estação: Archway

 

Uma noite no Playboy Club

Achei interessante quando vi que o local escolhido pela minha amiga para fazer a festa de aniversário dela era o Playboy Club. Eu nem sabia que a Playboy tinha um club em Londres. Mas tem. Fica localizado em Mayfair e, como não podia deixar de ser, é pomposo e caro. Felizmente a minha amiga conseguiu colocar-nos numa guestlist de entrada gratuita mas geralmente é "members club only" segundo as regras da casa. Por curiosidade fui agora ver qual o custo do cartão de membro, e não está indicado no site (é porque provavelmente é algo que não é qualquer um que pode pagar). E existem 2 tipos de membros - os membros de assinatura anual e os membros perpétuos, ou seja, com cartão de membro para o resto da vida (deve haver pessoal com muita certeza de que não se vai cansar do Playboy Club, se é que efectivamente alguma vez alguém tira uma membership perpétua).

 

O que  é que há lá dentro que faz certas pessoas pagarem balúrdios para serem membros? Bem, a meu ver nada assim de tão especial, mas não deixa de ser uma experiência interessante,... ir lá uma vez. Há a parte de espéctaculo que contou com uma banda de jazz, uma cantora estilo "Marylin Monroe", várias performances de dança (nada de striptease, se é o que estão a pensar) e show de um mágico. Depois do espectáculo, o DJ coloca música e a zona transforma-se em discoteca até às 3h da manhã.

 

Algo que me surpreendeu é que a mairia das pessoas que lá estavam eram mulheres. Algumas notava-se que vinham com os maridos, outras vinham em grupos. Mas numa das mesas estava só um homem com um chapéu de aba grande, rodeado por 3 meninas bonitas, uma delas uma coelhinha. Tenho quase a certeza que ele era um rapper Americano. Reconheci-lhe a cara mas não o consigo associar ao nome. Notava-se que ele gostava de dar nas vistas, já que o facto de decidir usar um chapéu daqueles ali dentro era sem dúvida um sinal disso.  

 

A certa altura fui lá a cima à zona do Casino para ver como era. Aparte da zona das máquinas do Casino do Estoril, ainda nunca tinha estado numa zona de Casino à séria. Localizadas lado a lado estavam várias mesas de roulettes com cerca de 5-10 pessoas em volta de cada uma delas. A maioria a apostar e outros poucos a ver. Do lado oposto o jogo envolvia cartas (talvez Poker, mas não tenho certeza). A orientar cada uma das zonas de jogo estava uma Coelhinha da Playboy. Todas elas com imensa perícia de baralhar as cartas ou empilhar as fichas, tal como se vê nos filmes de Las Vegas. Era impressionante o valor de algumas das apostas que aquelas pessoas colocavam. Mal quiz acreditar quando ouvi um homem pedir à coelhinha em fichas - "£3,000, por favor."

 

Dançarinas no playboy club

 

Dançarina no Playboy Club

Coelhinhas da Playboy

O que fazer em Londres em Outubro 2013

O verão já se foi, mas com o Outono Londrino vem também o Halloween e os primeiros eventos "indoor". Por exemplo, este mês temos o festival dos cocktails e o festival dos restaurantes, ideias para as noites mais frias. Mas para hoje, ainda podem começar a noite com um evento ao ar-livre em Trafalgar Square que vos traz uma imensa variedade de comida da Malásia. Seguem os meus eventos de escolha para este mês indicados em baixo:

 

 

Malaysia Night O que é? Traflagar Square vai contar com inúmeras bancadas de comida e bebida tradicional da Malásia.Uma boa forma de comecarem a vossa sexta-feira 'a noite. Quando? Hoje, dia 4 de Outubro. Quanto? Entrada gratuita. Onde? Traflagar Square. Estacão? Charing Cross.

 

Oktober Fest at Hackney Down Studios O que é? Celebração do Bavariano Oktober Fest em pleno Hackney a contar com vários comerciantes locais, provas de cerveja e de salsichas bratwurst. Quando? 6 de Outubro. Quanto? Entrada no mercado é gratuita mas os bilhetes de £10 dão-vos direito a experimentar 3 cervejas e comer um cachorro de Bratwurst. Onde? Hackney Downs.

 

London Cocktail Week O que é? Vários bares e pop-up bars localizadas na zona de Seven Dials, em Convent Garden, juntam-se para criar a London Cocktail Week. neste semana podem experimentar inúmeros cocktails apenas a £4 quando compram uma bracelete de £10. Também estão disponíveis visitas guiadas a muitos dos bares. Quando? De 7 a 14 de Outubro. Quanto? £10 o Onde? Vários bares em Seven Dials. Estação? Convent Garden.

 

London Restaurant Festival  O que é? Um festival para dar a conhecer os restaurantes envolvidos neste evento. Estes são todos restaurantes de topo com chefs como o Gordon Ramsay, e que, para o festival, criaram menus especiais, muito mais baratos que o normal. Este é o festival ideal para quem gosta de experimentar novos restaurantes e comida gourmet. Quando? 3 a 21 de Outubro. Quanto? Menus entre £25 e £50 por pessoa. Onde? Por Londres inteira.

 

Bloomsbury Festival O que é? Festival em vários locais de Bloomsbury que contam com eventos tais como um concerto de Jazz numa pequena praça, pinturas faciais para crianças, dança e outros eventos. Este é um festival orientado para a família e com actividades para adultos e crianças. Quando? De 15 a 20 de Outubro. Quanto? Gratuito. Onde? Vários locais em Bloomsbury. Estacao? Russel Square

 

Black History Month O que é? Apresentações da história das comunidades Africana e das Caraíbas em Londres. Conta com exibições, palestras e outros eventos. Quando? Todo o mês de Outubro. Quanto? Ver cada evento para detalhes. Onde? Vários locais de Londres.

 

Halloween O que é? O Halloween ou Noite das Bruxas é muito celebrado em Londres, e desde o dia 31 ao fim-de-semana que se segue, vao decorrer várias festas e eventos em celebração. No link que indico existe uma boa selecção de inúmeros desses eventos. Quando? 31 de Outubro a 2 de Novembro.

 

O meu date do Independence Day

Como trabalho para uma empresa Americana e, muitos dos meus colegas são dos EUA, no passado dia 4 de Julho fui com eles celebrar o Independence Day. O local escolhido foi o Blues Kitchen em Camden onde ía decorrer uma Hot Dog eating competition, ou seja um dos concursos típicos dos Americanos para ver quem consegue enfardar mais cachorros quentes num limite de tempo específico.

 

A competição já estava cheia 'a muito tempo mas acontece que duas pessoas desistiram e, como tal haviam dois lugares extra para participantes. Claro que conseguimos convencer os meus dois colegas Americanos a participar. 

 

Mesmo antes da competição ter início, o apresentador disse que precisava de pessoas voluntárias para fazer de júris da competição, ao que eu claro que me ofereci. Como outra minha colega se tinha oferecido antes, ela é que ficou a jurar os nossos dois colegas e eu fiquei a jurar outro dos participantes que não conhecia.

 

Ao fim dos primeiros 5 hot dogs, o rapaz já não estava a achar piada nenhuma 'a competição, e foi num momento em que aquilo lhe estava a dar voltas 'a barriga que o apresentador veio falar com ele e de alguma forma arranjou meio de marcar para ele ir a um "date" comigo. Hehe! Achei um piadão. Ainda mais como eu nesse momento estava a filmar ficou tudo gravado em vídeo:

 

O vencedor da competição conseguiu comer 14 cachorros quentes em 30 minutos.

 

Uma noite em Dalston

Ontem a ideia era ir a uma nova noite com uns DJs específicos num bar/discoteca em Dalston de nome Hysteria. Chegámos lá pelas 22:30h e, ao contrário do que é normal nos bares/discotecas Londrinos, este estava quase vazio a essa hora. Gosto do Hysteria porque tem espaço para dançar e bom ambiente de forma geral. Está decorado de uma forma um bocado bohémia e costuma também estar aberto a partir da tarde para café ou pizzas. De facto das vezes que lá tinha passado a noite cheguei mais tarde e o bar já estava cheio. Por isso apercebi-me desta vez que é mesmo um local onde se sair mais tarde. 

 

Decidimos não ficar à espera que aquilo anima-se e fomos antes andar pela Kingsland Road acima na procura de um melhor sítio. A próxima paragem foi o The Nest. Tinha já fila à porta e parecia estar animado lá dentro. Custava £5 para entrar, e a partir das 23h iria passar a custar £7, portanto o ideal seria entrar naquele momento. Perguntámos à promotora qual era o género de música que lá ía passar. Estava a tocar um banda de Indie Rock naquele momento e após a banda a música ía ser electrónica e house. Uma das minhas amigas não gostou nada da ideia já que ela não é nada fã de música electrónica, então lá saímos da fila e continuámos em busca do local onde passar o nosso sábado à noite. 

 

A próxima paragem foi no Moustache Bar, umas portas mais à frente. Era gratuito para entrar mas ao chegarmos lá dentro vimos que estavam lá 5 míudos de 18 anos. Sim, 5! Claro que ainda não ía ser ali que íamos passar a noite também. Continuámos a andar e chegámos ao Ruby's. O Ruby's é um cocktail bar, mas como tinha umas 8 pessoas na fila para entrar achámos que talvez valesse a pena esperar. 5 minutos passaram e algumas pessoas começaram a sair da fila. Perguntei ao segurança porque é que a fila estava assim tão parada. Ele disse que o bar estava mesmo cheio e que no momento estavam só a deixar entrar quando alguém saísse. Ao fim de 10 minutos (ou menos, mas pareceu-me ser prái 10) comecei-me a chatear com a coisa. O casal que estava à frente na fila quando nós chegámos ainda ali estava à espera. Perguntei-lhes se valia assim tanta a pena a espera e eles disseram que sim já que o bar é mesmo muito agradável, mas é pequenino. OK, até pode ser bom, mas de qualquer forma se é assim tao pequeno não ía dar para dançar e nós estavamos com aquela vontade de dançar. 

 

Fomos então para o Birthdays que estava cheio no andar de cima mas vazio no andar de baixo onde fica a pista. Até às 23:30h a entrada era gratuita por isso aproveitámos e ficámos logo por ali. O ambiente era OK, mas tinha muito pessoal nos seus inícios dos 20 anos, por isso também não era ideal como nós já estamos no final da nossa década dos 20 e é sempre preferível estar num local com pessoal mais próximo da nossa idade. De qualquer forma o Birthdays tem várias vantagens noutras alturas visto que costuma ter boas bandas, maioritariamente durante a semana e agora têm um novo restaurante pop-up que é especializado em hamburgueres gourmet, organizado pelos donos do restaurante White Rabbit que é excelente!

 

O Birthdays, no entanto, não era o local ideal ontem à noite por isso passado cerca de 15minutos lá dentro achámos que valia a pena voltar ao Hysteria para ver se já estava mais cheio. Estava, mas não muito. Ainda faltavam muitas pessoas chegar para aquele sítio ficar cheio por isso também decidimos que não valia a pena lá ficar. 

 

Sugeri irmos ao Ridley Road Market Bar do qual gosto muito e que é um bar que geralmente começa a ficar cheio bem mais cedo. Também tem uma boa pista, cocktails excelentes e uma decoração meia tropical que é agradável. Também gosto muito do ambiente que geralmente se sente lá dentro por isso achei que seria uma óptima alternativa. Ao chegarmos tinhamos cerca de 15 pessoas à nossa frente na fila. Também já estava cheio e era a situaçao do saí um, entra um. Também não ficámos. 

 

Já nao estava a achar piada nenhuma à coisa. Passámos pelo Dalston Jazz Bar. Estavam a cobrar entrada e naquela fase já não estavamos com paciencia de pagar para entrar em lado nenhum. Então optámos antes ir para o bar do Vortex que geralmente é gratuito. Entrámos e ficámos. Finalmente! O bar estava com música óptima, o ambiente era simpático. Perfeito para o nosso sábado à noite. Ao começarmos a conhecer pessoas lá dentro perguntaram-me como é que eu conhecia o aniversariante. Informei-o que eu não sabia de aniversariante nenhum e que não fazia parte dessa festa - ao que parece a grande maioria de pessoas que lá estavam eram da festa. 

 

Foi divertido e tivemos aquela sensação de querer mais quando eventualmente o bar fechou. Nesse momento, o tal aniversariante mete-se em cima duma cadeira e convida o bar inteiro para uma after party em casa dele. Claro que acabámos por ir também. Foi literalmente o bar inteiro (OK, talvez não o bar inteiro, mas a larga maioria das pessoas). Melhor ainda é que ele mora num apartamente espectacular junto ao Regents Canal por isso foi bem bom ter acabado a noite numa festa ali. 

 

A noite de ontem estava destinada para ser um falhanço, mas no final tornou-se uma grande noite - pessoas muito simpáticas, música boa, a vista daquele apartamento, perfeito. Por vezes estas noites assim não planeadas tornam-se das melhores. Só é pena não surgirem destas mais vezes. 

 

Em resumo quanto 'a noite de Dalston, sem dúvida que nao faltam bares e discotecas onde ir, mas há que saber onde ir dependendo das horas da noite e do género de música pretendido.

  • Hysteria, The Nest, Alibi, The Nest, Moustache Bar sao todos locais onde ir mais para o fim da noite, a partir das 24h (e a maioria está aberto até 'as 3h). O tipo de música passada é maioritariamente electrónica mas depende das noites.
  • Efe Snooker Club é mesmo um clube de snooker com cerca de 20 ou mais mesas de snooker lá dentro. A decoracao parece saída de uma lenda de Deuses Gregos mas apesar de soar que tem tudo de errado, o Efe até que é um local onde se pode passar uma noite bem divertida. Mas é preciso estar com o espírito para a coisa - música Pop dos charts com alguns Britney Spears misturados, decoracao "cheesy" e muita gente. É preciso experimentar para perceber.
  • Dalston Superstore, Birthdays, Ridley Road Market Bar, Vortex Bar sao bons para comecar com comida ou uma bebida calma mais cedo e depois transforman-se em discoteca mais tarde. Dalston e Birthdays tem música mais electrnica. Ridley Road é mais variado e podem apanhar música Brasileira, Africana, old style 80's pop, e outros estilos. Vortex também é mais variado e depende dos DJs.
  • Shacklewell Arms é um pub muito giro, com bom ambiente que geralmente conta com várias bandas vários dias por semana desde Indie a Metal Rock.

Nada como experimentar e escolherem o vosso favorito.

 

Prova de vinhos no Vinópolis

Já tinha comprado esta experiência como oferta no Natal, mas só ontem usamos o voucher da experiência de prova de vinhos no Vinópolis

 

Localizado em baixo das arcadas na zona de London Bridge, Vinópolis é talvez o mais conhecido local para provas de vinhos em Londres - para além da zona das provas tem também 5 bares e restaurantes e espaços que só alugam para eventos. 

 

A prova de vinhos começou num espaço de anfiteatro onde vimos a apresentação de um vídeo que nos explica sobre Vinópolis e a prova, seguido de uma apresentação por uma profissional que nos dá uma breve explicação sobre como se devem provar vinhos e a forma de identificar os diferentes sabores - os vinhos mais amargos sentem-se no fundo da língua, os mais ácidos dos lados da língua e os mais doces na ponta da língua. 

 

Passamos depois para a zona da prova que se distingue em diferentes áreas - a zona de prova dos vinhos brancos, a dos vinhos tintos, a do champagne, a dos vinhos doces e a zona das bebidas espirituais. Em cada zona as bebidas estavam diferenciadas pelas suas principais características - vinhos frescos e quentes, vinhos secos, meio-secos, frutados, etc. 

 

Só lá consegui encontrar um vinho Português que era o vinho da Madeira e esse estava apenas em exposição - não estava disponível para prova. Infelizmente devo ter tido um bocado azar com os vinhos que provei que foram mais aqueles que não gostei muito do que os que gostei, mas de qualquer forma a experiência foi interessante e, apesar de não ser grande fã de champagne, foi mesmo um dos champagnes que experimentei de que gostei mais de toda a prova.

 

Tinha comprado a "essential experience" que incluí 7 tokens (andamos pela experiência com um cartão que vai descontando tokens por cada prova que fazemos). Eu pensei que ía acabar por ter que carregar o cartão com mais tokens, mas afinal não foi nada necessário. Pelo contrário porque além dos 7 tokens que me deram direito à prova de 4 bebidas (porque provei um champagne vintage que era 3 tokens e outro champagne normal que eram 2 tokens), ainda tive 3 outras provas gratuitas - uma à entrada para o anfiteatro, e outras duas porque os hosts andam por lá com garrafas de vinho na mão que dão a experimentar. Depois como íamos também experimentando do copo que cada um tinha acabei por provar mais que 10 bebidas diferentes - o suficiente para sair de lá já meia trocada. 

 

De forma geral gostei da experiência - aprendi algumas coisas sobre vinho, mas acho que a experiencia de prova de vinhos talvez seja mais proveitosa num local com menos pessoas onde possa receber explicações mais personalizadas e detalhadas. Tenho que voltar a fazer noutro local para uma próxima.

 

Vinópolis
Zona de prova de vinho branco - Vinópolis