Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Uma noite de dança

Adorei a noite do baile de Sábado. Desde os preparativos a arranjar cabelos e maquilhagem, aos minutos nervosos antes de entrar em palco, até à pós festa, tudo fez daquela uma noite muito agradável. 

 

Uma das coisas deste pessoal do Lindy Hop que acho interessantes, é que conseguem estar horas e horas seguidas a dançar, practicamente só a beber água ou sumo já que dançarinos não bebem muito álcool porque não se dança lá muito bem quando se está de cabeça aluada. E conseguem, estar assim a dançar continuamente como se o cansaço não existisse. Eu até me espanto comigo própria porque às vezes quando estou a dançar penso que quero que a música acabe rapidamente que estou super cansada, mas uma vez que paro, passado 2 minutos já estou com o bichinho para querer dançar novamente.

 

Comparando o baile deste ano com o do ano passado, sinto que gostei muito mais da experiência deste ano, até porque agora conheço melhor as pessoas, não só aquelas com quem danço regularmente, mas também outros dançarinos, que acabo por ver regularmente entre um evento social ou outro ao longo do ano. Inevitavelmente, mesmo que nunca tenha dançado com certas pessoas, acabo por reconhecer as caras.

 

Acho que agora também estou mesmo numa fase em que me apetece estar frequentemente em eventos de dança e, não só volto a dançar amanhã à noite no meu local habitual, mas no sábado também já tenho bilhetes para uma festa vintage que também vai contar com muita dança Swing.

 

É um daqueles hobbies viciantes que são mesmo agradáveis, principalmente quando se está "dentro" do ambiente de dança Swing. Não foi propriamente fácil durante o período de iniciação já que há sempre muitos grupos que já estão formados, talvez o facto de ser parte da minoria de estrangeiros dentro que dançam Swing aqui por Londres também não ajudou à ambientação inicial, mas aos poucos e poucos, finalmente já me sinto parte da "comunidade", o que é óptimo. 

 

Na pré-festa antes do baile, tivemos a ajuda de uma rapariga para fazer-nos o penteado para a festa, e a mim ela até que fez um apanhado bem original de que gostei. Aqui está o resultado:

 

penteado
E agora também já fiz upload do vídeo da coreografia em que participei com o meu grupo. Fica aqui ele. Parece fácil mas acreditem que durou muitos treinos para conseguirmos chegar a esta fase.

A grande noite

E já lá vai a noite da performance de swing. 

Todo o dia foi ocupado com preparações para o evento. Começou pelas 11 h da manhã com mais um treino num espaço que uma das raparigas do grupo tem lá no trabalho dela. Durante esse ensaio o Stephane (o meu tal parceiro, com não muito jeito para a dança) continuava a enganar-se e a esquecer-se muitas vezes, mas eu insisti tanto para que ele treinasse aquelas partes em que ele tinha mais dificuldade que ao final da sessão de treino ele já estava melhorzinho, apesar de alguns esquecimentos ainda continuarem. Também consegui aproveitar para treinar com o meu segundo parceiro o que ajudou bastante também a afinar uns últimos pormenores que ainda tinha em falta. 

 

A meio da tarde, depois de já ter vindo a casa vestir-me para o ocasião, levei tudo o que é coisa para o cabelo - laca, ganchinhos e afins, para casa de um dos casais que também dançam conosco, já que amavelmente ofereceram o espaço da casa deles para que as meninas se embonecracem juntas à anos 40. Duas delas vestem-se normalmente à moda vintage e sabem perfeitamente fazer os penteados à moda, por isso, ajudaram-nos às restantes, que não sabiamos o que fazer ao cabelo, a transformá-lo completamente. Ficámos mesmo muito à anos 40 com os nossos vestidos, cabelo e maquiagem. Só o que não foi muito à anos 40 foi a grande encomenda de pizza que mandámos vir quando os rapazes chegaram para nos enchermos de energia para a dança que estava para vir. 

 

Girls getting vintage

 

Já no local do evento, que foi num espaço muito grande, a nossa primeira performance foi logo ao início da noite. Fomos o segundo grupo a actuar. Foi nesta primeira vez que eu ía dançar com o Stéphane e, sem dúvida, tinha um pouco de receio que ele se fosse esquecer de tudo. Seria tão mau sermos o único par a destoar do resto do grupo. No entanto, ao chegarmos ao final da coreografia, eu mal podia acreditar de que pela primeira vez desde que andei a practicar a coreografia com ele, ele não se esqueceu de nenhum passo. Parecia inacreditável. Claro que não foi uma óptima performance, mas ao menos conseguimos fazer tudo sem se enganar nos passos. Fiquei super contente por mim e por ele já que vi que ele próprio radiáva de felicidade por ter conseguido fazer tudo até ao final sem se enganar. 

 

Já mais para o final da noite fizemos a nossa segunda performance, em que dancei com o meu segundo parceiro, com o qual efectivamente consegui dançar com mais energia e acho que até correu bastante bem. Fiquei satisfeita e, agora, após o evento, consigo ver nos vídeos que todo o grupo estava muito bem coordenado. Nem parece nada o mesmo grupo que só à uma semana atrás andava a treinar com todos super descoordenados, continuamente a esquecerem-se da coreografia. 

 

Após a performance a noite ainda continuou até bem tarde numa after party num armazém perdido algures no meio de Hackney que, sinceramente, se não tivesse ido com eles que sabiam onde era, acho que nunca ía ser capaz de dar com aquilo. E se desse, provavelmente passáva-lhe ao lado porque não ía acreditar que a after party seria alí. É que se realizou num armazém que é apenas um armazém. Nem sequer era um armazém convertido em bar - Aliás, nem sequer um bar tinha e tivemos que ir comprar bebidas ao off license da esquina. No entanto, o espaço era grande, tinham lá colocado umas almofadas grandalhonas num dos cantos para o pessoal se sentar, havia uma grande mesa do DJ e bastante espaço para dançar, que era o necessário.

 

Muito bom mesmo. Adorei a experiência!