Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Talvez a pior patroa do mundo

Esta é a minha última semana no meu emprego actual. Já cá estou há 4 anos e durante muito tempo absolutamente adorei trabalhar aqui. No ultimo ano, com a nova patroa, nem por isso, e as coisas começaram a ficar piores a partir de finais do verão. Ela é tipicamente uma daquelas pessoas com personalidade difícil, bipolar, em que cada dia é uma surpresa já que nunca se sabe de que lado é que ela vai acordar da cama nessa manha. 

 

Apesar de ser assim, e a maioria das pessoas do escritório não se dar bem com ela, como eu gosto de manter o bom ambiente de forma geral, até que tenho conseguido lidar relativamente bem com ela adaptando-me ao seu humor. De qualquer forma, apercebi-me que neste trabalho, com ela por cima, não ia haver a possibilidade de progredir, de fazer novas coisas, e simplesmente não gostava de estar neste ambiente de trabalho pesado. Por isso mesmo decidi procurar novo emprego. 

 

A partir de Setembro dediquei-me 'a coisa e, sinceramente, apesar de ter um bom CV e experiencia, a procura não foi nada fácil. Dezenas de candidaturas e de telefonemas com empresas de recrutamento, com zero sucesso em conseguir uma entrevista. Para mim, essa foi mesmo a parte difícil foi a de conseguir a entrevista. Por voltas de Novembro/Dezembro apercebi-me que não valia a pena candidatar-me a certos tipos de empregos em ramos diferentes do meu, porque simplesmente não era contactada de volta. Mudei de estratégia e candidatei-me a trabalhos mais semelhantes ao meu actual, para uma indústria semelhante, etc. e, isso finalmente resultou. Fui a entrevistas com 3 empresas e tive 2 ofertas de emprego antes do Natal. Optei por uma delas e entreguei logo a minha carta de demissão no último dia antes de ir para férias. 

 

No entanto, nesse mesmo último dia, eu tinha sido chamada para uma entrevista com uma quarta empresa para uma posição de que eu gostava mesmo muito. Era um emprego de sonho, por isso não podia deixar de tentar. Essa empresa acabou por chamar-me para mais duas entrevistas na semana passada e na sexta-feira ofereceram-me o emprego. Eu estava extasiada! Mal podia acreditar que tinha conseguido aquele emprego. Bem sei que não é 'ético que teria que voltar com a minha palavra atrás 'a outra empresa a que já tinha dito que sim, e estava-me a sentir mal por isso, mas por outro lado, este era um emprego de sonho por isso teria que o fazer. 

 

Só precisava de 2 referências para ficar tudo finalizado com este emprego de sonho, e decidi falar com a minha patroa sobre o assunto. Fui super aberta com ela e expliquei-lhe a situação complicada em que me encontrava e ela foi super compreensiva e aconselhou-me que devia arriscar porque afinal é melhor arrepender-nos do que fizemos do que do que não fizemos, etc. Disse-lhe também que precisava de referências e se ela podia-me dar uma boa referência e ela disse que claro que sim, informou-me que nem sequer 'e permitido por lei dar uma má referência neste país e que claro que, de qualquer forma, esse não seria o caso comigo, estando mais que disposta a dar-me uma. Até me disse para eu lhes dar os dois números de telemóvel dela porque, como ela ía estar esta semana nos EUA, assim podiam contactá-la caso quizessem falar com ela.

 

Nesta terça-feira, ainda eu não tinha dito que não 'a outra empresa já que estava 'a espera de confirmar contratos etc. com este trabalho de sonho, o recrutador telefona-me a dizer que tinha más notícias - a empresa tinha recebido uma muito boa referência e outra que, nas palavras do empregador, era péssima. 'Awful' disse ele. Awful!!! Claro que essa foi dada pela minha patroa. Eu mal podia acreditar! Eu bem sei que ela sente-se muito orgulhosa de dizer que no passado ela já conseguiu mandar uma pessoa para a prisão e conseguiu que outra pessoa nunca mais tivesse a possibilidade de ter um emprego bom na vida dela. Eu bem sei que ela é uma pessoa com um carácter mau, mas nunca pensei que ela fosse fazer algo disto comigo já que nós até que temos mantido uma relação relativamente estável sem grandes problemas durante este tempo que temos trabalhado juntas! Muito menos depois da nossa conversa!

 

Olhando para trás vejo que ela manipulou-me a acreditar que era minha amiga e que ía dar-me uma boa referência sem qualquer intenção de efectivamente o fazer. Porque é que ela fez algo como isto? Não sei. Mas penso que simplesmente ela não gostou do facto de eu ter recebido uma oferta de um emprego de sonho e deve ter achado que isso era felicidade demais para mim.

 

Sim, claro que tenho estado a tentar lutar contra isso e dei mais duas referências que foram muito boas e expliquei como a personalidade dela é, etc., etc. Também tentei apelar ao bom senso dela e mandei-lhe um email super honesto, sem amarguras, apenas factual a pedir para que ela rectificasse o que disse na referência (que ainda não sei o que foi exactamente) durante o telefonema que ela supostamente concordou que ía ter com esta empresa hoje. Ela nem sequer se dedicou a responder ao email e eu sei que ela o leu. 

 

Resultado, com esta situação é mais que certo que esta empresa já não me ofereça o emprego e, mesmo que depois de todas as averiguações que eles têm que fazer, eles mantenham a oferta, já vai ser tarde demais porque eu tenho que assinar o contrato com a outra empresa que já tinha aceite e, obviamente não vou arriscar não ficar com este emprego. 

 

E sim, claro que estou contente com o outro emprego que tinha aceite de qualquer forma, mas quando estava tão próximo de conseguir um emprego de sonho, foi como um balde de água gelada que me caiu em cima. Sinto-me injustiçada, frustrada.

 

Hoje já estou mais calma e estou a tentar ver esta situação mais como uma experiência de aprendizagem para a vida. Não quero passar a desconfiar de todas as pessoas, porque isso não faz parte da minha personalidade e gosto de poder acreditar que há muitas pessoas boas no mundo, mas sem dúvida que vou ser muito mais cuidadosa antes de poder confiar em alguém. Fui ingénua, bem sei.

 

As they say,... live and learn. 

 

48 comentários

Comentar post

Pág. 1/3