Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

The Book of Mormon

No meu aniversário (que decorreu no final de Setembro), recebi bilhetes para ir ver o The Book of Mormon, e a noite de show foi esta semana. 

 

Já estava curiosa para ver este musical desde que estreou em finais de 2011. Lembro-me de que na altura os bilhetes ficaram esgotados durante meses e como os críticos diziam que era hilariante só fazia fomentar ainda mais o interesse para ver o espectáculo. Hoje em dia os bilhetes conseguem-se adquirir mais facilmente, mas de qualquer forma o show a que fui estava completamente esgotado. 

 

Para quem não sabe, os autores do musical são os mesmos da série Southpark, o que significa que escreveram o musical com alto teor de sarcasmo. O musical retrata a experiência de um grupo de jovens missionários da religião Mormon que pretendem espalhar a palavra no Uganda. 

 

Lembro-me de ver os tais Élders, homens jovens vestidos de fato preto, camisa branca e uma maleta preta várias vezes por Lisboa mas ainda nunca os vi por Londres que me lembre. Talvez tenham tentado em tempo e achado que não valia a pena tentar converter os Britânicos que estes já não têm salvação para os pecados todos que cometem de um lado para o outro. 

 

De facto o musical foi engraçado. Não foi tanto de rir à gargalhada quanto eu estava à espera mas sem dúvida foi uma boa diversão para a noite. 

 

Já tinha escrito um post anteriormente sobre musicais e onde comprar bilhetes. Aqui fica.

bookofmornon.jpg

Fonte da foto: bookofmormonlondon.com

 

Brixton está ao rubro

Na passada sexta-feira à noite fui sair para Brixton porque tinha encontrado no Facebook que o Pop-Brixton estava a organizar noites de música ao vivo gratuitas todas as sextas-feiras. Como já não ía a Brixton há algum tempo e ainda não tinha estado no Pop-Brixton achei boa ideia passar por lá. Convidei alguns amigos e lá nos encontrámos. 

 

Devo dizer que fiquei um pouco surpreendida com o que encontrei. Eu já sabia que a Brixton Village na zona do mercado era popular e já existei na altura em que eu vivia em Brixton, à cerca de 5 anos atrás. Mas não só encontrei a Brixton Village com ainda mais restaurantes giros, cafés, pessoas e animação, mas também passei por um pop-up de 'Street Food' chamado Brixton Food Court, localizado no início da Atlantic Road, para quem vem do lado da estação. É um espaço relativamente pequeno comparado com o tamanho do Street Feast mas está muito bem organizado, com vários bancos convidativos a passar lá umas horas quando as noites começarem a aquecer. 

 

brixton_food_court.PNG

Brixton Food Court

Depois lá encontrei o Pop Brixton que também estava muito animado. Quando cheguei a banda já estava a tocar e, em frente do palco encontrava-se um grande espaço coberto para os espectadores verem o concerto, que é também perfeito para dançar depois do concerto, quando começam os DJs a passar música até tarde. À semelhança do Brixton Food Court, aqui os comerciantes também vendem street food, com uma grande variedade de comida incluíndo um restaurante Ghaniano, Pizza, Ramen, Hambúrgueres Indianos, Tacos e alguns outros. Para além de música ao vivo gratuita, o Pop Brixton também organiza vários outros eventos tais como noites de cinema e afins. 

 

popbrixton.PNG

Pop Brixton

Se ainda não conhecem vale a pena passar por Brixton uma destas noites, principalmente aos fins-de-semana quando tudo está mais animado, para fazerem uma visita ao Brixton Village, o Brixton Food Court ou o Pop Brixton, para além dos habituais pubs, bares e cafés muito bons que já existem também nas ruas de Brixton.  

brixtonvillage.jpg

Brixton Village - Imagem retirada @anneskitchen.co.uk

Meetups com estranhos

Recentemente houve duas noites em que não tinha nada planeado, mas apetecia-me sair. Então em ambas as ocasiões, tendo sido a última delas hoje mesmo, decidi ir a um Meetup. 

 

O Meetup em que fui a umas poucas semanas atrás foi organizado pelo grupo London International Meetup. Pensei que sendo um grupo internacional ía ter muitas pessoas novas em Londres, entusiasmadas por cá estar que apenas querem conhecer pessoal novo. Além do mais tinha um grande número de confirmados e era apenas para nos encontrarmos para bebidas num pub por isso achei que seria uma boa alternativa a ir para casa. Não era membra desse grupo antes mas pesquisei na listagem de todos os eventos a decorrer em Londres nessa sexta e esse pareceu-me o mais interessante.

 

Desta vez optei por ir a um encontro de Natal de um grupo, ao qual já pertenço à alguns anos, mas ao qual ainda só tinha ido a um meetup, relacionado com pessoas interessadas em ver música ao vivo

 

A comparação? Em ambos conheci pessoas completamente diferentes do meu habitual grupo de amigos. Afinal são eventos abertos a toda a qualquer pessoa, por isso é normal que se encontre uma grande variedade de pessoas. No entanto, gostei mais da experiência do grupo de hoje do que do grupo do pub de algumas semanas atrás. O facto é que ir a um meetup tão generalista como "friday night drinks" que era o caso, atraí uma variedade muito maior de pessoas. Tinha pouco em comum com a maioria das pessoas que lá estam, por isso era difícil manter uma conversa. Tentei conversar com a maior parte das pessoa presentes para me aperceber melhor do grupo, mas não conseguia encontrar um link comum entre elas, e apenas com algumas consegui manter conversas interessantes mais prolongadas. Conheci lá o médico Alemão acabado de chegar ao páis, o Espanhol também acabado de chegar que mal conseguia falar Inglês, a professora que não tem paciência nenhuma para educar as crianças dos outros, o Inglês que foi dar a volta ao mundo durante o maior tempo que pôde e, desde que voltou, não sabe o que fazer com a sua vida, e muitos mais,...

 

No meetup de hoje, no entanto, notava-se que existia um interesse em comum - música. E como tal, era mais fácil estabelecer conversas e fazê-las prolongar. Sem dúvida que ainda havia uma grande diversidade de pessoas, mas o factor diferença não era tão óbvio como no meetup anterior. Acabei até por receber a lista das "melhores músicas de 2016" de acordo com um dos organizadores do grupo (a sua selecção pessoal). Fica aqui a playlist se tiverem curiosidade para ouvir o que outras pessoas consideram o seu top 100 do ano. Eu estou a ouvi-la agora. Para já, algumas considero também boas. Outras, não tanto, mas penso que seja uma boa oportunidade para ficar a conhecer nova música de qualquer forma. 

 

Em resumo, os meetups podem ser interessantes e divertidos, mas convém ir a metups com uma temática de interesse, para que os seus participantes tenham algo em comum porque senão, os eventos generalistas são um "hit or miss", ou seja, serem bons eventos depende apenas do factor sorte. 

 

Meetup-Logo-Font.jpg

 

 

You Me Bum Bum Train: uma experiência a não esquecer

Tal como indiquei neste post, eu voluntariei-me para fazer de figurante na peça de teatro experimental 'You Me Bum Bum Train' visto não ter conseguido comprar bilhetes por terem esgotado em poucas horas. O objectivo foi participar numa das cenas em que o espectador (ou 'passageiro', como é chamado no You me Bum Bum Train) é o ponto fulcral da acção.

 

Um dos factores de sucesso do You Me Bum Bum Train é o segredo que envolve esta grande produção que tomou conta de um grande edifício dilapidado bem no centro de Londres. Como tal os organizadores requerem que todos os participantes, desde voluntários a espectadores assinem um contrato de confidencialidade que não lhes permite comunicar a outros o que efectivamente decorre nas cenas. Eu adorava ter estado lá como espectadora e vou tentar novamente comprar bilhetes para o próximo ano mas sem dúvida que foi muito interessante também participar como voluntária figurante e presenciar as reacções tão diferentes que cada 'passageiro' tem ao entrar e, no decorrer da cena.

 

Ficam as reacção de algumas celebridades que estiverem envolvidas como 'passageiros' no You Me Bum Bum Train de anos anteriores.

 

 

Se alguém estiver interessado em participar como voluntário e fazer de figurante ainda o pode fazer. Eles precisam de pessoas todos os dias e simplesmente basta aparecerem na noite que vos der jeito e escolherem a cena em que quizerem participar. Só precisam é de efectuar registo primeiro aqui para vos enviarem os detalhes da morada, etc. 

 

Onde jantar quando não se pode jantar em casa

Voltei da viagem de trabalho na quinta à noite e pouca diferença notei na cozinha. O chão está finalmente colocado mas foi a única coisa que fizeram naqueles 3 dias que estive fora. Não pensei que um chão num espaço tão pequeno demorasse assim tanto a colocar. Enfim, vou ter que aguentar mais algum tempo. 

 

Um dos problemas associados a esta falta de cozinha, é que a minha alimentação não tem sido da melhor. Simplesmente não tenho comido nenhuma refeição em casa. O pequeno-almoço não faz grande diferença visto que já comia os meus cereais no trabalho e acaba por ser uma desculpa para ir tomar o pequeno-almoço com amigos aos fins-de-semana. Mas o jantar é que tem sido mais chato porque fica caro ir jantar fora todos os dias portanto tenho tentado diversificar os meus jantares:

 

Take-away: Nunca tinha mandado vir um takeaway só para mim, mas houve uma das noites em que me sentia um pouco adoentada, logo não queria jantar fora mas queria comer uma sopa quente. Foi nesta minha pesquisa de takeaways que reparei que a maioria dos restaurantes apenas facilita o takeaway através de empresas externas de takeaway tais como o JUST EAT, o Takeaway.com ou o HungryHouse. Eu só queria uma sopa, mas o que reparei é que muitos dos restaurantes através destes sites requerem um consumo mínimo de £12 a £15 de forma geral. Optei pelo HungryHouse porque oferecia um desconto de £5 a novos utilizadores, o que foi menos mau porque assim a entrega acabou por me ficar a £10, mas tive à mesma que consumir o suficiente para atingir o mínimo de £13 que era o caso do restaurante de onde encomendei, mais as £2 de taxa do site. Enfim, pode ser útil poder mandar vir um takeaway, mas só para uma pessoa não compensa muito. 

 

Descontos de final de dia do Itsu e Abokado: Todos os restaurantes/snack-bars Itsu, meia-hora antes de fecharem, vendem toda a comida do frigorífico (de sushi a saladas) a 50% de desconto e os restaurantes/snack-bars Abokado vendem tudo a 1/3 do preço a partir das 17h, portanto há que aproveitar, e já aproveitei várias vezes.

 

Taste Card e The Gourmet Society: Estes são cartões pelos quais se paga um valor anual que ronda as £70 no seu valor oficial, mas consegue-se sempre comprar os cartões em versão "trial" descontados. Ao apresentarem esses cartões numa grande variedade de restaurantes recebem cerca de 50% de desconto do valor da comida pelo que vale bastante a pena por isso tenho utilizado o cartão que tenho sempre que possível.

 

Descontos de supermercado: Todos os dias o supermercado têm comida descontada ao fim do dia. O problema é que como não ando a utilizar talheres, pratos etc., tenho comprado apenas ou saladas ou sandes. Não é ideal, por isso não posso comer isso todos os dias, mas de vez em quando, vá. 

 

No caso de hoje, passei a tarde num restaurante/bar junto ao Regents Canal e acabei por jantar por aqui também. Fui para o tradicional Sunday Roast. Geralmente não vou para grandes jantares quando estou sozinha, mas hoje apeteceu-me. Até porque agora para o final da tarde começaram a tocar jazz no piano e sabe tão bem estar aqui que decidi aproveitar e deliciar-me com um bom jantar  

 

chicken_roast.jpg

 

Hackney: Destinação Noite ou Destinação Casa

Hackney é actualmente conhecido como um dos melhores destinos nocturnos de Londres, votado pela Vogue como um dos 15 bairros mais "cool" e "trendy" do mundo. No entanto, o município local entende que o contínuo desenvolvimento da noite de Hackney está a ser detrimente para a zona e quer colocar restrições significativas, limitando as horas em que são permitidas servir bebidas alcoólicas e restringindo a abertura de novos estabelecimentos nocturnos. 

 

hackney_night.PNG

 

Há cerca de 7-8 anos atrás lembro-me de que, àparte de Shoreditch, que já era popular na altura, não queria entrar em outras partes de Hackney porque era conhecida como uma zona perigosa com gangs, crime de faca, etc. Com essa percepção, Hackney era também uma zona mais barata para alugar ou comprar espaço de trabalho e para viver. Assim sendo, a comunidade artística na procura de tais espaços baratos, começou a mudar-se para Hackney. Com essa comunidade vieram também novos cafés, restaurantes independentes e estabelecimentos nocturnos. 

 

Aos poucos e poucos, Hackney tornou-se um destino popular e, hoje em dia, está talvez um pouco popular de mais, sendo que a zona de Shoreditch foi levada ao extremo da popularidade e de levar a noite ao exagero. Ainda ontem passei por lá. Por volta das 3h da manhã, as ruas estavam muito sujas com garrafas de cerveja, outras bebidas e restos de comida espalhadas pelo meio das ruas, com pessoas com ar completamento destruído a vomitarem-se pelo passeio, sirenes de polícia por todo o lado,... Existe uma falta de controlo da população que aproveita a noite e isso nota-se principalmente em Shoreditch, e cada vez mais também em Dalston. Penso que seja exactamente por isso que agora o município local está a considerar tomar medidas drásticas para restringir essa situação ao sugerir a seguinte proposta:

  • Os estabelecimentos nocturnos passam a ser restringidos a servir álcool apenas até às 23h de domingo a quinta-feira, e até às 24h às sextas e sábados à noite.
  • Os takeaways vão ter que fechar pelas 23h ou 24h dependendo da sua localização.
  • Novos bares e restaurantes na zona de Kingsland Road e Stoke Newington High Street vão ter que fechar no máximo às 23h de domingo a quinta-feira e às 24h às sextas e sábados.
  • Estabelecimentos com grande capacidade de pessoas não vão ser permitidos.
  • Novos estabelecimentos nocturnos na zona de Shoreditch não vão ser permitidos abrir a não ser em casos de algumas excepções.

Podem ler toda a proposta aqui.

 

Percebo que algo deve ser feito para melhorar o ambiente nocturno de Hackney, mas penso que tais restrinções não sejam a solução. Com essas medidas o município parece estar a dizer que tem que tratar os locais como crianças dizendo-lhes o que podem ou não fazer e mandando-os cedo para casa. Talvez a solução passe mais por uma questão de educação, não só da população, mas dos próprios estabelecimentos, para que controlem melhor o ambiente dos seus estabelecimentos e que parem de servir quando virem que o consumidor ja está demasiado embriagado. Talvez essa seja uma possível solução que ajude a manter algum controlo sem ter que estar a 'castigar' a população inteira pelos exageros e desordem instigada por alguns. 

 

Perante as notícias, foi lançada uma campanha contra estas propostas através do novo site WeLoveHackney. Quem quiser dar a sua opinião relativamente à proposta apresentada directamente ao município, poderá fazê-lo aqui.

 

 

Jazz gratuito em Londres

Ontem à noite fui ao Beagle em Hoxton ouvir a sua banda residente de jazz tocar. Estão lá todos os domingos a partir das 19:30h e a entrada é gratuita. Ainda nunca tinha ido ao Beagle, mas gostei muito da localização e do ambiente. Este bar/restaurante encontra-se debaixo de uma arcada da estação de overground de Hoxton e, como tal, as suas paredes e tecto são formados por um arco com têm tijolo exposto, o que adiciona ao carácter do local. 

jazz.JPG

Curiosamente o staff que lá estava era constituído por dois rapazes Portugueses e vende-se lá também vinho Português. Fomos mesmo para um vinho Português branco, mas, quando fui a pagar até tive que olhar duas vezes para o preço - £29 por uma garrafa de vinho branco Alvarinho? Tudo bem que é um vinho bom, mas no website do Continente está a €14.99 o que equivale a £10.80, portanto mesmo com o custo da importação e tudo mais, vai lá, vai! Mas enfim, o local não deixa de ser giro e a banda é boa. 

Outros locais alternativos onde podem ouvir jazz ao vivo gratuitamente incluem:

  • Todas as noites - Jazz e blues no Ain't Nothin but... em Soho (à sexta e sábado paga-se depois das 20:30h)
  • Todas as noites - Sessões de jazz ao piano gratuitas no restaurante e bandas de jazz no loft (algumas gratuitas) na Brasserie Toulouse Lautrec em Elephant & Castle
  • Segunda-feira a Sábado - Jazz com piano e cantor no restaurante Boisdale em Victoria
  • Quartas-feiras - Jazz Jam Sessions no Troy Bar em Hoxton
  • A maioria das noites - Jazz, soul e mais no Servant Jazz Quarters em Dalston (alguns concertos são gratuitos)

Conhecem outros locais onde se pode ouvir concertos de jazz gratuitamente? Por favor indiquem nos comentários.

Para estarem constantemente informados dos diferentes concertos de jazz a decorrer em Londres, coloquem esta página da TimeOut nos vossos favoritos que está constantemente actualizada.

Northern Soul em Londres

Ontem fui celebrar o aniversário de uma amiga numa noite de Northern Soul. Para quem não sabe, Northern Soul é um movimento criado nos anos 60 no Norte de Inglaterra dedicado a um tipo de música Soul/Motown. Os artistas Northern Soul são geralmente Americanos, que eram relativamente desconhecidos até que este grupo de pessoas do Norte de Inglaterra, começou a ouvir os seus albuns e tocá-los nas noites que ficaram conhecidas como 'Northern Soul'. O ambiente de uma noite de Northern Soul é muito positivo, simpático e com grande energia também. 

 

Para quem estiver interessado em ir a noites de Northern Soul, deixo aqui algumas ideias:

Soulnites - Organizam eventos por toda a cidade de Londres.

The list - Este site indica um grande variedade de noites de Northern Soul espalhadas por toda a cidade e arredores.

The Phoenix - Foi aqui onde fui ontem. celebrar o aniversário. As noites de Northen Soul são regulares mas convém verificar o calendário de eventos antes de irem lá ter.

 

Se conhecerem outros bons locais para uma noite de Northern Soul em Londres por favor indiquem nos comentários.

Bares e espaços de concertos de Rock e Metal em Londres

Nesta passada sexta à noite fui pela primeira vez ao Garage. O Garage é um espaço de concertos (espaço de concertos? Tenho estado a pensar nisto à uns minutos, mas realmente não sei que nome dar em Português a uma "venue". O Google Translate também não sabe. Chama-lhe "foro". Não sei se sou só eu, mas eu nunca me lembro de falar com os meus amigos sobre ir ver uma banda a tocar no foro X.  Qual é o melhor nome que dariam a um local onde se costuma ir ver concerto de bandas?) Para os efeitos deste post vou-lhe chamar de espaço de concertos. 

 

O Garage é portanto, um dos espaços de pequenos concertos mais conhecidos de Londres onde passam principalmente bandas de rock. Fui ver Queen Kwong, uma cantora de rock Americana, que ficou conhecida principalmente através de um tipo de rock mais calmo tipo Indie Mellow, mas no concerto de sexta deu um concerto de puro rock. Possivelmente agora está mais influenciada pelo seu namorado guitarrista, Wes Borland, que é também o guitarrista dos Limp Bizkit. É ele que se encontra por trás da cantora nesta foto:

 

queen_kwong.JPG

 

Hoje em dia já não costumo ir tanto a concertos de rock, mas houve uma altura em que ía muito por isso quero aqui deixar indicação de alguns dos locais mais conhecidos que o pessoal rockeiro de Londres costuma frequentar, para quem também esteja interessado nesse tipo de música e ambiente.

 

Os espaços de concertos

 

rock_gig.jpg

 

Electric Ballroom: Fundado nos anos 30, este espaço que se enche de stands do mercado de Camden Town durante o dia a vender roupas e bugigangas, durante a noite transforma-se num dos espaços mais conhecidos entre os fans do rock. Conta com noites de concertos e de discoteca. Estação mais próxima é Camden Town.

 

Borderline: Fundado nos anos 70 quando a música underground, rock e punk estavam no auge, o Borderline rapidamente começou a ser um dos principais espaços de concertos e noites de discoteca deste tipo de música. Fica localizado por trás de Soho Square, junto a Charing Cross Road. A estação mais próxima é Tottenham Court Road.

 

Garage: Localizado junto à estação de Higbury & Islington, o Garage abriu em 1993 e é costituído por dois andares. Concertos mais pequenos decorrem no 'Upstairs at the Garage', e os maiores concertos e noites com discoteca decorrem no andar de baixo. Já lá passaram bandas como o The Killers, Mumford & Sons, Franz Ferdinand, etc. 

 

The Underworld: Este espaço, localizado em baixo do pub The World's End, junto à estação de Camden Town, é mais pequeno que os acima mencionados, com capacidade para cerca de 200 pessoas, mas conta também com uma variedade de noites de gigs e discoteca. 

 

Pubs com pequenos concertos

 

crowdsurfing.jpeg

 

The Macbeth: Este pub já conta com mais de 100 anos de história. Muitas bandas já passaram pela casa. Após cada noite de concerto a pista abre para dança e é também um bom pub de forma geral. Fica localizado fora das zonas habituais de rockers, em Hoxton Street. Estação mais próxima é Old Street mas ainda fica a uns 20 minutos da estação, sendo que não vão encontrar muitos turistas por aqui.

 

The Old Blue Last: Este é um óptimo pub, sempre a vibrar a qualquer noite do fim-de-semana e durante muitas noites da semana também. O espaço para concertos fica no andar de cima e também costuma dar espaço para pista de dança após cada concerto. Bandas como os Artic Monkeys, Lilly Allen e Foals já passaram por aqui. A estação mais próxima é Old Street.

 

The Lexington: Óptimo pub, com grande carácter e conta com o espaço para concertos no andar de cima. Também tem pista de dança. Aqui a maioria do tipo de música que passa é rock e indie mas também passam outros géneros por isso convém ver o programa com antecedência para saber o que vos espera.

 

The Enterprise: Pub acolhedor e cheio de carácter mesmo junto à estação de Chalk Farm. Todas as semanas à sexta-feira a DJ Sue, que é uma senhora nos seus 40-50 anos de idade passa música excelente entre funk e rock, indie, e até por vezes mete uma música pop à mistura para a palhaçada. Costuma ser uma noite muito boa. Fora disso, têm também várias noites de pequenos concertos.

 

Pubs e bares onde nem sempre (ou nunca) há gigs mas têm ambiente maioritariamente rock metaleiro

Nota: O código de vestimenta para qualquer um destes bares é o preto

 

Crobar-–-Soho.jpg

 

Hobgoblin: 33 Kentish Town Road. Estação: Camden Town

Black Heart: 2-3 Greenland Place. Estação: Camden Town

The Crobar: 17 Manette Street. Estação: Tottenham Court Road

The Intrepid Fox: Até ao ano passado estava junto de Tottenham Court Road mas foi forçado a fechar devida à regeneração da zona. Actualmente encontra-se em 1 Archway Close. Estação: Archway

 

Uma prova de vinhos com um twist

Há cerca de um ano que dois amigos que gostam muito da zona de Shoreditch no Este de Londres decidiram criar uma aplicação para o telemóvel intitulada ShoreditchHype que permite aos seus utilizadores descobrirem eventos interessantes, novos restaurantes, novos pop-ups, galerias de arte, etc. a decorrer na zona de Shoreditch no mesmo dia ou nos próximos dias. 

 

Para além da informação providenciada através da aplicação, o ShoreditchHype também organiza vários eventos que dão uma boa oportunidade para os envolvidos de ficarem a conhecer melhor a zona de Shoreditch enquanto passam uma tarde divertida com um grupo de novos conhecidos. Os eventos incluem noites de cinema, passeios pelo Regent's Canal, passeios de arte em Shoreditch, provas de vinho entre outros. Já tenho comunidado alguns desses eventos através do Twitter e da página de Facebook do TugaemLondres mas também podem seguir directamente a conta do @ShoreditchHype. E o melhor é que, muitos desses eventos são gratuitos.

 

Este fim-de-semana fui pela primeira vez a um dos seus eventos tendo optado pela prova de vinhos. Acabou por ser um pouco mais do que a prova de vinhos que eu esperava. Ao nos encontrarmos na loja especialista em vinhos italianos, Passione Vino em Leonard Street, e após uma pequena apresentação do grupo, fomos fazer uma visita a uma galeria de street art local, na mesma rua, que tinha peças interessantes apresentadas numa nova galeria na cave muito bem apresentada. Ficam algumas fotos para terem uma ideia da galeria. 

 

hyper5.JPG

hype4.JPG

hype3.JPG

Depois dirigimo-nos à Passione Vino onde fomos levados para a prova na cave. Ali, decorrem regularmente eventos de provas de vinhos, jantares e, até recentemente, houve um homem que decidiu surpreender a namorada ao levá-la ali para um jantar e prova de vinho exclusiva para os dois.

Experimentámos 2 vinhos e 1 prosecco, enquanto um dos fundadores do Passione Vino explicou-nos detalhadamente sobre o processo de fabrico de cada um deles. Notava-se que ele tem uma paixão por aquilo que faz e um profundo conhecimento sobre a indústria de vinhos, por isso a experiência foi, não só agradável em termos do paladar, mas em termos de aprendizagem.

 

hype2.JPG

 

Após a prova de vinhos ainda fomos a um bar local onde nos ensinaram a fazer cocktails, o que também foi interessante e uma boa oportuidade para conversar mais com as outras pessoas que também ali estavam. O bilhete para participar no evento foi gratuito mas não saí da Passione Vino sem comprar uma garrafa de tinto que levei para um jantar que tinha nessa noite e que, por sinal, foi muito bem recebida :-)