Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Fim de ano em Londres

Para todos aqueles que vão ter a oportunidade de passar a passagem de ano em Londres mas ainda não sabem bem como passar a noite por lá, ficam aqui algumas opções dependendo daquilo que preferirem fazer. O que quer que decidam, aconselha-se a viajarem para o vosso destino com antecedência para evitarem zonas congestionadas nas ruas e metros a abarrotar. Todos os transportes públicos em Londres incluíndo o metro são gratuitos e estão abertos desde as 23:45h de dia 31 às 4:30h de dia 1. Depois voltam ao seu percurso e preço habitual por volta das 5h de dia 1. Para mais informações sobre os transportes ver a brochura informativa da TFL. Aconselho também a comprarem o quanto antes bilhetes para a vossa festa de escolha, caso optem por uma que necessite de compra de bilhetes, para evitarem filas e desilusões de ter bilhetes esgotados na própria noite.

 

Fogos de artifício junto ao Big Ben Oquê? Cerca de 250,000 outras pessoas têm a mesma ideia de ir ver os fogos de artifício do Big Ben todos os anos, portanto se querem lá estar é aconselhado entrarem na zona da Southbank/ Waterloo até às 22:30h no máximo. Depois dessa hora, geralmente é atingida a capacidade da zona e esta é fechada até depois da meia-noite. Para quem não conseguir entrar na zona pode ainda ver os fogos através de um ecrã gigante colocado em Trafalgar Square ou se se afastarem do London Eye e forem mais para o lado da Tate Modern talvez consigam estar com menos multidão à volta, apesar dos fogos também estarem um pouco mais distantes. Quanto? Fogos de artifício são públicos e gratuitos Estação?Waterloo


Ver os fogos enquanto jantam e/ou dançam Oquê? Para quem não quer estar no meio da multidão ao ar-livre, pode pagar para estar comfortavelmente num jantar ou festa num local onde se vejam os fogos de artifício. Entre as opções encontram-se:

  • Founders Arms e o Dogget's Coat and Badge são ambos pubs localizados na Southbank, o primeiro oposto à Tate Modern e o segundo junto à ponte de Blackfriars onde podem ver os fogos de artifício comfortavelmente com vista directa para o rio. O preço para entrar em qualquer um destes pubs é muito provavelmente gratuito. 
  • Oxo Tower, tem um ambiente exclusivo e a música da festa vai ser jazz dos anos 20. O menú é gourmet e a vista, apesar de não ser tão abrangente quanto o SkyBar também é muito boa para a zona norte do rio, St. paul's Cathedral e, claro está, os fogos de artifício. Pacotes disponíveis a partir dos £125.
  • London Sky Bar, localizado no Altitude, no topo da Millbank Tower, o Sky Bar oferece um pacote completo de bebidas incluíndo champagne, jantar, DJ e pequeno-almoço de dia 1 desde as 16h de dia 31 às 6h de dia 1 de Janeiro. Custa £145 comprado adiantado até dia 28 ou £185 depois dessa data. 

Festas em discotecas Oquê? Existe uma variedade enorme de discotecas em Londres com música para todos os gostos. Abaixo indico uma combinação de algumas opções baseada nos diferentes tipos de música:
  • Bass/Electronica/Techno: Beat Dimension NYE num armazém em local secreto a indicar apenas aos que comprarem bilhete. Bilhetes a £20. Faster NYE na discoteca Cable em Bermondsey, promete ter a entrada de ano com os sons mais fortes de Drum&Bass. Bilhetes em avanço a £25. Dollop NYE com o DJ Julio Bashmore a realizar-se no bonito edifício art-deco Troxy em Limehouse. Bilhetes a £40. UKF Bass Culture conta com os DJ headliners Chase & Status e DJ Fresh, mas muitos outros vão estar presentes nesta noite na O2 Academy Brixton. Bilhetes disponíveis a £67.50.  
  • House/Disco: Loft Studios NYE apresenta Guy William's underground disco paradise 45. Localizado em Kensal Green, este é ideal para quem vive mais para Oeste da cidade. Bilhetes a £20. Simian Mobile Disco NYE vai ser no reconhecido bar onde algumas das melhores bandas tocam ao longo do ano, XOYO em Old Street. Bilhetes a £20. Slide and Get Diverted NYE na Brixton Clubhouse. Para além dos famosos beats de Greg Wilson, vai ainda contar com uma Silent Disco a partir da meia-noite no terraço aquecido desta discoteca. Bilhetes disponíveis na noite a £25.
  • Indie/Pop: Propaganda NYE carnival Spectacular no O2 Empire de Sheperd's Bush conta com música de bandas Indie pop, bebidas a preços razoáveis, acrobatas, malabaristas, decoração carnavalesca e a entrada incluí entradas gratuitas para outras festas propaganda durante o mês de Janeiro. Bilhetes a partir de £10. Koko NYE Ball conta com uma banda indie pop seguido de música animada que irá contar com os habituais clássicos Pop. Bilhetes a £15.

Festas temáticas/de máscaras Oquê? existe uma variedade de festas temáticas para celebração do ano novo. Desde as mais dedicadas à palhaçada até às mais formais. Fica aqui também uma pequena selecção do que podem encontrar:
  • Popstarz - Cowboy/girl themed: Com duas salas, uma com música mais Pop desde os anos 60 e o segundo com música indie e Country. A grande temática vai ser "country" e, como tal, todos devem estar vestidos como se estivessem saídos de um filme Western. A festa é em Islington e os bilhetes custam £10. 
  • Twisted Circus: Pensem em circo, comedores de fogo, shows burlescos e bandas ao vivo, e é isso o que vos vai trazer o Proud Camden. Bilhetes a partir de £19 antes da meia-noite e £5 a partir da 1h. 
  • Beauty and the Geek in 1985: Uma noite temática aos anos 80, que vai contar com os clássicos da década. vestuário apropriado ao tema é imprescindívil. Esta festa realisa-se nos 4 Adventure Bar que existem em Londres, em Convent Garden, Clapham Junction, Clapham high Street e East Dulwich. Bilhetes a partir de £20.
  • Secret Agents Ball NYE: Vistam-se como o James Bond para dar a entrada ao novo ano no "The Driver" em King's Cross. Bilhetes custam £25 sem jantar ou £40 com jantar.
  • Festas vintage: Existem várias à escolha incluíndo a Blitz Party onde fui no mês passado e sobre a qual já falei aqui no blog. Irá realizar-se em Shoreditch e os bilhetes custam £40. A Vintage New Year's Eve party no Southbank Centre que pode contar com jantar tem bilhetes à venda a partir das £100.

Noite de comédia Oquê? Para quem não se interessa pelas festas de discotecas e prefere um ambiente alternativo em plena diversão pode optar por ir a uma noite de comédia para celebrar o novo ano. Ficam algumas opções:

  • Angel Comedy localizado no Camden Head pub apresenta novos talentos da comédia na noite de Ano Novo. E o que é melhor? É gratuito!
  • Amused Moose no Soho conta com um line-up de 4 comediantes reconhecidos. Bilhetes custam entre £22.50 e £35.
  • Comedy Carnival no Clapham Grand conta com um dos melhores line-ups de comediantes, segundo a Time Out, que irão actuar das 19h até às 22h e a partir daí a pista abre com DJs a tocar alguns dos melhores clássicos das noites de discoteca até às 4h. Bilhetes a £25.


Festas de ano novo gratuitas Oquê? Sim, é verdade, ainda há alguns sítios onde não se cobra entrada para a festa. Infelizmente não é o caso da maioria, mas ficam aqui algumas sugestões:

  • Black and Gold NYE party: O tema é o preto e o dourado, a música contém os clássicos de festa e, para além da entrada ser gratuita, quem escolher este pub localizado em frente ao Battersea Park para celebrar o novo ano, terá direito a um copo de punch e uma sandes de bacon pelas 00:30h gratuitamente. A festa terá lugar no pub Prince Albert.
  • Casino Empire NYE: Este famoso Casino de Leicester Square terá entrada gratuita e um copo de espumante à entrada oferecido para todos aqueles que optarem pelo Empire para passarem ali a sua passagem de ano. O Empire, para além dos habituais jogos e máquinas, vai ter entretenimento especial durante toda a noite e a sua discoteca estará aberta até às 3h. 
  • Camino NYE Special: Localizado em King's Cross, este reconhecido bar de tapas Espanhol, tem um grande espaço incluíndo um pátio interior agradável, e desta vez irá dar o que prometem ser uma festa de arromba ao som de vários DJs e tipos de música. O que é melhor é que tudo isso é gratuito.
  • NYE @ Mother Bar: O Mother Bar em Shoreditch oferece uma noite de festa gratuita. No entanto, devido à capacidade limitada, os interessados devem ir ao Mother Bar pedir bilhetes para poderem entrar nessa noite. Bilhetes disponíveis já das 20-22h todos os dias até ao dia 31 (se ainda existirem alguns bilhetes no dia, ainda poderão ter sorte de encontrar lugar se chegarem cedo).

Boa escolha para a vossa festa da passagem de ano e um feliz 2013!

Dia de Portugal

E lá ontem se realizaram mais uma vez os festejos do Dia de Portugal. Infelizmente neste ano o clima não esteve do nosso lado e passou-se a tarde com muita chuvinha miúdinha, o que não permitia a habitual tarde prolongada de sol sentados na relva enquanto se come umas sardinhas e se ouve uma música tradicional. Mas, apesar da falta de sol, não deixou de ser uma boa oportunidade para conhecer novas pessoas e encontrar algumas caras já conhecidas destes encontros do blog. Ainda conseguimos ser um grupo grandinho de cerca de 10 pessoas, apesar de muitas terem desistido do festival com a chuva que estava. Entre o grupo tivemos a oportunidade de conhecer uma escritora Portuguesa que vive no norte de Inglaterra e que, inclusívie lançou recentemente um livro sobre a emigração Portuguesa para França por alturas da década de 60. Esse livro entitula-se A Terra do Chiculate e podem encontrar mais informações sobre este e outros livros da autora aqui: http://www.isabelmateus.com 

 

Ainda acabei essa noite num concerto no 12 Bar de um cantor de estilo Americana Folk muito bom. Chama-se Erik Brandt, é um professor de Inglês no Estado do Minnesota a tempo inteiro e cantor em part-time, e sem dúvida que para quem gosta deste estilo de música, vale a pena ouvir: http://erikbrandt.com/

 

 

 

Cantor Português a actuar no Jazz Cafe

Vocês conhecem o Moycano? Para ser sincera, nunca tinha ouvido falar antes, mas chamou-me à atenção quando vi que este, aparentemente conhecido cantor Português, vai actuar no Jazz Café em Camden este sábado, dia 5 de Março para o lançamento do seu albúm "Dawn". O Jazz Café é muito conhecido e geralmente só boas bandas/cantores lá vão actuar. Daí fiquei curiosa em pesquisar um pouco sobre o Moycano. Sem dúvida gostei do tipo e ritmo da música. Ainda tenho as minhas dúvidas quanto à voz, mas também só estou a basear a minha opinião em 2 vídeos dele do youtube por isso não posso ainda bem julgar. 

 

Achei piada foi à frase que associou a tudo o que é comunicação sobre ele "The Portuguese Pop star is taking over the world". Ligeiramente exagerado...

 

Aqui está o seu vídeo promocional:

 

 

Os bilhetes estão à venda por £17.50 no site do Jazz Café

 

Entretanto já estou em dívida com o post sobre o que fazer em londres em Março mas como esse post demora sempre mais que 1 hora a escrever e agora tenho que me dedicar à procura de casa, vou ter que adiar para escrevê-lo no fim-de-semana quando tenho mais tempo disponível. Desculpas ao atraso para aqueles que já me tinham pedido.

De volta

OK, ainda não tinha tido oportunidade para colocar as fotos da minha viagem aos States, mas esta semana passada tem sido tudo um reboliço que mal tive tempo para vir à Net. 

Apesar do meu receio em fazer uma viagem tão prolongada novamente, felizmente, como foi de noite, consegui dormir quase o tempo inteiro e a viagem não custou muito a passar.

Ficam algumas fotos da cidade de San Diego:

 

 

Harbor House

 

Hostel com as bandeiras Portuguesa e Brasileira

 

À porta do Horton Plaza Shopping

 

 

Claro que não podia ter deixado de tirar a foto quando vi uma pousada da juventude bem no centro da cidade com as bandeiras Portuguesa e Brasileira, que está em cima. 

 

Quanto a outras novidades, tenho que aqui aconselhar o "Proud Camden" que é o novo bar/discoteca que é também uma galeria de arte em Camden Lock, Camden Town. Fui lá na sexta-feira e não fazia ideia de que aquilo existia, até porque parece não ter sido à tanto tempo assim que lá tinha passado dentro, quando aquilo ainda eram uns armazéns com venda de objectos antigos. Bem, mas agora é um grande bar com duas pistas espaçosas, mais uma terceira zona onde o espaço está separado por divisões (já assim o era quando aquilo era um armazém de venda de velharias) em que, obviamente, usam esses espaços para alugar a grupos de amigos em festa. 

O ambiente de forma geral é muito "Camden" se é que me conseguem perceber. Bem alternativo, relaxado mas um relaxado que é calculado, ou seja, nota-se que todos estão vestidos para a noite, mas mais para o "indie fashion". Gostei bastante do ambiente, principalmente da parte em que veio uma banda tocar ao vivo que, apesar de não ter sido muito boa, mesmo assim soube bem dançar ao som de uma banda.

 

Festa em Kensington e o que os estrangeiros pensam de nós

Ontem saí de casa com a intenção de ir apenas tomar uma bebida com duas amigas e dar dois dedos de conversa, mas já se sabe que quando menos se espera novas coisas surgem que nos fazem mudar um pouco os planos.

Estavamos nós num barzinho em Bermondsey Street, perto de London Bridge (para quem não conhece aconselho a passarem por essa rua se procuram um bom bar já que isso é o que não falta por lá) e os nossos planos começaram a potencialmente mudar quando uma delas recebeu uma mensagem dos colegas que estavam em Clapham High Street a perguntar se ela não queria lá ir ter também. Nós ficamos na dúvida se deveriamos ir ou se era melhor ir para casa e mantermo-nos por uma de noite calminha. Neste mesmo momento a minha outra amiga recebe uma mensagem a convidá-la para ir a uma "house party" em High Street Kensington. Humm, house parties de facto, soam sempre bem, e nesse momento começamos a ter mais dúvidas se deviamos ou não ir. Recebo então eu uma mensagem a convidarem-me para ir sair para Brick Lane. OK, isto era sem dúvida o sinal que necessitavamos para nos convencer de que definitivamente teriamos que prolongar a noite por mais um bocado. Optámos então pela festa em casa visto que festas em casa são geralmente melhores que saídas para bares.

A localização do apartamento era óptima a 3 minutos a pé do metro de High Street Kensington (digamos que é uma zona nada má, para quem não conhece) mas estavamos um bocadinho duvidosas do tipo de festa que íamos encontrar já que não sabiamos se seria grande, pequena ou de que género seria. Mas mal nos aproximamos do prédio apercebemo-nos de que pelo menos a festa tinha bom potencial já que a música se ouvia bem à distância. Basicamente apenas a minha amiga (S.) e eu é que conheciamos o rapaz que a convidou e ao lá chegarmos apercebemo-nos que ele próprio não conhecia as pessoas da casa e que tinha sido um outro amigo dele o elo de ligação à festa. Resultado, estavamos numa festa em que não conheciamos os donos e a pessoa que nos convidou para lá também não os conhecia. Típico de festas Londrinas. Mas sem problema porque não demorou muito tempo a travarmos conhecimento com aquele pessoal. 

Uma das pessoas que lá conheci era um Espanhol que, ao saber que eu era Portuguesa, e após alguns minutos de conversa em que já se sentia mais à vontade comigo, decidiu dar-me a sua opinião relativamente às mulheres Portuguesas. Ele estava-me a falar de uma viagem recente que tinha feito a Lisboa, na qual tinha ido numa das noites à discoteca Kapital e diz que ficou espantado com o facto de que as raparigas estavam lá vestidas com vestidos de noite e ténis. Depois disse também que das noites todas ficou com a impressão geral de que nós não gostamos muito de usar maquilhagem nem nos dedicamos muito a vestir para a noite. Pior é que outro que estava perto de nós ouviu o que o Espanhol estava a dizer e meteu-se na conversa a concordar com ele. Disse que também tinha tido essa impressão quando tinha estado em Lisboa mas disse que no Porto as raparigas já se vestiam mais para a noite. 

Claro que eu meti-me logo ali no lado defensivo a dizer que isso não era bem assim e que as Portuguesas são de forma geral bastante femininas. Ficamo-nos por ali na conversa, mas pensando em retrospectiva, de facto nessa coisa dos ténis tenho que dar razão ao Espanhol que só em Lisboa mesmo é que tenho visto algumas raparigas irem sair à noite para discotecas calçadas com um par de ténis. E nem posso comentar muito sobre o assunto porque eu própria fazia o mesmo antes de ter vindo para Londres. Nunca me lembro de ter visto mulheres de outras cidades Europeias em que tenha ido sair à noite, fazerem isso. Nem sei se isso é mau se é bom. O facto é que assim qualquer pessoa pode ir sempre sair de forma mais descontraída sem estar preocupada com o assunto já que ninguém se arranja muito, mas por outro lado, usar ténis e calças de ganga durante o dia e durante a noite também retira um bocado aquela ideia de nos sentirmos diferentes numa saída à noite, o que também pode ser uma boa sensação. Enfim, isso fica sempre ao critério de cada um e com o que cada qual se sente melhor, mas não deixa de ser uma situação que passa uma certa imagem da mulher Portuguesa o que, no caso da opinião destes dois que estavam na festa ontem, não era assim muito boa.

 

Festas à parte, passei hoje pelo Hyde Park e os preparativos para a "Winter Wonderland" estão quase prontos e a postos para abrir as portas ao público no próximo dia 21.

Com um dia solarengo como o que esteve hoje soube mesmo bem passear pelo relvado coberto de folhas secas tão característico desta época do ano. Ficam as fotos:

 

 

 

Porque é que eu gosto de Upper Street?

Vibrante, agradável, diversidade de bares e restaurantes, bom ambiente, boa zona, central mas não turístico, frequentado por quem vive em Londres, são apenas algumas das características desta rua localizada entre Angel e Islington que me fazem gostar tanto de lá ir.

Nesta rua, porta sim porta sim encontram um restaurante ou bar agradável. É ideal para quem quer ir sair com amigos para jantar ou conversar num bar calmo em que a música não se sobrepõe à conversa. Tem inúmeras escolhas para quem quer ir sair num primeiro encontro romântico ou conversar a noite toda numa das muitas esplanadas que preenchem a rua. Antes do jantar podem optar por fazer umas comprinhas numa das várias lojas da zona ou ir a um dos dois cinemas que se encontram na Upper Street - o Vue Cinema localizado perto da saída do metro de Angel num centro comercial, que contém 9 salas de cinema, e o Screen on the Green, localizado mais ao fundo da rua na direcção de Islington, que é um cinema antigo com o carácter de outros tempos mas com as condições de um cinema moderno e que inclui 1 sala de cinema com capacidade para 300 pessoas. Para quem prefere teatro a cinema, então o Almeida Theatre também localizado nesta rua será uma óptima opção.

Se o ambiente calmo dos vários restaurantes ou bares aborrecer também podem ir a um dos bares com pista de dança tais como o conhecido Lady Bird ou a um dos bares com bandas ao vivo tais como o Big Note Club.

 

Para dar uma espreitadela por esta rua basta irem ao website Streetsensation que indica todas as lojas e bares tal como se apresentam na realidade uma a uma.

 

Hoje a minha noite foi passada por lá mesmo no bar "The Green", um pouco por engano já que era um bar gay que não era bem a intenção, mas para uma noite de conversa na esplanada também não fazia diferença. E como estávamos na parte de fora ainda nem tinhamos reparado nisso até que o empregado Brasileiro sentiu a necessidade de nos informar que aquele era um bar gay mas que ele e o cozinheiro eram os únicos dois que lá trabalham que não o eram. E isso foi bem evidente quando ele espetou um beijo a uma cliente que estava também sentada na esplanada e que ele tinha acabado de conhecer. Parece-me que isto de ser o único num bar gay lhe deve trazer algum sucesso com as mulheres que por lá aparecem. Hehe!

 

Preciso doutro fim-de-semana prolongado para recuperar deste

Ora e com o dia de hoje acabam os 4 dias de mini-férias da Páscoa que souberam tão bem, fora da rotina habitual. Como tinha dito no post anterior tive visitas cá neste fim-de-semana - um amigo dos meus tempos do secundário, que era o meu colega de carteira das aulas de Inglês, com o qual trocava papelinhos quando não apetecia ter atenção na aula e com quem estava sempre em competição pelas melhores notas a Inglês, mas com quem sempre me dei muito bem, e um ex-colega de faculdade dele que ainda só conhecia de vista.

Era suposto terem chegado à estação de metro mais próxima de minha casa por volta das 22h, e eu estava num pub com amigos à espera que chegassem, mas afinal tiveram voo atrasado e acabei por ir para casa antes que eles chegassem, mas mal estava a agarrar nas chaves para abrir a porta de casa, mandaram-me mensagem a dizer que já estavam a chegar. Ora bolas, lá tive que voltar logo a correr para a estação para os ir buscar. Chegaram cheios de fome, e logo depararam com a dura verdade que dificilmente encontram algum sítio a servir comida às 23:30h onde se possam sentar, a não ser o McDonald's, claro, que acabou mesmo por ter que ser o local escolhido para terem a sua primeira refeição em Londres.

 

 

Na sexta-feira leveio-os fazer o passeio típico do centro de Londres para que vissem todos os monumentos essenciais em qualquer visita a Londres que foi, portanto, um passeio idêntico ao do dia 2 que já descrevi aqui quando tive cá amigas de visita. As únicas diferenças entre o passeio delas e o deles é que desta vez paramos para almoçar mais cedo em St. Christopher's Place que é uma ruela onde existe uma grande variedade de restaurantes, pubs e cafés quase oposta à entrada da estação de metro de Bond Street, que se entra a partir de uma rua mínima mesmo ao lado esquerdo da loja da H&M. Sem dúvida um bom local onde outros visitantes de Londres podem ir almoçar ou jantar. Uma outra diferença no passeio deles é que em vez de visitarmos a National Gallery fomos antes para o British Museum, mas infelizmente não tivemos oportunidade para ver mais que umas 3-4 salas visto que fecharam as portas às 17:30h. Saídos do British Museum continuamos a caminhar na direcção do Soho onde eles ficaram a ter uma ideia geral sobre o ambiente mais artista, gay e alternativo tão característico do Soho e onde, inclusívie descobrimos uma loja que achei um espectáculo e na qual ainda nunca tinha estado - Vintage Magazine Shop. Muito boa a loja e fiquei com imensa pena de não a ter descoberto antes já que me teria feito imenso jeito quando andava à procura de posters para a sala. Com o Soho visitado apanhamos então o metro na direcção de Old Street onde fomos jantar ao Hoxton Bar & Kitchen de que gosto bastante e seguimos depois para o Cargo. O Cargo não só é um óptimo bar com uma grande zona exterior, zona de sofás no interior, zona onde servem comida e zona de pista de dança, mas também é um dos locais mais conhecidos para se irem ver bandas ao vivo a tocar. Nessa noite estava lá um artista de beat boxing muito bom que actuou em conjunção com outros artistas que usaram também vídeo num ecrã gigante, DJ, houve uma parte da noite que teve Drum&Bass que geralmente não é um estilo de música de que goste muito mas que nessa noite adorei, e havia uma interacção com o público excelente. Estava mesmo ao rubro, e sem dúvida foi uma noite muito boa. Considero o Cargo um local altamente aconselhado para quem procura locais onde sair à noite em Londres que sejam um pouco mais alternativos, fora do género de música mais comercial e com ambiente muito "London".

 

No sábado fizemos o percurso a que também tinha levado as minhas amigas no dia 3, com a diferença que após o nosso passeio em Regents Park seguimos para casa já que estes meninos demoraram-se mais nas compras em Camden Town do que essas minhas amigas, e ao sairmos de Regents Park já eram quase 18h e eu ainda tinha o jantar para preparar para nós e para mais uma amiga nessa noite. Depois do jantar e de nos encontrarmos com mais outros amigos seguimos para o Ministry of Sound. Tenho que ser sincera que, quando eles me tinham enviado um e-mail antes da viagem a dizer que queriam ir ao Ministry of Sound ouvir David Guetta, não fiquei lá muito impressionada com a ideia já que, afinal, o Ministry é uma discoteca "à séria" daquelas com uma dose forte de house music com o nível de décibeis muito acentuado e onde quem lá está ou são adolescentes cheios de energia ou é pessoal pastilhado para conseguir aguentar com o ritmo da coisa. Como não me enquadro em nenhum dos perfis não tinha bem a certeza se ía gostar. Mas nesse mesmo dia em que eles tinham mostrado interesse em ir ao Ministry of Sound recebo uma mensagem de uma amiga a dizer que "temos que ir ao Ministry no sábado porque vai lá estar o David Guetta e vai ser brutal". Foi nesta altura que me dei por convencida. Eu nunca tinha ouvido falar no David Guetta, mas duas pessoas totalmente diferentes a insistirem no assunto não podiam estar erradas. Aparentemente ele é um famoso DJ Francês. Então lá fomos. A música foi melhor do que estava à espera e de forma geral gostei da noite e da experiência. Apesar de house music não ser o que prefiro para ouvir a noite toda, talvez por já estar mentalizada de que esse ía ser o som da noite aguentei-me muito bem, principalmente porque uma vez que estavamos no meio da multidão não havia mesmo grande hipótese de sair dali porque se saísse dificilmente ía voltar a conseguir encontrar os meus amigos, por isso achei melhor ficar onde estava mesmo. E de tal forma fiquei que comecei a dançar por volta da 1:30h e só às 4:30h é que cheguei à conclusão de que os meus pés não aguentavam muito mais e decidi fazer uma pausa.

 

No domigo levei-os então a fazer o passeio ao longo da Southbank começando em Waterloo junto ao London Eye e terminando na Tower Bridge: Após atravessar a ponte dirigimo-nos depois para Convent Garden onde jantamos um típico Sunday Roast num pub e seguimos depois para Camden Town onde fomos assistir a bandas "indie" tocar no Bar Fly que também já aqui tinha mencionado em posts anteriores.

 

Hoje, acordei-os de manhãzinha como queriam para ir fazer o seu passeio no London Eye antes de voltarem para Lisboa, mas deixei-os ir sozinhos desta vez que a minha cama ainda chamava por mim e ir ficar numa fila cheia de turistas para ir passear para o London Eye depois dum fim-de-semana destes não é propriamente a minha ideia de diversão.

 

Como tive que aproveitar o feriado de hoje para fazer tudo aquilo que ainda não tinha oportunidade de fazer durante o fim-de-semana tipo limpezas da casa, idas ao supermercado, etc., acabo por ainda estar esausta e a ideia de ter que acordar amanhã às 6:45h para ir para o trabalho não é a mais apelativa neste momento 

 

Fim-de-semana prolongado terminado, devo dizer que gostei bastante apesar do cansaço. Diverti-me imenso com as minhas visitas por cá e relativamente ao blog recebi também duas boas notícias este fim-de-semana com as quais fiquei contente. É que publicaram um excerto deste meu post recente no jornal Público no dia 8 de Abril e também durante a semana passada o "Tuga em Londres" foi o blog destacado pelo programa de rádio Janela Indiscreta da Antena 1