Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Porque é que eu gosto de Upper Street?

Vibrante, agradável, diversidade de bares e restaurantes, bom ambiente, boa zona, central mas não turístico, frequentado por quem vive em Londres, são apenas algumas das características desta rua localizada entre Angel e Islington que me fazem gostar tanto de lá ir.

Nesta rua, porta sim porta sim encontram um restaurante ou bar agradável. É ideal para quem quer ir sair com amigos para jantar ou conversar num bar calmo em que a música não se sobrepõe à conversa. Tem inúmeras escolhas para quem quer ir sair num primeiro encontro romântico ou conversar a noite toda numa das muitas esplanadas que preenchem a rua. Antes do jantar podem optar por fazer umas comprinhas numa das várias lojas da zona ou ir a um dos dois cinemas que se encontram na Upper Street - o Vue Cinema localizado perto da saída do metro de Angel num centro comercial, que contém 9 salas de cinema, e o Screen on the Green, localizado mais ao fundo da rua na direcção de Islington, que é um cinema antigo com o carácter de outros tempos mas com as condições de um cinema moderno e que inclui 1 sala de cinema com capacidade para 300 pessoas. Para quem prefere teatro a cinema, então o Almeida Theatre também localizado nesta rua será uma óptima opção.

Se o ambiente calmo dos vários restaurantes ou bares aborrecer também podem ir a um dos bares com pista de dança tais como o conhecido Lady Bird ou a um dos bares com bandas ao vivo tais como o Big Note Club.

 

Para dar uma espreitadela por esta rua basta irem ao website Streetsensation que indica todas as lojas e bares tal como se apresentam na realidade uma a uma.

 

Hoje a minha noite foi passada por lá mesmo no bar "The Green", um pouco por engano já que era um bar gay que não era bem a intenção, mas para uma noite de conversa na esplanada também não fazia diferença. E como estávamos na parte de fora ainda nem tinhamos reparado nisso até que o empregado Brasileiro sentiu a necessidade de nos informar que aquele era um bar gay mas que ele e o cozinheiro eram os únicos dois que lá trabalham que não o eram. E isso foi bem evidente quando ele espetou um beijo a uma cliente que estava também sentada na esplanada e que ele tinha acabado de conhecer. Parece-me que isto de ser o único num bar gay lhe deve trazer algum sucesso com as mulheres que por lá aparecem. Hehe!

 

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.