Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Diz que o show é ridículo mas apresentou-o durante 38 anos

Mais uma vez teve lugar o "grande show" que é a Eurovisão. Ok, digamos que já desde há várias anos que não me dedico a seguir os preliminares da Eurovisão e muito menos a ver o próprio festival. Acho que está relacionado com o facto de ter ficado tão desiludida durante vários anos seguidos quando era pequena, com a participação Portuguesa. É que ficavamos sempre nas últimas posições. Era uma coisa impressionante! Uma criança fica traumatizada com estas coisas, claro está. Lá recebiamos uns pontinhos da nossa vizinha Espanha e pouco mais. Também pudera, com aquele tipo de músicas nem eu iria votar na canção do meu próprio país. É que eram sempre más!!! OK, talvez os cantores ou cantoras até tivessem boas vozes, e podiam ser pessoas com imenso talento musical, mas não tem nada a haver com os cantores tem a haver com as canções e com a música que eram MESMO MÁS! Completamente desajustadas ao tema da Eurovisão. O festival da Eurovisão tem a haver com músicas animadas, mexidas, alegres, e todos os anos Portugal saia-se com umas canções monótonas, tristes, demasiado calmas ou aborrecidas. Daquelas mesmo boas para os espectadores que estão a ver em casa aproveitarem para ir à casa de banho ou fazer um cházinho.

Resultado, ao fim de uns anos desisiti completamente de ver o programa e acho que isso se verificou um pouco pela população Portuguesa em geral já que deixei de ver aquele entusiasmo em que não se falava de outra coisa nos dias que antecediam a Eurovisão. Acho que nos últimos anos até a reacção já era mais do género - "ai o festival da Eurovisão já deu ontem? Olha nem sabia. Ah Portugal não passou à segunda fase sequer? Ora pois claro que outra coisa também não seria de esperar."

No entanto fiquei surpreeendida quando, no ano em que estive a fazer Erasmus, vi todos os meus amigos super entusiasmados nos dias antecedentes à Eurovisão. Era o pessoal a combinar jantaradas seguidas de uma noite a assistir a Eurovisão, era eles a fazer downloads da música de cada país antes do show e apostar na música que iria ganhar. Eu estava estupefacta com todo aquele entusiasmo dos meus colegas provenientes de variados países Europeus que davam mesmo importância à competição. Obviamente nunca tinham apanhado com o "trauma" da Eurovisão que eu apanhei aquando criança.

Mas já os Britânicos não demonstravam o mesmo entusiasmo que os meus colegas dos restantes países Europeus. Pareciam levar o festival assim mais no gozo e também não lhe ligavam grande importância. E só no ano passado é que descobri o porquê desse desdem. Não tinha a haver com performances fracas dos seus candidatos que geralmente os cantores Britânicos da Eurovisão nem costumam ser dos piores. Estava mesmo relacionado com o comentador do festival. Terry Wogan, um conhecido apresentador de programas da radio, responsável por comentar o festival da Eurovisão para a televisão Inglesa à mais de 35 anos.

É que o tom e o tipo de comentários dados pelo Terry Wogan era absolutamente inacreditável. Quando sintonizei a televisão na Eurovisão o ano passado e ouvi o comentador literalmente a gozar com a triste figura que um dos cantores de um qualquer país estava a fazer naquele momento, eu mal queria acreditar nos meus ouvidos. Mas? Seria possível? O comentador está ao vivo na televisão nacional Britânica a gozar com um dos cantores? Mas isto só pode ser um erro, pensava eu. Nop! Aparentemente essa é mesma a forma que ele tinha de comentar todos os festivais da Eurovisão ao longo de todos os anos que o tinha vindo a fazer. E por isso mesmo é que o público Britânico acaba por ver o festival já que acham imensa piada aos comentários a fazer de parvas todas as pessoas dos outros países. Daí os Britânicos também nunca terem levado o show muito a sério como todos os outros Europeus costumam fazer. Aliás, ainda na antecipação do festival deste ano, a Eurovisão estava anunciada nos jornais como "The cheesiest European tv competition is back!" Mas este ano, e ao fim de 38 anos a comentar a Eurovisão, Terry Wogan desistiu do seu cargo cedendo o seu lugar a Graham Norton.

Em entrevista relativamente à sua decisão de deixar o programa Terry Wogan diz que toda a população do Reino Unido sabe que o programa é uma porcaria e que apenas diz isto com tanta franqueza porque é já um velho amigo do programa e, como tal, aos amigos diz-se a verdade. Por isso mesmo volta a afirmar que o programa está totalmente corrompido por interesses políticos e que as pessoas deviam deixar-se de politiquisses e dar ao programa apenas a atenção que merece como mero programa de entretenimento que é suposto ser. Acrescenta também que as votações deviam ser efectuadas apenas tendo em consideração quem fôr o melhor cantor e não para demonstrar orgulho nacional ou o quanto se gosta do país vizinho.

Bem é esta a opinião (da qual não discordo totalmente) de um homem que, hoje em dia já não pode entrar na Dinamarca sem ser disfarçado, após ter ofendido os apresentadores Dinamarqueses do festival da Eurovisão em 2001, por dizer que se pareciam com "o Doutor Morte e a Fada dos Dentes".

 

Já que me decidi a escrever este post sobre o festival da Eurovisão, aproveitei para ver no youtube a canção Portuguesa e, surpresa das surpresas, devo dizer que até não acho má. Ainda talvez um pouco calminha para a Eurovisão mas acho que a Flor-de-lis com "Todas as ruas do amor" representou muito bem o país com os trajes tradicionais, o tipo de instrumentos utilizados e o tipo de canção. Assim sim, já estamos melhor. PORQUE É QUE DEMORARAM TANTO TEMPO A PERCEBER O TIPO DE MÚSICA QUE DEVEMOS TER NO FESTIVAL?? Pode não ter o potencial para ganhar, mas acho que desde que represente bem a música Portuguesa não necessita de ter essa capacidade.

 

Fui também dar uma espreitadela à canção vencedora e sinceramente não acho nada de especial. A Noruega representada por um rapaz a cantar em inglês com uma voz que até nem era muito boa e com uma canção que não era nada de especial. Será que esta era mesmo a melhor canção que estava no festival deste ano? Bem, já vi estas duas já me chega. Não vou estar agora a comparar. Estava a pensar colocar aqui a canção vencedora mas como não acho nada de especial não o vou fazer. Em alternativa, vou colocar a canção vencedora do ano em que estive cá em Erasmus que essa sim, é uma música e canção que mereceu vencer o festival da Eurovisão. A única canção vencedora dum festival da Eurovisão que cheguei a colocar no meu mp3 player. Não sei se terá sido também por associar a música ao meu Erasmus, logo poderei não ser totalmente imparcial, mas o facto é que gostei muito da animação desta música e por isso aqui fica a vencedora Ucraniana Ruslana com "Wild Dances": 

  

10 comentários

Comentar post