Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Casas Problemáticas

Pelos vistos não sou só eu que ando com problemas com a casa onde moro. Em conversa com duas colegas de trabalho hoje apercebi-me que os problemas com casas por cá perseguem-nos, cada qual pela sua razão diferente.

 

A Simona teve que sair do anterior apartamento dela que adorava porque o senhorio decidiu vendê-lo. Andou o mês de Abril inteiro à procura de casa, mas finalmente, cerca de 2 semanas antes de ter que se mudar encontrou novo apartamento em West Hampstead. Um bocado para o caro mas com quartos espaçosos, muita arrumação e boa decoração. Ela estava toda contente com o novo apartamento que ía partilhar com mais 2 outras amigas e ía-se mudar no último sábado do mês de Abril. Nessa quinta-feira anterior o futuro senhorio telefona-lhe às 22h para lhe pedir para ela e outra amiga irem ter ao restaurante dele para assinarem o contrato da casa. Como já era tão tarde a Simona, que vivia na zona Este de Londres não ía agora percorrer meia cidade para assinar o contrato, mas a amiga dela foi. Quando a amiga chegou ao restaurante o futuro senhorio informou-a que, afinal não podem ficar com o apartamento que tinham visto porque houve outro grupo de pessoas que ofereceu mais dinheiro pelo apartamento e por isso ficaram com ele. Em alternativa ele disse que lhes alugava o apartamento oposto ao que tinham visto, que, segundo ele é simétrico ao que tinham visto e com o mesmo tipo de decoração. Lá a rapariga assinou o contrato visto também não ter grande opção nem tempo para procurar alternativas. No sábado, quando se mudaram para a nova casa depararam-se com um apartamento que tinha muito pouco de simétrico com o que tinham visto. O facto é que os quartos são os chamados "box rooms", onde cabe a cama, o roupeiro e pouco mais. Resultado, agora estão agarradas a um contrato num apartamento de que não gostam e a Simona ainda nem sequer conseguiu tirar todas as coisas dela de dentro das caixas porque simplesmente não tem espaço onde colocar as coisas. Ou seja, ela tem andado num stress enorme, e apesar de só se ter mudado à duas semanas diz que não consegue dormir de noite (porque ainda por cima o quarto fica virada para a estrada principal barulhenta) e já anda em visitas para procurar nova casa. Quer sair, e com razão, daquela casa o mais depressa possível.

 

Com esta situação como a da Simona percebe-se que, apesar das agências imobiliárias terem imensas taxas e burocracias, serão também de maior confiança do que por vezes ter que lidar directamente com os senhorios. Claro está, depende de caso para caso. Já morei em 3 casas desde que estou em Londres, incluíndo a actual, e para todas elas lidei directamente com o senhorio e nunca tive problemas com eles. Infelizmente isso nem sempre acontece e é preciso ter algum cuidado quando se lida directamente com os senhorios.

 

Já no caso da minha outra colega, a Annamaria, o problema dela é exactamente o oposto. Em vez de ter problemas com o senhorio,tem problemas com os inquilinos, visto que ela é que é a senhoria, neste caso. Está a alugar um apartamento a um padre e à mulher dele e, o facto é que já há 2-3 meses que estes inquilinos ou não pagam a renda ou pagam muito em atraso. Depois ele sendo padre vem com conversas de que ela deveria ter caridade para com eles, e a Annamaria lá vai deixando a renda atrasar, mas não deixa de sentir que está a ser alvo de chantagem emocional de uma certa forma. Depois revolta-se consigo própria por estar a ser tão paciente com eles mas ao mesmo tampo também não os pode mandar evacuar.

 

Enfim, quer do lado dos inquilinos, quer do lado do senhorio, quer na própria casa entre os moradores, isto parecem só haver problemas no que toca à casa. A ver se para todas a situação começa a correr melhor brevemente.

18 comentários

Comentar post