Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Noites que já não são como eram

Na outra noite estava a dirigir-me para Camden Town para ir ter com uns amigos e eles dizem para ir ter com eles à Camden Assembly. - Camden Assembly? Hmm, nunca ouvi falar neste sítio. 

 

Quando lá chego e, ao ver que fica num canto oposto a um restaurante Brasileiro - Espera lá! Mas este é o edifício do bar Fly! O barfly já não existe!! - É o momento de surpresa quando não se espera nada ver um estabelecimento, que é considerado uma instituição dos bares de Camden Town, e dos bares de música indie de Londres de forma geral, que já não existe. Inúmeras bandas de qualidade passaram pelo barfly e não é de surpreender que as bandas Indie Rock que hoje são conhecidas, à uns anos atrás tenham tocado no barfly - desde os Stereophonics aos Coldplay, Muse, Doves, Blur, Oasis, etc, etc. 

 

O barfly não deixa de ser um pequeno bar, um estabelecimento de música que todos ou quase todos os dias, contava com concertos íntimos no primeiro andar, onde maioritariamente podiam esperar ver bandas de qualidade, mesmo que fossem bandas desconhecidas. No andar de baixo, era um bar normal, com bom ambiente, onde se podia contar com uns passos de dança ao som dos Fratellis, The Libertines, etc. etc. aos fins-de-semana. 

 

Por qualquer razão, o bar foi vendido no ano passado ao Columbo Group, que também gere outros estabelecimentos tais como XOYO em old Street, The Old Queen's Head em Angel, The Nest em Dalston, e vários outros. Depois de algumas obras a partir de Junho de 2016, o estabelecimento reabriu no final do ano como a Camden Assembly. Ainda continua a ser um estabelecimento de música ao vivo, mas deixou de ser dedicada ao Indie Rock e hoje em dia conta com uma maior mistura também com DJs de música electrónica. E devo dizer que não tenho nada contra música electrónica, pelo contrário, mas gosto de ir a estabelecimentos com um caractér específico e o barfly era cheio dele. OK, não é que eu fosse uma cliente muito regular hoje em dia, já que me demorou uns quantos meses a realizar que o barfly já não está lá, mas de qualquer forma, tenho pena que já não exista. Foi um daqueles estabelecimentos que marcou 16 anos de uma geração, e onde quase todas as pessoas que conheço com idades semelhantes à minha, tenham passado boas noites pelo barfly. 

 

O barfly é só um exemplo de uma dos muitos estabelecimentos de música que Londres tem visto desaparecer nos últimos anos. Se bem que os estabececimentos começam e acabam todos os dias e, se para mim tenho a impressão de que um local tal como a Camden Assembly, seja de qualidade inferior ao que lá estava anteriormente, possívelmente, a geração anterior à minha, achou o mesmo quando o barfly abriu no lugar do pub The Monarch, que era o nome do estabelecimento que existia antes do barfly, e que também existiu como um estabelecimento de música ao vivo desde os anos 80. 

 

Outros bares que tive pena de terminarem incluiram:

  • Round Midnight em Angel era um Blues e Jazz bar que oferecia concertos gratuitos todas as noites. Parecia incrível como um estabelecimento no centro de Londres com artistas de tanta qualidade oferecesse entrada gratuita. O ambiente era também extremamente simpático, e muito sociável. Ao que parece os gerentes simplesmente fartaram-se de fazer a gestão do bar. Existiu durante 5 anos e encerrou em 2014.
  • 12 Bar em Denmark Street que hoje em dia, já nem existe nem o bar nem a rua onde o bar vivia devido às obras do Crossrail em Tottenham Court Road. Existiu durante 19 anos e encerrou em 2015 nessa morada.
  • Passing Clouds em Haggerston. Este não tive só pena de ter fechado. Por este chorei, manifestei-me, assinei abaixo assinados, de nada resultou. Passei 5 anos da minha vida onde quase todas as quartas-feiras ía ao Passing Clouds. Era o meu bar local, onde conheci imensos dos amigos que tenho hoje. O Passing Clouds era governado por um gupo de hippies que mantinham o local com uma decoração alegre e positiva, comfortável como se estivessemos numa sala de estar, com um pequeno palco onde músicos de jazz tocavam para nós todas as Quartas, enquanto que dançavamos ao som da melodia. Foi encerrado pela empresa que comprou o edifício para construir um edifício de habitação (possivelmente de luxo, como não poderia deixar de ser). Por lei ainda não poderam fazer nada com o edifício ao cerca de um ano depois de ter encerrado porque este está licenciado como um espaço de comunidade e não pode ter outra função durante alguns anos. E por isso os proprietários preferiram deixar o estabelecimento fechado e vazio, como que abandonado, porque não podem fazer nada com ele senão esperar que o tempo necessário para que essa lei deixe de ter efeito, passe. É muito triste. Existiu durante 10 anos e fechou em 2016.

passing-clouds.jpg

Fonte: The Independent

Música tradicional Portuguesa antiga

A minha avó está com demência e, a cada vez que a vou visitar está um pouco (ou muito) pior do que quando a tinha visitado na vez anterior. Infelizmente, com a distância, a possibilidade de a ir visitar também não é muito frequente, mas sem dúvida que notei algumas das diferentes fases que a doença lhe afectou. Primeiro repetia as mesmas histórias imensas vezes num curto espaço de tempo. Mais tarde começou a desconfiar de tudo e de todos e, por vezes era mesmo má para as pessoas mais próximas. Depois cada vez mais, começava a falar sobre coisas sem qualquer sentido ao que estava a acontecer. E nesta minha última visita, ela já não sabia quem eu era.

 

A minha mãe tinha-me avisado de tudo e de que me devia preparar, mas por mais mentalizada que eu estivesse de que ela não me iria reconhecer, nada me poderia ter preparado para o momento em que chego junto a ela, agarro-a enquanto dou muitos beijinhos como faço sempre, e ela pergunta "quem és tu?"

 

Vou voltar a visita-la para o final do mês e tenho estado a pensar o que posso fazer ou o que lhe possa levar que a ajude a trazer algumas lembranças. Descobri que a música é das coisas que são mais sensíveis à memória e que, mesmo para pessoas com demência, ao ouvirem música que tenham ouvido ao longo da vida ajuda a reactivar as memórias associadas com essa música. 

 

A minha avó nunca foi do tipo de pessoas que ouvisse muita música, e não consigo pensar numa música que tenhamos ouvidos as duas frequentemente que ela possa associar a mim. No entanto, eu sei que a época quando ouvia mais música foi durante a sua juventude, quando andava a dançar no rancho da aldeia, e a música que ela mais gosta é mesmo música de ranchos Portugueses ou fado animado. Ela sempre gostou de música mais mexida, e também gosta da tradicional mais moderna tipo Quim Barreiros, se bem que me parece que a música mais recente não irá ajudar tanto a activar a sua memória. 

 

Comecei a fazer uma playlist no Spotify para lhe poder tocar quando estiver junto a ela. O problema é que não sei bem que músicas é que que ela ouvia para poder colocar aquelas músicas que lhe vão ajudar a reactivar a memória. E o Spotify também não tem uma boa selecção de música dos anos 40, 50 e 60 Portuguesa. Tentei também encontrar algum álbum com compilação de músicas no iTunes para poder comprar e fazer o download directo para o telemóvel, mas não encontrei nenhum álbum no iTunes. Encontrei a compilação 'O Álbum do Século - Os Grandes Êxitos Portugueses' que parece ter uma grande variedade das diferentes décadas, mas não consegui encontrar um site onde fazer o download do álbum que pareça seguro.

 

Assim sendo, venho aqui pedir se alguém tem boas recomendações de música com o critério indicado em cima, que eu possa encontrar no Spotify, ou que possa indicar um site seguro onde comprar e fazer o download de um álbum relevante, ou até que conheça uma playlist no youtube que tenha pelo menos uma meia-hora do tipo de música indicada? Qualquer ajuda ou indicação será muito bem vinda. 

O que fazer em Londres em Outubro 2017

fazer-outubro-2017.jpg

Já estamos a meados do mês de Outubro, o que se torna um pouco tarde para o post com actividades em Londres para o mês, mas ao mesmo tempo, quando geralmente faço esta pesquisa no início do mês, só consigo descobrir os maiores eventos para o fim do mês, visto que os mais pequenos nem sempre estão publicitados com a antecedência que gostaria. Como tal, aqui fica o foco nos eventos mais interessantes que encontrei para o resto do mês. 

 

Other Rooms - O que é? Esta é uma exibição cheia de cor e dimensão pela artista Nathalie du Pasquier. Quando? Até 14 de Janeiro. Quanto? Gratuita. Onde? Camden Arts Centre, Camden

 

London Literature Festival O que é? Este festival de literatura explora temas de prosa e poesia, conta com a apresentação de literatura em variados temas tais como a imigração, e palestras por reconhecidas personalidades tais como Hillary Clinton. Quando? Até 1 de Novembro. Quanto? Preços variados dependendo do evento. Onde? Southbank Centre

 

Poster Girls O que é? Exposição de posters do metro de Londres criados por artistas femininas durante os últimos 100 anos. Quando? Até 1 de Janeiro de 2018. Quanto? £17.50. Onde? London Transport Museum, Convent Garden

 

11hours Cuban Carnival O que é? Contem com 11 horas de dança salsa cubana non-stop, com comida e bebida tradicionais do país, no novo bar e workspace de Brick Lane, Juju. Quando? 15 de Outubro. Quanto? Pelo que me apercebo do site, a entrada é gratuita. Onde? Juju's Bar & Stage, Hanbury Street

 

Bloomsbury Festival O que é? Festival de música e artes na zona de Bloomsbury que, passo a falar em particular no concerto de piano de Belle Chen que, faz uma interpretação de piano do significado da palavra 'Saudade'. Achei curioso, no entanto, que na descrição do concerto não há qualquer referência ao facto desta ser uma palavra Portuguesa e, aliás, a forma como o evento está descrito parece referir-se a que 'saudade' seja uma palavra Francesa. Quando? 18 a 22 de Outubro (com este concerto de piano no dia 18). Quanto? Variam, mas no caso do concerto de piano os bilhetes ficam a £8 Onde? Senate House, Russell Square.

 

Soul of a Nation Closing Party O que é? O fim-de-semana final da exposição da história de soul e hip-hop nos EUA, e conta com Hip-Hop karaoke, cerveja e comida tipicamente Americana para animar a festa. Quando? 20 e 21 de Outubro. Quanto? De £7 a £28.50 dependendo da combinação de bilhetes que pretenderem. Onde? Tate Modern

 

Wandsworth Common Halloween Beer Festival O que é? Este é um festival anual em Wandsworth Common, ideal para os apreciadores de cerveja porque conta com mais de 100 tipos de cerveja e 25 tipos de cidra disponíveis a experimentar. Também tem a temática do Halloween e conta com música ao vivo na sexta e sábado. Quando?  De 25 a 28 de Outubro. Quanto? £25 se marcarem online ou £35 na porta e o bilhete inclui a cerveja e cidra ilimitada que quiserem beber. Onde? Wandsworth Common

 

Halloween Friday Late com Handel & Hendrix O que é? A casa de museu de Handel & Hendrix, onde o compositor de ópera, Handel, morreu, e onde o músico de rock Jimi Hendrix viveu, celebra as vidas destes dois músicos e da sua estadia em Londres. O evento em si conta com música dos artistas e experiências interactivas com os visitantes durante a noite. Quando? 27 de Outubro. Quanto? £20 Onde? 25 Brook Street, Mayfair

 

Halloween: Carnival of Carnage O que é? Festa de Halloween num clube privado em Hackney (mas podem entrar sem ser membros desde que tenham bilhetes para eventos lá realizados como este). Já fui a este clube e é sem dúvida um local muito interessante. Por fora parece um pub abandonado. Por dentro é um espaço que parece do outro mundo cheio de animais empalhados inclusive um urso panda enorme. Vistam-se no vosso ar Halloween ao tema da noite 'clowns in cravats, dandy devils, tailcoated terrors and monocled mummies' (acho que é mais fácil perceberem bem o tema escrito em inglês do que se fôr traduzido) e divirtam-se. Quando? 28 de Outubro. Quanto? £15 Onde? Kings Head Members Club, Haggerston

Os jogos do Baby Shower

Hoje passei a tarde num baby shower. Tinha sido organizado pelo pai do bebé como surpresa para a mãe. Começou por iniciar um grupo no Whatsapp com as amigas e pedir por ajuda de ideias sobre como começar a organização porque, compreensivelmente, ele nunca tinha organizado ou ido a um baby shower antes e, como tal, não fazia ideia do que preparar. 

Baby-Shower-Balloons-Link_L8.jpg

Fonte: Party Delights

 

As ideias foram mais que muitas relacionadas com a animação da tarde através de jogos. Os seleccionados foram os seguintes:

  • 'Adivinha o bebé: cada uma das convidadas tinha enviado a sua foto de bebé em avanço, e todas as fotos tinham sido impressas e numeradas, e cada uma de nós tinha que adivinhar a quem correspondia cada foto.
  • Labour or Porn: Envolve uma selecção de fotos com a cara de mulheres que parecem estar a gritar. O objectivo é adivinhar se cada foto foi tirada de uma mulher a ter um bebé ou de uma mulher num filme pornográfico.

labour-porn2.PNG

 Fonte: Jogo Labour or Porn

  • Pintar o baby grow: haviam dois baby grows brancos e várias canetas coloridas para que cada uma de nós podesse deixar a nossa marca artística na roupinha.
  • Hero or Villain?: Este foi um jogo inventado pelo namorado onde, ele apresentou 10 imagens num papel. Cada imagem representava uma coisa ou actividade que ela tem adorado ou odiado durante a sua gravidez. A parte engraçada é que a maior parte das imagens não tinha um significado óbvio, mas tinham que ser descodificadas para percebermos a mensagem. 

Os jogos foram bastante divertidos e, na minha opinião, o suficiente para haver entretenimento durante a tarde, mas sem serem demasiados porque, caso contrário, muitos jogos também seriam aborrecidos. 

Ficam aqui as ideias para um baby shower, para quem também pense organizar um.