Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

You Me Bum Bum Train: uma experiência a não esquecer

Tal como indiquei neste post, eu voluntariei-me para fazer de figurante na peça de teatro experimental 'You Me Bum Bum Train' visto não ter conseguido comprar bilhetes por terem esgotado em poucas horas. O objectivo foi participar numa das cenas em que o espectador (ou 'passageiro', como é chamado no You me Bum Bum Train) é o ponto fulcral da acção.

 

Um dos factores de sucesso do You Me Bum Bum Train é o segredo que envolve esta grande produção que tomou conta de um grande edifício dilapidado bem no centro de Londres. Como tal os organizadores requerem que todos os participantes, desde voluntários a espectadores assinem um contrato de confidencialidade que não lhes permite comunicar a outros o que efectivamente decorre nas cenas. Eu adorava ter estado lá como espectadora e vou tentar novamente comprar bilhetes para o próximo ano mas sem dúvida que foi muito interessante também participar como voluntária figurante e presenciar as reacções tão diferentes que cada 'passageiro' tem ao entrar e, no decorrer da cena.

 

Ficam as reacção de algumas celebridades que estiverem envolvidas como 'passageiros' no You Me Bum Bum Train de anos anteriores.

 

 

Se alguém estiver interessado em participar como voluntário e fazer de figurante ainda o pode fazer. Eles precisam de pessoas todos os dias e simplesmente basta aparecerem na noite que vos der jeito e escolherem a cena em que quizerem participar. Só precisam é de efectuar registo primeiro aqui para vos enviarem os detalhes da morada, etc. 

 

Onde jantar quando não se pode jantar em casa

Voltei da viagem de trabalho na quinta à noite e pouca diferença notei na cozinha. O chão está finalmente colocado mas foi a única coisa que fizeram naqueles 3 dias que estive fora. Não pensei que um chão num espaço tão pequeno demorasse assim tanto a colocar. Enfim, vou ter que aguentar mais algum tempo. 

 

Um dos problemas associados a esta falta de cozinha, é que a minha alimentação não tem sido da melhor. Simplesmente não tenho comido nenhuma refeição em casa. O pequeno-almoço não faz grande diferença visto que já comia os meus cereais no trabalho e acaba por ser uma desculpa para ir tomar o pequeno-almoço com amigos aos fins-de-semana. Mas o jantar é que tem sido mais chato porque fica caro ir jantar fora todos os dias portanto tenho tentado diversificar os meus jantares:

 

Take-away: Nunca tinha mandado vir um takeaway só para mim, mas houve uma das noites em que me sentia um pouco adoentada, logo não queria jantar fora mas queria comer uma sopa quente. Foi nesta minha pesquisa de takeaways que reparei que a maioria dos restaurantes apenas facilita o takeaway através de empresas externas de takeaway tais como o JUST EAT, o Takeaway.com ou o HungryHouse. Eu só queria uma sopa, mas o que reparei é que muitos dos restaurantes através destes sites requerem um consumo mínimo de £12 a £15 de forma geral. Optei pelo HungryHouse porque oferecia um desconto de £5 a novos utilizadores, o que foi menos mau porque assim a entrega acabou por me ficar a £10, mas tive à mesma que consumir o suficiente para atingir o mínimo de £13 que era o caso do restaurante de onde encomendei, mais as £2 de taxa do site. Enfim, pode ser útil poder mandar vir um takeaway, mas só para uma pessoa não compensa muito. 

 

Descontos de final de dia do Itsu e Abokado: Todos os restaurantes/snack-bars Itsu, meia-hora antes de fecharem, vendem toda a comida do frigorífico (de sushi a saladas) a 50% de desconto e os restaurantes/snack-bars Abokado vendem tudo a 1/3 do preço a partir das 17h, portanto há que aproveitar, e já aproveitei várias vezes.

 

Taste Card e The Gourmet Society: Estes são cartões pelos quais se paga um valor anual que ronda as £70 no seu valor oficial, mas consegue-se sempre comprar os cartões em versão "trial" descontados. Ao apresentarem esses cartões numa grande variedade de restaurantes recebem cerca de 50% de desconto do valor da comida pelo que vale bastante a pena por isso tenho utilizado o cartão que tenho sempre que possível.

 

Descontos de supermercado: Todos os dias o supermercado têm comida descontada ao fim do dia. O problema é que como não ando a utilizar talheres, pratos etc., tenho comprado apenas ou saladas ou sandes. Não é ideal, por isso não posso comer isso todos os dias, mas de vez em quando, vá. 

 

No caso de hoje, passei a tarde num restaurante/bar junto ao Regents Canal e acabei por jantar por aqui também. Fui para o tradicional Sunday Roast. Geralmente não vou para grandes jantares quando estou sozinha, mas hoje apeteceu-me. Até porque agora para o final da tarde começaram a tocar jazz no piano e sabe tão bem estar aqui que decidi aproveitar e deliciar-me com um bom jantar  

 

chicken_roast.jpg

 

A cozinha vai de mal a pior

Desde que coloquei o post sobre a situação da cozinha cá em casa, nada mais tinha avançado. Ou seja, já estou há 3 semanas sem cozinha. Finalmente hoje cheguei a casa e vi progresso. Só que o progresso para já, não é nada favorável. Basicamente decidiram tirar o resto da cozinha. O fogão encontrei-o à frente da casa e o resto dos móveis de baixo desapareceram todos. OK, para fazerem as coisas bem feitas têm que tirar tudo, mas estou para ver qual o resultado final vai ser. É que eles não têm planos de tirar os armários de cima, visto que o problema era mesmo com o chão, portanto vou ficar com uma cozinha diferente. Isso é que deve ficar uma coisa esperta...  O que vale é que amanhã vou para fora e só volto na quinta-feira. Estou para ver se o progresso já estou um pouco mais positivo nesse dia.

 

Para já, tenho a cozinha assim:

 

 

kitchen2.JPG

 

O que fazer em Londres em Setembro 2015

fazer_londres_setembro15.jpg

 

Adoro Setembro. Porquê? Porque é o mês do meu aniversário. Se bem que não gosto da ideia de ficar mais velha, gosto da ideia de celebrar o aniversário. Isso também é a parte positiva que contrabalança o lado menos positivo deste mês relacionado com a redução dos dias e das temperaturas. Mas lá porque é o fim do verão não significa que tenhamos que dizer adeus aos eventos ao ar-livre. Nada como ter uma escolha de actividades ao ar-livre e entre quatro paredes, só para o caso do tempo não se aguentar. Aqui fica a minha escolha para este mês:

 

Totally Thames Festival O que é? Eventos variados, desde arte a shows the barcos, música, passeios de barco e outros em celebração ao rio Tamisa. Quando? Durante o mês de Setembro. Quanto? Maioria gratuitos mas alguns pagos. Onde? Varios locais ao longo do Tamisa.  

 

Spiegeltent at Canary Wharf O que é? Numa grande tenda vão encontrar eventos de comédia, cabaret, circo, música, dança e eventos para crianças durante 10 dias. Quando? De 10 a 20 de Setembro. Quanto? Preços variados dependendo do evento. Onde? Canary Wharf.

 

OnBlackheat O que é? Festival de música agradável para adultos e crianças que conta com a presença dos Elbow, Manic Street Preachers, Kelis e muitos outros. Quando? 12 e 13 de Setembro. Quanto? A partir de £45 para adultos e £25 para adolescentes. Crianças têm entrada gratuita. Onde? Blackheat. Estação? Lewisham ou Blackheat.

 

St. John Hill Festival O que é? Um evento para a comunidade de Clapham com venda de artesanato, comes e bebes. Quando? 13 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Clapham Junction. 

 

Rugby World Cup O que é? O Mundial de Rugby vai decorrer este ano em Inglaterra e, como tal, vão poder contar com muita animação relacionada com os jogos durante o decorrer do campeonato. Quando? de 18 de Setembro a 31 de Outubro. Quanto? Podem comprar bilhetes a preços variados para os jogos aqui mas também podem juntar-se aos muitos fãs que vão ver os jogos gratuitamente nos grandes ecrãs em pubs e bares ou nos ecrãns gigantes destinados às fanzones. Em Londres vão haver ecrãs em Wembley Park, no Queen Elizabeth Park, em Richmond e em Trafalgar Square. 

 

Open House London O que é? Londres abre as portas ao público aos edifícios mais icónicos ou arquitectonicamente espectaculares de Londres durante um fim-de-semana. Quando? 19 e 20 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Por Londres inteira. Provavelmente têm alguns desses edifícios bem perto da vossa casa.

 

Apple Music Festival O que é? Em anos anteriores conhecido com o itunes festival, este conta com 10 dias de actos de artistas reconhecidos, cujos bilhetes são gratuitos mas conseguem-se apenas por sorteio. Quando? De 19 a 28 de Setembro. Quanto? Gratuito. Onde? Roundhouse. Estação? Chalk Farm. 

 

The London Tattoo Convention O que é? Para quem gosta de tatuagens, este é um evento a não perder, que conta com a presença de alguns dos profissionais mais conceituados assim como apresentação/show de tatuagens de corpo inteiro. Quando? 25-27 de Setembro. Quanto? A partir de £20. Onde? Tobacco Dock. Estação? Shadwell. 

Emigrante Portuguesa em Londres: 10 anos em revista

Neste sábado que passou fez 10 anos que me mudei permanentemente para Londres. Já cá tinha vivido durante 5 meses como estudante Erasmus no ano anterior, mas foi a 5 de Setembro de 2005 que, depois de uma primeira semana de treino em Munique para o meu primeiro emprego, me mudei permanentemente para Londres. Na altura não sabia que a estadia se ía prolongar tanto, mas também não tinha qualquer intenção de que fosse uma estadia curta. Como tenho dito ao longo destes 10 anos, cada vez que me perguntam se vou ficar - "para já é aqui que quero viver. No futuro logo se vê se pretendo viver noutro local."

 

Penso no passado muito pouco, mas, provavelmente devido à ocasião, este fim-de-semana, acabei por lembrar-me bastante dos diferentes acontecimentos que foram decorrendo ao longo destes 10 anos - os altos e baixos, os amigos que fiz, as viagens e passeios, os diferentes empregos que tive, os amores que não ficaram, as zonas de Londres por onde vivi, a forma como evolui e me transformei numa pessoa diferente daquela jovem tímida que vivia nos arredores de Lisboa à mais de 10 anos atrás.

 

10anosemlondres.jpg

 

AS CASAS

10 anos, 8 casas, 7 localizações

  • Vivi as minhas primeiras semanas em Tower Hill em casa de um amigo de Erasmus. Como o seu contrato estava a acabar, decidimos procurar casa juntos com mais uma Austriaca e vivi com eles na minha primeira residência permanente em Camberwell durante 1 ano até o senhorio vender o apartamento.
  • Mudei-me depois uns metros à frente, mais próximo da estação de Oval, para uma casa com 5 quartos onde vivi por cerca de ano e meio. Ali fizemos muitas e boas festas, até que as coisas começaram a correr mal com o tal amigo Austriaco de Erasmus e quiz procurar nova casa para morar.
  • Lá consegui encontrar quarto num apartamento em Clapham Common mas estava a viver com uma Inglesa com quem era extremamente difícil de viver e, apenas fiquei por lá 3 meses porque não queria estar a viver em condições tão desconfortáveis.
  • Conheci o meu flatmate Português, com quem vivo até hoje quando me mudei para o novo apartamento em Brixton. Vivemos ali cerca de 2 anos até que o senhorio vendeu.
  • Ao contrário do que eu queria e esperava ao fim de mais de 5 anos a viver no sul de Londres, encontrámos novo apartamento no Norte de Londres, em Stoke Newington. Foi uma das melhores mudanças que fiz porque essa mudança também trouxe um novo grupo de amigos que adoro.
  • Ao fim de ano e meio a senhoria decide vender o apartamento e lá temos que mudar outra vez. Essa procura foi muito difícil mas lá encontrámos um apartamento em Dalston à última da hora. Não gostámos do novo apartamento e só lá ficámos 3 meses.
  • Tivemos a oportunidade de ir morar para uma casa um pouco mais a sul onde duas amigas moravam e íam sair. Já passaram 2 anos e 2 meses e por lá continuo. Agora espero que só saia daqui quando fôr para comprar o meu apartamento. Já estou farta de tanta mudança.

Ao contrário do que pensei algumas vezes, o local onde vivo é mesmo importante para o meu bem-estar geral, por isso sou apologista de não entrarem em contratos de arrendamento de longo prazo sem uma claúsula de "escape" porque só mesmo quando lá se vive é que se sabe se se vão sentir bem.

 

O EMPREGO

10 anos, 8 empregos, 6 títulos

  • Comecei num "international graduates scheme" para uma grande empresa, mas o programa deles não incluía experiência em marketing. Não gostei e senti que não estava a fazer um bom trabalho. Saí.
  • Mudei para vendas porque tinham o trabalho anunciado como "field marketing". De marketing não tinha nada. Passei o inverno a andar kilómetros todos os dias a vender de porta em porta linhas telefónicas baratas para as lojas. Um dia não aguentei mais e despedi-me. 
  • A meu envio incessante de CVs resultou numa entrevista para uma agência de marketing. O candidato que fizesse o melhor plano de marketing para um dos seus serviços, ficava com o emprego - consegui e tive o meu primeiro emprego como 'Marketing Assistant'.
  • Essa empresa foi comprada por um grupo de empresas e mudei-me para a sua empresa de construção como 'Marketing Executive'.
  • Passados 2 anos mudei para outra empresa do grupo de processamento de pagamentos, novamente como 'Marketing Executive'.
  • Passados mais 2 anos, chegou a fase da crise, essa empresa foi à falência e fiquei desempregada durante umas 2 semanas.
  • Encontrei novo emprego como 'Marketing Manager - EMEA & APAC' para uma empresa de tecnologia e por lá fiquei durante 4 anos, até ter a infelicidade de ter que lidar com uma chefe péssima.
  • Mudei então para outra empresa de tecnologia como 'Marketing Manager - EMEA' até ter sido despedida devido a cortes de custos. 
  • Ao fim destes 10 anos sou agora 'Senior Marketing Manager - EMEA' para uma empresa de tecnologia que, ao fim dos primeiros 2 meses no novo emprego, estou a gostar bastante.

Nunca é fácil encontrar novo emprego, principalmente no início quando não se tem experiência e todos os anúncios pedem por ela. Demorei 8 meses a encontrar o emprego certo que me lançou na carreira de marketing que pretendia, mas o importante é que não desisti. Sabia o que queria, e tentei não perder muito tempo nos trabalhos "errados" por isso insisti, insisti, insisti, até dar.

Através da experiência ao longo destes anos algumas das lições importantes que aprendi foi para nunca desistir dos meus objectivos; a ser confiante mesmo quando tudo parece estar contra nós; a nunca julgar alguém pelo seu emprego; e a não tratar ninguém de forma diferente independentemente do cargo que ocupam do executivo ao empregado das limpezas.

 

OS AMIGOS

Vieram e foram ao longo dos anos. Uma das situações comuns entre pessoas que são novas numa cidade ou país é que tendem a fazer amizade com outras pessoas que também estão nessa cidade há pouco tempo. São essas as pessoas que procuram estabilizar-se e fazer novos amigos, mas também são eles que mais rapidamente vão mudar de opinião acerca da nova cidade e ou voltar para o país de origem ou procurar outra localidade. Assim foi com os meus amigos também. Do primeiro grupo de amigos próximo que fiz, a grande maioria já não vive em Londres. Cada vez que os mais próximos se vão embora ficava com aquela sensação de vazio. - "E agora, quem é que vou poder convidar para ir sair expontaneamente?" - Tive que recomeçar amizades de raiz várias vezes, mas com o passar dos anos, aquelas pessoas que são estrangeiras e que também ficam por cá, já passaram a fase da dúvida, e são mais prováveis a manterem-se por cá. Com os anos também se começam a criar amizades mais facilmente com outros que sejam ou originários de cá ou que já cá criaram raízes.

Ao fim das primeiras vezes que "perdi" amigos locais devido a mudanças, aprendi a não parar de tentar conhecer pessoas novas. Assim, fui criando uma rede de diferentes grupos de amigos e, hoje em dia, se alguns tomarem a decisão de irem, já não me vou sentir sozinha. 

 

OS AMORES

Nunca desejei a vida convencional - estudar, trabalhar, casar, ter filhos - e a minha mudança para Londres  fez exactamente com que não tivesse essa vida e que aproveitasse com uma variedade de experiências pelas quais, em Lisboa não teria sido possível passar. Mas no que se trata de amor, Londres torna-se um bocado vingativa, porque o facto de haver tantas pessoas nesta cidade, também faz com que todos sejam muito mais selectivos ou muito mais interessados em experimentar estar com diferentes personalidades para perceberem bem o que gostam e não gostam antes de optarem por aquela que é mesmo ideal.

Queixo-me mas não me posso queixar porque também caí na mesma armadilha de pensar assim. Quebrei corações assim como mo quebraram a mim. Alguns marcaram mais que outros mas o facto é que entre aqueles que me marcaram nos últimos 10 anos - 4 namorados (o Britânico de origem Cipriota e Polaca, o Inglês, o Irlandês e o outro Irlandês) e outros que nunca o chegaram a ser - por uma razão ou outra não foram a pessoa ideal. 

 

#

 

Olhando para estes 10 anos, considero que o balanço foi sem dúvida positivo. Posso ainda não ter o cargo, a casa e o namorado que imaginava que teria ao fim de 10 anos, mas tive muitas experiências e coisas boas que valeram muito a pena e compensaram eventuais pontos menos positivos.

Se vou ficar por cá mais 10 anos? O que penso que vai acontecer? - Não sei. - Passem aqui pelo blog em inícios de Setembro de 2025. Se eu ainda estiver por Londres, eu digo o que aconteceu por cá. 

Aqui lava-se a louça na casa-de-banho

Faz hoje uma semana que foi com grande espanto meu que chego a casa e encontro a cozinha neste estado:

cozinha_vazia.JPG

Ou seja, já não havia cozinha. Onde agora se vê uma parede meia desfeita com uns tubos a sair, costumava estar o louva louças e respectivos armários. Onde se vê um chão de madeira, estava um chão igual ao que se vê no resto da cozinha. Eu sabia que o pessoal da manutenção ía lá a casa naquele dia, mas era suposto irem tapar uns buracos e arranjar a máquina de lavar roupa. Em vez disso, identificaram que o chão tem problemas de infiltrações e tiraram aquilo tudo. Fiquei sem água na cozinha e sem máquina de lavar roupa. 

 

Durante esta semana veiu um especialista analizar a situação do chão e disse que vão ter que tirar aquilo tudo e colocar um chão novo. Isso vai demorar ainda pelo menos mais uma semana e, durante esse período, possivelmente durante 2 ou 3 dias não vamos conseguir aceder à casa-de-banho, visto que é preciso passar pela cozinha para lá chegar. Estou para ver como é que essa situação vai ser resolvida, mas ou vão ter que nos recolocar para outra casa ou pagar um hotel. Senão, como é que vamos fazer sem casa-de-banho e sem acesso a água em casa?

 

A parte da comida para já é a pior porque não dá para estar a cozinhar num local onde não tenho acesso a água e, nas eventuais situações em que não tenho outra hipótese senão utilizar um faca ou outro utensílio, que remédio tenho tido eu se não ter que ir lavar a louça à bacia da casa de banho. Definitivamente não é o local ideal para o fazer por isso tenho-o evitado ao máximo. Esta semana a minha solução para o jantar tem sido, ou jantar fora, ou comprar saladas no supermercado que já venham com garfos de plástico, ou pizza ou então tenho jantado em locais como o Itsu (restaurante Japonês de pronto-a-comer) que, para quem não sabe, todas as noites, meia-hora antes de fechar, vende todos os produtos de frigorífico a metade do preço.

 

A ver quanto tempo é que esta situação vai durar...