Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A esperar o inevitável

Obrigada pelos comentários ao post anterior. Claro que durante a última semana não tenho pensado em muito mais para além disto e parece que os dias passam extremamente lentos sem nenhuma resolução o que torna as coisas um pouco pior. Se não me vão aceitar mais para aquele emprego dado a péssima referência, então que assim seja, mas digam-me. A espera e a incerteza está a ser pior. O seguimento é que na quinta-feira ao final da tarde, a que seria a minha chefe do tal emprego telefonou-me para perceber o que eu tinha a dizer em minha justiça relativamente à tal referência. Ela disse também que a minha chefe não tinha atendido o telefone à hora combinada (nada que eu não estivesse já à espera).

 

Primeiro perguntei-lhe o que é que exactamente estava escrito na referência. Basicamente ela disse que o que tinha sido enviado era um formulário com uma lista de características relativas à eficiência do meu trabalho, por exemplo, se tinha atingido os meus objectivos; se era assídua ao trabalho; se era dedicada; etc. E para cada característica tinha uma escala entre "excelente, bom, razoável e mau". A minha patroa colocou um cruz em todas as características como "razoável" ou "mau". Depois haviam mais algumas questões tai como:

- Confia nesta pessoa? - respondeu que não

- Acha que esta pessoa é boa para o emprego que lhe estamos a oferecer? - respondeu que não

- Voltava a contratar esta pessoa? - respondeu que não

 

Wow! Ela não disse uma única coisa positiva sobre mim, o que só demonstra que é tao flagrantemente negativo, que este é obviamente um ataque pessoal. Se eu fosse assim tão má, as minha outras 3 referências não teriam sido tao positivas; eu não teria recebido 3 ofertas de emprego (que recebi. 2 antes do natal e esta agora do emprego de sonho. Se eu efectivamente não fosse uma boa profissional e não tivesse boa experiência e não soubesse do que estava a falar, eu também não teria conseguido "enganar" 3 empresas diferentes); eu também não teria recebido os bónus e cartas de mérito assinadas pelo CEO (OK, vinham dos Recursos Humanos, mas não deixam de ser assinadas pessoalmente pelo CEO) durante os meus 4 anos nesta empresa. 

 

Enfim, lá expliquei por minha justiça dando um bocado de background relativamente ao tipo de pessoa que a minha patroa é para ela compreender que aquele tipo de referência não reflecte a minha capacidade como profissional. No final ela disse que gostou de poder ter falado comigo para perceber o meu lado das coisas mas disse que mesmo assim quer falar com a minha patroa para perceber também o outro lado. Eu disse-lhe que era perfeitamente compreensível que ela queria falar com ambos os lados mas avisei-a de que, conhecendo a minha patroa, eu sei que ela não vai mudar a sua palavra e, ou não vai atender o telefone ou não vai dizer nada de bom sobre mim  quando falar com ela. 

 

Eu pensei que, se ela me quisesse aceitar para o emprego, me diria algo logo na sexta. Não me disseram nada o que me faz concluir que efectivamente já não me vão oferecer o emprego. Eles querem falar com a minha patroa e ela não vai atender por isso tenho 96% de certeza que este já não vai acontecer. Enfim, tenho pena, mas tal como um amigo meu me disse, se isto aconteceu talvez seja um sinal que eu devo mesmo ficar com este outro emprego que me virá dar mais oportunidades. Este que eu aceitei é até um pouco mais senior e tem mais responsabilidades. Vai-me tirar mais um pouco fora da minha "zona de conforto" por isso talvez isso seja mesmo o que eu preciso de qualquer forma. 

 

Amanhã vou mandar um último email a esta empresa a pedir para me darem uma resposta até à hora de almoço. Eu dei-lhes 1 semana para tomarem uma decisão relativamente a fazerem as averiguações necessárias relativamente à tal referência. Andei a evitar enviar o contrato para os outros e, neste momento eles estão desconfiados que há algo de errado. Não posso esperar mais para lhes enviar o contrato por isso dou a esta empresa mais uma manhã para tomarem uma decisão. Se eles não quiserem "arriscar" comigo, também não quero trabalhar para uma empresa que tem tanto medo de contratar uma pessoa apesar de todos os indicios indicarem que essa pessoa foi alvo de algo malicioso. Eu posso perder um emprego que tinha elementos que me agradavam muito mas eles também perdem a oportunidade de ter uma boa profissional a tomar aquele cargo.