Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Este blog é contra o novo mapa do metro de Londres

Em Setembro a TFL (Transport for London) teve a "brilhante" ideia de reformular o mapa do metro dado que muitas pessoas se tinham queixado de que o mapa estava demasiado cheio com a adição das linhas de comboio ao mapa e, portanto, complicado de se perceber. Ora então para resolver o problema, o que é que a TFL decide fazer? Nada mais nada menos do que tirar o rio Tamisa do mapa assim como a indicação das zonas do metro. Ou seja, não só as pessoas que ainda não conhecem bem o metro de Londres não vão saber que estações ficam a norte ou sul do rio, como também não vão saber que preço irão ter que pagar pela viagem.

 

Mapa do metro de Londres Setembro a Dezembro 2009

 

Fantástico sim senhor. Ora mas que bela ideia que os tipos tiveram. Se o seu objectivo era diminuir a confusão da leitura do mapa essa foi sem dúvida uma bela forma de o fazerem!  Até devem ter pensado é em todos os trocados extra que íam fazer através dos turistas ou residentes que não estejam habituados ao metro, que saiam numa certa estação e... SURPRISE! Foi cobrado dinheiro extra porque chegou à zona 3 sem querer. E lá ficam os directores da TFL a esfregar as mão de contentes com a quantidade de dinheiro extra que vão ganhar com estes enganos dos passageiros.

 

O argumento deles é que junto das máquinas de compra de bilhetes ou nas bilheteiras está explícito em que zona fica a estação para a qual pretendem ir. Mas e então a maior parte das pessoas que compra um passe? Não precisa de ir às máquinas cada vez que entra no metro. Vai olhar para o mapa se tiver dúvidas, claro. Mas agora se no mapa não estão as zonas, como raio é que é suposto as pessoas saberem se devem sair uma estação antes ou depois (caso não faça diferença)? E como é que as pessoas sabem em que estação sair para ir ter junto ao rio?

 

Felizmente o presidente da câmara de Londres desta vez teve o bom senso de discordar com a decisão da TFL e ordenou que novos mapas fossem impressos com o rio e possivelmente também com as zonas (aparentemente isso de voltar a colocar as zonas ainda não é certo). Os novos mapas estão previstos para entrar em circulação a partir de meados de Dezembro, aproveitando que também iriam ter que imprimir novos mapas devido à extensão da nova Circle Line. Sim, porque para quem não sabe a tão famosa Circle Line, famosa não necessariamente pela sua forma circular mas mais pelos seus constantes atrasos, obras sem fim e por ser uma das linhas mais incostantes da rede (proeza essa apenas alcançada ao nível, pela District e pela Hammersmith & City lines), vai mudar. Irá não só deixar de ser circular para ser mais em forma de caracol mas também ser mais fiável, rápida e constante (ou pelo menos é o que eles dizem. A ver vamos).

 

Basicamente a Circle line vai começar (ou acabar, como preferirem) em Edgware Road, irá fazer todo o circuito habitual mas em vez de acabar novamente em Edgware Road vai continuar estendendo-se ao longo da Hammersmith & City line até chegar a Hammersmith. Com esta mudança, a TFL indica que os metros irão ter um intervalo de 5 minutos entre cada um e que o serviço vai correr muito melhor de forma geral do que tem vindo a correr até agora.

 

Uma desvantagem da linha deixar de ser circular sem estações terminais é o fim do famosíssimo pub crawl da Circle line cujo objectivo era sair em cada uma das 27 estações da linha para beber num pub diferente. Claro que desconhece-se quem tenha conseguido passar da 8ª ou 9ª estação sem estar a cair para o lado de bêbado, mas o que conta é a ideia de fazer o pub crawl do circulo de estações.

 

O novo circuito entra em vigor no próximo dia 13 de Dezembro e a linha vai ter o novo aspecto em baixo:

 

Novo circuito da circle line

Olha o que encontrei hoje...

Em pleno Guy's Hospital em London Bridge, todas as quartas-feiras à hora de almoço são realizados, num dos atriums do hospital, concertos de música clássica ao vivo e gratuitos para todas as pessoas que quizerem assistir. Acabei por decidir por almoçar logo ali para aproveitar um pouco daquele concerto tão inesperado e tão bom!

 

 

Já esta noite, após o trabalho, decidi passar por Oxford Street para visitar o mercado de Natal que alegra Oxford Street este ano pela primeira vez. O mercado fica localizado num terreno báldio (que possivelmente para o próximo ano já estará transformado num edifício qualquer) quase em frente aos armazéns do Selfridges. O mercado tem características dos típicos mercados de Natal Alemães com stands em forma de casas de madeira onde se vendem artefactos feitos à mão, construções de metal, decorações de Natal, acessórios e como não podia deixar de ser, o famoso Mulled wine (vinho quente adocicado misturado com canela e especiarias), gofres, salsichas alemãs e outros comes e bebes.

 

 

Este mercado de Natal está aberto de terça a domingo entre as 10h e as 21h (excepto aos domingos que encerra às 19h) até dia 3 de Janeiro.

 

Para além deste mercado de Natal, encontram também outros mercados semelhantes em Londres em Hyde Park na zona dedicada à Winter Wonderland e na Southbank junto ao Southbank Centre.

 

Ao sair do mercado de Natal de Oxford Street aproveitei para tirar algumas fotos às decorações de Natal da rua que aqui ficam. Gosto particularmente das decorações de St. Christopher's Place (apresentadas na última foto).

 

 

 

São estas pequenas coisas que me fazem gostar tanto de Londres.

E o grande vencedor do campeonato de dardos 2009 é...

... o VASCO, autor do Not Everything is Average Nowadays e mais recentemente do Histórias de Lisboa!

O Vasco foi quem originou o campeonato e apenas não participou nas últimas três etapas por ter voltado para Portugal, por isso está sem dúvida de parabéns por ter conseguido manter os seus resultados bem acima do que qualquer outro participante foi capaz de alcançar.

As más notícias para o Vasco é que, como está longe, não terá infelizmente direito ao prémio, que é um jantar pago pelo grupo todo, visto que seria muito complicado conciliar uma noite em Portugal onde pelo menos 50% dos habituais participantes do campeonato conseguissem marcar presença. Foi portanto decidido que o prémio da primeira posição seria passado para o segundo classificado que é o Jeff Leal! Mas não se preocupem que não haverá injustiças e o Vasco será devidamente recompensado pelo esforço assim que houver oportunidade.

 

Relativamente a todas as posições vou começar por anunciar os três primeiros lugares da última etapa:

 

Os vencedores da última etapa do campeonato de dardos foram então:

1º lugar: João Toscano

2º lugar: João Vieira

3º lugar: Manuel Arrais

 

Destaca-se o facto de que os dois primeiros lugares são pertencentes a dois participantes que jogaram pela primeira vez no campeonato, o que nos leva a perceber o porquê de que o Jeff, apesar de só ter estado a 7 pontos de diferença do Vasco na etapa anterior, mesmo assim não conseguiu ter passado à frente dele nesta última etapa. Bem, mas a razão é simples. O Jeff precisava de ter estado entre os 5 primeiros da última etapa para conseguir ganhar a competição, mas como a performance dele nesta última etapa foi,...hum,... como é que hei-de dizer isto de uma forma simpática,... VERGONHOSA, foi por isso que ele não conseguiu passar à frente do grande vencedor. Hehe! Acho que o Jeff bem sentiu ali a pressão do final, mas de forma geral foi um óptimo jogador ao longo de todas as etapas.

 

Chegou agora o momento de revelar o quadro de classificações finais considerando todos os participantes do campeonato de dardos 2009:

 

1º lugar: Not everything is average nowadays - 47 pontos
2º lugar: Jeff Leal - 44 pontos

3º lugar: Cromossoma X - 39 pontos

4º lugar: Nuno Pedrosa – 35 pontos

4º lugar: Manuel Arrais - 35 pontos

4º lugar: Pedro Vilela - 35 pontos

5º lugar: O Mundo da Lua - 31 pontos

6º lugar: Tuga em Londres - 27 pontos

6º lugar: Zita - 27 pontos

6º lugar: The Eternal Dreamer - 27 pontos

7º lugar: António Meirelles - 26 pontos

8º lugar: Existem designers em Portugal - 25 pontos
9º lugar: Pedro Silva – 24 pontos

10º lugar: Sónia Ribeiro - 18 pontos

11º lugar: A Minha Vida Dava Um Filme - 13 pontos

12º lugar: Maria – 12 pontos
12º lugar: Rodrigo Oliveira – 12 pontos

13º lugar: Sylvia Gaitas - 11 pontos

13º lugar: André – 11 pontos

13º lugar: Hugo Araújo - 11 pontos

13º lugar: João Toscano - 11 pontos

14º lugar: João Vieira - 10 pontos

14º lugar: Arnaldo - 10 pontos
15º lugar: Jill – 8 pontos
16º lugar: Filipe - 7 pontos
17º lugar: Nélio - 6 pontos
18º lugar: Bruno Costa – 5 pontos

19º lugar: Pedro T - 2 pontos

 

Aos três primeiros lugares entre as pessoas que estavam presentes (portanto ao Jeff, ao Nuno e ao Manel, visto que a Cromossoma tinha passado lá só para jogar e garantir a sua classificação no topo mas depois trocou-nos pelo Federer que ía ver jogar,... como se um jogueco de ténis fosse mais importante que o nosso campeonato de dardos), os três presentes, portanto, ainda receberam uns chocolatinhos como prémio. Quanto à data do jantar de oferta ao Jeff, essa será em Janeiro num dia ainda por definir.

 

Aqui fica a foto dos meninos que "subiram ao pódio" (eles dizem que a combinação de cores não foi propositada):

 

 

Após a tarde de convívio a jogar dardos e a conversar veiu então o momento de nos dirigir-mos ao Brixton Comedy Club onde nos encontramos com muitos mais Portugueses, Brasileiros e outros Lusófonos para assistir a uma noite bem divertida de comédia Portuguesa. Fica uma das fotos da noite e, como não podia deixar de ser, um vídeo de um excerto da noite de comédia, desta vez com António Raminhos em palco:

 

 

 

A sessão de comédia e final dos dardos é já no domingo

Aqui vai um post só para relembrar a todos os interessados que a noitada de Stand-up comedy dos comediantes António Raminhos e Pedro Miguel Ribeiro aqui anunciada vai ser já no próximo domingo dia 22 de Novembro!

Para "abrir o apetite" deixo-vos aqui com um vídeo que filmei quando estes dois artistas vieram cá a Londres actuar pela primeira vez no início deste ano: 

 

 

 E fica uma foto também tirada no final dessa noite:

 

Os detalhes da actuação vocês já sabem, começa exactamente às 20:30h no Brixton Comedy Club (andar superior do pub The Dogstar) em Brixton mas estamos a combinar encontrar-nos lá mais cedo pelas 19:30h. Para detalhes mais específicos de morada e como lá chegar vejam o post inicial que coloquei sobre o evento aqui.

 

Antes da noite de comédia terá lugar a finalíssima do nosso campeonato de dardos que tantas alegrias nos deu (ou tristezas em casos como o meu que sou uma zarolha ao alvo) ao longo destes meses de 2009. Novamente quero relembrar que apesar do nosso encontro no pub incluir a final do campeonato de dardos esse não é o objectivo exclusivo do encontro e portanto, qualquer pessoa pode juntar-se a nós porque a maior parte da tarde será passada na conversa. Relembro que a tarde no pub terá início às 15:30h no pub Duke of Edinburgh (204 Ferndale Road, Brixton). Vejam também mais detalhes no post inicial que coloquei sobre o encontro. Não se esqueçam de me enviar um e-mail só para eu ter ideia dos números se estiverem a pensar em vir ao encontro, mas caso só decidam na hora claro que também podem simplesmente aparecer por lá.

Festa em Kensington e o que os estrangeiros pensam de nós

Ontem saí de casa com a intenção de ir apenas tomar uma bebida com duas amigas e dar dois dedos de conversa, mas já se sabe que quando menos se espera novas coisas surgem que nos fazem mudar um pouco os planos.

Estavamos nós num barzinho em Bermondsey Street, perto de London Bridge (para quem não conhece aconselho a passarem por essa rua se procuram um bom bar já que isso é o que não falta por lá) e os nossos planos começaram a potencialmente mudar quando uma delas recebeu uma mensagem dos colegas que estavam em Clapham High Street a perguntar se ela não queria lá ir ter também. Nós ficamos na dúvida se deveriamos ir ou se era melhor ir para casa e mantermo-nos por uma de noite calminha. Neste mesmo momento a minha outra amiga recebe uma mensagem a convidá-la para ir a uma "house party" em High Street Kensington. Humm, house parties de facto, soam sempre bem, e nesse momento começamos a ter mais dúvidas se deviamos ou não ir. Recebo então eu uma mensagem a convidarem-me para ir sair para Brick Lane. OK, isto era sem dúvida o sinal que necessitavamos para nos convencer de que definitivamente teriamos que prolongar a noite por mais um bocado. Optámos então pela festa em casa visto que festas em casa são geralmente melhores que saídas para bares.

A localização do apartamento era óptima a 3 minutos a pé do metro de High Street Kensington (digamos que é uma zona nada má, para quem não conhece) mas estavamos um bocadinho duvidosas do tipo de festa que íamos encontrar já que não sabiamos se seria grande, pequena ou de que género seria. Mas mal nos aproximamos do prédio apercebemo-nos de que pelo menos a festa tinha bom potencial já que a música se ouvia bem à distância. Basicamente apenas a minha amiga (S.) e eu é que conheciamos o rapaz que a convidou e ao lá chegarmos apercebemo-nos que ele próprio não conhecia as pessoas da casa e que tinha sido um outro amigo dele o elo de ligação à festa. Resultado, estavamos numa festa em que não conheciamos os donos e a pessoa que nos convidou para lá também não os conhecia. Típico de festas Londrinas. Mas sem problema porque não demorou muito tempo a travarmos conhecimento com aquele pessoal. 

Uma das pessoas que lá conheci era um Espanhol que, ao saber que eu era Portuguesa, e após alguns minutos de conversa em que já se sentia mais à vontade comigo, decidiu dar-me a sua opinião relativamente às mulheres Portuguesas. Ele estava-me a falar de uma viagem recente que tinha feito a Lisboa, na qual tinha ido numa das noites à discoteca Kapital e diz que ficou espantado com o facto de que as raparigas estavam lá vestidas com vestidos de noite e ténis. Depois disse também que das noites todas ficou com a impressão geral de que nós não gostamos muito de usar maquilhagem nem nos dedicamos muito a vestir para a noite. Pior é que outro que estava perto de nós ouviu o que o Espanhol estava a dizer e meteu-se na conversa a concordar com ele. Disse que também tinha tido essa impressão quando tinha estado em Lisboa mas disse que no Porto as raparigas já se vestiam mais para a noite. 

Claro que eu meti-me logo ali no lado defensivo a dizer que isso não era bem assim e que as Portuguesas são de forma geral bastante femininas. Ficamo-nos por ali na conversa, mas pensando em retrospectiva, de facto nessa coisa dos ténis tenho que dar razão ao Espanhol que só em Lisboa mesmo é que tenho visto algumas raparigas irem sair à noite para discotecas calçadas com um par de ténis. E nem posso comentar muito sobre o assunto porque eu própria fazia o mesmo antes de ter vindo para Londres. Nunca me lembro de ter visto mulheres de outras cidades Europeias em que tenha ido sair à noite, fazerem isso. Nem sei se isso é mau se é bom. O facto é que assim qualquer pessoa pode ir sempre sair de forma mais descontraída sem estar preocupada com o assunto já que ninguém se arranja muito, mas por outro lado, usar ténis e calças de ganga durante o dia e durante a noite também retira um bocado aquela ideia de nos sentirmos diferentes numa saída à noite, o que também pode ser uma boa sensação. Enfim, isso fica sempre ao critério de cada um e com o que cada qual se sente melhor, mas não deixa de ser uma situação que passa uma certa imagem da mulher Portuguesa o que, no caso da opinião destes dois que estavam na festa ontem, não era assim muito boa.

 

Festas à parte, passei hoje pelo Hyde Park e os preparativos para a "Winter Wonderland" estão quase prontos e a postos para abrir as portas ao público no próximo dia 21.

Com um dia solarengo como o que esteve hoje soube mesmo bem passear pelo relvado coberto de folhas secas tão característico desta época do ano. Ficam as fotos:

 

 

 

Ao ataque dos Jimmy Choo

Amanhã de manhã (ou melhor, como já passou da meia noite já irá ser hoje daqui a umas horas) abre a nova colecção Jimmy Choo nas lojas H&M. Nos últimos anos, lá de vez em quando, a H&M tem aparecido com uma colecção nova de algum fashion designer ou personalidade conhecida e desta vai ser a vez da loja receber uma colecção Jimmy Choo. Como todos já sabem a Jimmy Choo é aquela marca de acessórios como malas, cintos e sapatos, mas principalmente sapatos que são um "must have" do momento. Tudo o que é celebridade tem pelo menos um par e, como tal, as restantes pessoas também querem ter um exemplar. Obviamente são também caríssimos com os preços em média de par de sapatos a rondar entre as £300 e £400.

Agora com a colecção de acessórios Jimmy Choo criada para a H&M que, além de acessórios, também vai contar com roupa feminina e masculina, será mais acessível para a maioria de efectivamente ter posse de uns Jimmy Choo sendo que os preços da maioria dos sapatos desta colecção irá custar £79.99 o que é um verdadeiro "bargain" já que falamos de Jimmy Choo.

A colecção abre amanhã para o público e as primeiras 160 pessoas que entrarem na loja  vão receber uma pulseira anotada com o tempo total que cada pessoa terá direito a ficar na loja (não mais que 45 minutos).

Claro que será de esperar haver fila para quem quer ser o primeiro a agarrar o seu par Jimmy Choo, mas não estava era à espera de ver o que vi agora antes de vir para casa. Estava eu a andar na direcção de Oxford Circus para ir apanhar o metro e, quando olho para a entrada da H&M de Oxford Circus não é que deparo com já umas 15 pessoas ali "acampadas" em frente à porta da loja!?!?! Tudo bem que querem comprar umas peças Jimmy Choo mas caraças, a loja só abre às 9:00h da manhã e quando eu passei por eles ainda não eram sequer 23:00h.

Para quem tiver curiosidade de ver a colecção podem encontrá-la no site da H&M.

Aqui ficam com uns "freebies" Londrinos

Entre ontem e hoje tomei conhecimento de duas ofertas que vao ser dadas ao público aqui por Londres e como penso que de facto valem a pena, achei por bem comunicar-vos. Assim se quizerem e estiverem por cá também podem aproveitar as seguintes ofertas.

 

Oferta número 1: Um copo de "mulled wine" gratuito na Piazza de Convent Garden. Para quem nao sabe, o Mulled Wine é uma bebida servida quente, típica da época Natalícia originária dos países Nórdicos e feita de vinho tinto, paus de canela, acucar, citrinos e especiarias. E até domingo dia 15, podem deliciar-se com esta bebida gratuitamente no stand "Mulled Wine Hut" localizado no mercado de Convent Garden se apresentarem este voucher que vos intitula a um copo gratuito.

 

Oferta número 2: A TimeOut vai dar um guia turístico gratuito da vossa cidade 'a escolha entre a seleccao do seu Top 6 que sao as cidades de Amesterdao, Barcelona, Nova York, Paris, Praga e Roma no dia 20 de Novembro para todos aqueles que forem aos escritórios da TimeOut (251 Tottenham Court Road) entre as 11:30h e as 15:30h nesse dia e levarem um antigo guia de viagens (que nao seja da TimeOut) para trocar pelo novo que vos será lá oferecido. Os detalhes desta oferta encontram-se no site da TimeOut.

Onde é que ela está?

Hoje foi o último dia da exposição do World Travel Market de que já aqui tinha falado e só hoje reparei nos anúncios do Turismo de Portugal colocados ao longo do corredor antes de entrar para o centro de exibições Excel. Eram três grandes cartazes com imagens de Portugal, um deles tinha a imagem de um campo de golfe junto ao mar (possivelmente um dos muitos no Algarve), outro já não me lembro qual era a imagem mas sei que reconheci e um terceiro que ao olhar para a imagem pensei "mas isto é em Portugal?" Nunca vi nenhum local semelhante em Portugal. A foto mais parece retirada do Brasil ou doutro país tropical do que propriamente de Portugal. No entanto, depois de pensar um pouco sobre o assunto surgiu-me o Arquipélago dos Açores em mente. Será? Acho que só pode ser. Nunca lá fui, mas imagino que os Açores sejam repletos deste tipo de beleza natural. Fica a foto para quem conseguir reconhecer o local (infelizmente não dá para ver muito bem porque o material do poster era esburacado e consegue-se ver os contornos do bar que estava localizado por trás do poster):

 

 

E aqui está o stand do Turismo de Portugal:

 

 

Com o final da exposição foi a parte de arrumar as caixas todas e levar as coisas de volta para o escritório. Organizámos um táxi e lá fomos nós. Ao chegar ao escritório foi agarrar em caixas, sacos e sei lá mais o quê que nem tinha mãos para mais nada. Após arrumações feitas estava eu a prestes de sair para ir ter com uns amigos, vou a pegar na mala e... onde é que ela está? Não está!

Ah pois é!! Com a tralha toda esqueci-me da minha mala com a minha carteira, chaves de casa, telemóvel, máquina fotográfica e tudo e tudo, dentro do táxi

Mal podia acreditar! Após a fase de choque inicial, pensei tomar um bocado controlo das coisas e telefonar para a companhia dos táxis a comunicar o assunto. O rapaz lá foi muito prestativo e contactou de imediato o motorista que nos tinha trazido e felizmente ele tinha a mala. Foi uma combinação de alívio e medo de que ele fosse utilizar o meu cartão ou copiar as minhas chaves de casa ou o que fosse. Optei por não cancelar logo o meu cartão e fui primeiro a Old Street, onde a companhia de táxis era baseada para tentar recuperar a minha mala. Lá estava ela lindinha à minha espera. O rapaz garantiu-me que ninguém tinha aberto a mala. Claro que nestas coisas nunca se pode ter a certeza mas pareceu-me sincero o suficiente. Bem, ao menos na parte das chaves mesmo que as tivessem copiado não havia forma de saber a minha morada por isso esse problema estava eliminado. Quanto ao cartão,.. bem, caso tenham copiado os detalhes vou ver os resultados na minha conta em poucos dias, mas pagamentos online podem sempre ser cancelados e ao menos saberei exactamente quem poderá ter tido acesso ao cartão pelo que também não me parece muito inteligente que fossem copiá-lo. Como tal, assim ficamos. Só vou é estar muito mais atenta daqui em diante de onde deixo ou não deixo a mala.

 

Dia 2 no World Travel Market

Pelo terceiro ano consecutivo volto a participar na exposição do World Travel Market visto que a empresa para a qual trabalho é fornecedora de organizações da indústria das viagens e turismo.
 

Este ano já estava a achar estranho ainda não ter recebido a visita de nenhum Português no nosso stand já que por lá há tantos. No entanto ontem não me apareceu nem um à frente, mas também, diga-se de passagem que a exibição estava muito fraquinha ontem e não se falava com muita gente mas era de país nenhum. Felizmente as coisas deram uma volta de 180º hoje já que o show estava com a sua habitual movimentaçãp (vê-se logo pela linha do metro Jubilee Line de manhã que se tiver a abarrotar mais do que é normal é sinal que o show vai ser bom) e pela hora de almoço eu já estava rouca de tanto falar.

 

Se encontrei uns Portugueses hoje? Hoje sim! Já deu para dar dois dedos de conversa com um dos directores das viagens Abreu e mais um representante da Quinta do Lago. Ainda me apareceu lá pelo stand um terceiro Português mas como estava lá a dar conversa a um Britânico lá acabei por perder a minha oportunidade para exercitar o meu vocabulário Português mais um bocadinho e a minha colega é que falou com ele em Inglês.

 

Ainda não fui tirar fotos ao stand do Turísmo de Portugal, no entanto está exactamente igual ao do ano passado, e do ano anterior, por isso a novidade não será muita por aí. De qualquer forma, a ver se volto a passar por lá com mais calma amanhã.

 

E com isto tudo tenho mas é que ir dormir que amanhã é acordar bem cedinho novamente para evitar as confusões da Jubilee Line e DLR que são um autêntico pesadelo em dias de show.

Luzes natalícias em Regent St. e fogos de artifício

Já tive a oportunidade de passar pela Regent Street e ver como estão as luzes de Natal este ano e basicamente, estão practicamente iguais às do ano passado. Não tenho a certeza se foi em Regent Street ou se era em Oxford Street onde aquelas estrelas estavam colocadas o ano passado, mas lembro-me de já as ter visto em 2008. Como já é habitual, as decorações estão simples possivelmente para poupança de custos, logo desengane-se quem vem a Londres nesta altura a pensar que vai ver decorações espectaculares, porque não as são. No entanto, o facto de que cada loja tem as suas próprias decorações ajuda a que as ruas fiquem melhor enfeitadas e com um ambiente mais natalício.

Aqui fica uma foto da entrada de Regent Street, de quem está do lado de Picadilly Circus:

 

 

Entretanto, com os fogos de artifício de ontem à noite, deram-se por terminadas as celebrações da "Bonfire Night" em celebração do dia de Guy Fawkes que já aqui tinha mencionado. Agora os próximos serão mesmo só para o ano novo. Ficam aqui com um pequeno vídeo dos fogos de artifício que fui ver na quinta-feira passada (dia de Guy Fawkes) em Clapham Common:



Uma pequena curiosidade que reparei no outro dia ao ver televisão é que o novo anúncio do telemóvel Nokia N97 intitulado "get to the good things" em que basicamente um rapaz anda à procura de direcções para chegar a uma festa numa casa e consegue obtê-las através da aplicação de mapas do seu Nokia N97, se passa numa cidade muito parecida com Lisboa. Então lá fui eu fazer uma pesquisa no Google e encontrei a versão inteira do anúncio em que as dúvidas que eu tinha relativamente ao anúncio ser passado ou não em Lisboa foram eliminadas no momento em que vi a imagem do Elevador de Santa Justa. Imagino que o mesmo anúncio passe em Portugal, certo?

Versão que passa no Reino Unido:

Get to the Good Things with N97

Versão inteira:

Pág. 1/2