Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Qual é a tua fraqueza?

Já entrevistei vários estagiários e já estive presente em entrevistas liderados por outros mas pela primeira vez fiz uma entrevista sozinha para uma posição permanente (OK, o emprego não é bem permanente, é um contrato a longo prazo e vai trabalhar só a part-time). De qualquer maneira, foi a oportunidade para entrevistar pessoas experientes que estão habituadas a entrevistas  - o emprego é para um copywriter

 

Estou a gostar de fazer estas entrevistas, não só porque é interessante discutir ideias interessantes que os candidatos têm tido mas também ver as diferenças de como as pessoas reajem em diferentes entrevistas e, como assim se torna mais fácil de aperceber-me do nível de competência de cada um. 

 

Não tinha pensado fazer as "típicas perguntas de entrevista" mas uma das candidatas decide falar sobre os seus pontos fortes que se relacionavam com o facto de ser experiente em várias áreas e indústrias e da facilidade que ela tinha em escrever sobre qualquer tópico após efectuar certo nível de pesquisa sobre o mesmo. Como ela mencionou que esses eram seu pontos fortes, ela estava mesmo a pedi-la - "Então e quais são os teus pontos fracos?" - perguntei-lhe. 

 

Ela hesitou um bocadinho mas depois respondeu - "é também o facto de ter muitos interesses" - humm,... quando ela me disse isso fiquei logo com pé atrás - "Então em que sentido é que consideras que ter múltiplos interesses é um ponto fraco?" Ao que ela desenvolveu dizendo que ao ter demasiados interesses nunca se foca totalmente numa área só e, portanto não desenvolve a sua aprendizagem nessa área ao máximo, à excepção da escrita, claro está, porque isso é algo que ela sempre fez e com a qual tem muita experiência. 

 

OK, ao fim da resposta dela voltei a ficar mais positiva novamente. Ela acabou por dar bem a volta à coisa, mas fez-me reparar como esta pergunta pode ter tanta influência numa entrevista já que:

  • se ela dissesse que não tinha fraquezas, não só eu não acreditava como ficava com a ideia de que ela era convencida e tinha uma má atitude.
  • se ela demorasse muito tempo a responder também ía dar uma impressão semelhante à da situação em cima
  • se ela indicasse uma fraqueza que não fosse fraqueza nenhuma também achava o mesmo - tipo dizer que a fraqueza é ser perfeccionista
  • se ela indicasse uma fraqueza que fosse mesmo negativa para o exercer da função para a qual se estava a candidatar também não seria nada bem vista porque obviamente queremos contratar a melhor pessoa para o cargo
  • o tipo de resposta que ela deu foi portanto a melhor - em que indica algo que pode realmente ser visto como uma fraqueza, mas ou não está directamente relacionada com o trabalho para o qual se está a candidatar, como foi o caso, ou dá a indicação de atitudes que tem tomado para minimizar essa fraqueza 

Portanto numa próxima entrevista, já sabem, preparem bem como vão responder a esta possível pergunta.

5 comentários

Comentar post