Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Leeds e Peak District

E neste fim-de-semana prolongado lá fui passar ao norte de Londres como planeado.
Leeds é uma cidade mais bonita do que pensava. Isto porque me tinham dito que era uma cidade tão industrial sem muito que ver ou fazer, que as minhas expectativas estavam mesmo em baixo. Como tal até tive uma boa surpresa. Leeds é uma cidade com um centro relativamente pequeno mas bonito. Tem muitos edifícios antigos e altos, bem conservados, uma zona agradável junto ao rio e zonas de comércio com grande actividade. O edifício principal a destacar penso que seja mesmo a câmara municipal. Não encontrei muitas coisas culturais para visitar, mas o ambiente é agradável e lá existe o que é aparentemente o maior mercado fechado da Europa.

Ainda passei meio da tarde num pub a ver a final da FA Cup, rodeada de Nortenhos não muito satisfeitos. Depois lá foi a vez do concerto, que se realizou ao ar-livre numa praça onde, aparentemente existem imensos concertos. Provavelmente por ser uma cidade fortemente estudantil, os concertos são um grande êxito entre a população local. Só foi pena é que ele não cantou a música que eu queria ouvir que coloquei aqui no post anterior, mas enfim... Pensei que até a tivesse a guardar para o encore (e se calhar até estava), mas não deu para descobrir, porque não houve encore!!! Acho que foi um dos poucos concertos a que fui até hoje onde o público não pediu por um encore. E não tem nada a haver com o facto do público não ter gostado porque até estava tudo ao rubro durante o concerto. Mas assim que acaba, viram todos costas e lá vão eles. Eu fiquei estupefacta com esta reacção, mas se calhar é uma coisa de pessoal do Norte de Inglaterra.

No dia seguinte lá fui em direcção ao Peak District, mais precisamente para a aldeia de Edale. Ou melhor, o hostel dizia que era localizado em Edale, mas afinal ficava a uns 2 kilómetros que tinham que ser percorridos pelo meio do prado, até lá chegar. Bem, foi da forma que começamos logo a fazer a nossa caminhada mesmo antes de estarmos instaladas.

Comprei um livrinho de passeios e lá fomos nós por mio de vales e prados à descoberta daquilo que nos indicava o livro. Andámos 12 kilómetros no primeiro dia e uns 10km no dia seguinte. Foi cansativo mas mais que valeu a pena. A paisagem era espectacular para qualquer lado que nos virássemos e poder respirar aquele ar puro durante os dois dias que lá estivemos fez toda a diferença. Assim é que dá para me aperceber como deve haver algo errado com o ar de Londres já que não sinto o mesma vontade de respirar fundo em Londres.

Na noite em que lá ficámos passámo-la no único pub que há na aldeia de Edale, que era bem agradável por sinal. Estava-nos a saber tão bem estar ali que só quando se aproximou da hora de fechar é que nos lembrámos que íamos ter que fazer aqules 2 km a pé no meio do mato às escuras. Quando perguntamos à empregada do pub se havia outra melhor alternativa para chegarmos ao hostel, mas ela disse que não e desejou-nos boa sorte. Ora isto claro que não nos trouxe muito mais coragem para fazer o percurso, mas lá teve que ser. Felizmente, ao contrário do que estava previsto, não esteve a chover, pelo contrário, estava o céu limpo, e com a luz da lua cheia lá dava para ver um pouco do percurso. Inevitavelmente enganámo-nos no sítio onde tinhamos que virar, mas eventualment acabámos por ir dar a uma estrada principal onde encontrámos um sinal com a indicação do hostel.

Se aconselho a visita ao Peak District? Sem dúvida, e tanto ficar em Edale como na aldeia de Castleton que é maior e mesmo muito linda, são ambas boas opções.