Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

A minha tentativa frustrada da roller stroll

Clique para oferecer mamogramas gratuitos
Os leitores mais atentos do TugaemLondres, talvez se lembrem deste post de 2007? Nessa altura tinha descoberto o grupo de patinagem em linha que se encontra todas as sextas à noite e domingos à tarde no Hyde Park, para irem juntos dar uma volta de patins pela cidade. Participar nestes passeios em grupo é gratuito e tinha ouvido dizer que eram muito bem organizados, tal como pude comprovar pela primeira vez ontem.

Pois é, passados 3 anos, lá finalmente decidi tirar os patins do pó e juntar-me ao grupo de patinagem de domingo à tarde. Fui com uma amiga que já tinha participado anteriormente e que tinha adorado a experiência. Por isso lá me convenci a ir também. Ao chegar à zona em Hyde Park Corner onde o grupo se costuma encontrar, já estavam muitas pessoas também à espera. Quanto chegou próximo das 14h (hora da partida) já se encontravam lá perto de umas 40 pessoas o que é sempre bom. Os organisadores estavam vestidos com coletes amarelos florescentes visto que são eles a tomar conta do grupo e abrir caminho ao longo do percurso ora mandando os carros parar, ora certificando-se de que nenhum membro fica para trás.

Antes do passeio ter início todos os participantes foram chamados em conjunto e explicaram-nos os pontos chave do percurso a percorrer, assim como deram-nos dicas de segurança e indicações gerais. Íamos atravessar a Vauxhall Bridge, depois voltar pela Battersea Bridge, com uma paragem ao decorrer da primeira hora, e ao fim de duas horas estariamos de volta ao ponto de partida em Hyde Park.

Depois do discurso inicial chamaram à parte as pessoas que ali estavam pela primeira vez (que era o meu caso) e disseram-nos que se nós não conseguirmos acompanhar a velocidade do grupo vamos ser convidados a sair, para treinarmos mais sozinhos e voltarmos a tentar na semana seguinte. Foi neste momento que eu comentei à minha amiga como seria mau se alguém não conseguisse acompanhar o grupo. Mal sabia eu o que me esperava...

Com uma espécie de bicicleta a motor com um forte sistema de som que ía à frente e com várias pessoas simpáticas perto de mim que tinha acabado de conhecer, tinha ali todos os ingredientes para uma tarde bem passada. Deu-se início ao passeio e lá fomos nós. Saímos de Hyde Park para a rotunda central com um arco e daí, fomos na direcção do Buckingham Palace. Eu sei que tinha brincado em como seria mau alguém deixar-se ficar para trás, mas o certo é que já a meio da rotunda eu comecei a ver um a um, todos a passarem-me à frente. Quando olho para trás só estava um dos organisadores atrás de mim a lembrar-me de que se eu não conseguia acompanhar o resto do grupo, tinha que sair. Eu não estava a acreditar naquilo. Até posso não andar de patins assim tão frequentemente, mas daí a não conseguir acompanhar todos os restantes era ridículo. Eu estava a fazer tudo certo, deslizava os patins de um lado para o outro, ligeiramente inclinada para a frente, tinha a posição certa para conseguir ganhar velocidade, mas nada disso. Será que sou eu que já não sei patinar? - pensei. Como é que é possível que eu não seja mesmo capaz de ir mais depressa do que estou a ir?. A minha amiga ainda puxou por mim, principalmente quando o organizador dirigiu-se a mim pela segunda vez e disse que tinha que sair. Estava a ser super frustrante, eu sabia que conseguia andar mais rápido que aquilo, mas os meus patins simplesmente não estavam a dar mais e, pelo contrário, parecia que cada vez estavam mais lentos. o grupo já estava quase a chegar à rotunda do Buckingham Palace, e eu ainda estava mais perto de Hyde Park Corner, com a minha amiga a puxar por mim e o organisador a pedir que fosse practicar sozinha. Tive que dizer à minha amiga para ir sozinha sem mim, que não valia a pena. Eu não conseguia mesmo ir mais rápido do que aquilo e não queria que ela perdesse o grupo de vista por causa de mim.

Lá fiquei eu para trás e eles continuaram. Ao parar semi-frustrada à beira do passeio para tirar os patins, de repente vejo uma coisa preta a sair-me por debaixo dos patins. Ahhh, então era por isso que não conseguia patinar - pensei eu - tinha algo entalado nas rodas. Baixo-me para tentar identificar o que era, e tal não é o meu espanto quando vejo que não era algo que tinha ficado entalado nas rodas, mas sim as próprias rodas ali todas desfeitas no chão. 4 das rodas entre ambos os patins tinham-se partido/desfeito completamente. Acho que deixei os patins fechados dentro de uma mochila durante demasiado tempo  Mas enfim, ao menos houve uma razão justificada para aquela lentidão toda. Já não sou a trolha dos patins como fiquei a pensar que era durante uns momentos.

Pesquisas feitas, já sei onde comprar novas rodas e não custam mais que £10 por isso tudo bem. Agora fiquei mesmo com vontade de participar no tal passeio, por isso a ver se resolvo o assunto das rodas rapidamente para uma nova tentativa, espero que menos frustrada.

10 comentários

Comentar post