Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Do outro lado da mesa

Amanhã vou pela primeira vez fazer uma entrevista a outra pessoa, ou melhor até vai ser a duas. Com esta coisa de ser sempre eu a entrevistada nem nunca pensei bem como seria o lado do entrevistador, mas agora que já estou na pele do entrevistador é que cheguei à conclusão de que não é só esperar que o candidato me apareça à frente a horas e reclamar com ele caso não chegue. Ser entrevistador requer também alguma preparação, principalmente para as primeira de todas.

 

OK, verdade seja dita que também não vai ser nenhuma entrevista formal, que apenas vou escolher um estagiário. Mas de qualquer forma, tive que preparar o meu guia da entrevista a fazer porque:

1º quero que seja uma entrevista fluída sem que me esqueça de lhe perguntar nada importante;

2º tive que preparar umas perguntas teste para me conseguir aperceber acerca do nível de raciocínio lógico que cada candidato tem visto que já tive uns quantos estagiários lá no escritório que simplesmente não conseguiam perceber a lógica de algumas actividades em que precisava da ajuda deles. Isto porque também tinham sido escolhidos por outras pessoas que apenas precisavam que eles entrassem informação em bases de dados, daí terem sido escolhidos os primeiros que se candidataram ao lugar. Por isso mesmo é que desta vez quiz entrevistar os estagiários para poder escolher um que tenha capacidade de me ajudar maioritariamente a mim que bem preciso.

3º quero que os candidatos fiquem interessados no estágio, portanto convém também preparar a entrevista com isso em vista. Afinal, o que quer que eu escolha, convém que ele ou ela escolha este estágio também.

 

Os dois que vou entrevistar amanhã tanto um quanto outro parecem ser bastante bons potenciais, mas tenho um presentimento de que vou gostar ainda mais do primeiro visto que ele já tem experiência com sistemas de CRM o que me ía ajudar imenso porque ao menos já terá as bases formadas. Ainda por cima também é muito experiente com Excel, gosta de problemas analíticos (cá entre nós, deve ser mesmo um "geek" daqueles) e sabe também trabalhar com programas de design. Parece perfeito! Tenho mesmo intenções de me inclinar pelos mais "geeky" que acho que vou mais pelo seguro escolhendo este perfil de candidatos. É que entre todos os estagiários que lá temos tido na empresa o único que realmente conseguiu percerber aquela tal de actividade que exige um bocadinho mais de exercício mental representava mesmo o estereótipo "geek" de óculos, com pouca capacidade social e um curso de engenharia em cima. OK, não tinha nada a haver com marketing mas os outros que eram licenciados ou em marketing ou gestão preferiam mais fazer os trabalhos rotineiros de entrada de contactos numa folha de Excel e passar os intervalos no Facebook do que propriamente esforçarem-se a saber fazer uma coisa diferente que efectivamente lhes podia vir a ser útil nas suas futuras carreias de marketing e gestão, se era isso mesmo que queriam seguir. Enfim,.. vá-se lá perceber.

 

Infelizmente o meu "geek" preferido lá do escritório foi-me tirado porque o estão agora a treinar para fazer parte do apoio técnico lá da empresa. Quando ele se foi e tive que me apoiar mais no trabalho dos outros estagiários, tive que perder umas boas tardes de fim-de-semana a refazer o que eles tinham feito mal, portanto preciso mesmo de encontrar o meu próximo "geek". Façam figas para que seja logo o primeiro de amanhã por favor.

 

Só um aparte antes de encerrar o blog e desculpem-me mencioná-lo, mas como muitos dos leitores aqui do blog me perguntam se conheço de ofertas de emprego, não posso deixar de pedir que por favor não me venham perguntar sobre possibilidades de estágios lá na empresa porque ficam já informados que estes estágios são não remunerados e o conhecimento de algumas líguas Europeias (infelizmente ainda não é necessário o Português) a nível nativo é preferencial.

6 comentários

Comentar post