Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

De volta e quase desalojada

E acabaram as férias.

 

Cheguei na segunda à tarde ainda a pensar apanhar o Notting Hill Carnival, mas ao chegar a casa um pouco antes das 17h já não tinha paciência nenhuma para ainda me ir enfiar no Carnaval. Gosto muito, é verdade, mas este ano não deu mesmo para ir. Por ironia, parece que este ano toda a gente decidiu ir ao Carnaval. Caraças! Já tive anos em que todos estavam de férias ou pouco interessados em ir e tive que andar ali a tentar convencer o pessoal a vir também. De repente este ano em que eu não fui, já toda a gente lá esteve e já me disseram o muito espectacular que aquilo foi. Olha, mas também para que é que eu estou para aqui a me queixar? Eu só não fui ao Carnaval de Nothing Hill porque estava de férias no sol de Portugal com a família e amigos! O Carnaval nem por sombras é melhor do que isso. Acho que sou mesmo só eu que gosto é de ter o máximo de todas as experiências, daí considerar ir ao Carnaval assim que cheguei a Londres.

 

Na terça voltei ao trabalho, ao montão de emails que tinha para responder e aos meus projectos que estão todos com um prazo para ser realizados no mês passado (e não, não sou eu que sou lenta a trabalhar. Estipulo é para mim mesma prazos irrealistas que, ao não cumpri-los fico sempre em stress até ao momento de concretização). Enfim, com trabalho a mais ou não, nesse dia não deixei de ir celebrar o aniversário da Cromossoma X que lá fez mais um aninho e andava toda contente da vida com a sua festa rodeada de amigos, presentes e boa comidinha.

 

O estranho foi, quando a meio da noite eu recebo uma mensagem do meu senhorio a perguntar se eu e o meu flatmate não nos importamos que ele viesse cá a casa hoje com um profissional para fazer a avaliação da mesma. Ora com esta mensagem claro que eu lhe respondi que podia vir mas, obviamente não deixei de perguntar se a razão da avaliação estava relacionada com a potencial venda da casa. Ao que ele me respondeu que essa era sem dúvida uma possibilidade visto que quer ir viver com a família para o estrangeiro.

 

Caraças pá! Com esta não contava eu. O mais estranho é que mesmo no dia anterior eu tinha andado a pensar sobre como eu só queria sair desta casa quando saísse de Londres mas afinal, saiu-me o tiro pela culatra, porque ao que parece, mais cedo do que pensava vou ter que sair desta casa.

 

A situação confirmou-se hoje quando nos mandou um e-mail a dizer que efectivamente ía colocar a casa no mercado. Ainda temos alguns meses, mas a não ser que ele não consiga vender a casa pelo seu preço de mercado, ele irá vendê-la. E sinceramente, acho que não vai ser nada difícil ele vender esta casa porque além de estar em muito bom estado, tem imenso espaço e boas divisões, o que já não é tal fácil de encontrar hoje em dia com todas as casas que se vê por aí com open plans e cozinhas mínimas. Daí eu também não querer sair daqui.

 

Enfim, ao menos ainda tenho uns meses para me habituar à ideia antes de ter que começar novamente com a saga da procura de casa que já bem sei que me vai dar muito stress e dores de cabeça novamente.

10 comentários

Comentar post