Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Pequenas descobertas - Inns of Chancery

No outro dia andei a passear por volta da hora de almoço e decidi entrar nos Inns of Chancery, em Chancery Lane, que constituem o conjunto de vários edifícios que formam os 'Chambers of Lawyers' onde empresas de advogados das mais variadas especialidades se podem encontrar. Tive que passar por um portão com segurança por isso senti que estava num local onde possivelmente não devia estar, mas o que fez de todo o mais interessante de explorar o exterior daqueles edifícios de aspecto monumental. Verifiquei que a extensão dos edifícios é bem maior do que aquela que aparenta do lado de fora. Lá dentro encontrei umas arcadas antigas e um grande jardim agradável.

 

O pequeno passei fez-me ficar com curiosidade para ir à descoberta de mais locais semelhantes. Ficam as fotos dos edifícios que tirei.

 

chambers1 (2).jpg

 

chambers3.jpg

 

 

Veganuary e Dry January - Moda parva ou vale a pena?

Janeiro é aquele mês onde o pessoal pensa nos problemas a resolver, nos objectivos a atingir, arrepende-se dos exageros do mês de Dezembro e preocupa-se mais com a manutenção de uma vida saudável. Como tal, encontram-se imensas pessoas a fazer o 'dry January', ou seja, passam o mês inteiro sem beber álcool. E a nova moda que comecei a ouvir falar desde Janeiro do ano passado é o Veganuary, ou seja, passam o mês com uma alimentação vegana. 

 

Como em tudo, o facto de se saber que há muitas pessoas a fazer esse tipo de dietas alimentares durante o mês de Janeiro, ajuda a motivar para que outros as façam também. Acho piada a amigos que chegam ao final de Dezembro e dizem afincadamente que este ano é que vão fazer o 'dry January', mas que passado os primeiros dias não resistem à tentação e vão beber. Também ouvi falar dos que tentam a experiência vegana mas que verificam rapidamente que há lacticínios e ovos em mais coisas do que imaginavam e, como tal, também desistem da ideia rapidamente por falta de escolha. 

 

Eu já há cerca de 6 ou 7 anos que faço anualmente o que eu chamo do meu 'detox'. Varia um pouco de ano para ano mas este ano consiste em não beber álcool, não comer lacticínios, nem carne, nem açúcar, nem cafeína. Basicamente tentar comer comida natural e não modificada o mais possível. Devo dizer que não é fácil, principalmente durante a primeira semana em que penso mais no assunto de cada vez que o faço, mas com o passar das semanas habituo-me e, ao final do detox geralmente consigo o resultado que pretendo que é manter-me a comer essas coisas que estão eliminadas de forma menos regular. Esse bom hábito não dura o ano todo geralmente, mas por isso mesmo volto a fazer o detox todos os anos. Sinto que o corpo fica mais leve durante esse período, fico contente por acordar um mês inteiro sem dor de cabeça afectada pela bebida da noite anterior, e de forma geral sinto-me energética (à excepção da primeira semana em que costumo sentir exactamente o oposto. Penso que pelo efeito de tirar a cafeína a que o meu corpo está tão habituado).

 

Ainda nunca tinha feito o meu detox anual em Janeiro. Geralmente faço por alturas de Fevereiro, Março ou Abril entre o período de 1 mês - 1.5 meses. Mas este ano quis fazer logo em Janeiro por diferentes razões e, se por um lado fico logo 'despachada', por outro, este é o mês dos estereótipos das dietas, então assim que alguém repara que não estou a beber ou que pedi uma refeição vegana, falam-me logo do 'dry January' ou 'veganuary'. - "Não, não estou a fazer nenhuma dessas dietas. Estou a fazer o meu detox anual, que por acaso calhou a ser em Janeiro este ano." Mas claro que não me livro do estereótipo associado às dietas do mês. Acho que prefiro fazê-lo noutros meses onde a alimentação não é um tópico tão falado. Por outro lado, encontro várias outras pessoas que também não estão a beber este mês o que também é agradável por não ser a única. 

 

Há sempre quem pergunte - "há e tal, mas porquê? É mais saudável manter uma alimentação balançada ao longo do ano todo do que evitar comida um mês durante um ano." Até pode ser que isso seja verdade, mas manter uma alimentação balançada sem ter regras específicas, acaba por ser mais difícil de controlar do que propriamente definir ter uma determinada alimentação durante um determinado espaço de tempo. Portanto, assim fico. O importante é que todos respeitem as opções alimentais dos outros. Estar a criticar alguém pelas suas escolhas não é positivo para nenhuma das partes envolvidas na conversa. Por isso, da próxima vez que se aperceberem que alguém está a fazer uma certa dieta, evitem os comentários desnecessários para evitar que ambos saiam chateados da discussão. 

 

vegan-food-selection-t.jpg

Fonte da imagem: Hello Magazine

Tirar o passaporte Britânico - desta é que vai ser

É um dos meus objectivos para 2018  - tirar o passaporte Britânico. Comecei a pensar nisso assim que houve o voto para o Brexit. Em Julho de 2016 já tinha o livro em casa para começar a estudar para o teste da 'Life in the UK' que é necessário confirmar que tenha passado, ao enviar a minha candidatura para o passaporte. 

 

Ao começar a ouvir as notícias iniciais de que os cidadãos da União Europeia que já estão cá a viver iam ficar com direito para continuar no país, deixei o tempo ir passando e não cheguei a ler o livro. Entretanto, com a mudança do ano (e já se sabe os efeitos que a mudança de ano tem em nós relativamente a pensarmos na vida, no que queremos fazer, no que deixámos para trás, etc.) lá me decidi a tirar o passaporte. Mas afinal descobri que ainda tinha que tirar o comprovativo de residência permanente no Reino Unido antes de poder tirar o passaporte. Ora então lá tratei dissorecebi o meu certificado passado cerca de 1 mês, e ao tê-lo, não pensei mais no passaporte porque já tinha ali a minha garantia de que podia ficar a viver permanentemente no Reino Unido. Entretanto, lá as notícias continuam a estipular o que vai acontecer com os cidadãos Europeus após Brexit e, a certo ponto falou-se de que os cidadãos Europeus que cá vivem iam ter que efectuar uma aplicação para provar que cá têm estado a viver e trabalhar à certo tempo, mesmo que já tenham o certificado de permanência de residência. Claro que isto ainda é tudo especulação, e de facto há muitas opiniões e incertezas, mas o que é certo é que vão haver quaisquer burocracias relativas a legalizar os Europeus que se encontram cá a viver actualmente, após o Brexit entrar em vigor.

 

Ora para evitar mais incertezas, burocracias, para poder ganhar direito de voto e, porque me é permitido ter dupla nacionalidade, nem é tarde, nem é cedo - iniciei o meu estudo para o teste da Vida no Reino Unido hoje mesmo. 

 

Antes disso verifiquei o resto dos requerimentos para ter a certeza de que não havia nada necessário que não me seria impossível de apresentar, e não é que descobri que vou ter que fazer um teste de Inglês!! Eu já fiz um First Certificate in English, um Certificate in Advanced English e dois TOEFL por razões diferentes e porque o certificado de Inglês geralmente tem uma validade até quando ser aceite por entidades oficiais. E agora vou ter que fazer outro mesmo que já esteja aqui a trabalhar e viver à 12 anos e meio?!? O que vale é que para o passaporte um dos certificados permitidos é bastante básico porque é apenas um teste de conversação de 10 minutos intitulado GESE Grade 5. Mas o facto é que mesmo sendo um exame básico, o problema é que custa £150 que ainda é significativo. 

 

Depois quanto ao resto da papelada vai ser muito semelhante ao que tive que enviar para provar  a minha residência em Londres por isso espero que aí não hajam complicações. 

 

Ben, por agora vou concentrar-me no teste do 'Live in the UK' e depois o resto logo trato. 

lifeintheuk.jpg

 

Celebrações de Ano Novo

Todos os anos penso que gostaria de ir ver a marcha de Ano Novo de Londres, e todos os anos não me consigo levantar a tempo/ estou de ressaca e não quero sair de casa/ mal consigo mexer as pernas fora do sofá/ [insere aqui outra opção relacionada com a noitada da noite anterior] - este ano não foi excepção  

 

Mas a sério, colocam a parada a começar ao meio-dia em Green Park. Para a maioria das pessoas que mora em Londres, demora pelo menos meia-hora para chegar a Green Park do local de residência. Convém chegar lá com alguma antecedência para encontrar um bom lugar, portanto é necessário estar lá o mais tardar pelas 11:30h, o que significa que se tem que sair de casa o mais tardar pelas 11:00h. Ou seja, contando com duche, arranjar, limpar a porcaria em que está a casa da 'after ou pre-party' da noite anterior, e tomar o pequeno-almoço, é necessário acordar o mais tardar às 9h para conseguir sair de casa a tempo. Contando que a festa da noite anterior só começa à séria após a meia-noite e nunca termina antes das 3h da matina, quem é que vai conseguir acordar às 9h da manhã para ir a tempo de ver a marcha de Ano Novo de Londres? 

 

De acordo com os jornais vão cerca de 500,000 espectadores. Não faço ideia de como é que conseguem, mas lá há-de haver uma mistura entre o pessoal 'hard core' que gosta mesmo de ver uma marcha, e os familiares das 8,000 pessoas que fazem parte da marcha  

 

Isto tudo só para justificar que não, ainda não foi desta que consegui vir aqui escrever sobre a marcha. Acho que ainda vai demorar alguns anos até eu ser capaz de lá ir, se isso eventualmente chegar a acontecer. 

 

Este ano passei o Ano Novo pela primeira vez num pub. A escolha foi o The Prince em Wood Green porque alguns amigos vivem na zona, adoram este pub pela sua selecção de cervejas, e tinham combinado com um grupo passar lá a noite já que fazia uma festa até às 3h. Geralmente, festas em casa são as minhas preferidas, mas é a chatisse de já se estar na casa dos 30 em que a maioria das pessoas tem a sua própria casa e não querem que o pessoal parta tudo numa festa. Assim, levamos a festa para fora, que é sempre melhor partir copos num pub do que em casa.

 

Efectivamente não tinha grandes expectativas de uma passagem de Ano Novo num pub, e ao princípio duvidei, quando lá cheguei e vi que não haviam muitas pessoas no pub, mas ao aproximar da meia-noite, as pessoas vieram, o ambiente era de festa, os vários grupos de pessoas que lá estavam interagiram uns com os outros, dançou-se pela noite a dentro e resultou numa boa forma de entrar no Ano Novo. 

 

Entretanto esta manhã aproveitei para fazer o mesmo que se está a ver na maioria do Instagram hoje - a puxar as minhas #2017bestnine que representam as fotos que tiveram mais gostos do instagram do @tugaemlondres. Abri a conta de Instagram em Maio deste ano e ainda estou a encontrar o melhor tom fotográfico para a conta, mas aqui ficam as fotos mais gostadas do ano:

 

 

Aproveito para desejar um ano de 2018 fantástico para todos os leitores do Tuga em Londres.  

5 Atitudes para os Emigrantes no Reino Unido tomarem em 2018

LONDON 2016.png

Cada um de nós que optou por viver no estrangeiro representa a imagem do nosso país com as pessoas do nosso país de destino, e transmitirmos uma boa imagem de nós próprios reflecte na imagem que eles têm do país, e consequentemente na imagem que vão ter de outras pessoas provenientes do nosso país. Além disso, ao estarmos noutro país é importante sentirmos que temos os mesmos direitos e oportunidades que outros residentes. Com isso em mente e considerando outros factores que nos poderão afectar tais como o Brexit no Reino Unido, aqui ficam as minhas sugestões de 5 atitudes que seriam positivas para todos tomarmos, incluindo eu, em 2018:

  • Ter mais confiança em vós próprios: Aumentar os níveis de confiança como indivíduos e cidadãos na sociedade em que residem é essencial para conseguirem alcançar os vossos objectivos e sentirem-se bem. Todos nós temos direitos às mesmas oportunidades que qualquer um nacional do Reino Unido, mas é necessário que essa certeza seja transmitida na forma como interagimos com as pessoas no dia-a-dia. Eu sei que é mais fácil escrever que fazer, mas existem muitos livros de 'self-improvement' e artigos na Internet, ou aulas de mindfulness, que podem ser um bom ponto de partida por onde começar.
  • Expandir os relacionamentos: Muitos emigrantes que conheço, principalmente aqueles que vieram acompanhados, fizeram pouco ou nenhum esforço para expandir os seus horizontes para conhecer novas pessoas passados os primeiros meses, e deixam-se ficar no mesmo grupo inicial que conheceram, muitas vezes que pode ser maioritariamente constituído por pessoas da mesma nacionalidade. Em 2018 expandam os seus horizontes e façam para sair da rotina, para sair da bolha do grupo seguro de amigos. Só assim vão poder ter novas experiências, lidar mais com outras culturas, principalmente com a cultura Britânica, e até conhecerem-se melhor a vós próprios, porque é quando nos colocamos em situações menos confortáveis que descobrimos melhor a capacidade que temos dentro de nós próprios de lidar com situações novas e sociais onde não tenhamos estado antes. Já escrevi vários posts sobre ideias que podem fazer em Londres para socializar e conhecer novas pessoas. Podem ler esses posts sobre actividades desportivas, musicaismeetups e internations nos respectivos links. 
  • Repensem a vossa carreira: Parem um bocadinho e escrevam num papel uma lista extensiva de todas as coisas positivas e outra lista das coisas negativas que a vossa situação actual vos traz. E qual o resultado? Qual é a lista maior/que tem maior peso no vosso bem estar e felicidade? Noutra folha escrevam o que mais gostavam de fazer se pudessem escolher qualquer coisa? E agora olhando para a situação actual e o que mais gostariam de fazer, estão no bom caminho para alcançarem isso? Se sim, quais são os próximos passos que têm que fazer para o alcançar? Se não, o que é que têm de mudar? Façam este exercício num papel e vão ver que vão descobrir alguma coisa em que ainda não tinham pensado antes ou com que não estavam a contar. E passem a dedicar o ano de 2018 a actuar no que acharem melhor para vocês. 
  • Promovam o vosso país: Saíram de Portugal porque acharam que não tinham lá as oportunidades que queriam? Gostariam de ver melhorias no vosso país de origem quer para poderem voltar, quer para que as pessoas que lá estão tenham uma melhoria na qualidade de vida? Nós não podemos ter muito controlo sobre as medidas que os nosso políticos tomam, mas uma área que tem afectado muito positivamente o nosso país este ano tem sido a quantidade de turismo que aumentou consideravelmente e, com ele, a área da hospitalidade, da produção nacional de produtos de consumo de qualidade, e da infra-estrutura do país também melhorou significativamente. Assim sendo, uma forma de ajudarmos o nosso país, é promovendo-o. Ao falarmos das coisas que o nosso país tem de melhor sempre que nos perguntem sobre ele, estamos a ajudar a transmitir uma imagem positiva do país, e incentivar o turismo, que consequentemente melhora a nossa economia e a qualidade de vida dos trabalhadores. 
  • Organizem a vossa papelada: Está estimado que o Brexit vai ficar definido e entrado em vigor em Abril de 2019. O futuro dos cidadãos da UE que cá vivem continua incerto, mas é altamente provável que sejam estabelecidos controlos sobre quem vai ter direito para ficar cá a viver e quem não vai ter, que isso seja relacionado com o tempo em que estão a viver no país, ou o facto de estarem a contribuir para os impostos etc. Não há qualquer certeza ao nível das regras para a definição de quem pode ficar, mas o certo é que vão haver regras, e para tal vai ser necessário ter documentos que comprovem que se enquadrem nessas regras. Como tal, guardem toda a papelada que vos ajude a provar a vossa residência no país (tais como cartas do banco, contas da água, council tax, etc.); a vossa remuneração (pay slips); o pagamento de impostos (P45, P60; etc); provas de terem qualquer tipo de seguro; etc. Não sabemos o que vai ser necessário, mas mais vale ter a mais que a menos. Vão organizando toda a papelada ao longo do ano num mesmo dossier ou gaveta para fácil acesso para quando precisarem.

 

 

Tempo para mim

Cheguei de volta a Londres ontem após as celebrações Natalícias em Portugal. Ainda estou de férias toda a semana, mas quiz voltar para aproveitar a calma que esta semana geralmente me oferece. É o único tempo do ano onde sinto que consigo ter vários dias só para mim. O resto do ano, sempre que tenho férias, vou para algum lado, ou tenho actividades e outras coisas para fazer. Verdade seja dita, escrevi no avião uma longa lista de coisas para fazer durante esta semana, mas uma das coisas que escrevi foi - passear. Só passear, sem distúrbios, sem destino, sem qualquer outro interesse senão passar tempo comigo própria, a ouvir a minha música e a deixar-me ir pelos meus pensamentos. Até pedi ao meu namorado para vir um dia mais tarde de casa dos pais para eu ter o espaço da casa só para mim durante um dia inteiro. Ele percebeu. Por vezes simplesmente é bom estar sozinha, e hoje em dia não tenho muitas oportunidades de o fazer.

 

Saí de casa no início da tarde e comecei a andar. Segui por ruas laterais onde nunca tinha passado antes, e daí passei para outras ruas laterais a descobrir novas zonas. Adoro andar à descoberta e Londres tem sempre alguma outra rua por onde nunca passei. Fui parar a sul de Whitechapel onde deparei com o cinema Curzon Aldgate que não sabia que existia e, devo dizer que me pareceu ter muito bom aspecto, por isso adicionei à minha lista de locais a ir. Depois voltei para Norte novamente e parei na Whitechapel Gallery que, surpreendentemente, ainda nunca tinha visitado.

 

A maior parte das exposições na galeria têm entrada gratuita e, achei particularmente interessante o facto de estar exposto o trabalho de dois artistas Portugueses - Leonor Antunes, que vive em Berlim e criou um espaço intitulado 'The Frisson of Togetherness' onde apresenta uma combinação de como diferentes escultura e materias diferentes se podem apresentar de uma forma harmoniosa. O segundo projecto do artista Português Luís Lázaro Matos trata-se de um filme de animação intitulado 'The Nomadic City of Camela' que conta a história de uma cidade móvel construída no dorso de um camelo. O projecto do Luís vai continuar na Whitechapel Gallery até dia 28 de Janeiro e o projecto da Leonor ficará lá até 9 de Abril caso estejam interessados em visitar. 

IMG_3666.JPG

IMG_3671.JPG

 

A Corrida de Pais Natal

Esqueci-me de falar sobre um evento quando escrevi o post sobre o que fazer em Dezembro - A Corrida dos Pais Natal ou 'Santa Run in the City', que foi uma corrida de 5 quilómetros ao longo da margem sul e norte do Rio Tamisa no centro de Londres, onde mais de 1,000 pessoas vestidas de Pai Natal percorreu as ruas. Participei também e devo dizer que mal deu para sentir que corremos os tais 5 quilómetros sendo que a vista é tão bonita ao longo de todo o percurso e foi divertido correr com tantas pessoas vestidas de Pai Natal. Fica uma foto do evento, mesmo antes de darmos início à corrida. 

IMG_3412.JPG

 

Um fim-de-semana em Norfolk

Desde que vi este artigo pelo Guardian que indica 10 das melhores localidades na Europa para fazer compras de Natal (onde Lisboa conta com a posição no. 1) que fiquei com vontade de ir passar um dos fim-de-semanas de Natal a Ledbury em Hertforshire. Ainda nunca tinha ouvido falar de Ledbury antes, mas já noutros anos experimentei ir passar um fim-de-semana fora numa vila ou pequena cidade Inglesa que tivesse um mercado de Natal e gostei muito da experiência (uma visita a Rye no Natal é altamente recomendada). Ledbury parecia a opção perfeita para ir experimentar uma nova vila este ano, mas afinal os fins-de-semana da época Natalícia não são assim tantos e já os tinha todos planeados, por isso não vou conseguir ir a Ledbury este ano. Fica aqui a nota marcada no blog, para me relembrar para o próximo Natal.

 

De qualquer forma, no fim-de-semana passado fui para Norfolk. A experiência é completamente diferente porque fiquei todo o fim-de-semana na quinta que aluguei com mais 15 amigos e não vi nada da aldeia local (se bem que segundo os meus amigos que lá foram ao supermercado, não havia muito que ver). De qualquer forma, foi muito divertido passar o fim-de-semana fora com um grupo de amigos em celebrações Natalícias. Fui logo após o trabalho na sexta-feira à noite. Tínhamos escolhido a quinta pelo espaço e interior da casa mas acho que devíamos ter pensado melhor na localização, que ainda demorou umas quantas horas a lá chegar e, se uma amiga não nos tivesse ido buscar à estação de comboios de carro, teríamos pago uma boa pipa de massa pelo táxi que a estação de comboio ficava a 45 minutos da casa!

 

norfolk1.JPG

A ideia era fazer decorações, jogos e preparar comida para a noite durante o Sábado, e ir dar um passeio pelo campo no Domingo. No meu caso, passei o dia todo na cozinha no Sábado, porque efectivamente cozinhamos uma refeição de natal tradicional Britânica com o peru recheado, os legumes no forno, e afins; e no Domingo choveu (não chegou a nevar em Norfolk ao contrário do que aconteceu no resto do país) por isso acabámos por não sair da casa. 

 

Mas mesmo sem ter saído de casa, foi tão giro passar uns dias num casarão como aquele onde até tínhamos uma sala de snooker e um piano de cauda com que nos entretermos (um amigo sabe tocar maravilhosamente) que só nos apetecia estar a aproveitar o tempo ali naquela casa. 

 

norfolk2.JPG

Algo que tinha organizado antes do fim-de-semana e que já há muito que queria fazer, foi um  'murder mystery', que basicamente é um jogo onde cada participante representa uma personagem numa cena onde acabaram de descobrir que alguém foi assassinado e, como tal, têm de fazer perguntas uns aos outros para tentar descobrir o assassino. Estava com um pouco receio de como isso ia correr porque uma pessoa tinha dito que não estava interessada em jogar e outras também não pareciam muito positivas ao jogo. Mas para surpresa minha, todos até encararam bem os seus personagens, todos fartámos-nos de rir, e no final a rapariga que não queria jogar inicialmente até me veio pedir desculpas por ter sido negativa e que efectivamente ela gostou do jogo. Portanto fica a dica, para uma próxima que tenham um 'dinner party' com amigos, que o 'Murder Mystery' é uma boa opção para entretenimento. Para os interessados, comprei o nosso através do site do Red-herring.

 

 

De volta a casa, agora faz-se a contagem decrescente para o Natal oficial.  

O que fazer em Londres em Dezembro 2017

fazer-dezembro-2017R T Y (18).jpg

 

Acabei de voltar de um fim-de-semana numa quinta em Norfolk, onde fui festejar o Natal com uns amigos. Sim, ainda faltam 2 semanas para o Natal, mas durante o mês de Dezembro, é inevitável que se celebre o Natal várias vezes com pessoas diferentes em avanço do grande dia. A maioria vai ter as noites ocupadas com diferentes celebrações, festas, encontros de amigos, etc, etc., mas para quem quer experimentar algo um pouco diferente, e aproveitar o que Londres tem para oferecer, aqui ficam algumas ideias:

 

Coro de Natal em Trafalgar Square - O que é? Várias canções de Natal vão ser cantadas para o público no centro de Trafalgar Square. Quando? 11 de Dezembro. Quanto? Grátis. Onde? Trafalgar Square

 

The Gingerbread City - O que é? O Museu de Arquitectura tem uma exibição especial dedicada à representação de cidades feitas de pão de gengibre. Dezenas de estúdios de arquitectura contribuiram para esta exibição e os lucros vão para caridade. Quando? De 6 a 22 de Dezembro. Quanto? £3. Onde? Museu de Arquitectura em Brompton

 

Pop-Up de Cinemas de Natal  O que é?  Existem inúmeros locais este mês onde podem ver filmes Natalícios em diferentes localizações temporárias em Londres. Alguns exemplos são o Time Out Loves Christmas Movies em Peckham; os Pop-Up ScreensThe Snow Kingdom em Borough; The Winter night Garden em Clapham Common; Floating Christmas Cinema em St. Katherine's Docks; Tipi Cinema no The Winter Forest em Liverpool Street.

 

Festival de Prosecco O que é? Para quem gosta de Prosecco, este é um festival a não perder, onde podem conhecer vários produtores de Prosecco, Cava, Espumante e Champanhe que oferecem provas e a oportunidade de comprar garrafas a preços descontados. Quando? 16 e 17 de Dezembro. Quanto? £25. Onde? Tobacco Dock

 

Snow Slide at East Village O que é? Ideal para as crianças, é o escorrega na neve colocado em East Village. Quando?  De 15 a 16 de Dezembro.  Quanto? Gratuito.  Onde? East Village.

 

A Christmas Carol O que é? A peça de teatro baseada no livro com o mesmo nome de Charles Dickens. Fui ver a peça na semana passada e devo dizer que é excelente, ideal para toda a família, com muita animação em que envolve os espectadores na peça a certas alturas, oferecem mince pies ao público e fazem-nos cantarolar um pouco também. Fez-me sair de lá mesmo com o espírito Natalício. Quando? Até dia 23 de Dezembro. Quanto? Já só estão disponíveis os lugares mais caros que começam a partir de £90, mas imagino que ainda consigam encontrar lugares no TKTS em Leicester Square que vende bilhetes a metade do preço todos os dias para bilhetes para o próprio dia. Onde? The Old Vic Theatre, Waterloo

 

Fogos de Artifício de Londres O que é?  Os fogos ofíciais de celebração do Ano Novo em Londres são vistos junto da zona da Southbank, mas são necessários bilhetes para aceder essa zona, que já se encontram esgotados. Outras alternativas para verem os fogos, incluí, irem à festa de Ano Novo do Southbank Centre 'A Vintage New Year's Eve Party', ou a uma das festas de Ano Novo num barco do Tamisa a partir de ondem têm uma óptima vista ou num hotel ou restaurante com uma vista elevada.

 

O passar da poeira

Agoram que passaram duas semanas desde o sucessido no trabalho tenho visto a evolução do passar do tempo e identificado várias fases após sucessido pelo ambiente que se vê através dos colegas - nos primeiros dois-três dias viu-se o ambiente pessimista no ar. As pessoas não percebiam bem o sucedido e estavam efectivamente chatiadas e zangadas com tudo o que tinha acabado de acontecer na empresa, e que afectava directamente muitos colegas de que gostavam. Depois veio a vaga da 'culpa do sobrevivente', onde cada qual cujo emprego se tinha mantido na empresa se sentia culpado por ter escapado à ronda de despedimentos relativamente aos outros colegas.

 

Para ajudar o ambiente no trabalho, a equipa de Recursos Humanos organizou uma saída de equipa ao mercado de Natal, Winter Wonderland, de forma a animar os espíritos e trazer as pessoas que continuavam na empresa a um ambiente de alegria, e ao tirarmos várias fotos do grupo animado, até decidimos não partilhar as fotos no grupo interno de mensagem instantâneas onde geralmente partilhamos este tipo de coisas, porque as pessoas cujas funçōes foram removidas ainda têm acesso a esse grupo de mensagens até ao final do mês. 

 

Nos dias mais recentes a equipa tem passado pela fase de restruturação ao tentar perceber o que tem que ser feito para melhorar a situação presente em termos de recursos. E esta semana vim encontrar-me com todas as pessos da nova equipa restruturada de Marketing, muitas delas que nunca antes tinha conhecido, na sede da empresa, para ajudar a nos conhecermos a todos pessoalmente e planearmos o próximo ano de 2018. Acho que a decisão de nos encontrarmos todos foi muito importante, tendo em conta as primeiras impressões que tenho tido deste dia e meio que temos passado juntos para já. Quem está cá, está entusiasmado com a ideia de ter viajado até à sede, e da ideia de estar envolvido no planeamento do que está para vir, por isso a fase actual parece positiva, pelo menos para já, e só espero que assim continue daqui por diante. 

 

Ao ver como todas estas fases se têm desenvolvido, tenho desejado que tivesse maior conhecimento de psicologia e de como lidar com as diferentes tipos de personalidades em situaçōes como esta, porque, ao fim e ao cabo, quando situações extremas destas acontecem, cada um demonstra a sua frustração ou opinião pessoal, de forma completamente diferente, e cabe aos seus gerentes saberem como lidar melhor com os diferentes tipos de personalidades para perceberem como têm que dar cada notícia e resolver desentendimentos da melhor forma possível. Vou pesquisar por bons livros de psicologia para tentar perceber e lidar melhor com pessoas no trabalho. Não sei se será melhor ler exactamente sobre psicologia do trabalho ou psicilogia de forma geral. Se alguém tiver sugestões, gostava muito de saber delas.