Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

Talvez com flatmate, talvez não?

Na quinta-feira à noite veiu um rapaz Holandês cá a casa ver o quarto. Mora aqui perto, originário de Amesterdão, está em Londres à pouco mais de um ano e trabalha numa empresa de caridade. É simpático, educado, interessante e adorou a casa. Assim que ele saíu eu e o meu flatmate actual não precisámos de discutir nada para saber que ambos estariamos contentes se ele se mudasse cá para casa. Passado uma meia-hora ele telefonou ao meu flatmate James, que vai sair da casa, para dizer que queria ficar com o quarto. Nós dissemos que sim. 

 

De momento, está em conversas com a agência, mas até ter passado todas as verificações de referências e ter pago o depósito, ainda tudo pode falhar. Por isso mesmo ainda vimos as três pessoas que já tinhamos marcado para virem ver a casa ontem. Assim, se tudo o resto falhar com o Holandês, ainda poderíamos ter estas hipóteses. Obviamente não é a situação ideal para quem ver a casa por já estár em desvantagem a partir do momento em que oferecemos o quarto a outra pessoa, mas é mais seguro tomar esta opção. Dissemos-lhes também que só tomariamos uma decisão por volta de terça-feira, para conseguirmos ter tempo para saber como a situação com a agência se desenrola. 

 

Esta situação é práctica normal quando se procura por novos flatmates por isso ficam a saber caso precisem de procurar novos flatmates ou no caso de vocês próprios estarem à procura de casa. Geralmente se vos derem um prazo de dias grande para tomarem uma decisão pode ser porque já tenham oferecido o quarto a outra pessoa e estão a colocar-vos como segunda opção caso o resto falhe. Convém estarem atentos a isso para não ficarem muito esperançosos por essa casa e continuarem à procura. Até terem um firme SIM e terem pago o depósito, a situação pode sempre falhar por qualquer um dos lados. 

 

Para as pessoas que me contactaram entretanto àcerca do quarto, apesar deste em princípio já não estar disponível, tenho uma amiga que tem um quarto barato (não sei bem quanto ao certo mas é menos de £500) para arrendar na zona 4 no norte de Londres. Se alguém estiver interessado é só contactar-me para o email que está no perfil. 

 

 

Sem flatmate e sem tempo

O meu flatmate Inglês comprou um apartamento já há alguns meses, mas como tudo relacionado com a papelada demora algum tempo a resolver, só agora em Março é que ele se vai mudar. Ele já sabia que esta seria a data da sua mudança à mais de 1 mês, mas só no fim-de-semana passado é que ele arranjou pessoas para virem ver o quarto. Nós vimos 5 pessoas, e dentro dessas 5 gostámos de 3 delas. 

 

Todas tinham urgência em se mudar por isso era perfeito já que nós precisamos de alguém que se mude no próximo domingo. 

 

Contactámos no final de domingo passado a rapariga de que gostámos mais e ela disse que tinha encontrado um quarto mais barato. Como também tinhamos gostado de outras duas tirámos à sorte e oferecemos então o quarto a uma delas. Ela respondeu que afinal o senhorio dela não a deixa mudar-se tão cedo. 

 

Contactámos a terceira e ela disse que tinha encontrado um quarto maior. 

 

O quê??? Mal podia acreditar que estávamos com este azar visto que a casa, localização e o quarto são bons. Pensei que fosse facílimo arranjar alguém rapidamente. 

 

Visto isto, a sugestão que os meus flatmates fizeram foi alugar a curto prazo e encontrarmos alguém permanente para Abril. Quanto mais penso nessa hipótese, menos gosto dela. Há várias razões pelas quais não me agrada ter uma pessoa desconhecida em casa quando eu não estou lá. Mandei um e-mail ontem à noite a pedir ao meu flatmate para pagar por mais uma semana para dar tempo para encontrar-mos um flatmate permanente. Ele ainda não me respondeu. Não sei se não lhe agradou muito a sugestão, mas o facto é que ele é que deixou para a última da hora para encontrar um substituto por isso acho que não é justo ele colocar-nos nesta situação de ter que ficar com alguém temporário quando não deu tempo o suficiente para encontrar uma nova pessoa para viver conosco. 

 

A ver como a situação se desenrola...

 

flatmate_wanted.jpg

                                                                                   Fonte: https://jakemcmillan.wordpress.com/ 

 

Bares e espaços de concertos de Rock e Metal em Londres

Nesta passada sexta à noite fui pela primeira vez ao Garage. O Garage é um espaço de concertos (espaço de concertos? Tenho estado a pensar nisto à uns minutos, mas realmente não sei que nome dar em Português a uma "venue". O Google Translate também não sabe. Chama-lhe "foro". Não sei se sou só eu, mas eu nunca me lembro de falar com os meus amigos sobre ir ver uma banda a tocar no foro X.  Qual é o melhor nome que dariam a um local onde se costuma ir ver concerto de bandas?) Para os efeitos deste post vou-lhe chamar de espaço de concertos. 

 

O Garage é portanto, um dos espaços de pequenos concertos mais conhecidos de Londres onde passam principalmente bandas de rock. Fui ver Queen Kwong, uma cantora de rock Americana, que ficou conhecida principalmente através de um tipo de rock mais calmo tipo Indie Mellow, mas no concerto de sexta deu um concerto de puro rock. Possivelmente agora está mais influenciada pelo seu namorado guitarrista, Wes Borland, que é também o guitarrista dos Limp Bizkit. É ele que se encontra por trás da cantora nesta foto:

 

queen_kwong.JPG

 

Hoje em dia já não costumo ir tanto a concertos de rock, mas houve uma altura em que ía muito por isso quero aqui deixar indicação de alguns dos locais mais conhecidos que o pessoal rockeiro de Londres costuma frequentar, para quem também esteja interessado nesse tipo de música e ambiente.

 

Os espaços de concertos

 

rock_gig.jpg

 

Electric Ballroom: Fundado nos anos 30, este espaço que se enche de stands do mercado de Camden Town durante o dia a vender roupas e bugigangas, durante a noite transforma-se num dos espaços mais conhecidos entre os fans do rock. Conta com noites de concertos e de discoteca. Estação mais próxima é Camden Town.

 

Borderline: Fundado nos anos 70 quando a música underground, rock e punk estavam no auge, o Borderline rapidamente começou a ser um dos principais espaços de concertos e noites de discoteca deste tipo de música. Fica localizado por trás de Soho Square, junto a Charing Cross Road. A estação mais próxima é Tottenham Court Road.

 

Garage: Localizado junto à estação de Higbury & Islington, o Garage abriu em 1993 e é costituído por dois andares. Concertos mais pequenos decorrem no 'Upstairs at the Garage', e os maiores concertos e noites com discoteca decorrem no andar de baixo. Já lá passaram bandas como o The Killers, Mumford & Sons, Franz Ferdinand, etc. 

 

The Underworld: Este espaço, localizado em baixo do pub The World's End, junto à estação de Camden Town, é mais pequeno que os acima mencionados, com capacidade para cerca de 200 pessoas, mas conta também com uma variedade de noites de gigs e discoteca. 

 

Pubs com pequenos concertos

 

crowdsurfing.jpeg

 

The Macbeth: Este pub já conta com mais de 100 anos de história. Muitas bandas já passaram pela casa. Após cada noite de concerto a pista abre para dança e é também um bom pub de forma geral. Fica localizado fora das zonas habituais de rockers, em Hoxton Street. Estação mais próxima é Old Street mas ainda fica a uns 20 minutos da estação, sendo que não vão encontrar muitos turistas por aqui.

 

The Old Blue Last: Este é um óptimo pub, sempre a vibrar a qualquer noite do fim-de-semana e durante muitas noites da semana também. O espaço para concertos fica no andar de cima e também costuma dar espaço para pista de dança após cada concerto. Bandas como os Artic Monkeys, Lilly Allen e Foals já passaram por aqui. A estação mais próxima é Old Street.

 

The Lexington: Óptimo pub, com grande carácter e conta com o espaço para concertos no andar de cima. Também tem pista de dança. Aqui a maioria do tipo de música que passa é rock e indie mas também passam outros géneros por isso convém ver o programa com antecedência para saber o que vos espera.

 

The Enterprise: Pub acolhedor e cheio de carácter mesmo junto à estação de Chalk Farm. Todas as semanas à sexta-feira a DJ Sue, que é uma senhora nos seus 40-50 anos de idade passa música excelente entre funk e rock, indie, e até por vezes mete uma música pop à mistura para a palhaçada. Costuma ser uma noite muito boa. Fora disso, têm também várias noites de pequenos concertos.

 

Pubs e bares onde nem sempre (ou nunca) há gigs mas têm ambiente maioritariamente rock metaleiro

Nota: O código de vestimenta para qualquer um destes bares é o preto

 

Crobar-–-Soho.jpg

 

Hobgoblin: 33 Kentish Town Road. Estação: Camden Town

Black Heart: 2-3 Greenland Place. Estação: Camden Town

The Crobar: 17 Manette Street. Estação: Tottenham Court Road

The Intrepid Fox: Até ao ano passado estava junto de Tottenham Court Road mas foi forçado a fechar devida à regeneração da zona. Actualmente encontra-se em 1 Archway Close. Estação: Archway

 

A semana da cerveja

Esta semana de 16 a 22 de Fevereiro decorre a 'Semana da Cerveja' ou a 'London Beer Week'. Isso significa que existem vários bares, pubs, cervejarias e pop-ups que dedicam a semana a oferecer uma experiência diferente em termos de provas de variadas cervejas a preços baixos. 

 

Se comprarem uma pulseira do festival ao custo de £10, isso vai-vos dar direito a irem a visitas guiadas a cervejarias especializadas, descontos em comida e pagarem apenas £3 por cervejas especializadas em qualquer dos locais que estejam envolvidos na Semana da Cerveja. E existem mesmo muitos locais envolvidos espalhados um pouco por Londres inteira. Basta levantar as pulseiras num dos hubs do festival no Soho ou no Este de Londres e recebem um panfleto com a indicação de todos os locais participantes. 

 

lbw_tasting.jpg

 

Existem também eventos especializados para os quais terão que pagar extra, mas estes eventos incluem masterclasses para aprender a fazer cerveja, provas de cerveja, jantares, festas em pop-ups e outros. 

 

Não sei se todas as cervejarias de Londres estão envolvidas no festival, mas para os interessados em cerveja, aqui fica um mapa que encontrei no site do Londonist que contem todas as principais cervejarias de Londres que fazem a sua própria cerveja. Passem o cursor pelas cervejarias indicadas na zona que vos interessa para verem o seu nome e depois basta pesquisarem no Google pela sua localização exacta. 

 

 

O que fazer em Londres em Fevereiro 2015

Este post vem um pouco atrasado este mês, mas ainda vem a tempo para poderem aproveitar muito do que vai decorrer durante o mês mais curto do ano. Eu também preciso de me entreter este mês, por isso, vamos lá ver o que há de interessante para fazer este mês:

 

Dia da Panqueca O que é? No Reino Unido não se celebra o Carnaval como nós o conhecemos, mas nessa mesma terça-feira é o dia das panquecas. Para se celebrar este dia em Londres, além de ser um comerem a vossa dose de panquecas com todo o tipo de coisas em cima; o tradicional neste dia são as corridas de panquecas. Nestas corridas os participantes estão geralmente vestidos com algum tipo de máscara e correm enquanto vão virando as panquecas na frigideira. Ganha quem chegar primeiro sem a panqueca ter caído ao chão. Muitos dos lucros deste tipo de eventos vai para caridade.Quando? Terça 17 de Fevereiro. Quanto? Gratuito assistir. Onde? Podem assistir a corridas destas um pouco por toda a cidade. Cliquem no link para verem algumas das suas localizações.

 

Carnaval no Guanabara O que é? O Carnaval também se celebra em Londres, principalmente em bares e discotecas Brasileiros. Guanabara é o mais popular e dedica-se a uma semana inteira de celebrações com eventos especiais cada dia. Aconselho a ir cedo se forem no fim-de-semana, devido às filas. Quando? De 11 a 17 de Fevereiro. Quanto? Cerca de £12. Onde? Guanabara bar, no canto entre Parker Street e Drury Lane. Estação? Holborn ou Convent Garden.

 

Passeio guiado pelo Regent's Canal O que é? Evento organizado por Hype, um grupo que pretende dar a conhecer as coisas boas que Shoreditch e arredores têm para oferecer. Quando? 14 de Fevereiro. Quanto? £6 comprado em avanço. Onde? Bethnal Green

 

Concerto Gratuito no The Finsbury pub O que é? As bandas The Wharves, Daisy Victoria, Being There e Honey, vão actuar num concerto gratuito no reconhecido pub The Finsbury em Greeb Lanes. . Quando? 20 de Fevereiro. Quanto? Gratuito. Onde? Green Lanes. Estação? Turnpike Lane.

 

Ano Novo Chines O que é? Celebrações do novo Chinês do 'ano da ovelha' com eventos a decorrer nas ruas de China Town e West End. Quando? 22 de Fevereiro. Quanto? Gratuito. Onde? China Town. Estação? Leicester Square.

Relações à distância

Não costumo passar tanto tempo sem vir aqui escrever no blog. Os mais atentos podem até ter reparado que houve um dia em que eu publiquei um post sobre o possível fim do relacionamento com o meu namorado e, no dia seguinte decidi apagá-lo. É o tipo de atitudes que se tem quando a nossa mente está a mil, e tomam-se decisões mal pensadas que mais tarde decidimos corrigir. De qualquer forma, foi essa a razão pela qual não me tem apetecido fazer muita coisa inclusivé escrever no blog. Mas agora que estou de cabeça mais calma, e sendo que a razão da nossa separação está relacionada com o facto de ele ter aceite um emprego na Ásia, fez-me lembrar que, concerteza muitos e muitos leitores do Tuga em Londres devem passar por experiências semelhantes, quando uma das partes decide sair de Portugal, Angola, Brazil ou onde estiverem a viver para um deles mudar-se para o Reino Unido. 

 

Por vezes poderão passar-se anos em que vivem separados entre os dois países mas como é que conseguem superar a distância e manter a relação viva? Ou não conseguem e a maior parte de voçês termina a relação passado alguns meses?

 

Para quem já esteja casado, com filhos, etc., talvez seja mais fácil porque não pensam tanto na separação como uma alternativa, mas para quem está a namorar, talvez já não seja tão fácil assim de aceitar essa distância.

 

Considero que existem três factores importantes para se conseguir manter uma relação à distância que são:

  • Ter uma data aproximada em mente de quando vão voltar a viver no mesmo paīs novamente.
  • A possibilidade de viajarem frequentemente entre os dois países para se poderem visitar.
  • Manter comunicação regular a aberta diariamente (ou quase diariamente). 

 

Na falta de um destes três, penso que a facilidade de se conseguir manter uma relação à distância diminui significativamente, apesar de não deixar de ser possível. O facto é que torna-se mais fácil de gerir a distância ao sabermos que isso vai durar apenas durante um tempo limite. 

 

Depois o facto de saberem que se vão ver com uma certa regularidade também ajuda a recarregar as baterias para mais um período de distância. 

 

Finalmente a comunicação quase diária será essencial para que se continuem a sentir próximos e evitar as possíveis desconfianças que, quase inevitavelmente, passam pela cabeça de muitos casais quando existe o factor distância pelo meio. 

 

Tenho um amigo que, quando veiu para Londres deixou a namorada em Portugal com a perspectiva de que ela também se iria mudar passado cerca de 6 meses. Durante esse período de tempo comunicavam e viam-se regularmente, mas mesmo assim notei que, ao fim das primeiras semanas, ele indicava ter dúvidas acerca de querer que a namorada vie-se viver para Londres. É que, de repente ele via-se neste ambiente onde conheceu tantas pessoas novas, saía à noite e achava fácil conversar com raparigas e, inevitavelmente, começa a perguntar-se se não seria melhor estar a viver em Londres solteiro. Entretanto ela veiu e penso que ainda estejam juntos, mas se não fosse o facto de terem um período muito limitado para viverem juntos novamente, penso que teria sido muito difícil para aquela relação dar certo. 

 

Sem dúvida que tenho consciência de que manter relações a longo prazo pode ser muito difícil. De qualquer forma, o meu lado mais romântico gostava de ter tentado a relação à distância com o meu, agora ex.. No entanto, o meu lado mais racional sabe que as 8 horas de diferença do dia e as 13 horas de voo entre Londres e Singapura não são compatíveis com um relacionamento. 

 

Tenho pensado muito principalmente neste fim-de-semana que estou em Nova York, e os ares diferentes ajudaram-me a espairecer as ideias. Sem dúvida que estou extremamente infeliz com a situação mas eu sei que com o tempo esta sensação vai passar e, evitando a tentativa de relação à distância vai evitar muitas dúvidas e frustração. 

 

Fica uma foto que tirei durante estes dias aqui em Nova York para me relembrar do ambiente em que tenho estado enquanto tenho pensado nesta situação.

 

photo (5).JPG

 

A semana do pequeno-almoço

Esta semana celebra-se a 'Semana do Pequeno-Almoço' ou a 'Breakfast Week' como forma de relembrar-nos da refeição mais importante do dia. Eu sou fã de pequeno-almoço e não sinto que começo bem o dia sem tomar um bom pequeno-almoço que geralmente remete-se a cereais e café durante os dias de semana e a um pequeno-almoço mais reforçado ou brunch ao fim-de-semana. Londres está cheio de óptimos locais onde tomar um bom pequeno-almoço por isso passo aqui a indicar 6 locais dos meus favoritos incluíndo dois em que, apesar de ainda não ter lá ido, tenho ouvido falar muito bem e quero ir experimentar. Se tiverem outras boas sugestões de pequeno-almoço por favor indiquem nos comentários. Quantos mais, melhor!

 

The Breakfast Club: Tem a grande desvantagem de que encontram sempre imensas filas em qualquer Breakfast Club a que vão quer seja de dia de semana ou fim-de-semana, mas se um dia tiverem tempo vale bem a pena lá ir para um brunch reforçado. A comida é realmente muito boa e os pratos vêm bem servidos. No The Breakfast Club em Liverpool Street existe também um bar secreto que acedem através do frigorífico. Onde: Angel, Liverpool Street, Hoxton Square, Soho, London Bridge, Clapham Junction.

 

brunch-breakfast-club.jpg

 

Breads Etcetera: Este café tem o conceito de "do-it-yourself". Como o nome indica é especializado em pão, e pão bom. Pagam um preço fixo para comerem a quantidade de pão que quizerem e que voçês próprios vão cortar no päo e quantidades que preferirem. Se pedirem só o pão DIY, este é acompanhado com manteiga e doce, mas têm um grande menu de diferentes opções com variados pratos de brunch também. E adoro o facto de que cada mesa tem uma torradeira para que possam torrar as variadas fatias de pão à vossa vontade. Onde: Clapham High Street.

 

breads.jpg

 

Muriel's Kitchen: para além da boa comida com ingredientes frescos, o que gosto muito neste local é a decoração. Lá dentro sentem-se como se estivessem a tomar o pequeno-almoço num banco de jardim num dia solarengo. O espaço está mesmo muito bem conseguido e vale a pena a visita. Onde: Soho, South Kensington e Leicester Square.

 

muriels2.jpg

 

The Book Club: Este café estilizado em ambiente Sueco apresenta um espaço confortável, com alguns sofás onde podem ficar confortavelmente sentados a manhã toda a ler o jornal. A comida é boa e se vos apetecer queimar as calorias após o pequeno-almoço também podem ir jogar ping pong na sala que eles têm dedicada a isso mesmo. Onde: Old Street.

 

BOOKCLUB-detail_full_for_exchange.jpg

 

Arepa & Co: Este ainda não visitei mas estou muito curiosa para experimentar já que ouvi falar muito bem. É um café e restaurante Argentino, por isso esperem um pequeno-almoço diferente do que estão habituados. Fica localizado mesmo oposto ao Regent's Canal próximo da saída de Kingsland Road. A localização não é óbvia mas se entrarem no canal em Kingsland Rd e forem na direcção de Angel (para a direita), encontram-no um pouco à frente, mesmo antes do Towpath Café junto a umas escadas. Onde: De Beauvoir Town

 

arepa.jpg

 

Cereal Killer Café: Este café tal como o nome indica, serve cereais. mas não são cereais quaisquer. Aqui encontram cereais de todos os cantos do mundo com variedades que podem nunca ter imagino. Este novo conceito de café abriu recentemente no final do ano passado e, tem sido um sucesso tão grande, que na semana passada, os seus dois fundadores anunciaram que querem levar o conceito internacionalmente e abrir mais cafés em diferentes partes do mundo. Talvez vá um para Lisboa ou Porto um dia destes. Também ainda não tive a oportunidade de lá ir mas sem dúvida que estou curiosa. Onde: Brick Lane

 

CerealKillers.jpg

 

A festa da troca das roupas

Ontem participei numa 'clothes swap' pela quarta vez. Isto de se trocarem roupas está mesmo no auge porque, não só é uma boa forma de se verem livres de roupa de que gostam mas que já não usam e têm pena de deitar fora como também é uma boa oportunidade para renovarem o vosso guarda-roupa. Para quem não conhece o conceito, uma 'clothes swap party' é mesmo, tal como o nome indica, uma festa organizada para troca de roupas, maioritariamente popular entre a audiência feminina.

 

swap-evabstyle.jpg

 

 

Como funciona:

  • Cada pessoa leva roupa, acessórios, sapatos e até decoração para a casa se quizerem, com o intuito de doarem todos esses bens durante o encontro.
  • Colocam as peças de roupa num monte e os acessórios e outras coisas num monte separado e misturam tudo muito bem. 
  • Uma das participantes vai apresentando cada peça uma a uma e indicando o tamanho, a marca e fazendo de modelo, vestindo a própria peça se fôr necessário (geralmente vai-se rodando quem apresenta as peças). Todos os que estão interessados na peça dizem nesse momento. Se só houver uma pessoa interessada, fica logo com a peça. Se houver mais que uma pessoa interessada, essa peça de roupa vai para o 'fight pile', ou seja, forma-se um novo monte de roupa a ser discutido ao fim.
  • Quaisquer peças que ninguém queira vão para um saco que a organizadora depois vai dar a uma loja de caridade.
  • No fim de apresentadas todas as peças começa então a parte em que as pessoas que disseram que queriam certa peça vão experimentá-la para ver se lhes fica bem. Caso ainda mais do que uma pessoa estejam interessadas em determinada peça, tira-se então à sorte quem vai ficar com a peça. Geralmente isso é feito com um baralho de cartas e, quem tirar a carta mais alta ganha. 

 

Claro que há sempre alguém que fica mais satisfeito dependendo do resultado das cartas, mas de forma geral, todas as participantes saem do encontro felizes e contentes com o conjunto de coisas novas que receberam. É uma boa forma de se renovar o guarda-roupa sem gastar dinheiro e pássa-se uma tarde ou noite bem agradável com as amigas, visto que geralmente estes encontros também são recheados de conversa animada, chá ou champagne e bolos. 

 

Com 10 pessoas, começámos por volta das 14h e só terminámos pelas 19h, portanto se pretenderem organizar também um evento destes com os vossos amigos tenham em consideração que vai demorar algumas horas. Vale a pena!

Ahh, os homens - muito paleio e pouca acção

Podem pensar pelo título que vou fazer generalizações neste post, e é que vou mesmo. OK, nem todos são assim. Mas são assim, muitos!! Passo a explicar - ora tenho este colega no trabalho, um Nova Zelandês giro, engraçado, inteligente e muito simpático que é solteiro. Durante muito tempo fiquei convencida que era um garanhão de primeira. Fala nesta e naquela, daquele encontro e do outro. De tantas histórias que ele tem, nós até tínhamos conversado um dia sobre a possibilidade de ele criar um canal no YouTube onde ia colocar vídeos com os momento das suas primeiras linhas de engate que seriam secretamente filmados por um amigo. Com tanta história concerteza o seu canal ia ser um sucesso no YouTube. 

 

pickupline.jpg

Fonte: Pinterest @weheardit.com

 

 

Ele nunca chegou a fazer o tal canal no YouTube, mas entretanto os meses passavam e, apesar de tantas histórias ainda não tinha uma namorada. Será que ele queria ser o típico solteiro que só quer 'one night stands' e que não está preparado para uma relação? O facto é que, segundo ele, não é nada disso que ele queria. Efectivamente ele ia a cada encontro com a esperança que essa fosse a sua futura ex-mulher (palavras dele), mas nunca se aproximou da parte do casamento nem pouco mais ou menos. 

 

Na nossa festa de Natal da empresa acabámos num bar a dançar. Ora nesse bar estava também uma rapariga que aproximou-se dele, veio dançar um bocadinho, falou um bocadinho. Mesmo assim não havia grande proximidade e ele não lhe dava muita conversa o que eu até que achei estranho já que ele também parecia interessado. Mas ela não desistiu e, passado um pouco, quando ele estava no bar, ela foi também ao bar pedir uma bebida ao lado dele. Mesmo assim ele não lhe deu grande conversa e, assim que pagou a sua bebida foi lá para fora fumar com outro colega. Quando voltou ela já lá não estava. Notou-se que ele andou a olhar pela pista como se à procura dela e pareceu um pouco desapontado. Pegou nas suas coisas e foi-se embora. (E sim, eu posso falar dos pormenores porque eu e outra colega minha estávamos atentas ao desenvolver de toda a situação). 

 

Passado um bocado ela voltou. "Ahhh, e ele agora foi-se embora e não trocou número com a tal rapariga". Mas a situação era óbvia. Ambos estavam interessados, ele amedrontou-se e não lhe pediu o número. Ele pensou que ela se tinha ido embora e foi-se embora também. Afinal ela ainda ali estava por isso eu fiz aquilo que achei que qualquer colega, como boa amiga também, deveria fazer - eu pedi o número da rapariga para lhe dar a ele. Ela concordou de imediato e perguntou-me se ele era solteiro e que idade tinha e depois disse algo do género "pode ser que corra bem". Portanto confirma-se, ela sem dúvida que estava interessada. 

 

Uns dias depois quando tive a oportunidade, falei com ele sobre o assunto e dei-lhe o número dela. Ele ficou todo contente mas disse que pensou que ela não estivesse interessada. - What???? Como é que ela não estava interessada? Homens - se uma mulher começar a vir dançar com vocês e for para o bar colocando-se convenientemente ao vosso lado quando lá estão, é um sinal de que ela está interessada!! Mas isso não é mais que óbvio? De acordo com ele, não era nada óbvio e ficou muito surpreso que ela tenha dado o número mas disse que claro que a ía contactar. 

 

Passado uns dias perguntei-lhe como é que iam as coisas - "ah, não cheguei a mandar-lhe mensagem". 

- "humm?! Mas porque é que não lhe mandas-te uma mensagem? 

- "já tinham passado muitos dias e ela de certeza que já não se ia lembrar de mim e blá blá blá"

 

Então mas este que é o garanhão, afinal é só garanhão através do Tinder, e não consegue tomar uma iniciativa simples como mandar uma mensagem a uma rapariga da qual ele gostou, que demonstrou que também estava interessada nele, quando ele diz que quer mesmo encontrar alguém com material de potencial namorada? 

 

Essa história passou e umas semanas depois estávamos no pub ele começou a conversar com outra rapariga que estava ali connosco mas que ele conheceu nessa noite pela primeira vez. Novamente, parecia interessado, mas notei que a sua conversa envolvia muito expressões do género "eu sou parvo", "eu não sou capaz de fazer isto ou aquilo", etc. Ou seja, estava a ter uma conversa nada representativa do tipo de pessoa que ele normalmente é, visto que geralmente é sempre super divertido e bem-disposto, e pelo contrário estava ali a apresentar-se negativamente junto a uma rapariga que ele acabou de conhecer e pela qual parecia interessado. É este o tipo de comportamento que ele tem sempre que está interessado em alguém?

 

Fez-me lembrar outros amigos que têm atitudes semelhantes - gostam imenso de falar sobre os muitos encontros que têm e tudo mais, mas no fundo, quando o momento da verdade aparece, ou sentem-se nervosos, ou não sei bem porque será, mas parece que se sentem desconfortáveis e não conseguem fazer com que a coisa ande para a frente. É pena porque estes que tenho em mente são todos muito boas pessoas que de certeza que muitas raparigas iam adorar ter como namorados, mas como infelizmente o que eles têm é muito paleio, pouca acção. 

 

Tirar o passaporte em Londres

Ora o meu passaporte já expirou no passado mês de Outubro. Bem sei que já devia ter tratado da renovação mais cedo, mas sinceramente não me estava nada a apetecer ter mais uma experiência no Consulado de Portugal em Londres. Lembrava-me de que era preciso marcar com antecedência antes de lá ir por isso dirigi-me ao website do consulado, cliquei na secção que dizia Passaporte e....humm... "ora então agora, como é que faço a tal marcação?" Não havia informação sobre isso na página. Acabei por ir aos contactos e tentei telefonar para lá cujo número é o 020 7291 3770. Estava impedido constantemente por isso optei por enviar um email para mail@cglon.dgaccp.pt

 

Ora isso passou-se à duas semanas atrás. Uma semana depois ainda não tinha obtido qualquer resposta ao meu email. Decidi então voltar a telefonar. Novamente ocupado. Mandei novo email. Mais uma semana passou e nada. Telefonei - ocupado! Impressionante! 

 

Ok, que remédio tinha eu senão ir lá mesmo ao Consulado em pessoa e tentar tratar do assunto. Ao chegar, e apesar de só faltarem dois números para o meu, ainda tive que esperar uma meia-hora antes de ser atendida para as informações. Ao explicar que queria fazer a marcação para o passaporte indicaram-me que tenho que marcar através do website deles. Ora que esta..... Devem estar mas é a gozar comigo. Só pode! Segundo eles a marcação tem mesmo que ser feita através do website porque têm agora um sistema de marcação automático que indica logo todas as datas vagas para marcação. E a tal página indicada para marcação da renovação do passaporte e outros documentos é a seguinte www.secomunidades.pt/web/guest/agendamentos Agora, perguntam-me vocês porque é que eu não consegui logo ver esta página quando fiz a minha pesquisa inicial? Ora não consegui porque simplesmente não está indicada em nenhum local óbvio. O mais lógico seria terem algures na página referente ao passaporte o link para o agendamento. Mas claro que eles gostam de fazer a pesquisa muito mais interessante e que percamos ali de que tempos a olhar para as páginas todas até encontrar o link. É tipo o 'Onde está o Wally?' dos agendamentos. Os tipos que criaram o website são uns brincalhões e querem-nos divertir assim bastante. 

 

Sarcasmo à parte, sinceramente, não percebo como é que, com tanto Português web designer à procura de emprego, o Consulado de Portugal não me muda aquele website para um que efectivamente seja de fácil acesso ao utilizador?!? Não é um investimento assim tão grande e ía tornar tudo tão mais simples que os utilizadores não teriam que telefonar tanto para o Consulado, logo as linhas estariam mais livres, nem mandar tantos emails, logo talvez conseguissem responder em menos de uma semana aos emails. O aumento de eficiência de forma geral iria compensar os custos da criação de um novo webite em muito pouco tempo.

 

Ao menos através do agendamento consegui marcar mas o problema é que a próxima data disponível é só para Março, ou seja daqui a dois meses! Portanto já sabem, se quizerem renovar documentos a partir de Londres, façam-no com bastante antecedência!

 

 

Analytics