Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tuga em Londres

A vida de uma Lisboeta recentemente Londrina.

New York, New York

Lá consegui chegar a Nova York. Cheguei só na segunda-feira à tarde, e fui logo direitinha para o escritório. Demorou uns dias a passar o jetlag e, pela hora em que o meu relógio biológico se habituou às 5 horas de diferença, já era tempo de voltar novamente. 

 

Fiquei lá de segunda a sábado e, só tive mesmo tempo para passear em Nova York no sábado antes de ir para o aeroporto, e uma noite da semana em que fui a Times Square para ver as luzes. De qualquer forma gostei muito da viagem e de ter passado tempo com os colegas que só conhecia através de Google Hangouts. Os Americanos, lá continuam com as suas diferenças da cultura Europeia - de uma forma generalista são suuuper simpáticos de uma forma que te faz pensar se eles estão mesmo a ser genuínos; mas também olham para as coisas de uma forma positiva o que ajuda a criar um bom ambiente. As diferenças são interessantes, mas a cidade, apesar de ser enorme e cheia de bairros com características diferentes, as ruas parecem-me sempre muito semelhantes quer esteja no Upper East Side, em Hell's Kitchen ou Chelsea. Para o meu passeio de sábado e, como já conhecia as atrações principais de Nova York das outras vezes quando tinha lá estado, optei por passear primeiro por Central Park, indo depois ao Museu De Arte e Design, seguido de umas compritas em Williamsburg e terminei o dia por atravessar a Brooklyn Bridge. 

 

À saída do nosso escritório

 

A zona de relaxe/brainstorming/cantina do escritório

 

 A vista do nosso escritório

 

Times Square

 

Central Park

 

Brooklyn Bridge

 

 

Mas que belo fim-de-semana para ir a Nova York

Nas duas últimas empresas Americanas para que trabalhei tive a oportunidade de ir visitar a sede logo nos primeiros meses na empresa, mas desta vez, demoraram 6 meses até essa oportunidade aparecer. Eu que comecei a trabalhar ali em Julho, bem que tinha sido uma boa ideia ir ao escritório de Nova York por alturas de Setembro quando ainda se está recentemente na empresa e é uma boa oportunidade para conhecer todos, além de que também estaria a temperatura perfeita. Mas não, nada disso. Esperei até Janeiro para fazer a tal visita e, não é que decido escolher exactamente o fim-de-semana em que está a cair um nevão daqueles grandes em Nova York? Inicialmente tinha marcado o vôo para hoje à tarde. Assim chegava lá ao início da noite e ainda tinha tempo para descansar bem e fazer um bocadinho de turismo no Domingo. O problema é que com o aviso do nevão eminente, tive que trocar o voo para amanhã. Marcação estava para as 8:50h, mas com todos os vôos cancelados de hoje, a vôo já atrasou para as 11:50h. A ver se se vai conseguir manter a essa hora ou não vou ter tempo nenhum para fazer qualquer tipo de turismo que seja. Estive a dar uma vista de olhos pelas fotos que os Nova Iorquinos têm andado a postar no Instagram, e este é o resultado:

 

@diografic

 

@msyoleecom

 

E enquanto estava a selecionar estas fotos, recebo uma mensagem a informar-me de que o vôo de amanhã foi cancelado 

Marquei outro para segunda. A ver se vai dar...

 

 

Festival das luzes - Lumiere Festival em Londres

Este fim-de-semana decorreu o Lumiére Festival, que contava com instalações de arte e projeções de luz por várias zonas da cidade. Fui ver as luzes de Trafalgar Square e Kings Cross e este foi o resultado:

 

IMG_0436.JPG

 Trafalgar Square - Centre Point representado 

 

IMG_0433.JPG

Trafalgar Square - iluminação de garrafas plásticas na água

 

IMG_0444.JPG

Kings Cross - As palavras ditadas pelas pessoas apresentavam-se escritas no painel luminoso

 

IMG_0449.JPG

Kings Cross - Vestido luminoso com aparência de criatura monstruosa?

 

IMG_0450.JPG

Kings Cross - Show de luzes projectado no edifício da Universidade Central Saint Martin's em Granary Square (também em baixo em vídeo)

 

 

 

IMG_0452.JPG

 Kings Cross - Instalação de ar satélite espacial em Granary Square

 

 

 

O Bolo de Rei versão Francesa

Com o meu grupo de amigos temos algumas tradições anuais e uma delas involve comer a 'Galette des Rois' o bolo que se come no Dia dos Reis (ou no nosso caso, no sábado seguinte) e, como não podia deixar de ser, é uma noite organizada por uma amiga Francesa. À semelhança do nosso Bolo Rei (ou como o nosso Bolo Rei costumava de ser, antes de vir a AZAE ou quem quer que tenha sido que se lembrou que a prenda no bolo é perigosa), tem um pequeno brinde escondido. Quem o encontrar fica reconhecido como o Rei ou Rainha da noite, simbolizado com uma coroa de papel que é apresentada sempre com o bolo, tem sorte e prosperidade para o resto do ano (diz a tradição), e vai ter que ser a próxima pessoa a organizar a celebração da 'Galette des Rois' no ano seguinte. 

 

Devo-vos dizer que apesar de ser um bolo consideravelmente mais fácil e rápido de fazer que o Bolo Rei Português (principalmente se comprarem a massa folhada), na minha opinião é também mais saboroso. Basicamente cobre-se uma base de tarte com a massa folhada. Mistura-se muito bem 100g de manteiga, 100g de açucar, 100g de amêndoa triturada e um ovo, coloca-se essa mistura por cima da massa folhada, e fecha-se o bolo com outra camada de massa folhada por cima e, voilá, passado 30minutos no forno, está feita. E aqui fica o resultado da 'Galette' de ontem à noite:

 

galette_rois.PNG

 

Eu acabei por achar o brinde na minha fatia por isso fui Rainha por uma noite. Nada mau 

 

O top 7 dos desafios a evitar este Janeiro

Ahh, Janeiro, o mês das resoluções que vão mudar a vossa vida, o mês em que os donos de todos os ginásios vão a rir para o banco, o mês do relax e das dietas, o mês em que se diz não ao alcóol e não às gorduras. É um mês cheio de boas intenções e de novas ideias, mas também o mês mais deprimente para colocar em prática todas as restrições que muitos decidem fazer depois dos exageros da quadra Natalícia. Está frio, está tudo sem dinheiro e não se sai muito de casa à noite. Acabaram de reflectir seriamente sobre a vossa vida e o que ainda não conseguiram atingir,... Ora sem dúvida que não podia haver pior mês para se poder deixar de beber e comer coisas boas, não acham!? Pois mas é isso mesmo que os Londrinos adoram fazer no mês de Janeiro. Até existem websites para incentivar todo o tipo de práticas de restrição. Ora fica aqui o meu top das restrições de Janeiro que não deveriam ser tomadas neste mês:

detox.jpg

Dry January: Ou, por outras palavras, o Janeiro seco, sequinho de uma gota de alcoól que seja.

Veganuary: Tornar-se vegan durante Janeiro. nada de carne ou peixe, nada de lacticínios ou outros derivados dos animais.

Joy #StartToday Cleanse: Limpeza interior que vos faz retirar 4 grupos de comida da vossa alimentação para ajudar na perca de peso.

Sugar Detox: Este desintoxica-vos de tudo o que é alimentação que contenha açucar

Alkaline Cleanse: Para fazer uma limpeza dos órgãos ao consumirem apenas sumos, sopas e snacks saudáveis.

Big January Juice Challenge: Dexintoxica-vos de tudo e mais alguma coisa porque a única coisa que são permitidos colocar no corpo é sumo de frutas e verduras.

30 Days of Change: Baseado numa série de exercícios físicos para aumentar a força e a flexibilidade.

 

Querem fazer um detox, uma dieta, um plano de exercício, façam-no, mas não o façam porque é Janeiro, e porque os outros fazem. Façam-no numa altura em que não haja a pressão do início do ano, quando tudo e todos estão a competir numa série de desafios para ver quem resiste mais tempo (ou quem desiste mais tarde). 

O que fazer em Londres em Janeiro 2016

fazer-janeiro-2016.jpg

  

Ora o novo ano já entrou em grande e, se quiserem seguir alguns dos conselhos de resoluções indicadas no post anterior, podem começar por aproveitar alguns dos eventos e actividades que Londres oferece aos seus habitantes e residentes este mês. 

 

London Short Film Festival O que é? Apresentações de curtas metragens. Conta também com eventos de networking relacionados com as apresentações e uma cerimónia de prémios. Quando? De 8 a 17 de Janeiro. Quanto? De £7 a £11. Onde? Vários locais. Ver site para detalhes. 

 

La Soiree O que é? Espéctaculo de Cabaret que conta com actos de controcionismo, circo, comédia e outros. Fui ver no inverno passado (2014) e devo dizer que foi muito bom. Quando? Até 10 de Janeiro. Quanto? Entre £15 a £47.  Onde? Southbank. Estação? Waterloo.

 

Lumiere Festival O que é? Festival de luzes que vai iluminar edifícios de Londres com shows de luz e 3D durante quatro noites. Quando? De 14 a 17 de Janeiro. Quanto? Entrada gratuita. Onde? Em vários locais no West End e Kings Cross. 

 

Burns Night O que é? Todos os anos o aniversário do reconhecido poeta Escocês Robert Burns é celebrado com recitais de poesia ou eventos de dança Escocesa Ceilidh. Existem vários eventos pela cidade em celebração organizados por bares, restaurantes Escoceses e grupos de dança Ceilidh. Quando? 25 de Janeiro.

 

Big Bang Data O que é? Exposição que explora a importância da manipulação de 'Big Data' no mundo hoje em dia, desde às instituições governamentais, às empresas, investigação de saúde e mais, assim como a forma como esta nos tem beneficiado. Quando? Até 28 de Fevereiro. Quanto? £12.50. Onde? Somerset House. Estação? Charing Cross.

 

Brick Lane Japan Film Festival O que é? Apresentações de filme Japonês de grande variedade. Visualização de cada filme custa £4 e o bilhete inclui um Sake. Quando? 29 a 31 de Janeiro. Quanto? £4 por filme. Onde? The 5th base Gallery. Estação? Liverpool Street.

 

Pop-Up Painting O que é? Um pop-up para ensinar a pintar o reconhecido quadro 'The Kiss' do Klimt. O evento incluí vinho e tutorial para iniciados. Quando? 30 de Janeiro. Quanto? £35 Onde? Trafalgar. Estação? Charing Cross.

10 Resoluções para os residentes de Londres em 2016

LONDON 2016.jpg

 

Londres é uma cidade incrível, não há qualquer dúvida! Por isso tenho pena quando conheço pessoas que me dão a perceber que simplesmente não estão a aproveitar o que Londres tem de melhor para lhes oferecer. Por isso aqui ficam, 10 resoluções que gostava de dar a todos aqueles que estejam ou venham a viver em Londres neste novo ano de 2016. Algumas delas eu também ainda não as sigo à risca por isso ficam aqui para mim também.

 

1. Conhecer novas pessoas

Em Londres têm a vantagem de estar perante um dos maiores conglomerados de culturas do mundo por isso aproveitem para conhecer pessoas fora dos vosso círculo de amigos Portugueses ou do trabalho. Existem imensas formas de fazer novas amizades, mas é preciso que dêm esse primeiro passo para o conseguir fazer. Já escrevi alguns posts sobre como fazerem novas amizades aqui e aqui, mas também podem juntar-se a grupos de desporto - por exemplo no gumtree costumam anunciar grupos de futebol, rugby, andebol, corrida ou outros semelhantes. Podem conhecer pessoas através de aulas de dança ou aulas no ginásio; ao juntarem-se a um grupo de teatro amador ou um grupo de voluntariado, por exemplo. 

 

2. Manter-se a par das notícias

Para se sentirem parte da comunidade e cultura locais é importante que estejam a par do que se passa por Londres e pelo Reino Unido de forma geral por isso dediquem-se a ler todos os dias as notícias. Apanhem o Metro ou o Evening Standard gratuitamente na vossa estação, subscrevam à newsletter do Guardian, comprem ou jornal i que tem muitas notícias sumarizadas ou façam download de um app que congregue o tipo de notícias que sejam do vosso interesse.

 

3. Imortalizem a vossa experiência todas as semanas

Quer seja através de um post no Facebook, uma foto no Instagram, um post num blog, uma entrada num diário, vão colocando retalhos da vossa estadia em Londres, daquilo que fazem, dos sítios onde vão, para mais tarde recordarem a experiência que passaram por cá. 

 

4. Ter o emprego que gostavam mesmo de fazer

Quer já estejam a trabalhar ou ainda não, a maior parte dos anos da vossa vida (para a maioria de nós) serão passados a trabalhar. Como tal, parem para pensar no que têm hoje. Estão no emprego ou no curso certo? Aos domingos à noite (ou no dia de folga) estão contentes que venha o dia seguinte? Vêm a desenvolver uma carreira na área profissional em que estão hoje? Se a resposta fôr não, então aproveitem 2016 para mudar isso. O que é que precisam de fazer para ter o emprego que pretendem? Precisam de tirar um curso primeiro? Precisam de melhorar o CV? Precisam de fazer mais networking na indústria? Delinem um plano de acção realista que possa trazer o tipo de emprego que pretendem ter e façam esse plano acontecer. Londres é uma cidade com muitas oportunidades. É preciso é saber lutar por elas e não desistir. 

 

5. Ir a um novo pop-up uma vez por mês

Os pop-ups já são característicos da cidade de Londres e trazem-nos a sensação de estarmos sempre a descobrir sítios novos, experimentar coisas diferentes visto o seu factor temporário. Existem pop-ups de tudo e mais alguma coisa, desde supper clubs, a lojas de roupa, cafés, restaurantes e tudo mais. Podem encontrar muitos pop-ups anunciados neste blog ou sigam o Tuga em Londres no Twitter ou Facebook que também vou indicar lá sempre que sei de algum pop-up interessante. 

 

6. Visitar todos os Royal Parks

Os parques de Londres são extramente característicos e lindíssimos. Existem centenas de parques, commons e espaços verdes em Londres, mas se não podem visitar todos, ao menos tentem visitar todos os 8 Royal Parks que são eles Green park, St. James Park, Greenwich Park, Hyde Park, Kensington Gardens, Regent's Park, Bushy Park, Richmond Park. Para além desses aconselho também os meus três favoritos que são o Victoria park, o Battersea Park e o Hampstead Heat.

 

7. Andar mais a pé ou de bicicleta

Londres é uma cidade cheia de coisas interessantes, ruas lindíssimas que muitas vezes nem damos por elas, se estamos sempre a atravessar a cidade no túnel do metro ou nos rotas dos autocarros. Esqueçam os transportes públicos sempre que poderem e andem até ao vosso destino ou apanhem uma Boris Bike e descem-se ir à descoberta de Londres. Existe sempre alguém por perto que vai estar prestes a dar-vos indicações se precisarem, por isso nunca se vão perder. 

 

8. Sair numa estação onde nunca foram uma vez por mês

Sabem que em Neasden existe o maior templo Indiano fora da Índia? Ou que ao sairem em Loughton ou Epping podem ir passar o dia na Epping Forest? Existem concerteza muitas estações onde nunca sequer consideraram ir e, onde pode haver muitas coisas de interesse para visitarem. Dediquem um dia por mês a sair numa uma estação de metro onde nunca foram antes e ir à descoberta de Londres. Londres é muito mais que a zona 1. 

 

9. Ver mais arte

Em Londres á vi exposições de arte e instalações verdadeiramente surpreendentes. Além de que ir a uma galeria providencia, muitas vezes, uma tarde ou noite bem passadas a descobrir algo novo, falar com pessoas interessantes. Podem começar por pesquisar no site da TimeOut que tem uma boa secção sobre galerias de arte e, uma vez que forem às galerias, podem subscrever-se às suas newsletters para começarem a receber convites para as noites de abertura onde geralmente podem conhecer os artistas enquanto bebem vinho que será servido durante a noite. 

 

10. Viver de forma mais saudável

Pode ser uma grande cidade com mais poluição que a zona campestre, mas isso não é razão para não tratarem bem de vocês. Comecem o dia por correr nos parques ou ao longo do rio, em termos de alimentação, o que não falta são restaurantes e mercearias que se dedicam à comercialização de comida saudável, biológica, que ajuda a manter uma boa nutrição. Existem ginásios espalhados por toda a cidade por isso nunca estarão longe de nenhum e, com as mudanças que a câmara de Londres está a fazer nas estradas, estas estão estão cada vez mais seguras para os ciclistas, e andar de bicicleta em vez de transportes proporciona uma boa forma de exercício regular. 

 

10º aniversário da primeira turma de Marketing do ISCTE

Fez este ano 10 anos que terminei a minha licenciatura de Marketing e como tal, eu, os meus colegas e alguns professores tentámos marcar um reencontro ao fim destes anos todos. Aproveitámos a altura do Natal para o fazer com o intuito de tentar juntar o maior número de pessoas possível, inclusivé os emigrantes que, como eu, só voltam a Portugal ocasionalmente, sendo que a época do Natal é a data mais certa para estarmos todos em Portugal. Mesmo assim, a coisa não resultou lá muito bem. Ao fim de 10 anos, já muitos têm família e estão ocupados com os mais pequenitos, outros estão emigrados e pretenderam ficar no estrangeiro nesta altura, outros estavam nas terras dos pais, outros a viajar, etc. Portanto, acabámos por ser 7 ex-colegas mais 2 professores. 

 

Apesar dos números serem pequenos gostei muito de voltar a reencontrar-me com os ex-colegas, alguns deles que já não via desde o fim da licenciatura. Interessante também ver os diferentes caminhos que cada um tomou, mas o que achei mais interessante é que mais de metade dos que ali estavam mantinham-se na mesma empresa por onde iniciaram a sua carreira quando saíram da universidade. Imagino que isso talvez esteja um pouco relacionado com o que é habitual em Portugal. Os meus pais também trabalharam na mesma empresa a maior parte das suas vidas. Eu, no entanto, talvez por estar em Londres e, a rotatividade de empregos ser maior, nem me passaria pela cabeça ficar tanto tempo na mesma empresa. Eu acho que cresci imenso como profissional por ter tido experiência a trabalhar em diferentes empresas. No meu trabalho actual estou a aplicar os processos e actividades que achei melhores/mais eficientes de outros empregos e apercebo-me de certas coisas que não eram tão efectivas em trabalhos anteriores simplesmente porque não as sabia fazer de outra maneira. Foi a possibilidade de trabalhar com tantas pessoas diferentes, tantas tecnologias, que me permite fazer melhores seleções hoje em dia. Para além de que acho que ficaria super aborrecida de estar sempre a trabalhar na mesma indústria, a comunicar sobre os mesmos produtos, a ir aos mesmos eventos. Adoro a diferença que a possibilidade de novos trabalhos nos oferecem. Além disso, é quando se muda de emprego que, geralmente, se consegue melhorar consideravelmente de salário, o que também é importante.

 

Por outro lado, bem sei que, dada a instabilidade actual de Portugal, esse tipo de mudanças podem ser mais difíceis de fazer, além de que, deve ser um grande risco sair-se dum emprego permanente para outro onde não se tenha tantos benefícios ou segurança. Acho que todos beneficiavam se as políticas das empresas relativamente a fazer os empregados permanentes mais cedo fossem alteradas. Se nos países economicamente mais desenvolvidos tais como o Reino Unido, Estados Unidos, etc., funciona bem contratar pessoas para ficarem permanentes ao fim de uns 3 meses e terem a possibilidade de despedir empregados que não efetuem um bom trabalho mais facilmente, com um mês de aviso (até menos nos EUA, mas eles exageram) e, sem grandes compensações, provavelmente isso também seria uma prática que podia ser benéfica para as empresas em Portugal. As empresas beneficiavam com um pouco mais rotatividade porque íam receber empregados empolgados em fazer o seu melhor, que trazem com eles ideias novas. Era bom para os empregados porque passavam a sentir-se mais confiantes em mudar de emprego e aprendiam mais a nível de carreira por estar expostos a diferentes ambientes de trabalho e indústrias. Era bom para o país porque empresas com empregados motivados e mais qualificados a nível de experiência trariam mais inovação, logo as empresas conseguiriam ter maior sucesso, o que seria reflectido nos salários, consecutivamente no poder de compra e na melhoria da economia a nível geral. Possivelmente estou a ser idealista e isto não é assim tão simples de mudar quanto parece, mas que provavelmente seria melhor para o país, isso penso que seria.

 

iscte_bencao.JPG

 

 

 

Feliz Natal

Chegámos ao Natal. Estou a adorar o ar de felicidade no ar, as luzes Natalícias que enfeitam Lisboa, o cheiro a bolos, fritos, especiarias e a Bacalhau com Todos. 

 

Ontem aproveitei para me dedicar à doçaria e, para além da Mousse de chocolate, do Bolo de Amêndoa, do Pudim flã, dos bolinhos de noz que deixei queimar, fiz dois bolos de que me orgulho particularmente:

 

O Cheesecake de frutos vermelhos. Segui esta receita mas usei bolacha digestiva para a base em vez de bolacha Maria, e fiz um creme de frutos vemelhos para a cobertura como este aqui indicado, em vez de colocar doce de morango. O resultado:

cheesecake.JPG

 

O tronco de Natal. Segui esta receita, mas como não sabia decorar como se fosse um tronco de Natal e, não tinha feito os dois bolos necessários para o efeito, então optei por decorar como se fossem flores entrelaçadas. Ficou assim: 

tronco_natal.JPG

Estão ainda para abrir agora ao final do almoço de Natal. Só espero que estejam saborosos também. 

 

E aproveito para fazer desejos de um Natal muito feliz para todos os leitores do blog!

 

Eu passo-me da cabeça com os emails comerciais Portugueses

A sério, por vezes fico estupecta a olhar para os e-mails que recebo no meu endereço de e-mail do blog com o intuito de promover a venda de produtos ou serviços de empresas Portuguesas. Nunca utilizei esse email para me subscrever ao que quer que seja visto que o seu intuito é para o uso exclusivo do blog e para contacto com os leitores do blog. Mas o simples facto de que o tenho disponível online no meu perfil significa que as "spiders" das empresas de vendas de bases de dados que efectuam recolha de todos os e-mails disponíveis em páginas online, recolhem também o meu, e depois vendem o seu acesso a todas as empresas que os quizerem comprar. 

 

Como trabalho em marketing, também eu envio e-mails a bases de dados, mas nunca para bases de dados de e-mails de pessoas que não têm qualquer relação ou interesse nos serviços que a minha empresa oferece, e, os e-mails que envio nunca são com o intuito de vender nada, mas serão convites para ler artigos de interesse à indústria ou convites para atenderem webinares ou eventos. Enviar e-mails a totais desconhecidos com o intuito de vender produtos é pura e simplesmente SPAM!! E custa-me acreditar como em Portugal as empresas ainda enviam tantos desse tipo de e-mails. Isso simplesmente já não acontece no Reino Unido, em França e, muito menos em países como a Alemanha ou os países Nórdicos. Quando pessoas desses países recebem qualquer tipo de email insolicitado, como são poucos os e-mails que recebem nesse sentido, dão-se mesmo ao trabalho de critícar e queixar-se às autoridades de regulação de privacidade de dados. Imagino que em Portugal as pessoas estejam tão habituadas a receber este tipo de e-mails que ninguém sequer se dá ao trabalho de queixar porque teriam que se queixar da maior parte dos e-mails que recebem nas suas caixas de correio. 

 

Senhores e senhoras marketers das empresas Portuguesas, eu também tirei a licenciatura em Portugal e lembro-me perfeitamente de me terem ensinado nas aulas que existe uma coisa chamada e-mail marketing segmentado a audiências target. Já ouviram falar nisso, não? Então porque é que não o fazem?!? Eu trabalho em marketing e vivo no Reino Unido, portanto não tenho qualquer interesse em comprar o carro em segunda mão em Faro ou alugar um apartamento no Sobral, ou tirar um curso na área de saúde em Braga e muito menos comprar trituradores/motores de evacuação para sanitas e máquinas de lavar a preços descontados!!!! Esses emails são SPAM, SPAM, SPAM!!! E estou irritada com tantos e-mails que recebo sobre tudo e mais alguma coisa sem qualquer relevância para mim. Fico ainda mais irritada quando vejo que não têm um botão automático para me retirarem da lista de base de dados. Dizem que se eu quiser ser retirada da lista tenho que enviar um e-mail para um certo endereço de e-mail com o título "Remover" no título. Pois sabem o que acontece quando envio esses e-mails? Nada!! Claro que não acontece nada. Ninguém vai ali estar a monitorizar os e-mails todos os dias e retirar pessoas da lista manualmente. E mesmo que o façam, ao não terem um sistema de gestão de base de dados automática, o meu e-mail nunca vai ficar listado como 'black listed', logo, da próxima que voltarem a comprar o update da base de dados de e-mails totalmente aleatórios, lá o meu e-mail vai novamente e eu volto a receber e-mails sobre trituradoras para sanitas! 

 

Faz-me rir é quando eles escrevem na nota de rodapé algo como o que a empresa OTS Seguros para carros me mandou esta semana:

"Nota: Agradecemos que nos avise se não desejar receber mais informações.

Esta mensagem está de acordo com a legislação Europeia sobre o envio de mensagens comerciais. Destina-se unicamente a clientes, potenciais clientes e parceiros e não pode ser considerada SPAM porque tem incluído contacto e instruções para remoção da nossa lista de emails. Qualquer mensagem dever estar claramente identificada com os dados do emissor e dever proporcionar ao receptor a hipótese de ser removida da lista (Directiva 2000/31/CE do Parlamento Europeu; Relatório A5-0270/2001 do Parlamento Europeu)."

 

"Destina-se somente a clientes, potenciais clientes e parceiros" - e eu sou qual desses? Definitivamente não sou cliente nem parceiro portanto imagino que esteja classificada na categoria de potencial cliente. E como é que me identificaram como potencial cliente? A não ser que eu seja considerada uma potencial cliente para quando eu comprar um possível carro na data em que potencialmente me mude de volta para Portugal. Ahh, se fôr esse o critério deles, então muito bem, porque significa que estão a planear a longo prazo e querem certificar-se de que eu me fico já com o nome deles em mente para daqui a uns anos quando isso talvez acontecer 

 

"Não pode ser considerada SPAM" - epá, ainda bem que me avisaram que o vosso e-mail não pode ser considerado SPAM. Desculpem lá então. Este post é totalmente irrelevante nesse caso, visto que me avisaram que o vosso totalmente irrelevante, e insolicitado e-mail não pode ser considerado SPAM segundo uma lei que optaram por contercer. Ah, e claro, indicaram que não pode ser considerado SPAM porque me oferecem instruções para a remoção da vossa lista. Quais instruções? Não têm qualquer link para remover o meu endereço de e-mail. Ahh, referem-se à nota onde dizem que agradecem que os avise se não desejarem receber mais informações! Ainda bem que agradecem. São tão bem educados. Mas aviso para onde? Devem-se ter esquecido dessa parte da instrução. 

 

Mas compreende-se que se tenham esquecido da instrução porque devem ter deixado o filhote fazer o e-mail e é compreensível que o filhote se tenha esquecido dos detalhes. Sim, digo o filhote, porque só mesmo uma criança é que ía colocar os erros ortográficos que o e-mail tem (eu sei que também escrevo com erros ortográficos por vezes, mas não o faria em e-mails profissionais) e formatar um e-mail da forma como este me apareceu. Olhem bem para a beleza destas cores do arco-íris. Um e-mail muito alegre que chama a atenção para todos os descontos importantes sem sobra de dúvida 

email_seguros.PNG

 

E como se receber este tipo de e-mails não fosse suficiente, há também o pessoal que ADORA colocar comentários SPAM no Tuga em Londres. Primeiro houve pessoal de um restaurante em Lisboa que apanhou este post onde pedi por recomendações de restaurantes bons em Lisboa em 2007. Eles lá devem ter colocado um comentário com o link para o restaurante e devem ter tido algumas visitas para o site a partir do comentário, porque decidem fazer SPAM de comentários a sugerir o tal restaurante em tudo quanto é post! E fizeram-no durante anos! Nem estou a exagerar. Lá de vez em quando colocam novo comentário com um link para o site do seu restaurante. Comecei por apagar os novos comentários que deixavam, contactei o próprio restaurante a pedir para pararem com os posts (e-mail para o qual nunca obtive qualquer resposta) e chateei-me de tal maneira que apaguei até o post original que tinham criado. Sem problema colocarem uma vez. Teria-o deixado lá de outra forma mas os comentários aos posts não são para SPAMMERS. Não quero e não deixo que o façam. Felizmente devem ter verificado que não valia a pena e neste último ano já não têm colocado mais comentários. Ultimamente o SPAM de comentários tem mesmo sido duns tipos a anunciar oferta de empréstimos. Não sei se já têm reparado, mas nos últimos meses têm havido muitos desses comentários. Claro que assim que os vejo publicados apago-os imediatamente, mas surpreende-me como não desistem e voltam a colocar novamente. Deixem os comentários do blog em paz! Ninguém está interessado em contactar o vosso endereço de gmail para pedir empréstimos. Tem ar totalmente suspeito e aconselho vivamente a nunca ninguém contactar estes indivíduos se virem os tais comentários. Parecem ser tudo menos empréstimos de confiança.

 

Enfim, só queria mesmo desabafar isto tudo que me estava engasgado na garganta. Bem sei que até a mentalidade das empresas Portuguesas alterar e se aperceberem que o SPAM não os beneficia, não vão parar. Existem outras formas de aumentar as suas bases de dados com endereços de indivíduos que efectivamente têm potencial para estar interessados nos seus produtos; e existe outro tipo de comunicação via e-mail que tem mais potencial para converter indivíduos em clientes, que não e-mails intuitos à venda imediata. Até se aperceberem disso não vamos parar de receber este tipo de e-mails. Até lá, é continuar a retirar o nosso endereço de e-mail das listas e carregar no botão de SPAM, até as prácticas de forma geral, serem alteradas ou as entidades de protecção dos direitos à privacidade dos consumidores fazer algo para punir as empresas que fazem isto.